segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Daquelas coisas básicas que sigo

E que tantos dissabores comportamentos contrários me causaram na minha infância/adolescência; a forma de educar era distinta, mas aprendi muito acerca do que não quereria fazer a um filho.


domingo, 30 de dezembro de 2018

sábado, 29 de dezembro de 2018

E o que me calhou na sessão de hoje de testes do FB?

Bem precisamos de Alegria! Tem 365 dias para mostrar o que vale esta profecia. Estarei atenta.

Várias verdades


E quando a vida social deles tem mais movida do que a nossa

De manhã lá andou comigo aqui e ali, depois foi visitar a avó e a tia, quando me preparava para ir fazer compras recebo uma mensagem da avó do amigo dela perguntando se estávamos por cá para eles irem brincar.

Lá fui deixá-la isto ainda a tarde ia no adro da Igreja. Quando me preparo para a ir buscar, venho de volta sem filha - ah, ela fica para jantar, depois vamos lá deixá-la. Sendo que, nem para mim olhou quando tentei o resgate, tal não era o interesse na brincadeira com o amigo.

E eu aqui deixada à minha sorte a comer chocolates. Vá-se lá perceber.

Qual SAW, a experiência do medo

Passei um total de 24 horas muito chatinhas. O Holter é pacífico, à excepção de termos que andar com o aparelho ao pescoço, tendo ele o seu peso e depois terem que nos arrancar os terminais com penugem atrás, isto vindo de pessoas que não percebem nada de depilação, mas adiante.

O MAPA é que não desejo a ninguém. 4 vezes por hora aquilo a insuflar e a minha mão a ficar um trambolho. Dormir que é bom, não aconteceu. Foi no mínimo desconfortável.

Eis que chego à Clínica para retirar aquilo e diz-me a enfermeira assim:

"Agora tem que esperar um bocadinho porque tenho que ver se ficou tudo gravado….se não, vai ter que repetir"

Caiu-me tudo ao chão. Aqueles 5 minutos pareceram horas. Honestamente não me estava a ver mais 1 dia com aquele desconforto, sem tomar banho, sem dormir, sem me poder mexer sem restrições mas...estava gravado. Saí dali em passo acelerado não fossem arrepender-se.

E por mais que tentemos proteger os miúdos, eles percebem sempre

Não levei a miúda comigo para colocar os aparelhos, disse-lhe que isto era um exame simples e indolor. Queria porque queria ir, porque não me queria deixar sozinha.
Lá lhe expliquei que enquanto me estivessem a colocar as coisas ela teria que esperar, pelo que não valia a pena.

Quando a fui buscar, dado o volume do que tenho colado à cintura, parecis estar grávida à vontade de uns 6 meses - quis ver, tudo bem, lá lhe disse que aquilo não custava nada, apenas tinha que ficar quieta sempre que o aparelho que mede a tensão começasse a funcionar - ela também já mediu a tensão, pelo que achei que seria tranquilo.

Comentário antes de se deitar:

"Mamã, quando as pessoas estão a morrer e vão para o hospital, os médicos fazem com que elas vivam mais tempo, não é!? Eu não tenho mais ninguém e tu não podes morrer mamã!"

Bom, atrever-me a dizer que não morro, não o faço. Vou pela via óbvia de que não devemos pensar nessas coisas, que tem muita gente que gosta dela e nunca ficaria sozinha e que, mesmo se me acontecesse alguma coisa, em forma de estrela eu estarei sempre lá.

Era daqueles dias em que para a proteger de potenciais dúvidas, preferiria que ela o tivesse passado longe de mim, por outro, talvez seja esta nossa vida de ligação ao extremo, porque somos apenas nós as duas no dia-a-dia, literalmente nos bons e maus momentos, que  faça ser mais forte, corajosa e lutadora, acima de tudo, sem grandes temores. Se o resultado for esse, o meu destino afinal teve uma finalidade bem válida. O termos que lutar por nós próprios e estarmos muitas vezes sós nessa luta, torna-nos incrivelmente não digo que sempre mais fortes, mas pelo menos mais resistentes.

Esta noite promete ser memorável

Com um aparelho a estrangular-me o braço de 20 em 20 minutos, e já vamos nisto há quase 12 horas...é cansativo e desconfortável.

É que nem o almoço à beira-mar colmatou a minha má disposição do dia. Estarmos num ambiente bonito e inspirador, mas não estarmos bem e sentirmos estar a ser uma má companhia...deixa-nos com aquela sensação de que já não se pode voltar atrás, mas há que fazer algo para compensar os presentes que, apesar de tudo e da minha falta de paciência, proporcionaram bons momentos.

Só espero que isto esteja a fazer as leituras todas, porque se me dizem para repetir, honestamente acho que não morro da doença, mas sim do caminho para a cura.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

E a falta de saúde por seu lado, resulta muitas das vezes, na falta de tudo isto...


Qualquer semelhança entre a minha pessoa e uma mulher-bomba

Será mera coincidência, eu juro. Mas a verdade é que durante 24 horas vou andar embrulhada em fios e aparelhos.

De um lado o Holter e do outro o MAPA. Vamos lá ver no que dá.

Se eu não fosse fã da Uterque e de sapatos

Não teria ficado a babar com estes. Mas que belos sapatos.

Vou pensar assim; vale mais esperar pelo veredicto do médico, se serei ou não operada aos joanetes que tanto me incomodam e depois enveredar pelo caminho do consumismo :)

Até lá, namoro os sapatos!


terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Aqueles presentes que os amigos oferecem aos nossos filhos e que se vão transformar numa dor de cabeça para os pais

Estou tramada!

Eu tinha que apanhar o "Música no Coração"

A esta hora na RTP1 - pela enésima vez, ainda me farto de chorar com esta história de amor. Sou uma romântica, eu sei.

Edelweiss, edelweiss….

domingo, 23 de dezembro de 2018

E o típico português deixa as compras para a última da hora

E eis que passo pelo Corte Ingles hoje de manhã e vejo multidões assomadas em cada uma das entradas e confesso que não raciocine logo; pensei primeiro, o que estarão a oferecer?

Nisto olhei para o relógio, ainda não eram 10 da manhã, e claro, era o povo à espera da abertura de portas - confesso que estremeci. Passado algum tempo também lá passei, mas a verdade é que não estava propriamente caótico.

Quando vou a sair e passo pela Zilian e a vejo de portas abertas, não resisti em ir ao corredor "41" e claro, com a desculpa que tinha um desconto do meu aniversário, lá vieram uns botins todos giros.



sábado, 22 de dezembro de 2018

Ainda têm que ser revistos muitos tópicos para a inclusão

Vera pode continuar na Escola Alemã. Mas não a deixam passar do 9.º ano

É a melhor do meu mundo

Babei com as notas dela. O terceiro ano, já me tinham avisado que não é um ano fácil, a miúda tem muito brio de facto, mas é muito distraída. Não que tenha que a obrigar a estudar, de todo, mas obviamente que tenho que lhe dispensar algum do meu tempo para estudar com ela, fazer-lhe perguntas, devolver respostas mal dadas para melhorar, voltar a perguntar, corrigir....enfim, com a falta de tempo que me parece ser algo transversal e ser apenas eu para tudo...tem sido duro. Mas ela prova-me todos os dias, que tudo vale a pena e eu transbordo de orgulho por ela.

E esta tablete de chocolate veio mesmo a calhar. A graça que nós achamos a estas coisas.


sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Parece que foi uma semana sem novidades

Mas não; foi uma semana de muito trabalho, muita luta, muita novidade, e experiências boas….e más também. A isto se chama viver.

Na terça-feira Show Case do Pedro Abrunhosa e lá fomos nós, cria incluída, passar um serão ao som de quem gosto tanto.

Foi um espectáculo excepcional a apresentação oficial do "Espiritual" e a minha filha vibrou quando viu a Ana Moura.

E agora, Estrada com ele...



terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Acerca da tragédia que assolou o INEM

Assim que ouvi as primeiras notícias, ainda se dava a aeronave como "desaparecida" confesso que estremeci. Obviamente que adivinhei logo o cenário mais desolador de todos e arrepiei-me.

Confesso que indaguei a Deus o porquê, tendo sido veementemente chamada à atenção pela minha mãe, porque Ele sabe o que faz. Ok, humildemente Lhe peço perdão por tantas vazes O questionar e, na maioria das vezes nem ser relativamente a mim - é de enaltecer a minha falta de egoísmo, mas caramba, para quem dedica a sua vida a salvar os outros, isto dói.

Depois surgem as teorias e as sempre apontadas falhas à Assistência (Bombeiros, Protecção Civil, CDOS e afins). A verdade é que talvez não sejamos dos países mais preparados para estas coisas, e prova disso foram os incêndios do ano passado e o número de mortes.

Também sabemos que o CDOS nem sempre funciona da melhor maneira - ainda me lembro de uma reportagem de há uns anos atrás a propósito de uma situação de emergência uma chamada telefónica ter sido despachada do INEM para o CDOS e para não sei onde e nisso se tinham passado horas.

Mas também existem bons exemplos - relembro uma situação que me ocorreu há algum tempo em que vejo um senhor com alguma idade numa Via Rápida do lado de fora da viatura e a mesma a arder e ele desesperado. Não tive a rapidez de raciocício suficiente para parar logo ali, mas liguei em menos de 1 minuto para o 112, disse o que se passava e garantiram-me que iam accionar os respectivos meios. Liguei umas horas depois para a corporação de Bombeiros da zona e disseram-me que tinha ficado tudo bem, o senhor tinha sido levado ao hospital por estar com uma crise de ansieade, mas tinha ficado tudo bem.

Deu-se de facto com este helicóptero uma fatalidade, os pilotos hesitaram em descolar, acabaram por fazê-lo, não sendo as condições ideais, mas certamente avaliaram dentro dos seus conhecimentos os prós e os contras e nas suas cabeças tudo estaria a ser feito com a máxima segurança.

Ok, os CDOS de não sei onde não atenderam logo as chamadas e os primeiros meios de "socorro" chegaram 2 horas após o primeiro alerta o que não é expectável e deve ser corrigido, mas sejamos pelo menos construtivos. Deixem que neste caso saia o resultado das autópsias às vitimas mortais, pois acredito honestamente que chegassem os meios a que horas chegassem neste caso, tratar-se-ia de uma operação de resgate de corpos e não de socorro. Há que tirar muitas lições para que em situações de emergência nada falhe, mas honestamente neste caso creio que a celeridade não teria evitado esta perda de vidas humanas - nao se tratando apenas da queda da aeronave, à altitude a que voava, como também o sítio em que se despenhou - mesmo que alguém tivesse resitido por momentos à queda, não creio que sobrevivesse ao ponto de aguentar até à chegada dos meios de socorro mais rápidos do mundo àquele local, com aquela especificidade e de noite.

Sem qualquer dúvida que estas 4 pessoas merecem todo o nosso Respeito!

Dizia a minha avó que eu tenho umas mãos perfeitas para usar anéis

E a verdade é que adoro esses acessórios e não me vejo sem eles no dia-a-dia.

E de facto os da Calvin Klein são dos meus preferidos.

https://nit.pt/vanity/lojas-e-marcas/aneis-da-calvin-klein-natal

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

São incríveis os traços da minha avó que revejo na minha miúda

Aquele acordar bem disposto e a cantarolar, o sorriso espelhado no rosto - juro, é a segunda pessoa que conheço assim em toda a minha vida.

Quis o acaso que, não tendo cá a alegria inata da minha avó, tenha sido agraciada com uma filha assim. É uma chata, mas muito querida e bem disposta, easy going diria mesmo, por vezes até demais.

domingo, 16 de dezembro de 2018

Faltava um Daniel Wellington, pois está claro

Gosto destes aniversários que se prolongam...



sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Não acreditam em mim sempre que digo que o tempo urge,

Que devemos aproveitar o dia presente não pensando que seja o último, pois acho que isso também daria lugar a muito disparate mas, pelo menos, vivê-lo da melhor forma possível e não abdicar das boas oportunidades que a vida nos dá e fugir a 7 pés das más.

Desperdiçarmos 1 dia, a médio prazo para outras decisões pode significar 1 ano e isso, nos tempos que correm, é demasiado - sabemos lá nós o que estaremos a fazer daqui a 1 ano, ou se porventura ainda cá estaremos.

Mas as pessoas não fazem caso - em vez de aproveitar adiam, adiam, adiam - tipicamente português o fazer amanhã, o que podia ter sido feito hoje.

E hoje, ao olhar para a minha filha enquanto a deixava na escola, pensei nisso mesmo. Isto está a escapar-me pelos dedos. Foi ontem literalmente que a levei ao primeiro dia de aulas deste ano, estava calor, fui a correr à reunião de pais, à tarde comprar algum material....e hoje fui deixá-la para o último dia do 1º Periodo e passou mesmo num instante.

Não deixa de ser assustador a forma como tudo se desenrola. Ia ter o primeiro Acantonamento das Guias, mas optei por ainda não a deixar ir - começou esta aventura recentemente e ainda não me sentia confortável sem deixá-la voar durante 2 dias seguidos algures para os lados de Santarém.

Mas outros se seguirão, ela já começa a ter o seu grupo de amigas bem definido, está cada vez mais autónoma e o nosso cordão umbilical começa a esticar.

E pensar que ainda ontem tinha 32 anos e uma bebé linda nos braços e agora já tenho 41 e sou eu a deitar a cabeça no colo dela, porque preciso tanto de miminhos, miminhos honestos e desinteressados que só ela é capaz de me proporcionar.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Muito orgulho nela

E grata por tê-la recebido como filha e estarmos a percorrer juntas este caminho, por vezes de espinhos, por vezes de algodão, mas sei que irrepetível.

Sinto-me a crescer enquanto mãe a cada dia e reitero que ficar com um bebé nos braços e fazer a Cruzada sozinha, é o maior desafio da minha vida. Também o que me traz mais retorno positivo, mas nem tudo é um mar de rosas.

Dar bases a um ser humano com as suas características próprias não é fácil, nós, cada vez temos menos tempo para nós próprios, para os filhos. Chego a casa com ela invariavelmente perto das 8 da noite, em dias de natação depois das 9. Ando sem grandes forças, cansada, sem genica, mas mesmo assim, há que cumprir os mínimos e fazer deles máximos e nunca descurar as coisas mais importantes dela.

So far so good. Todos que convivemos com ela, nutrimos por ela uma paixão e um orgulho, enormes.

Hoje trouxe as notas dos últimos testes do Período e juro que com o pessimismo que me é característico, achei que se iria sair pior, não obstante ter trabalhado o possível com ela e ter sentido que ela se aplicou.

Mas a nota mais baixa que trouxe foi um Bom...claro que tenho motivos para a erguer e gritar aos quatro ventos "Riqueza de sua Mãe!"

E existem momentos em que um belo ramo de flores, cai mesmo bem

Posso dizer que tive um dia tranquilo, pacato, com muitos mimos, virei "loira" e não, não enlouqueci....mas quase.

Obrigada a todos quantos me proporcionaram um dia especial e também aos que brilham em formato estrela, mas que continuam no meu coração e que estiveram também muito presentes.


Pour le Cirque....já cá cantam também :)


segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

10/12/77 - Oh God! I'm 41!!!

Quis o destino que partilhasse o dia de aniversário com a Clarice Lispector, e que curiosamente a mesma tenha falecido precisamente um dia antes de eu mesma nascer.

E como eu admiro esta mulher.

Eu…? Bom, já conto com 41 anos de vida, tenho uma filha fantástica que nasceu no dia que sempre sonhei que celebraria o nascimento de um filho, já ando a dever alguns anos ao Paraíso, pois sempre achei que me ficava pelos 33 e espero que seja um ano de catarse, de concretizações, consolidações e acima de tudo muita paz de espírito.



domingo, 9 de dezembro de 2018

As minhas compras

Sim, também celebro comigo própria os meus 41 anos...e nada melhor do que os comemorar na "companhia" de uma mulher admirável e com a perspectiva de, ainda que em parte, contribua com algo para o IPO:


sábado, 8 de dezembro de 2018

Hoje foi dia de festa de Natal do Colégio

E para mal dos meus pecados descobri que, tenho ali uma bailarina de Hip Hop em potência. Grande louca esta miúda.

A Avó e a Tia fizeram a surpresa e apareceram na festa e ela estava mesmo muito feliz.




quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

As incongruências da minha filha

Diz-me permanentemente que sou bonita, que gostava de ter os dentes iguais aos meus, as mãos, que sou a melhor mãe do mundo, que sou fofinha querida, mundos e fundos.

Ontem, ao corrigir-lhe uma ficha de Português em que lhe era solicitado adjectivar pessoas ou objectos, eis que me calhou a avaliação dela, e fiquei assim:

Mãe:

 - Mandona
 - Responsável

Não sei se ria se chore, se isto tem uma conotação boa ou menos boa, mas lá lhe disse que se me acha mandona, haveria de ter como mãe a Avó....e aí sim, seria o fim do mundo em cuecas.

É muita classe junta....Oh my God!


Agora trata-se de aprender a mexer nisto; é outro mundo. Ainda por cima Bronze a fazer pendant com o resto.

Enchantée!


quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

A ser verdade, parece que em 19 anos, pouca coisa mudou

https://tvi24.iol.pt/videos/sociedade/na-prisao-de-caxias-nao-ha-direito-a-visita-semanal-nem-aos-telefonemas-diarios/5c07b3c50cf20b592eba8534

Não nos podemos nunca esquecer que uma Instituição Totalitária, será sempre isso mesmo e não tenhamos ilusões de grandes condições e paraísos, contudo, defendo que os direitos dos cidadãos devem ser cumpridos, tenham eles perpetrado o crime mais hediondo. O nosso sistema de punição está definido e é sobre essas regras que nos devemos reger, respeitando sempre a nossa Constituição.

Durante o tempo do meu estágio em Caxias, estávamos em princípios do ano 2000, testemunhei muita coisa má, como também testemunhei muitas coisas razoáveis e até decentes. Mas havia de facto um longo caminho a percorrer do lado da Instituição em si, sobretudo a nível do garante da dignidade humana.

Com os devidos filtros, e sabendo de antemão que qualquer recluso se queixa, basta estar privado da tão almejada liberdade, acredito que se podia fazer muito mais.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Portanto, plano de festas:

Cirque du Soleil - Check
Muse - Check
Michael Bubble - Check

...e já estou na guest list do meu querido Pedro Abrunhosa para a apresentação do Espiritual.

Isto promete!


O giro disto tudo é que até temos algumas parecenças quando aparecemos em dueto


Caso ainda estivesse entre nós o Variações teria feito 74 anos

E eu continuo a vê-lo assim...um homem muito à frente para o seu tempo.


segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Ou vai ou racha

Ganhei coragem e marquei consulta para o guru das novas cirurgias aos joanetes. O do pé direito incomoda mais do que o esquerdo e, para além da dor que é incomodativa, chateia-me a parte estética em que não me posso dar ao luxo de comprar o que quero, porque se me fica na fronteira do joanete, é para esquecer.

O ortopedista da minha filha, como me conhece desde miúda e gosta de evitar cirurgias, disse-me para me deixar de tretas porque o meu joanete é mínimo - diz ele! Mas vou ouvir a opinião do guru e a ver vamos se de facto ele me acha elegível para a cirurgia ou não.

Agora que me meti nisto, vou até ao fim.

Ena ena, uma série daquelas que me prendem ao ecrã

https://www.dn.pt/cultura/interior/anatomia-de-um-crime-e-conspiracao-no-regresso-de-patrick-dempsey--10267029.html

Esperem lá que acabei de receber um pedido de casamento

Isto afinal promete!

A seguir vamos discutir o regime e a casa com piscina. Ahahahahah.

Haja alguém com sentido de humor numa segunda-feira em que já vi tanta desgraça.

E diz-me a mãe (a minha) hoje de manhã quando tive que lá ir a casa resolver uma situação rápida

"O que e passa contigo filha? Estás mais magrinha, o que te preocupa?"

A minha mãe não é a pessoa com quem tenho das melhores relações do mundo, mas é a pessoa que só de olhar para mim, mesmo que seja de esguelha, consegue perceber que perdi 10 gramas ou que algo me atormenta.

De facto perdi mais do que 10 gramas, mas o efeito é o mesmo.

Mas antes assim, gordura não é formosura.

Quando fazem elogios à miúda, eu babo

E ontem, no cabeleireiro, um indivíduo bem parecido vira-se para ela e começa a dizer que vai ser uma quebra-corações, que é linda, puxou à mãe, até no tom de pele.

Vamos por partes; a miúda por acaso tem uma cara engraçadíssima e o corpo tal e qual o meu quando tinha a idade dela, que por sua vez era igual ao da minha mãe….é a nossa genética.

Tem um cabelo lindo, um sorriso lindo e adoraria que ficasse com os dentes como os meus, que...perdoem-me a falta de humildade, mas tenho uns dentes lindos.

Não gostaria que fosse propriamente um quebra-corações, mas almejo que seja bem mais feliz do que eu fui até hoje nos meus amores e desamores. Tive azar e sou péssima em castings. Mas como dizem que a geração seguinte vem sempre melhor programada, tem tudo para triunfar e ser feliz.

Quanto a ter puxado à mãe….isso já é outra coisa. Está numa fase em que de facto as feições estão muito mais parecidas com as minhas, mas tem expressões que são pai, pai, pai. Quer dizer, vi-me livre de um há 8 anos atrás, mas tenho momentos em que parece que nunca saiu daqui, tal não são as parecenças.
O tom de pele, também é muito mais pai, do que mãe. O pai é morenaço e em tempo de praia, consegue a proeza de ficar quase mais escuro do que eu, e ela tem um tom muito mais de branco moreno, do que mestiça a ir para o branco.

Mas tudo me diz que se vai fazer numa raparigaça bem gira, sem dúvida. Mas ainda desejo mais que se torne numa rapariga porreira, solidária, amiga do seu amigo e que saiba distinguir o bem do mal e que siga de preferência o caminho do bem.

Já o disse várias vezes, não quero ser amiga dela, nem que ela me veja como tal. Amigas são as outras, da escola, das lides dela. Eu, sou e serei mais do que isso, serei a Mãe e aconteça o que acontecer, estarei cá para vibrar com as suas vitórias e dar-lhe na cabeça nos devaneios, sem nunca deixar de a amar incondicionalmente.

É a minha Obra, a minha maior missão.

Mas qual Fénix, a "Emília" que há em mim, faz-me renascer a cada dia


E entrámos no "meu" mês

E só me apetece fugir.

Se tivesse a possibilidade de poder voltar atrás 365 dias e picos, teria feito muitas coisas de modo diferente. Quando em Novembro do ano passado ouvi a confissão que iria mudar a minha vida, teria fugido logo a 7 pés, em vez de manter o meu espírito aberto e de dádiva. Logo aí teria evitado uma sucessão de acontecimentos que vieram depois.

Aprendi que nos dias de hoje não é comum uma pessoa ser internada por um esgotamento, e que quem toma os mesmos comprimidos escrupulosamente à mesma hora do dia….esconde algo muito grave. Estamos sempre a aprender.

Entretanto há quem queira fazer parte de um Team, que goste de viver na base da honestidade, mudar velhos e nocivos hábitos e há quem não o queira.

Aprendi que ainda existem pessoas com uma capacidade incrível e genuína de fazer o bem, de querer ver o sorriso nos outros, que acordam por algum motivo às 5 da madrugada e lembram-se de nos perguntar se estamos bem...e isso é de valor.

Também aprendi que podemos ter uma pessoa a escassos metros de distância, que conhecendo os nossos dramas, não o faz.

Percebi perfeitamente a diferença entre dizer que se ama e...amar de verdade. De facto, embora gostemos muito de ouvir um "amo-te" de quando em vez, o amor deverá estar presente nos actos, porque as palavras, cada vez valem menos.

Descobri que o dia 1 de cada mês para mim é o dia 1 de cada mês e que honro os meus compromissos e as minhas promessas, e por isso se riem quando digo que perante uma promessa por mim feita, fiz o sinal da cruz e quando o faço, pode haver um terramoto, mas até ao meu último suspiro, eu cumpro, custe o que custar.

Percebi também que faço parte de um Pack importantíssimo, eu e a Lady Bébécas e sei que apesar de tudo existimos em Pack para alguém e isso reconforta-me.

Mas o mais engraçado de tudo é que percebi que a relação de fã/ídolo pode ter as suas concomitâncias e os seres humanos que existem por detrás do "boneco" podem ser muito interessantes.

De resto...pouco há a acrescentar. Melhores surpresas virão a caminho, a começar por umas belas férias.

Bom, divagar a esta hora do dia, deve ser a crise da entrada nos 41.

domingo, 2 de dezembro de 2018

Os tiques da minha filha

Uau, tens um tablet só para ti....e é da Maçã!
Até parece que ela não tem um Galaxy novinho só para ela, ainda antes de ter o meu. É muito doida esta miúda.


Valeram a pena os dois anos e qualquer coisa de produção

És de facto um grande escritor...este Espiritual está magnífico.

Espero que continues a tua busca e que nos ajudes a descobrir o belo, e esta é a tua Obra.

sábado, 1 de dezembro de 2018

"Só no amor somos sem-abrigo"

Escreveu ele, canta ele….sim, havemos de nos salvar.

E de manhã a avezinha mais linda do mundo, andou a distribuir sacos para o Banco Alimentar

Precisa-se de sangue novo e solidário; de egoísmo e maus vícios está o mundo cheio.


E hoje lá foi ela ao grande amigo Luis, cortar o cabelo

A crina já infundia respeito...e agora está bem mais leve e toda bonita!

Before and after...

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Para começar o dia de forma cómica

Lá ia eu tomar a meia-de-leite do costume de manhã com o colega de equipa e diz ele assim:

"Lá estás tu com o sorriso de boneca Emília!"

Já me tinham chamado muita coisa, mas boneca Emília do Sítio do Pica-Pau Amarelo foi a primeira vez.

Achei uma delícia, embora a Emília seja de facto muito mais fofinha do que eu.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Dia de Banco Alimentar e uma pessoa que me preenche a alma

Hoje lá fui partilhar algum do meu tempo para a sede do Banco Alimentar, mais especificamente na montagem de caixas que no próximo fim de semana vão receber os donativos provenientes dos supermercados.

Trabalhamos a um ritmo alucinante, mas vale a pena. E em todos estes anos que tenho feito parte deste projecto acabei por ganhar uma grande afinidade com uma pessoa que para mim é a Alma do BA - o Sr. Ernesto. Já na casa dos 80 anos, com uma energia, uma afabilidade, uma simpatia, uma generosidade, tudo em extremo. E o carinho tornou-se mútuo e não há acção do BA em que participe que não fique a fazer equipa com ele, não poderia ser de outro modo.

Para a próxima espero lá estar novamente, colaborar no que for preciso e rever o meu querido Sr. Ernesto.




Quando os papéis se invertem e percebemos que o tempo de facto não volta atrás

Estava eu a dormir profundamente esta madrugada - onde? No sofá, claro. Longe vão os tempos em que devorava as minhas séries preferidas, ia para a caminha munida do meu livro e não adormecia antes de devorar no mínimo uma dezena de páginas.

Espero regressar em breve a esses tempos, mas não tem sido fácil.

Adiante. Eis se não quando acordo sobressaltada com a Milady Bébécas à minha frente a reclamar que eu não lhe fui dar o beijinho e apagar a luz do candeeiro. Sim, a minha casa àquela hora da madrugada tinha tanta luz que mais parecia o Palácio de Versailles em pleno dia de festa.

Sessão de beijinhos àquela hora, apagar luzes e voltar a dormir.

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Numa rua perto de mim

As rodas desapareceram, mas ele lá se mantém, virado ao contrário. Com a criatividade das pessoas que moram para as minhas bandas, ainda começam a colocar o lixo por cima, e ficamos com uma árvore de Natal, linda e cheirosa!


Coisas que me tiram do sério

Pago os meus impostos, cumpro com as minhas obrigações, não resido num município com condições de sonho. Há cerca de 1 ano atrás formalizei uma queixa a propósito de um muro que está em risco de decorrada e que podo eventualmente matar alguém. Responderam que não era uma questão de Município por se tratar de uma propriedade particular mas que iriam tomar as medidas necessárias junto do mesmo.

Já lá vai mais de um ano, sendo que as cintas da Protecção Civil que lá puseram duraram 3 dias.

O que deveria ter feito o edil municipal - à falta de resposta do proprietário, se é que lha pediram, dariam um prazo de pré-aviso e caso nada ocorresse deitariam o muro abaixo e imputar-lhe-iam os devidos custos e coimas associadas. Será assim tão dificil!?

Tenho um problema grave com uns vizinhos que são acumuladores de lixo o que para além de toda a insalubridade acarreta perigos, deixou um cheiro nauseabundo em todo o prédio. Contactei o Delegado de Saúde. Ah e tal, de facto é um perigo mas não podemos fazer nada, porque não nos permitiram a entrada na fracção. Vai daí escrevi à Junta de Freguesia, num mês não fizeram nada, reforcei a mensagem no mês seguinte, nada outra vez até que um vizinho meu se passou da cabeça e foi lá ameaçar com a Correio da Manhã TV e a TVI. Não que o problema tenha sido debelado mas, o que causava o mau cheiro pelo menos foi para a lixeira.

Mas há mais - andaram a repavimentar uma zona de lazer ao lado do meu prédio e deixaram 2 lugares de estacionamento em terra batida que, com as chuvas, virou areia movediça.

E estaria aqui um dia e meio com queixas.

Eis se não quando têm sido sucessivos os pedidos de ajuda para: pintar as salas de aula da escola da minha filha, comprar bens não perecíveis para ajudar as família carenciadas da zona e a última, que é o fim da picada, mandaram pelos miúdos rifas para venderem, por forma a angariar dinheiro para arranjar a escola por fora e a rede do campo de futebol. Claro que foi uma ideia da Associação de Pais à qual reconheço todo o mérito mas....para onde vai o dinheiro dos meus impostos??

Portanto, daqui a uns dias vou inspirar-me e escrever uma cartinha com a cópia dos meus impostos pagos atempadamente e questionar algumas coisas que tenho entaladas. Não me dêem esferográficas BIC na campanha eleitoral, mas façam alguma coisa e não façam pouco da boa vontade dos munícipes.

Os tais exageros

Nos primeiros testes a matéria foi quanto a mim reduzida em todas as disciplinas; não se tinha perdido nada se tivesse saído mais qualquer coisa, mas honestamente pensei que até fossem repartir as coisas em 3 momentos de avaliação e aí, já faria sentido...mas não.

Recebi na segunda-feira a matéria para as próximas fichas de avaliação que vão ocupar quase toda a próxima semana e fiquei negativamente surpreendida pelo volume. Ao pé das minhas frequências de cadeiras semestrais quando andava na faculdade e que parecia que tinhamos que estudar este mundo e o outro, éramos uns sortudos. À escala de proporcionalidade dos 8 anos para os 20, é de facto um exagero.

Portanto, a média do "Muito Bom" das primeiras fichas dificilmente será mantida, já tenho cá para mim, mas a ela fui-lhe dizendo que era muito pouco o que tinha para estudar. Just in case, pode ser que seja um efeito benéfico e não contribuir para o susto.

....mas....os distritos todos do país??? Quantos adultos letrados sabem os distritos todos deste país!? Os sistemas circulatório e digestivo?

Não teria sido mais útil dividir tudo por 3 momentos de avaliação distintos nossa Senhora dos Aflitos!?

Já para não falar na Matemática; e eu que queria ir ao cinema no fim de semana. Não tenho sorte nenhuma :)

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Carências afectivas....


Eu também me chateio no trânsito

Sim, sou desprovida de paciência para estar parada no pára-arranca a desperdiçar combustível e dar cabo do carro, quando podia estar a fazer coisas mais úteis. Ninguém é masoquista ao ponto de gostar de estar numa fila de trânsito....I guess.

Mas ontem, à conta de um idiota qualquer que também estava chateado por este motivo e que decidiu abalroar uma série de carros e não obedecer à ordem de paragem imposta pelas autoridades, provocando ainda mais transtornos do que os que já existiam, eu demorei 2 horas e 20 minutos a chegar até à minha filha! Precisamente 10 minutos depois do fecho oficial do Colégio!

O tempo que estive parada, dava-me para ter chegado ao Algarve! Quando soube a verdadeira razão, se eu soubesse quem era o estupor do homem acho que o tinha esbofeteado. Que lindo serviço. Agora era toda a gente que esteve naquela fila infernal interpor-lhe um processo em cima.

Há cada maluco!

Coisas de pele

Não sei se por sorte ou azar, a minha pele não é má. Quando era mais nova, era extremamente seca e tive de facto uma mãe extremosa no sentido de tudo fazer para que os danos colaterais fossem reduzidos. Não invalida que tivesse algumas vezes que usar cortisona, pois de tão seca que era, abria feridas, sobretudo nas bochechas e por detrás das orelhas e a dermatologista, não dava outra hipótese.

A verdade é que uma ervilha de cortisona fazia milagres em meia hora, mas com o mal que aquilo faz, era só mesmo em último caso.

Sendo a genética algo extraordinariamente interessante, mas para o lado mau, é algo penoso, quis o destino que a minha filha viesse exactamente igual e ao primeiro mês de vida lá fui com ela a correr à médica pois tinha o pescoço e a a tal zona das orelhas quase em carne viva, no Inverno abria autênticos buracos nas bochechas e o tratamento que lhe foi prescrito, foi o mesmo que eu tinha feito, há mais de 30 anos atrás.

O facto é que, apesar de tudo, e ainda hoje a pele dela requerer muitos cuidados, a situação está muito mais controlada do que a minha com a idade dela, pese embora o que invisto em cremes da Uriage, solução que prefiro diariamente, a meia hora que seja de cortisona.

O facto é que tendo a pele seca, nunca tive acne, e tenho a pele de uma maciez fascinante. E não sou eu que digo. Daqui a dias já cá cantam 41, e de facto é de uma suavidade ao toque, que não é para todos. E desengane-se quem pense que trato muito bem dela. Não que me faltem os cremes certos, mas mesmo por preguiça e falta de tempo - o que na realidade é absurdo, porque demoro 5 minutos de manhã e outro tanto à noite para fazer o meu ritual.

Ainda assim, no Inverno sou muito mais disciplinada - com o frio sinto a pele muito seca e a repuxar e é o mote para aplicar o leite de limpeza com a máquina, limpar com o tónico, colocar o sérum, depois o creme de dia/noite, o de olhos e por fim o creme hidradante. Parece uma imensidão, mas não leva mais do que 5 minutos e de facto, ainda que mesmo quando não o faço a minha pele receba os devidos elogios de quem percebe, quando lhe dedido os tais minutos, fica literalmente resplandecente. Parece que tenho menos 10 anos, é mágico.

Mas o curioso é que não percebo o fenómeno de uma pele que foi quase toda a sua vida seca, ter passado com a mudança de idade a mista, ou seja, seca nas bochechas e pescoço, e a tender para o moderado com ligeira oleosidade na zona T. Valha-nos a cosmética que se antecipa a esses dilemas.

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Quando vivemos num país em que sentimos na pele o peso da impunidade

Acontecem destas...

https://sol.sapo.pt/artigo/635863/homem-mata-ladrao-que-roubava-carro-em-lisboa?fbclid=IwAR13jeayQkzoJrYQwUiOiPWROO_S2jLg8CeV8_MdJHrIrukVsEOJt-6z1kA

E agora a grande questão: o assaltante estava munido de uma chave de fendas mas, ofereceu resistência? Impôs-se a premissa do matar ou ser morto? Existirá o tal conceito de legítima defesa excessiva e poderá isso ser considerado uma atenuante para o presumível homicida?

Bernardo Bertolucci

Não foi um realizador consensual, não, não o foi. Já vi o Último Tango em Paris umas 3 vezes, e de cada vez que o vejo, honestamente, acho de uma brutalidade excessiva. Podia ter partilhado muito menos, e o efeito teria sido o mesmo. E depois de saber os detalhes partilhados pela Maria Schneider acerca da famosa cena da manteiga, confesso que fiquei com um bocado de asco tanto a ele, como ao Marlon Brando - mas, não é por isso que deixa de ser um dos melhores dos nossos tempos.

É impossível esquecer um dos melhores filmes que vi até hoje - O Último Imperador, em que a sua genialidade ultrapassou o que se poderia imaginar.

E vamos perdendo pessoas com estas capacidades de chocar pelos melhores e piores motivos em simultâneo e que de facto com o seu desaparecimento se tornam irrepetíveis.




Acredito plenamente que o meu relógio me vai prolongar a vida

Senão vejamos: avisa-me que é hora de me levantar e dar alguns passos; se fico mais nervosa e o batimento cardíaco acelera, o tipo avisa que tenho que descontrair e respirar fundo. Não podia ter uma relação mais chegada com uma máquina.

É que faz muito mais por mim do que muitos humanos. Estou fascinada! Até o vou levar para a cova, sempre me pode acompanhar lá no além.

domingo, 25 de novembro de 2018

Mas não existe dia em que não me ria com ela

A propósito da Black Friday, muito insurgida diz assim:

"Mamã, se estamos em Portugal, porque é que não dizemos sexta-feira preta?"

Amar é cuidar, porque, se assim não for, não se trata de amor

Sem querer, até rimei, mas antes não tivesse rimado com algo que podia ser tão lindo e inspirador, mas é tão triste.

Ser-se "órfão" daqueles amores que deveriam perdurar vivos, para todo o sempre, é devastador. Quando somos adultos, adquirimos uma couraça que nos faz aprender a lidar com certas coisas, embora doa. mas as crianças…

A Milady Bébécas está a passar por uma fase complicada, que não vou expor aqui, como não tenho por hábito expor o que lhe é mais peculiar, pois é um direito dela, hoje se sempre, a sua intimidade.

Mas aquilo que colide comigo, tem que sair para fora. Este fim de semana ela deveria ter ido passa-lo ao pai, com mais ou menos vontade da parte dela, era isso o que estava definido. Teve uma actividade que acabava cerca de meia hora mais tarde da hora habitual, pelo que, com o devido tempo de antecedência o informo que a pequena estaria preparada cerca de meia hora mais tarde - e só aí recebo como resposta que não sabia se a iria buscar, porque tinha o carro avariado.

Nota minha: nunca vi um Mercedes avariar tantas vezes. Deve ter defeito de fabrico, só pode. Nem um Fiat Punto ou Citroen AX deve ter tantos problemas, mas adiante. Como deixou as coisas em suspenso, como é seu apanágio, lá lhe comentei que necessitava de saber se a vinha buscar ou não, pois tinha compromissos e tinha que gerir o meu tempo. Resposta ipsis verbis:

"Penso que não consigo despachar-me a tempo"

Trata-se por si só de uma resposta objectiva, mas como já sei o que a casa gasta, interpretei-a ao meu modo, ou seja, que não viria. Perguntar pela filha, 2 semanas depois de a ter visto pela última vez...nicles. Falar com ela para lhe dar uma justificação, por uma questão de educação e de respeito por ela...nicles ao quadrado. Ainda por cima num fim de semana em que não a deixei ir a uma festa de anos de uma amiga porque….iria estar com o pai. E perante a revolta dela quando lhe disse que não iria, por ser fim de semana de pai e ela me dizer que prefere estar com as amigas porque o pai não lhe liga nenhuma e não a defende, terminei a conversa bruscamente, defendendo que primeiro tem que estar com o pai e se infelizmente calha em fim de semana de festas, terá que prescindir delas.

Honestamente fiz merda. Ela sofreu, eu incuti-lhe o sentimento de família de que ela não é alvo, infelizmente, e nem esteve com o pai, nem foi à festa da amiga. Estou sempre a aprender.

Por outro lado, e como sempre o faço, aquando da nossa ida ao hospital hoje, informei-o do que se passava. Eram cerca da 1 da tarde. Pois que até agora o pai desta criança não mostrou qualquer preocupação pelo seu estado, não tentou falar com ela para lhe dar um mimo, um carinho, um afecto. E pergunto, como é que fazemos uma criança destas sentir um amor paternal por uma pessoa que de facto não lhe é nada, nem faz por isso. Pergunto, como é que um ser humano destes tem deveres ao nível das responsabilidades parentais, que não cumpre? Imagino que se fosse uma situação grave em que ambos os pais têm que tomar uma decisão urgente, de vida, como seria?

Reconforta-me de facto ter pessoas do meu lado, literal ou nem tanto que mesmo sem estar presentes fisicamente, nos dão os seus afectos, a sua preocupação, o seu ombro, o seu suporte. Acredito que isto por um lado a faça ser mais forte, talvez mais fria, mas o meu grande medo é quando chegar o dia que caia em si e deite cá para fora toda esta sensação de abandono. Tive a sorte de ter um padrasto que colmatou muitos destes desafectos que poderia sentir, embora no meu caso, tenha sido órfã de um pai que vivia noutro continente. Quando se trata de um Concelho ao lado, acredito que as coisas façam muito menos sentido.

A vida é mesmo complicada.

Mas a verdade é que no nosso sistema, apenas existe um Sol

Será que com o amor é igual!? Só se vive um grande amor uma vez!?


Vá lá, nem foi uma Odisseia

Apesar de aquando da entrada me ter apetecido voltar para trás, tantas eram as pessoas naquela sala de espera, a verdade é que tirando quem leva a família toda para a sala de espera, quando apenas deve estar um acompanhante, a situação até não estava propriamente descontrolada.

Tendo ela lugar cativo na Estefânia, optei por ir para Cascais, por ser mais perto e por sentir que apesar de todo o desconforto que ela sentia, a situação não era das graves e saio de lá com a sensação de que se soubesse o que seu hoje há uns anos atrás, tinha ido mesmo para Medicina. A parte afectiva para com o outros tenho-a lá de sobra e neste caso, não sofreria as desilusões que sofro a nível pessoal, pois nesse caso o ser afetuosa seria um complemento da minha profissão e certamente que o simples consolo de um doente me faria sentir realizada.
Por outro lado, a minha intuição de mãe, e o tentar evitar sempre que a miúda me entre nos antibióticos, mereceu hoje elogios. Lá disse que a miúda começou há 2 semanas com fortes dores de garganta e febre, andei lá a ver com a lâmpada e estava na altura claramente infectada, os ouvidos limpos, e comecei a dar-lhe o Maxilase 3 vezes ao dia e o Ben-U-Ron para a febre cima dos 38º e o Brufen quando estava abaixo.
Em 5 dias a coisa estava aparentemente debelada, tendo regressado as dores na última quinta-feira, mas sem febre. Voltei ao Maxilase, mel de manhã e à noite para amaciar, mas perante o desconforto dela nos últimos 2 dias e o facto de ter acordado de madrugada aos gritos com a garganta claramente a repuxar, fez-me lá ir.

Portanto recebi assim os parabéns de 2 médicas, uma delas já da velha guarda, que tenho feito tudo bem, que a situação está controlada e que acreditam que o desconforto se deve a ela respirar mais pela boca do que pelo nariz e quando a garganta seca, como está fragilizada lhe causa aquele ardor. As secreções amarelo/esverdeadas que saem, embora sejam nojentas e assustadoras, fazem parte do processo de expelir o que é nocivo, pelo que vamos apontar a que as coisas comecem a melhorar dentro de dias sem termos que recorrer à artilharia pesada.

E nisto já estamos outra vez no sossego do lar, quentinhas e protegidas do tempo feio que faz lá fora.

"Maravilhas" da Maternidade

Não, não era de facto um desejo ir hoje para o hospital com a miúda, ou com quem quer que seja. Não, não merecia que sobretudo hoje ela estivesse naqueles dias em que não colabora.
Não, não me apetecia nada já lhe ter dado 2 gritos, mas ainda assim ela continuar no mesmo registo.

Sim, era daqueles dias em que diria à contraparte - "Por favor, preciso de descansar, leva-a tu ao médico", por muito mãe presente que seja e gostar de ouvir tudo o que se passa com ela.

Mas enfim, como tenho as costas largas, já percebi que hoje não vai ser um dia fácil e a mim resta-me seguir com a minha missão.

….agora está a fazer birra por causa das botas, e eu cá para mim digo que só pode ser da fartura. Quando se tem 3 pares de botas diferentes, é o que dá. Eu com a idade dela, contentava-me com apenas 1 par, e ainda por cima ortopédicas, lindas que só elas e que me acompanhavam de Inverno e de Verão!


Lá vamos nós para o hospital

Tentei de todos os modos evitar a solução mais chata, mas a miúda não melhora, deita um muco da garganta com uma cor assustadora, transpira infecção.

Lá vamos nós…:(

sábado, 24 de novembro de 2018

A verdade é que fui sempre assim, intensa

Sem faltar ao respeito e pautando o meu comportamento pela honestidade…só assim me faz sentido.


sexta-feira, 23 de novembro de 2018

We are waiting for you Michael!

Que emoção :)

Quando fazemos a nossa Black Friday na Thursday

É do melhor. As lojas estão calmas e tranquilas, os descontos são os mesmos e não andamos em atropelos e confusões - sou daquelas que prefiro pagar mais, do que andar no meio do povo, mas tendo em conta que as lojas aderiram ao modo antecipação, obviamente que assim aproveito :)

Ontem entrei na Sacoor e foi a loucura com descontos de 70%. Ma-ra-vi-lha!

Hoje houve birra em plena Worten por causa de um Hot Wheels

Se fosse um rapaz eu até compreendia, mas uma menina!? Pelo amor da Santa. A fila assustadora e ela decidiu que queria trazer um mini-corvette. Ah, mas era da Barbie, o que é que julgam?

Caiu o Carmo, a Trindade e só não ruiu o que resta do Convento porque não calhou. Mas não o trouxe, pese o facto da avó ter intercedido. Não pode ter tudo o que lhe apetece e quando lhe apetece, e irrita-me sobretudo a mania birrenta e irritante de gerir a frustração.


quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Quando sentimos que chegou a altura de nos deixarmos de tretas

E vamos em busca de respostas, sejam elas quais forem. Eu vou!

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Figurinhas tristes

Quando pensamos que até pronunciamos bem as palavras e sai um flop.

Trabalho com pessoas de todo o mundo e arredores e claro que por vezes me aparecem nomes impronunciáveis, sobretudo dos colegas da India.

Mas aqui para os lados da Europa, a coisa também não é melhor. Tenho um colega que se chama Ciprian. Ora bem, eu leio tal e qual se escreve e não tinha dúvidas de que assim seria.

Eis que há uns dias atrás estive a dar formação a uma pessoa da Roménia (este meu colega é romeno) que entretanto me disse que já tinha alertado o meu colega para determinado assunto e que ele estava ao corrente. Mas disse-me algo do género:

"Eu já falei com Cheprã, tu conheces, e ele sabe". Ao que eu respondi que não sabia quem era essa pessoa, provavelmente seria uma pessoa nova. E ela insistia que eu conhecia, até que na minha cabeça se fez luz - o "Cheprã", que pelos vistos é a forma correcta de pronunciar o nome dele, é o "meu" Ciprian! As figuras que eu faço sempre que lhe ligo e digo "Hi Ciprian, how do you do?"

Mas há mais, sendo que nalguns casos já me defendo. Tenho um colega bulgaro que é o Svetoslav. Acredito piamente que não se deve pronunciar exactamente assim, então, como tenho algum à vontade, simplifico e é o "Svetos". Neste caso, dificilmente me comprometo.

Então e os polacos que têm uma série de consoantes seguidas sem uma única vogal? Enfim, sinto-me na Torre de Babel.

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Começar a dar uma Formação

E um do formandos dizer:

"Está muito bonita hoje!" É uma excelente forma para começar. O dia até vai correr melhor ;)

Honestamente continuo a achar bizarro entrar em casas em que não existe bidé

https://www.noticiasmagazine.pt/2018/bide-pode-ter-os-dias-contados/?fbclid=IwAR2WxlO0ZK3OgSZxourbVeL8QhwS-lwy3nhk7yLaiGS-w7YlGsaAgkRZAFE

E não me venham com a ideia do chuveirinho, porque de facto lavar as partes intímias sentada na retrete, de chuveiro em punho, pensar que podem saltar pingas da retrete para cima de mim...não me convencem.

Em casa que eu habite, o bidé é indispensável e sempre será.

domingo, 18 de novembro de 2018

E quando a criança se aplica

A mãe com uma dor de cabeça aterradora mas o que tem que ser, tem muita força.

Já se começa a fazer luz

Passaporte da mãe caducado, marcação para emitir um novo feita. Falta o da criança!

Começar a pensar onde ir

Agora que a miúda já está uma crescida e já teve as suas férias de sonho, está na altura de sermos felizes por uns dias noutro lugar. As opções são muitas, mas há que ter muita atenção aos gastos. E as minhas viagens de sonho vá lá saber-se o porquê, são caras que se farta e eu não ando a jogar no Euromilhões.

Apetece-me Brasil, Caraíbas, Estados Unidos...e se calhar nem da Baixa da Banheira passo - vale-me o bom humor que aparece nos momentos de mais stress.

Para a pequena, está tudo bem, desde que ande de avião; bom, sempre podemos ir ao Porto visitar os Jardins da Fundação de Serralves.

Um cruzeiro com a miúda também era bem, não me chateava com nada, e teria animação garantida, e depois temos as férias de "resort" - ela gostava de ir a Cabo Verde. Podia sempre lá voltar, a uma ilha distinta da do Sal.

Veremos, a cabeça está a começar a fervilhar de ideias.

sábado, 17 de novembro de 2018

Coq au vin para o jantar!


Num dia parece que tudo faz sentido e está no bom caminho

No dia a seguir volta-se ao registo menos bom. What else!?

Bom, vou brincar with my new precious. Está fabuloso!


Oficialmente aberta a época do "I wish"

A caixa de correio começou a ser inundada pela maldição…


Dumbo by Tim Burton

Tenho assim alguns personagens do imaginário infantil que adoro e que me parece vou adorar sempre; o meu lado menina nunca me abandonou. E são principalmente o Mickey, o Snoopy, o Woodstock, o Tin Tin...e o Dumbo, este último sempre o achei um fofinho, uma ternura.

E sim, andei no divertimento do Dumbo na Disneyland Paris, debaixo de uma tromba de água, mas tinha que ser.

Ver este trailer emocionou-me, é tão fofo. E juro que sem qualquer malícia associada, sempre achei engraçados os miúdos com orelhas de abano, porque sempre me fizeram lembrar o Dumbo, e em miúda, assim mais para o pequeno, achava que eles também conseguiam voar.

https://www.sabado.pt/video/detalhe/revelado-trailer-do-filme-dumbo-pelas-maos-de-tim-burton?fbclid=IwAR2TN2jktGOPbKx3SX4huKHvLOYR9R__sm8McL91Z8o0lkfvdow-eXHsps4


sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Michael Bublé - When I Fall In Love [Official Music Video]

É assim daqueles músicos que eu adoro, que oiço vezes sem conta. Quando não se está apaixonado deseja-se sentir essa emoção, quando se está só pensamos nessa paixão.

Para ti meu amor!



E a vida são 2 dias, eu já quase que os vivi, acho que 30 de Setembro quem me quiser encontrar deve ser lá...a ouvir esta voz.

A minha opinião acerca de vestidos de noiva não é a mais consensual

Jamais me casaria de branco imaculado, adoro vestidos de "princesa" embora ache que não assentem bem a qualquer pessoa, mas o mais importante é que quem o veste, goste dele.

Adoro o estilo da Marta Ortega, o Valentino deve ter sido uma fortuna e decerto que haverá muita gente a achá-lo o máximo e a copiá-lo nos próximos casórios mas...esperava uma coisa mais bonita.


Arte rupestre dinâmica

Esta é daquelas que vai evoluindo diariamente; agora já apresenta relevo. Mais um dia de chuva e vamos ter animação em 3D!


quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Aqueles textos que não sendo nossos, são tão nossos

https://jafoste.net/namora-alguem-que-se-esforce-para-te-conquistar-todos-os-dias/?fbclid=IwAR1Fka5CqmKc73vkgAGLve5BWjsz5YfzgC1KlEZfdKGGgIPpCelUYSQLS3Y

Mais uma

Honestamente já perdi a conta às greves que deram origem a que a minha filha não tivesse escola durante o presente ano lectivo. Fazer-nos valer pelos nossos direitos, sempre, mas também já me parece um pouco excessivo.

E então logo numa semana em que recebo um papelinho da escola a solicitar os meus braços para ir ajudar a pintar as salas de aula no próximo fim-de-semana. É que até já lá estou!

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Já lá vai pelo menos uma semana desde que comecei a fazer a medicação, mas o facto é que continuo a ser atacada por cãibras medonhas nas pernas e nos pés todos os dias à noite. Ah e tal, come bananas; pois como, pelo menos duas por dia e nem isso nem o magnésio resultam.

Riqueza da sua mãe

O meu dia tinha que brilhar, bolas, já estava a ficar deprimida com tanta asneira. Eis se não quando recebo as notas de Milady Bébécas:

Inglês - Muito Bom
Português - Bom
Expressão Plástica - Muito Bom
Matemática - Muito Bom (-)
Estudo do Meio - Muito Bom (-)

Portanto ainda tenho argumentos para lhe dar na cabeça a propósito das bolas laranja e amarelas, mas começam a escassear.

Muito feliz pela minha menina.

Curiosidades da vida

É daquelas coisas que embora até possa parecer a quem não me conhece bem, que me glorifica...mas não. Retira-me alguma energia e aborrece-me.

Existe uma situação que tem que ocorrer de determinada forma; quem o deve fazer não o faz e de forma negligente, repetitiva e consciente (do meu ponto de vista) embora refute que não.

Não me dizendo o que lhe vai na cabeça, continua com a mesma atitude. Quando chego ao limite e "solto a matilha" lança a suspeição de que tem a certeza de que está a actuar comme il faut mas que se eu faço muita questão pode fazer como eu argumento, já que não lhe custa nada.

Ponto 1: É de extrema ordinarice se até tem consciência que não está a fazer as coisas de acordo com a minha expectativa, só quando eu solto a matilha e não apenas 1 dos cães, vir com esta contra-argumentação, já que seres humanos de boa-fé o fariam logo de caras.

Ponto 2: Existe um documento oficial que prova que o que estou a dizer está totalmente certo

Ponto 3: Tive que lho "esfregar na cara"

Pergunto: Haverá necessidade de se chegar a este ponto em pleno século XXI? Literalmente torrar gratuitamente a paciência de um ser humano, que por acaso sou eu!?

Para quem até me conhece bem, já não deu para perceber que quando a coisa corre mal e eu sei que tenho razão, não largo o osso!? E que quando me engano sou a primeira a reconhecer e a pedir desculpa!?

É triste, mas mais uma vez eu não estava enganada. O que me custa é que tudo isto se prenda com questões relacionadas com uma criança e aí sim, o meu nível de desolação e tristeza aumenta.

Tomorrow will certainly be another day!

So true...


A filha doente, um velório, o trabalho a pegar fogo

O que me reservará mais este dia, que ainda vai no adro da Igreja!?
É curioso que para certas pessoas o conceito de terrorismo assenta apenas em desviar rotas de aviões e atirá-los contra arranha-céus ou degolar jornalistas no Afeganistão. E também existem aquelas que se preocupam que os seus estão detidos sem duche, for Christ sake, mas esquecem- se que existem tantos outros que também têm amigos e família, expostos às mesmas condições.
Quanto lirismo...

Não que me deite cedo habitualmente

Mas hoje, que já estou a começar a avariar, tenho que esperar pelas 3 da madrugada para dar o medicamento à cria. Vale o facto de estar fresquinha, portanto febre, continua longe, please.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Arte Rupestre

Não, nunca desejei que a minha casa tivesse qualquer semelhança com as grutas de Altamira, mas de facto os meus problemas não têm fim, não têm.

A saga que tem sido a problemática "condomínio", o que me tenho indisposto e enervado, as chatices, o que já consegui resolver...pois que no meio disto tudo, com o telhado supostamente arranjado, eis que a mancha até há dias inexistente, se alastra pelo tecto da minha sala, como uma sanguessuga a querer esmifrar-me o sistema nervoso.

Eu não estou interessada a ver arte rupestre em casa outra vez; eu não quero voltar a representar o "Serenata à Chuva" na minha sala, tenham dó!

Miúda doente

Talvez seja dos momentos em que sinto que de facto ser-se mãe/pai para todo o serviço é complicado. Chegar a casa, tê-la com febre, mal humorada, dores de cabeça, garganta….de tudo, estarmos no Outono, apetecer terminar o dia no conforto do lar e pensar que se tem que ir para o Hospital das crias.

Estou a ver o caso mal parado; veremos o que o serão nos reserva.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Pára tudo...estou a entrar em extase...o Michael Bublé vem cá!!

30 de Setembro de 2019 Altice Arena - se Deus quiser a este não falto. E já vai uma concretização para o próximo ano :)

sábado, 10 de novembro de 2018

Esquecendo o personagem da direita

Foi assim que "dormi" tantas noites; sim, a minha filha rejeitou desde sempre a chucha e adoptou os meus mamilos como conforto, calmante, quando lhe apetecia o leite, utilizava-os como veículo para a recepção de alimento e eu esgotadíssima. Hoje, tenho saudades daquela proximidade.


Series 4 - Apple Watch - A alegria que é...2 meses de espera depois

É toda uma experiência desde a abertura da caixa até o sentir no pulso. Só uma pessoa com paixão por relógios e pela Apple consegue perceber.

In love with my new precious!