terça-feira, 30 de agosto de 2011

Novidades de Bebé

Ontem a inovação foi brincar (mos) de esconde-esconde no caminho para casa.
Apanhou-me o tápa-sol (ou lá como é que aquilo se chama), punha à frente da cara dela; depois dizia Mamã, eu olhava pelo retrovisor, ela tirava o dito apetrecho da frente da cara e ria, ria, ria.

O que nós nos divertimos com uma coisa tão simples.

Mau começar

O dia de trabalho fora de casa já vai a meio, mas a jornada hoje não começou nada bem.

Dormi a noite toda sem interrupções, mas os sonhos e pesadelos foram seguidos; lembro-me de ter ouvido o toque de alvorada à hora do costume, desliguei o besouro e deixei-me dormir até mais do que o limite razoável. A Bébécas idem!

Levanto-me, abro a torneira da banheira para tomar duche e nem gota; falta de água, algo que em 6 anos que habito no meu palácio nunca me tinha acontecido...pelo menos que me recorde.

Lavei-me à gata borralheira com o auxílio da água do garrafão (fria e estagnada), tudo isto com uma neura...

Depois fui tratar da Bébécas, ela teve mais sorte pois toma sempre o banhinho ao final do dia; gosto sempre de a limpar com água da Uriage na zona da fralda e tal, hoje teve que ser de Dodot's, a cara com soro fisiológico e "en garde", lá fomos fazer o trajecto do costume.

Deixei-a, vim por aí a 1000 já atrasadíssima, quando saio da auto-estrada para entrar na Marginal, aviso de acidente e tal, luzinhas intermitentes...houston! o que foi desta vez!

Primeiro desviamo-nos para a esquerda, pois o pouco que restava de um Mercedes estava a ocupar uma boa parte da via e quase em simultâneo desviamo-nos para a direita porque debaixo de um saco preto jaziam as vísceras de uma criatura. Apodera-se de mim um mau-estar e um desconforto que nem descrevo.

Passei o resto do trajecto a pensar o que será que jazia ali no asfalto. Chegada ao escritório, tirando a dúvida com colegas que passaram antes e que se depararam com um cenário ainda mais sinistro do que aquele que eu testemunhei...era um cão. Coitadinho, que acidente terrível e que morte horrível para aquele animal.

Fiquei incomodada e ainda estou. Que dia!

domingo, 28 de agosto de 2011

Para o quartinho dela


As ideias estão na cabeça, mas até encontrar aquilo que imagino nem sempre é fácil.

Andei a correr tudo e mais alguma coisa para encontrar uma prateleira com aquelas características, e consegui! Ontem fomos buscá-la lá pelos sítios de onde Judas perdeu as botas, mas valeu a pena.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Bébéca's Rucksack


Vejo estas "mimosices" e não resisto! A minha criança precisava de uma mochila nova para o início do novo "ano escolar".

Eu tinha que arranjar um pretexto para lhe comprar um mimo - não havendo desculpa melhor, encosto-me no regresso às aulas!

E tem muitos mochos e corujas, porque a Bébécas é muito inteligente.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Botins


Nunca fui muito apreciadora de botins, mas estes....

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Escolha de fotografias



Decorridos estes 13 meses de experiências inesquecíveis, muitos dos momentos ficaram registados em imagens, algumas sequenciais, outras em video e tantas outras estáticas, mas que captaram aquele momento que sabe bem de quando em vez recordar.

Pois que tenho andado numa roda viva a seleccionar as melhores entre as melhores, que eu gosto mesmo de tocar nas fotografias, folhear um belo álbum, pois vê-las no computador não tem a mínima graça.

E nesta selecção para as mandar revelar, tenho andado a fazer serões até às tantas e já tenho uma panóplia de quase 300 fotografias para encomendar.

Bem, até à idade adulta da Bébécas devo ter que arranjar um closet só para armazenar albuns de fotos :)

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Misha


E no outro dia falava em brinquedos antigos e lembrei-me do meu Misha! Ainda existe, mas falta-lhe o cinto.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Jornadas da Juventude - Madrid

Já o afirmei mais do que uma vez e essa é a verdade; tenho uma opinião muito própria acerca da religião, da igreja, do sistema religioso judaico-cristão e afins.

Tenho as minhas crenças, raramente vou à missa mas sei as principais orações e respeito os locais de culto.
Sou baptizada, a minha filha também o será em breve e se mais filhos tiver faço questão que o sejam também, numa cerimónia simples e com água do rio Jordão.

Aborrece-me imenso a ostentação da Igreja com a qual apesar de tudo mais me identifico, aborrece-me algum cinismo de muitos sacerdotes e aborrece-me que o chefe máximo da organização em causa não seja o primeiro a dar o exemplo.

É de lamentar que num periodo de tantas transformações nefastas na nossa sociedade, que em visita à capital de um país que também tem sido tão fustigado pela crise, não abdique de ostentar os seus sapatinhos Prada, que os custos de tal deslocação tenham sido suportados pelo Estado e que quando um grupo de crianças pequenas se tentaram acercar de Sua Eminência, tenham sido barradas pelos gorilas que o acompanham.

É mais chique ser fotografado com a família real que não saiu do seu conforto, do que com crianças inofensivas que ainda nem sabem muito bem o que o conceito de fé pode mover e implicar.

Decididamente não aprecio o senhor e cada vez tenho mais saudades da figura simpática e terna que foi o Papa João Paulo II, ainda que com uma ou outra ideia retrógrada face a alguns flagelos que assolam a modernidade.

Não sou de todo a favor das manifestações e violência que se fizeram sentir em Madrid por estes dias, mas confesso que a contestação teve sem qualquer dúvida motivações muito fortes.

domingo, 21 de agosto de 2011

Aston Martin


Vinha eu há pouco de um almoço de família em casa dos pais do Honey, quando, muito próximo do "meu território" vejo uma miragem daquelas que não se vê todos os dias.

Um Austin Martin preto mesmo a acercar-se do meu não menos ilustre Bob Twingo! Pois que ele se posicionou exactamente na faixa paralela à faixa em que eu estava, o sinal ficou vermelho e eu ia olhando para aquela carroçaria magnífica pelo canto do olho.
A pessoa que o conduzia deixou-me arrancar, deu-me uns belos 5 metros de avanço e depois ultrapassou-me com todo o vigor, deixando no ar o rasto do ronco daquele maravilhoso motor.

E eu não só pensei para os meus botões como disse à Bébécas que ia descontraída na sua cadeirinha: - Filhota, o que passou por nós agora....foi um Carro!!!

Assim sim, vale a pena;-)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Será da Idade?

Começou a doer-me há pouco o joelho esquerdo.

Estarei a adivinhar mudança de tempo, ou será que já atingi um patamar que faz com que o "caruncho" me queira fazer companhia!?

Mas vendo bem, depois de um dia que começa às 7.15h, ainda chegar a casa, dar banho à Bébécas, jantar, tratar das tarefas domésticas e parar agora...deve ser normal que me doa qualquer coisa - hoje é dia de joelho!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Mas onde é que está o Verão?


Raios! É um facto que embora eu pareça que vim de lá dos trópicos assim à primeira, à segunda e seguintes vistas, eu sou muito europeia em termos psicossomáticos. Gosto de calor qb, frio qb, no fundo sinto-me confortável em climas amenos e dou-me mal com os extremos.

Mas este nosso Verão, já chateia; nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Contam-se pelos dedos de uma mão os dias em que senti aquele calor intenso que incomoda, estando já na segunda quinzena de Agosto ainda não tive uma daquelas noites em que nem se consegue dormir tal é o calor e que dá vontade de tomar duche de água fria às 3 da madrugada e sempre que saio de casa de manhã sinto aquele ligeiro arrepio de frio que pede por vezes um casaquinho fininho.

O que é que uma pessoa faz aos vestidos, às saias, aos calções, aos top's que fazem parte do closet de mãe e filha!?

Vou ter que pedir uma indemnização a alguém lá em cima pelos danos causados!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Brinquedos revivalistas

Posso dizer que neste momento em termos de espólio lúdico a minha Bébécas é uma felizarda. Não se pode ter azar em tudo e se há coisas que são para esquecer ou mesmo fazer de conta que não existem, outras fazem-me sorrir.

Não sei como será o amanhã, mas neste momento por vezes até acho que dada a conjuntura, se lhe proporcionasse um pouco menos, ela seria uma felizarda na mesma.

Mas por um lado, com a idade dela eu não tinha nem um terço, por outro para compensar as lacunas e o sofrimento que o progenitor causou, eu estrago-a com mimos...admito que sim, mas não sou só eu.

Há toda uma família apostada em que nada lhe falte, os amigos, a família do honey...enfim, todos nos preenchem o coração.

Mas as crianças são geniais e é de facto impressionante como elas nos surpreendem desde tão tenra idade. A Bébécas tem tantos brinquedos, tantas coisas com que se entreter, desde jogos didáticos, bonecas, bonecos, carrinhos, cavalo de baloiço, carro de quatro rodas, livros...e não é que agora adoptou como companheira de brincadeiras uma Pantera cor-de-rosa em peluche, já "carcomida" pela portentosa idade de mais de 30 anos que a seu tempo fez as minhas delícias?
Agarra-se a ela, abraça-a, ri-se, adormece com ela e com os restantes bonecos que tem desde o nascimento, mas a pantera é que ela não larga.

E no fundo é tudo tão simples.

Feriado = Passeio

Um dia quente, bonito, os pais do honey comemoraram mais um ano de um casamento feliz, muitos beijinhos, muitos abraços, um passeio e a Bébécas muito, mas muito bem disposta!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Força Giane


Não sou muito destas coisas da cobiça, mas o Giane é de facto um ser perfeito e tem um sorriso inspirador.
Está lá longe, não prejudica ninguém e eu acho-o um dos homens mais lindos do planeta...honey, sabes bem que estás no topo da minha lista e o Giane é inofensivo;-)

Foi com tristeza que acedi à notícia de que padece neste momento de um Linfoma. Desejo que de facto melhore rapidamente, pois os tempos que se seguem vão ser de algum sofrimento.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Acerca da onda de violência nas imediações de Londres


Já não me surpreende há muitos anos que um dado facto que cremos que seja isolado, dê origem a uma catástrofe.

Deparamo-nos sistematicamente com esta realidade em termos ecossistémicos, em termos biológicos, do mundo da química e da física...mas quando ocorrem ondas de caos no meio social...o primeiro pensamento que me ocorre é que tal é absolutamente desnecessário.

A polícia abate a tiro um indivíduo em determinadas circunstâncias - não consegui ainda entender em que circunstâncias ocorreu, mas esse facto despoletou a onda de violência que reina neste momento perto de Londres, sobretudo em bairros problemáticos.

Facto: um indivíduo foi abatido.
Facto: não haveria necessidade de ter ocorrido
Facto: revolta

...mas será que a voz da revolta tem que ser contextualizada num cenário de horror, violência, destruição, saques e pilhagens?

Ou os indivíduos daquele contexto específico aguardavam por um sinal, pelo atear do rastilho para fazer face à sua revolta contra o sistema?

Sol e boa mesa

Ontem comi uma deliciosa Dourada grelhada, escalada como eu gosto, com uma maravilhosa salada de pimentos, as batatitas da praxe e no melhor local do mundo para apreciar este pitéu...à beira mar.

Mas a Bébécas é que não achou muita piada ao peixinho...não que ela não goste, porque adora pratos de peixe, mas talvez pelo calor que se fazia sentir e a rabujice tivesse dado lugar a uma efémera falta de apetite.

Compensou ao lanche e ao jantar e nos abracinhos cheios de ternura e felicidade que me foi dando ao longo do dia.

For you Honey!

domingo, 7 de agosto de 2011

Que robusta!

Estive há pouco a lanchar com a Bébécas, o honey e apareceram mais umas pessoas que vêem a bebé de quando em vez.

Pasmam-se com o tamanho dela e com o peso, pois não seja eu a confirmar a data de nascimento (04/07/2010), ninguém acredita que ela só tenha 13 meses, a avaliar pelos percentis, como é óbvio, que eu não sou dessas de achar que tenho um prodígio e que os filhos dos outros são todos menos isto e menos aquilo do que a minha.

À parte as crianças que têm dificuldades cognitivas e psico-motoras comprovadas, todas as crianças têm os seus pontos fortes e fracos e cada uma se desenvolve ao seu ritmo, tenha o primeiro dente aos 4 meses ou aos 14. Muitas das aptidões cabem-nos a nós pais e educadores ajudar a desenvolver, mostrar-lhes coisas novas, fazê-los reagir e sobretudo terem interesses diversificados.

Nisso acho que vou cumprindo a minha missão, tal como em tantas outras coisas; mas reitero que, por vezes as aparências iludem. Ela é muito comprida, tem um peso proporcional ao seu comprimento mas não é propriamente das crianças mais fáceis de alimentar.

Para além de ter um palato muito apurado e saber incontestavelmente do que gosta e do que não gosta, tem também daqueles dias em que apesar de gostar muito de um certo petisco, pura e simplesmente não lhe apetece.
Creio que quando começar a falar será mais fácil, porque me vai dizer claramente se prefere tamboril, cação ou borrego...e aí não há erro.

Enquanto isso não acontece lá vou eu utilizando o meu poder persuasivo e as cantorias semi-modificadas do género "come a papa, Bébécas come a papa".

...cada vez é mais difícil, mas ainda vou conseguindo!

sábado, 6 de agosto de 2011

Escoteiros ou Escuteiros?...eis a questão

Foi uma dúvida que sempre me assistiu, mas assim mesmo eu teimava que se escrevia "escoteiro". Li no dicionário, quando passava por um acampamento era o que estava lá escrito e das poucas vezes em lia "escuteiro" pensava eu..."nabos".

Ainda há uns dias em mais uma das minhas conversas sempre interessantes com o honey, lá eu teimava que se escrevia com O e ele com algumas dúvidas.

Pois hoje foram finalmente desfeitas; ao ver o telejornal oiço a explicação desejada.
Escreve-se escoteiro aos grupos que não estão ligados a qualquer igreja, e escreve-se escuteiro para os grupos que estão associados à Igreja.

Assim sim, já se percebe!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Regresso da praia

E viemos a ouvir isto...muito boas vibrações e algumas recordações!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Se há coisa que me irrita


É o facto de ser constantemente bombardeada com propostas de crédito, créditos pré-aprovados, financeiras acerca das quais jamais ouvi falar e nem quero a proporem-me a realização rápida dos meus projectos, blá blá blá.

Com os bancos com os quais trabalho já tive uma conversa e funcionou; apenas aceito propostas comerciais feitas directamente pelos meus gestores de conta, sendo que a palavra crédito é proibida...prefiro falar em aplicações financeiras ou estou totalmente receptiva a que me ajudem a poupar o mais possível os meus rendimentos.

Agora ligarem-me do banco X, do qual até nem gosto, ou da financeira Y com a qual nunca quis nada a tentarem vender-me a banha da cobra em formato nota de 500 euros, é de mau tom.
Já chega de tentarem enterrar ainda mais as pessoas do que elas já estão. Mas tudo bem, todos temos o nosso livre arbítrio e há quem goste, e faça da sua vida um crédito pegado, muitas das vezes não só para se cativar a si próprio, mas acima de tudo para mostrar a outros aquilo que não é e aquilo que não tem...mas, da sua vida, cada um saberá. Por isso até acho que o conceito de fiador é um disparate. Uma pessoa não paga, não honra o seu compromisso, perde o pouco que terá investido e o resto paga na cadeia, que também é para isso que elas existem.

Mas enfim, o que se pretende é que, para quem não está de todo interessado em contrair mais créditos do que o "infelizmente" necessário, não gastem papel, selos, envelopes, chamadas telefónicas e sobretudo não façam uma pessoa perder tempo, porque este urge e é dinheiro!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Uma das coisas mais bonitas que se fez até hoje

Na praia



Todos os momentos que passo com a minha Bébécas são mágicos, extraordinários e fica-me um misto de satisfação e nostalgia sempre que faço coisas novas com ela, admirar a satisfação no seu rosto de bebé e sentir que aquele momento ficou ali, só para nós e jamais se repetirá no mesmo contexto.

Mas a vida é assim mesmo, são as regras do jogo.

Digamos que o meio ambiente da praia ainda não a cativou de uma forma muito positiva, a areia, a água fria, tudo misturado dão choro...isso é certo.

Depois é subir pela mamã acima e ficar enfim em segurança a admirar a paisagem e disso sim, ela gosta!

Observadora qb, ainda que todo o movimento lhe prenda a atenção, denota-se que o ambiente marinho, o horizonte são totalmente do seu agrado.
É tão bom vê-la assim, a gozar a sua liberdade, num meio ambiente que lhe faz tão bem.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Dona Brown Eyes e as suas duas crias

Qualquer semelhança com a obra de Jorge Amado é mera coincidência, mas isto hoje foi lindo!

A cria humana num braço, a cria felina noutro e toca a ir para a tosquia.

Isto de sair com os dois é obra. Um mia, a outra grita, a ver quem é que demonstrava a sua presença com mais entusiasmo.

Ao final do dia, mais do mesmo; lá fomos buscar a cria felina com ar de menino bem comportado. E a Bébécas, apesar do pouco pêlo, reconheceu-o e disse "Xai".

É incrível, mas à excepção da palavra Mamã, todas as outras (poucas) que diz têm a mesma entoação.

A BIRRA!

Fez hoje uma birra como jamais tinha ouvido e espero sinceramente tão cedo não ouvir gritaria igual.

Acordou muito bem disposta, como é hábito, saímos, fui com ela ao supermercado fazer umas comprinhas essenciais e eis que, do nada, abre a boca, desata a chorar como se não houvesse amanhã.

Fome, não era. A fralda esta mudada; não tinha nenhum desconforto visível, a não ser os dentes a romper e que sabemos não ser fácil...mas haveria caso para aquela gritaria infernal?

Corri por aqueles corredores, fui para a fila pagar e ainda aturei a má vontade de uma senhora relaxada que, na caixa prioritária para grávidas, pessoas com mobilidade reduzida e pessoas com crianças de colo, não padecendo de nenhuma destas características, com muita má vontade lá me cedeu o lugar.

E ela, chorava, esperneava, agarrava-se à cara numa birra que eu ninca tinha visto.

Peguei nela, pus as compras no carrinho dela, lá me arrastei até ao carro, rumámos a casa e ele no mesmo registo, ou pior ainda.
Nem com o meu "pronto filha, já passou, a mamã dá beijinhos, lá lá lá" ela se acalmou.

Estacionei o carro, tirei-a da Maxi Cosi, em posição de ÓÓ lá a trouxe para cima, vesti-lhe o pijaminha, dei-lhe a "orelhinhas", caminha e lá ficou.

Então ela não me podia ter dito logo que estava com uma grande dose de sono!?