sábado, 31 de agosto de 2019

Os primeiros pedidos


  • Mãe, dorme comigo
  • Mãe, vamos almoçar ao McDonald’s
  • Mãe, instala-me jogos novos no Tablet
  • Mãe, posso passar a usar o telemóvel para sempre?
  • Mãe, podes pedir à fada dos dentes para me dar os 7 presentes que me deve?
  • Mãe, posso ir dormir a casa da Camila?
Mas também:
  • Mãe, tinha muitas saudades tuas
  • Mãe, já arrumei os peluches que tu lavaste.... todos!
  • Mãe, és tão linda
  • Mãe, adoro-te
  • Mãe, já tinha saudades das tuas comidinhas 
  • Mãe, cheiras tão bem

Não temos que pedir tanto, porque a perfeição não existe

Mas decentes, honestos, com sentimentos...onde estão!?


O passarinho voltou para as asas da mãe


sexta-feira, 30 de agosto de 2019


Em contagem decrescente e de coração cheio pelos amigos que tenho e que tanto fizeram por me animar e acompanhar ao longo destas duas semanas...

Grande verdade...


Um presente que vem de quem partiu

https://www.publico.pt/2019/08/29/culturaipsilon/noticia/album-ineditos-bernardo-sassetti-chega-setembro-1884831?fbclid=IwAR2pmz9iW2ibY9p-SHxtWoBp-BtXAVZQRO1dzKQzxcT9xvBFr0hamE9sJLw

O Bernardo era assim daquelas pessoas que não devia morrer nunca e o maior choque foi a forma como tudo aconteceu. Parece inacreditável que já não esteja por cá, mas que feliz que fiquei com esta notícia.

Lá vou eu ficar desactualizada :)

https://insider.dn.pt/noticias/apple-apresenta-novidades-do-iphone-a-10-de-setembro/

Quando se trata de questões de vida ou morte, para não se dizerem blasfémias, vale mais estar calado

As redes sociais têm andado inundadas nos últimos dias de comentários acerca do estado de saúde de um actor/modelo/cantor de seu nome Ângelo Rodrigues, que está a a travar uma batalha pela vida devido a uma série de complicações alegadamente associadas à aplicação de injecções de testosterona nas nádegas.

É uma realidade que não conheço de todo este mundo que gira em torno destas substâncias, mas conheço pessoas do meio seio social que tomavam determinados suplementos e a curto/médio prazo viram-se a braços com uma ou outra complicação. Confesso que sempre pensei que as substâncias fossem aqueles batidos energéticos - não percebo nada disto, mas provavelmente num ou outro caso, pode até ter sido testosterona. Na verdade, não sei, nem me interessa. Interessa-me sobretudo que as pessoas estejam bem, com saúde e felizes consigo mesmas.

Se concordo que isso se faça? Em minha opinião devemos evitar comportamentos que coloquem em risco a nossa saúde e o nosso bem estar, e há comportamentos mais perigosos que outros, mas indo a extremos, se calhar este jovem até injectava testosterona para ficar mais musculado e não comia carne, eu não injecto mas não recuso um bom vinho e sou viciada em coca-cola. Ok, não é igual, mas tudo isto para dizer que num momento em que uma pessoa está a lutar pela vida, um jovem que ainda por cima, mesmo sem músculos, é bastante bem parecido, não vale a pena criticar as suas práticas e as suas escolhas, pois infelizmente este mau acaso já lhe está a mostrar que não foram a melhor opção.

O que sim deve existir é uma corrente de comentários de força, positivos e desejar que ele se safe desta da melhor forma possível e que recupere a saúde. Para todos nós, mais ou menos jovens, que fique o exemplo de que estas coisas podem correr muito mal e que a nossa saúde é a maior riqueza que temos - sem ela, não conseguimos ser mais nada, não conseguimos fazer mais nada, não conseguimos dar de nós...

E não conhecendo o rapaz de parte nenhuma, nem fazendo parte do seu clube de fãs, a verdade é que tenho para mim que ele se vai safar desta.

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Ao deixar para depois, normalmente é tarde demais


O Correio da Manhã é de facto formidável

Estava eu a fazer zapping e deparo-me com uma notícia para a qual não vislumbro qualquer utilidade. Devo ser demasiado exigente no que toca a temas interessantes versus lixo.

Notícia: Homicida de Aguiar da Beira, Pedro Dias, teve a sua primeira visita íntima na prisão.

Sem mais comentários...

Algumas vezes...sim...quando nos faltam os pequenos nadas, que damos, e de quando em vez gostaríamos de receber

Quando, por desvarios da vida, começamos a conhecer tão bem o lado menos bom de uma ou outra pessoa, e passamos a antever os seus comportamentos

Foi confirmado pela contra-parte que me devolvia a miúda dia 30. A verdade é que não extrapolei esta informação para o rigor necessário e esqueci-me involuntariamente de questionar de que mês. Devia tê-lo feito.

Mas como já conheço à légua a falta de rigor da pessoa em questão, hoje quando a pequena me ligou, depois de conversarmos pedi-lhe o favor de passar o telefone ao pai, caso o mesmo estivesse disponível. O diálogo foi surreal, mas nada que eu já não esperasse. Quando as pessoas nos habituam ao deslize, é o deslize que esperamos, por isso, como que a antever que amanhã me iria chatear, resolvi começar hoje a esclarecer as coisas. Ao lhe perguntar a que horas é que tinha previsto devolver-me a criança amanhã, entre uma ou outra hesitação diz-me o seguinte:

"Ah, amanhã? É que eu estava a pensar levá-la só no sábado!"

Nem contei até 10, resolvi logo esclarecer que o pré-acordado era ela ser-me entregue dia 30, e assim teria que ser, pelo que precisava de saber a hora.

"Ah, eu estava a pensar aproveitar o dia todo e só chego tarde, muito tarde."

Ok retorqui eu. O que é tarde para si, 10 da noite, 1 da madrugada? É que eu preciso de saber uma hora prevista para me devolver a miúda, porque a minha vida não é estar à sua espera.

Bom, lá disse que o mais certo era chegar depois da meia noite, mas que ainda assim como os miúdos viriam a dormir, era melhor entregá-la só no sábado.

Lá tive que me fazer explicar: estando a dormir ou não, teria que ser retirada do carro para se deitar, fosse onde fosse. Portanto que fosse retirada do carro à porta de casa da mãe, para depois dormir na cama dela, que foi o acordado. Será muito difícil fazer com que as pessoas percebam que aquilo com que se comprometem é para cumprir? Será que é muito difícil que este ser humano perceba que 15 dias volvidos, para uma criança que raramente se separa da mãe, a distância física começa a ser dolorosa para ambas? Ok, que se esteja a lixar para mim, eu sei disso desde os 7 meses de gravidez, mas pelo bem estar da própria miuda, deveria existir o mínimo de respeito e cuidado....ou sou eu que sou doida!?

Espero honestamente não ter que me chatear nas próximas horas.

Faltava o candeeiro, pois está claro!


Apesar do calor, já dou comigo a pensar que o periodo estival está prestes a terminar

Lá por casa já se prepara material escolar, roupas, as férias já começam a fazer parte das memórias, o Verão está a passar, daqui por 15 dias recomeçam as aulas....e o tempo passa de facto rápido demais.

Ontem num jantar, falávamos acerca da finitude da vida, sem tristezas, sem medos, mas no meu caso, como não espero viver tanto quanto já vivi, pensar que com cabecinha e as melhores escolhas possíveis, temos que viver ao máximo e aproveitar as opotunidades de sermos felizes que a vida nos dá. O tempo não volta atrás, portanto não devemos deixar escapar momentos, pessoas, oportunidades, experiências e ir sempre atrás dos nossos sonhos. Esse é o caminho.

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

O manjar

Já tinha tantas saudades destes hambúrgueres, que hoje foi a desgraça.


Ground Burguer 

O pai levou a filha à pesca

E eu ontem bem que podia ligar para sua excelência e nada. E já a hora de dormir ia no adro ainda oiço, com um ar muito zen:

"Óh mãe, não te preocupes. Eu estive na piscina e não podia levar o telemóvel para a água e depois fui pescar!"

Isto analisado de fora dá vontade de rir, mas confesso que na altura não achei piada nenhuma. Está a virar uma arruaceira esta miúda!...

Sessão de cinema a meio da semana

Isto de se ter os filhos fora, dá nisto, a malta abusa e então lá se vai ver o repertório de filmes para gente crescida de seguida, porque tão cedo, não se pode.

Ontem foi dia de Assalto ao Poder. Bons actores, uma história que não é pioneira, mas gostei.

É claro que ouvi a boquinha da minha filha quando falei com ela no intervalo: "Mãe, já é a segunda vez que vais ao cinena nestes dias sem eu ir!" - nem vale a pena falar dos passeios, jantares, etc., a miúda deve pensar que a mãe já está velha demais para se divertir sem ela :)


terça-feira, 27 de agosto de 2019

Para o bem e para o mal


Só de ouvir o Bolsonaro falar fico com urticária mental. Portanto o homem critica e goza com quem está a oferecer dinheiro e meios para o combate aos incêndios da Amazónia e apoio às populações. Portanto diz que não se faz nada de graça.

A sério!? Vou lá bem atrás ao aforismo de Sócrates "Conhece-te a ti mesmo". Ele lá sabe, nomeadamente nas promessas que fez ao povo, que vão ser bem pagas. quanto mais não seja porque temos todos que aturar as blasfémias que diz da boca para fora, e mais o que ainda estará por vir.

Ou não fosse um tema sobre o qual eu própria gostaria de escrever

Mais um para a minha biblioteca.


segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Confesso

Também tenho uma queda pelo Jared Leto...


Life is too short


Consegue um ser humano sobreviver com o coração fora do corpo?

O ser humano reinventa-se, adapta-se, aguenta-se, surpreende-se a si próprio.
Estou há 9 dias sem o meu pintainho, consegui estar com ela há 5 dias e parece que não a vejo há uma vida. Eu estaria bem melhor se soubesse que ela está bem, mas a verdade é que sei que não está. No sábado passado, não fosse eu estar acompanhada e me terem colocado algum bom senso na cabeça, eu tinha pegado no carro e teria ido buscá-la, custasse o que custasse.

Se um filho nos liga com voz de "socorro" não há bom senso que nos ilumine. E é nestes momentos que o facto de termos pilares ao nosso lado que nos fazem descer à terra nos traz alguma da serenidade que por momentos perdemos. Eu nem sequer estava naquele momento com capacidade para conduzir, a coisa ia correr mal com a outra parte e não augurava nada de bom para os próximos tempos.

Lá acalmei a pequena, com a calma com que eu própria não estava, lá a fiz perceber que nem sempre as coisas correm como queremos e que acima de tudo ela tem que se portar bem e fazer por aproveitar os dias de férias da melhor forma possível.

Ontem não a achei feliz, mas achei-a mais bem disposta, o que me fez respirar fundo e reduzir os meus níveis de stress.

Mas a verdade é que não serei a mesma enquanto o meu pintainho não voltar para debaixo da minha asa.

domingo, 25 de agosto de 2019

Nos filmes, é mais ou menos isto


Sometimes


Variações

Era daquelas estreias por que ansiava. A tenra idade que tinha quando ele morreu, não influiu no facto de o admirar bastante. Por ter perseguido o seu sonho, pela excentricidade, por ter sido muito à frente para o seu tempo, por me lembrar perfeitamente da imagem dele de umas duas ou três vezes que o vi em Campo de Ourique. Para uma criança, ele era marcante. E cresci a gostar das músicas dele, continuo a gostar e gostarei.

O filme está interessante, descobrimos a luta dele para ser visto como artista, mas também um homem sensível e de paixões. Paixões pelas suas ideias, pelos seus sonhos, e por pessoas. Saí da sala de cinema inspirada e a gostar ainda mais do Variações.

O Sérgio Praia chega a arrepiar porque tem muitas semelhanças com o original e claro também tem um dos meus actores portugueses preferidos, o Filipe Duarte que também está formidável.


Não se come nada mal não senhor...

E a sobremesa de avelãs é assim qualquer coisa. Recomendo!


sexta-feira, 23 de agosto de 2019

O passeio para desintegrar o almoço do organismo, ainda rendeu saúde

Retenção de vitamina D e não só:


Só quando temos os nossos filhos percebemos


Sandalecas que ficam giras em pé moreno


A Desigual tem coisas que de facto são engraçadíssimas

E não é que a miúda neste momento esteja propriamente com falta de agasalhos, mas o Mickey é sempre o Mickey :) A minha filha é a minha desgraça!



Talvez deva autoflagelar-me

Pois está claro, ontem cheguei a casa, ponho-me feita fútil de IPad a ver as cusquices das redes sociais, notícias dos jornais, etc., o tempo a passar, a roupa do ginásio a olhar para mim...os minutos a passar, e não fui. Não fui caramba, não fui ao ginásio e só por isso já devo ter inchado uns 2 quilos, no mínimo.

Fiquei chateada comigo, mas a verdade é que me soube tão bem ficar ali esticada naquele sofá a imaginar que hoje nem sequer seria dia de trabalho.

Depois começaram as conversas no whatsapp, os telefonemas, até a minha filha me ligou perto da meia noite, facto que me deixou uma pilha, mas isso já merece outro post - não me parece normal uma criança estar acordada àquelas horas, mas tudo bem, vou fazer um esforço por não me enervar muito, senão ainda tenho um ataque histérico. Ainda peguei no meu livro do momento que até é bom, mas a leitura não está a fluir porque tenho andado com um monte de coisas na cabeça e acabo por não ter a concentração necessária para avançar...e às tantas adormeci, que foi o melhor.

E cá estou eu pronta para mais um dia, It's Friday, I'm in Love como canta o meu querido Robert Smith e só por isso vou à praia à hora de almoço, que isto de se poder ir à praia a pé é um luxo!

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Pois é!


E não é debalde que o digo...


A minha filha está a habilitar-se a perder o direito de ter telemóvel pelos próximos 20 anos

Não sou a personificação da mãe histérica, controladora e que não deixa os filhos respirar, mas também tenho os meus limites.

Estive ontem com ela antes de rumar a sul com o pai - óptimo. O facto de ir fazer uma viagem grande sem mim, é óbvio que me deixa em alerta, sou mãe caramba. O facto dela não dizer nada, até entendo, mas o dito cujo por uma questão de princípio deveria ter o cuidado de ter mandado a miúda ligar a dizer que tinha chegado bem. Nada! Ontem à noite liguei para a miúda e não atendeu.

Ok, não fiquei histérica, penso sempre que as desgraças se sabem depressa, mas fica sempre aquela nuvem de preocupação. Não liguei para o pai da criança porque é pessoa para a qual eu não telefono, mas fiquei meia aborrecida.

Hoje de manhã vejo as horas a passar e nada. Ligo para o telemóvel dela...e sua excelência não atende. Lá tive que enviar uma mensagem ao adulto responsável para fazer o favor de dizer à filha para ligar à mãe, já que a mãe gostaria de saber se correu tudo bem com a viagem.

E nisto, passado um bocado lá liga ela e já levou nas orelhas. Temos muita pena, a mãe nem sequer lhe tem ligado porque não é de todo uma pessoa intrusiva e quer que ela esteja o mais à vontade possível nas férias com o pai, mas há limites. Se tem telefone e se vai fazer uma viagem grande tem a obrigação de dizer à mãe que correu tudo bem e de ver se tem chamadas não atendidas da mãe e retribuir. Ponto!

Mas que chatice quando estes miúdos começam a ganhar asas e voar.

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

A Lady in Red do Chris de Burgh sou eu!


Só que andam escondidas por vezes


Agora parece que virou moda nas mulheres

Usarem as unhas dos pés compridas, tipo as das mãos...mas eu acho que fica tão feio credo!

A visita da hora de almoço

Vá, não é só defeitos o senhor; trouxe-me a criança para matar saudades à hora de almoço e que bom que foi! E assim regressou às férias com o pai e eu fiquei de coração mais cheio.


Uma coisa é certa

Este advogado do sindicato dos motoristas não precisa de mais publicidade. E esta foi gratuita. Agora é que vão ser clientes a entrar pelo escritório dentro.

Who am I?


Para o treino

Ou não tivesse uma das minhas marcas fetiche coisas tão giras.




E quem fala assim não é gago


terça-feira, 20 de agosto de 2019

Face after Spinning

Hoje custou, não aguentei como costumo, tive um batimento cardíaco médio superior ao que costumo registar e esforçando-me muito menos. Será que estou a morrer!? Se for, que seja com um sorriso. Sinto que apesar de tudo me superei. Sem coragem para ir, arranquei comigo do marasmo, e fui. 





As balelas dos signos

Leão humilde!? Onde, só se forem os do Zoo. Virgem humildes? Os espécimes que conheço de humildes não têm nada. Os Gémeos até sim, e os sagitarianos, ou não fosse eu uma, também têm de um modo geral a sua boa dose de humildade. Claro que se a coisa corre mal...


Ambos certamente


Jejum

Sempre fui uma pessoa demasiado transparente e verdadeira. Se já me causou dissabores, já...mas não consigo ser de outro modo. Digo o que me vem à cabeça, para o bom e para o mau. Se gosto gosto, se não gosto, não faço fretes. Lembro-me de em miúda a minha avó tantas vezes me dizer para eu aprender a ser mais cínica, porque tanta honestidade e pouco cinismo me faziam perder mais do que ganhava.

E isto valia se queria muito uma coisa - nessas fases os miúdos viram anjos. Pois mesmo que eu quisesse muito uma coisa e soubesse de antemão que ao mínimo deslize perdia a regalia, perdia na mesma, porque se tivesse que deslizar, deslizava. Aconteceu com o View Master, um brinquedo que desejei acima das minhas forças e a minha mãe fez finca pé e não mo deu. O que eu berrei, devia ter para aí uns 5 anos, e com a mãe que tinha, um berro equivalia a no mínimo um ano de espera.

E assim foi, tive o View Master de facto, muito tempo depois e oferecido por uma "tia" amiga que mesmo assim ainda hoje se comenta que levou nas orelhas da minha mãe, por ter comprado o dito brinquedo à sua revelia.

Adiante. Vamos ao que interessa, a minha susceptibilidade, o facto de ser uma esponja que absorve a energia boa e má e como isso se reflecte no meu corpo.

Nos últimos dias passei por uma brutalidade de emoções, coisas para as quais ninguém está preparado - se por um lado já me devia ter habituado a levar pancada, a verdade é que não sou masoquista, e portanto comigo resulta peace & love - com pancada não.

Portanto no Domingo pouco comi e bebi um litro de Coca Cola, ontem a única coisa que ingeri foi a meia de leite costumeira e assim foi até hoje. Pois é bebé, a verdade é que para ser fit nada como levar "pancada".

E deste modo, o pneuzito próprio de uma mulher que já foi mãe, tem 41 anos e meio e não tem a vida da Carolina Patrocínio, foi-se:

Portanto lá veio ela com a sua saia travada que não é de arriscar quando se tem uns gramas a mais e a pensar: olha, o Jejum afinal faz milagres! A mãe quarentona ainda se faz!

Conheço pessoas que vão gostar deste

TAG Heuer edição limitada SCP!


segunda-feira, 19 de agosto de 2019

A traição amorosa aos olhos da ciência...interessante

http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2019-08-19-A-traicao-amorosa-aos-olhos-da-ciencia-9-conclusoes-de-estudos-realizados-nos-ultimos-anos

Fechar páginas sempre com a noção de que fizemos o nosso melhor


“As pessoas são solitárias porque constroem muros em vez de pontes.”

“Somos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos”

“Para florescer é preciso regar, vale para flores, amigos e amores”

“Só se vê com o coração, o essencial é invisível aos olhos”

O Principezinho
Saint - Exupéry

Nos casos em que são magoadas e viram bicho...são bué da más! Life is a bitch!


Entre um caso e outro...é bom sentir que mesmo longe fisicamente, temos alguém do nosso lado...aquela mensagem de madrugada em que acordamos em sobressalto...

mostra-nos que mesmo longe, alguém está perto. A vida não é justa, não se pode ter tudo. Sentir a solidão tendo uma pessoa fisicamente próxima de nós, é de facto bem mais desolador.


Atenção que voltei a ser pedida em casamento, que fique registado

Já tinha saudades das nossas picardias Sr. Engº.

A prova viva de que um tempo de reflexão nos faz bem, que todos erramos e que continue a atirar a primeira pedra quem nunca errou, mas cuidado, que ela lhe vai cair no centro da testa e abrir uma cratera, e depois têm que ir ao hospital suturar e ficar com uma cicatriz para todo o sempre, e eu sempre que vir alguém com uma cicatriz na testa já sei o que foi (atenção que eu por acaso até tenho uma)....blá blá blá whiskas saquetas, e estou muito feliz por te ter aí. my dear fiance.

Tocou-me o cuidado do teu telefonema logo que a pequena se foi embora - é por seres assim que mesmo depois de nos termos desamigado, cá nos mantemos firmes. Ainda há quem diga que o amor não existe, seja esse amor traduzido de que forma for.

Big challenge

Já é uma tarefa árdua passar uns dias sem ela - o silêncio ensurdecedor de lá de casa, mata-me. Falta-me lá o furacão. Que estranho que é ter ontem arrumado as almofadas da sala e hoje de manhã estarem no mesmo lugar. As toalhas da casa de banho direitas. A loiça no sítio, os sapatos pequenos alinhados, não vejo papelinhos no chão, nem ganchos, nem bolas, cromos e bugigangas.

Credo, parece uma casa fantasma. Que estranho que é os dias em que me ponho aos "gritos" para ela arrumar as coisas e agora estranhar que se mantenha tudo como deixei. Falta o bocado da pasta de dentes azul que me fica invariavelmente no lavatório e que eu depois vou esfregar e o autoclismo que de quando em vez não puxa e tanta balbúrdia e confusão.

O desafio é viver estes dias como se ela lá estivesse. No sábado estive em negação, mas ontem, entrei no quarto dela e deitei mãos à obra e deram-me aquelas fúrias ao ver tanta desordem: "ai se ela aqui estivesse já me ia ouvir", "ai que castigo que ela ia ter sem Tablet nos próximos 20 anos", "ai a ratazana que me acumula garrafas de água na arca dos brinquedos", "ai a safada que andou a pintar a parede e a colar posters sem eu ver" - nem sabe ela a sorte que tem em não estar em casa. E no fundo, é esta desordem dela que me conforta, que me faz sentir a presença dela em em mim em cada detalhe.

As coisas dela estão tão desorganizadas e sabendo eu que só posso fazer uma limpeza geral quando ela não está, porque senão as tralhas a que chamo lixo lá continuariam, que o meu grande desafio para os próximos dias é voltar a colocar tudo em ordem, lavar peluches e almofadas, arrumar prateleiras, bonecas, legos e ter tudo um brinco para quando ela voltar. Miss my Magenta Unicorn so much.
Hoje, num local em que as pessoas são tradicionalmente tratadas como máquinas, perante um imprevisto, que é humano e um quase estado de sítio, uma pessoa com quem em muitas coisas me identifico atira:

"É chato, mas temos que cuidar das pessoas!"

Parei uns segundos, bolas, não é hábito de facto encontrar pessoas assim - eu que luto para que as pessoas sejam tratadas enquanto seres humanos, pelo menos se de seres verdadeiramente humanos se trata, fiquei reconfortada com aquele comentário.

O trabalho cá continua, havemos de encontrar soluções, mas se uma pessoa desaba e precisa de respirar, deixai-a respirar.

Infelizmente o sistema em que vivemos trata tudo de forma contrária...infelizmente. Mas não deixemos de cuidar das pessoas, quanto mais não seja porque é assim que deve ser.

domingo, 18 de agosto de 2019

A very good fellow

Pelo menos tento, disso não tenho duvidas


Outro para a categoria “I wish”


Quando a mana pequena é uma fofura para a mana velha

Algum dia tinha que ir retirar os dividendos das fraldinhas que lhe mudei, da baba com que levei em cima, dos espirros de comida e muitas travessuras. Hoje desabafava com ela que a minha escova de limpeza facial tinha dado o berro. Resposta dela:

“Eu dou-te a minha, é raríssimo usá-la”. Sempre foi muito generosa esta miúda e a minha filha foi buscar esta característica à tia. É que nem pensam, dão logo tudo para os outros ficarem bem. My girls!

Por falar nos meus pés

Sinto que foi a concretização do ano, algo que desejava há anos, mas a falta de tempo, de coragem, de dinheiro, de tudo e mais alguma coisa serviam de desculpa para adiar a cirurgia. E eu que não gosto de passas, lembro- me que um dos desejos e promessas para 2019 foi exactamente fazer a cirurgia antes do Verão. Nunca pensei que ficasse logo despachada dos dois pés ao mesmo tempo, achei que na realidade com a situação do coração que me iam dizer que não podia levar anestesias, portanto a cirurgia seria novamente uma miragem. Mas nem o coração está assim tão mau, nem a cirurgia passou para segundo plano e já estou livre do osso excedente há mais de 4 meses. E os meus pés voltaram a ser direitos, grandes sempre foram, até agora ainda não inventaram nada que pudesse reduzir um número ou dois, mas na verdade isso já nem me importa há muitos anos. Eu, sem os meus pés grandes tamanho 41, já não seria a mesma pessoa. Defendo que a nossa verdadeira graça e encanto estão naquilo a que muitos chamam de imperfeições. Tudo o que é demasiado escorreito, aí sim, é que tem que ter defeito.

Claro que os joanetes para mim há muito me incomodavam; pelas dores e pelo desconforto, pela estética, por tudo.

E agora estou assim, e quem diria que me abriram os pés de lado, desbastaram osso e, aos olhos mais distraídos é quase imperceptível, sem costuras gigantes e cicatrizes assustadoras!?





Eu e a(s) minha(s) memória(s)

Já estamos a 18 de Agosto há alguns minutos, mas ontem cumpriu-se mais um ano da partida da avó Emília. Jamais esqueço os meus, ou os que me fizeram o bem. Não foi avó de sangue, mas a prova viva do que uma avó(drasta) deve ser. Lembro-a com saudade e uma grande gratidão como me recebeu no seio da sua família e me tomou como mais uma neta. Aquelas férias de Verão em Coruche, os Natais, as broas de azeite, as migas, a sopa de abóbora com feijão frade...foi das primeiras pessoas a reconhecer-me algum jeito com as letras e que orgulho que senti, vindo de uma professora e escritora....quis ficar com um livro que escrevi, ainda menina. Memórias que não se apagam e que me trazem coisas boas dos meus primeiros anos e pessoas fantásticas com quem tive a sorte de privar.

Não teve uma vida fácil, viu partir um neto, uma filha, irmãos, teve sofrimentos ferozes, mas uma grande dignidade. Foi descansar há tantos anos quantos tem a minha filha, mas ainda a conheceu. Não a esqueço, foi uma boa referência para mim.

sábado, 17 de agosto de 2019

Oh se arrependo!


Home Alone

Filha entregue ao pai para passar as férias de Verão. Os dias pré foram complicados para ela porque não queria ir, chorou e mais uma série de reacções fisiológicas adversas. Fiz o meu papel - que não percebia o porquê de não querer ir, que iria ser super divertido, que o também precisa de passar tempo de qualidade com o pai,  bla bla bla. Resultou, foi aparentemente alegre e com um “upgrade” de menina mais crescida, um telemóvel para me ligar quando quiser.

Quem tem o coração apertado sou eu, mas o que são 15 dias no resto da minha vida!? - isto sou eu a tentar convencer-me que estou a irradiar felicidade. Pode ser que venha o nevoeiro e que o D. Sebastião me venha arrebatar o coração por estes dias e logo logo me devolva à realidade.

sexta-feira, 16 de agosto de 2019