domingo, 30 de junho de 2019

Quase deixava passar a efeméride

9 anos atrás - o dia das 40 semanas de gestação completas and counting. A miúda não havia meio de nascer. E eu, bom, uma grávida elegante, com mais de 4kgs de gente hospedados na barriga, mas um farrapo humano. Mas até os farrapos se remendam e voltam a ganhar vida.

Talvez seja a minha vontade de retomar os saltos altos

E perdi-me a olhar para estas sandálias...

Também desenvolveu

já depois de chegar a casa, uma tremenda dor de ouvidos. Até pode amanhã vir a desenvolver uma otite a sério, mas conheço a minha filha tão bem ao ponto de saber que hoje, é mal de que não padece, graças ao Senhor.

Mas lá fui buscar uns cotonetes com um medicamento inovador descoberto justamente aqui no bairro, ou seja, embebidos em água morna, uma limpeza da cavidade auricular, por forma a possibilitar que o organismo assimilasse o tal antibiótico milagroso e esperar que resulte.

Meia hora depois disse que já estava bem melhor. Oremos!

Regressou acompanhada por Lucifer

Passei 2 dias sem ela, saudades qb e sempre com ela no pensamento. Fui buscá-la, vinha trombuda de cansaço e com um péssimo feitio. Já lhe dei meia dúzia de berros e dei comigo a pensar que o maldito acampamento poderia ter durado mais 1 dia.

E ser mãe também é isto. Um turbilhão de sentimentos contraditórios. Quando estão com mau feitio desejamos que vão para longe, mas se estão longe, contamos os minutos para os termos por perto.

sábado, 29 de junho de 2019

Oasis - Wonderwall (Official Video)

Para uma mulher ter desejos, não precisa estar grávida

Hoje acordei com desejos. Pairavam na minha cabeça macarons deliciosos e coloridos e, para mim, macaron = Ladurée.
Não há hipótese, são mesmo os melhores.

Hoje deleitei-me com um de maracujá e só de me lembrar do prazer que senti a degustá-lo, volta a crescer-me água na boca e começo inevitavelmente a salivar.

Há de facto prazeres na vida que não têm preço.

sexta-feira, 28 de junho de 2019

quinta-feira, 27 de junho de 2019

João Carlos Melo: “Dizer a uma pessoa que tem baixa autoestima 'tens que ser forte' pode ser muito doloroso”

E é disto que se trata...

João Carlos Melo: “Dizer a uma pessoa que tem baixa autoestima 'tens que ser forte' pode ser muito doloroso”

É para ter medo, muito medo...

O FBI publicou uma listinha com os 3 signos do zodíaco considerados mais perigosos, baseando-se num estudo que fizeram na sua interessante base de dados, em torno dos criminosos capazes dos crimes mais hediondos.

E eis que os 3 signos associados aos piores dos piores são: Caranguejo, Escorpião e Sagitário. Relativamente ao Escorpião, bom, os nativos deste signo sempre tiveram a sua fama. Caranguejo e Sagitário somos respectivamente a minha filha e eu, portanto se nos dedicarmos ao crime, ainda vamos ser famosas, ainda que pelos piores motivos.

Quando temos sorrisos à nossa espera

Quem não gosta de um belo sorriso que atire a primeira pedra. Hoje fiquei tão feliz com o sorriso rasgado e maroto que tinha à minha espera à porta de casa.

Congrats Teacher

Foi minha professora no primeiro ano de curso, há mais de 20 anos atrás. Novíssima, um pouco tímida e muito querida.

Fiquei feliz por saber desta nomeação. É uma mulher de garra.
https://expresso.pt/sociedade/2019-06-26-Helena-Carreiras-vai-ser-primeira-mulher-diretora-do-Instituto-de-Defesa-Nacional?fbclid=IwAR3VsNC9ZST4xBw8LtCcKCEiTNtnGbH2Pq4L_8d7CDELGQ05C3s5EF90sXs

O rapaz pode ser um ás

Mas a verdade é que já estou saturada de ouvir falar no João Félix!

Estou a ficar velha e a minha filha já não me quer

A verdade é que eu já podia ser mãe de uma criatura com 18/20 anos caso me tivesse entregue cedo aos desígnios da maternidade e por isso já estaria em plena fase de não conseguir prendê-la em casa, mas, quer dizer, ainda não fez 9 anos e já me passa fins de semana nos acampamentos com a malta!

Não quer saber da mãe, faz a trouxa e ainda me diz que tenho que ir comprar barrinhas de cereais.

E a mãe é que tem que se aguentar sozinha, triste e abandonada no fim de semana porque o pespego já tem catarro, ganhou cedo asas e está a voar.

Vá mãe, é só um fim de semana e ela está tão feliz :)

quarta-feira, 26 de junho de 2019

terça-feira, 25 de junho de 2019

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Mas se descobrirem a vacina que proporcione imunidade, tanto melhor


Há relógios mesmo giros...


Constatação do dia

Até uma criança bonita consegue ficar com ar de condenada a aguardar o cumprimento de sentença no corredor da morte, numa fotografia para o passaporte. Aquela nova moda de se ficar com as orelhas de fora é qualquer coisa. Só digo isto, nós até temos umas orelhas pequeninas e perfeitinhas...mas coitado de quem teve o azar de nascer com orelhas de abano.

Daquelas coisas que nunca fiz, mas há sempre uma primeira vez

Eu e a minha mania de estar sempre disponível, de fazer literalmente das tripas coração para não deixar ninguém ficar mal, chegar a tudo e a todos, responder a tudo e a todos, pedir mil desculpas por um atraso, penitenciar-me, quase que autoflagelar-me, qual Silas no Código da Vinci…

Bom, tudo isto para dizer que embora eu esteja literalmente out of the office, com a mensagem da praxe activa e tudo, o meu skpe foi assaltado com "hello's". O que é que eu fiz e que nem parece meu??

Lamento mas ignorei. Hoje resolvi que era S. João e portanto é dia Santo para mim. Se me sinto bem com isso? Não, mas também não seria eu.

A minha filha está uma crescida

Medida hoje e já tem 1,36m de altura, foi fazer o primeiro passaporte, assinou ali toda pomposa num pedestal e eu toda orgulhosa pela minha cria.

Mas os nossos serviços são complexos. Ora mandam sair o pai da sala depois de o identificarem, ora depois voltam a ler a regulação das responsabilidades parentais e voltam a chamar o pai da criança porque o SEF agora anda a chatear muito e depois podiam ligar-lhe a perguntar não sei o quê. What, pergunto eu, mas ligam para quê se estamos ambos aqui já para evitar chatices!?

Bem, o funcionário lá atestou o que tinha para atestar, mas a verdade é que para se tratar de qualquer coisa neste país é um bocado à base do "cada um diz o seu".

Mas já está, não sei antes o funcionário me perguntar quando é que eu ia viajar e perante a brevidade da data me dizer que não iria ter o passaporte a tempo, porque só estão a agendar para entrega lá para Outubro/Novembro.

Dá gozo de quando em vez sermos metódicos - lá lhe disse que tive o cuidado de fazer o agendamento assim que fiz o pedido, portanto para daqui a 15 dias. Resposta do homem: "Ah, a senhora é um espectáculo, assim é que é!"

Experiência meu caro Watson, já que estive à espera do meu exactamente 3 meses e como é óbvio não volto a cair na mesma armadilha.

Depois, notário para tratar da autorização de saída da miúda do país, qual família maravilha e pais que até "parece" que têm uma relação cordial. Vitória vitória acabou-se a história e já tratámos de mais uma burocracia.

domingo, 23 de junho de 2019

Lead my revolution

Quem me conhece benzito sabe que sou uma caixa de surpresas, mas ainda há quem se espante e se surpreenda, bem sei que pela positiva.
Fui uma miúda excessivamente tímida, e cresci sem querer dar nas vistas - passar despercebida sempre foi o meu mote. Sempre me tive como o patinho feio da família mas sempre soube que era uma miúda inteligentezinha. Passei parte da minha infância em Lisboa e lembro-me que ao passar pela Cidade Universitária dizia sempre que ia estudar ali e iria acabar os meus estudos aos 22 anos.

Não colocava sequer a hipótese de reprovar, mas desengane-se quem pensa que era um crânio da astrofísica. Tive cada deslize até ao 9º ano que hoje dá-me uma certa vontade de rir, mas acredito que a minha mãe vivia em sobressalto. A verdade é que eu tinha sempre a situação controlada, ela é que não percebia nada disso.

Mas enfim, a miúda tímida, que só lia aquilo de que gostava mesmo e que se escondia atrás dos outros, deu lugar a uma mulher não muito diferente. De causas sim, de gostar de confortar os que sofrem, mas aparentemente frágil e com pouco confiança em si. Mais coração que cabeça e agora que o coração propriamente dito me começa literalmente a falhar, ainda mais sinto esse paradigma.

Comecei a levar pancada da vida muito cedo, demasiado até. E fui-me aguentando. Podia ter seguido a via da cabeça, mas este pequeno músculo é maior e mais pesado. E foi exactamente nos momentos de mais fragilidade, dor, perda, angústia e incerteza que não sei como, fui dando a volta e revelando uma força que nem eu sei onde a vou buscar. Sim, continuo a ser uma pessoa de causas, de valores, fiel e leal aos meus princípios, mas até um Santo tem os seus limites. E aquela mulher que é humana e que também tem direito de "rodar a baiana" de quando em vez, só o fez uma vez na vida há uns bons anos atrás - e aí percebeu que sabia rugir. Afinal do miar passei para algo em grande, e como canta o meu amigo P. qualquer coisa como "coragem de Leão, às vezes fraco, assim é o coração…"

Muita coisa se passou desde então, muita pancada, muito susto, muito sonho, muita desilusão, mas continuo na minha essência e recentemente alguém me disse:

"Deixas-me parvo. Isso sim é liderar a tua revolução. Quem diria que te aguentarias com uma criança nos braços sozinha, quem diria que com uma situação complicada a nível profissional ias dar a volta por cima e estarias como ficaste, quem diria que transparecerias toda essa segurança...quem diria que tinhas coragem para pegar na miúda e ires com ela sozinha passar férias para um país muçulmano. Tu és uma grande mulher mas...não és o epíteto da pessoa aventureira. E isso de pegares na miúda e embarcares sozinha com ela, é extraordinário!"

Parei para pensar e é a verdade - não sou nada aventureira, para o ser, preciso de um braço e uma mão forte. Mas, por outro lado, sou corajosa e tenho uma grande vontade, por um lado, em me superar e, por outro, fazer com que a minha filha seja tudo aquilo de bom que eu não consegui ser, fazer tudo aquilo de bom que eu não consegui. E por ela, supero os meus medos e o meu conformismo.

Uma coisa já aprendeu - a zelar por justiça, apenas tem que aprender que há momentos mais oportunos que outros para abrir a boca, mas, o que esperar de uma criança, quando muitos adultos não o conseguem.

E que venha o próximo passo - férias para os lados do Sahara.

Os tons cinza do primeiro Domingo deste Verão

...mas o Guincho, é sempre o Guincho.

 Lindo, imenso, retemperador, mágico e, apesar de tudo, sem vento!

Há quem se irrite com a chuva de Verão. Eu acho piada, experienciar uma temperatura agradável e a chuva fria a cair no corpo. Estava a precisar dessa sensação e propositadamente saí de casa à Verão, top de alças, mais nada por cima e deixar que a chuva percorresse o que havia a percorrer.

Não era o que tinha esperado para estes dias, nem aquilo que tenho sentido nas últimas horas, nem a necessidade de levar com chuva em cima, mas nada é por acaso e esta água veio despertar-me, ou, ajudar a tal.

Soube bem, apesar de tudo, porque o resto, o tempo cura.

sábado, 22 de junho de 2019

Porque é que no amor e na guerra, vale mesmo tudo!?

Na guerra, até entendo que se magoe, mas no amor!?

Não entendo...a vida entristece-me de facto. O ser humano está doente.

sexta-feira, 21 de junho de 2019

Quando o que nos sai literalmente do corpinho, também nos faz transbordar de orgulho

Não escondo que a minha semana dita normal é deveras cansativa e por vezes acho que não vou aguentar e ainda a semana vai no início. O trabalho não é fácil nem estático, passo algumas horas por semana no trânsito e em stress, recebo centenas de emails por dia, a pasta dos assuntos pendentes nunca baixa e depois temos sempre que contar com contratempos e situações que correm menos bem.
Tudo faz parte da vida.

Depois existo eu, existe uma criança, uma casa com todas as suas inerências  e que honestamente é o que mais descuro...temos pena, e até um gato. E até à próxima sexta-feira ainda tenho a saga do condomínio que me retirou anos de vida, paz de espírito e sossego, mas até nisso eu me vi forçada a pegar para que o prédio onde vivo tomasse um rumo - mas a verdade é que também já dei para esse peditório e não volto a fazê-lo tão cedo.

Eu, vou existindo pouco e já não tenho idade nem tamanho para me pegarem ao colo, portanto tenho que me aguentar à bomboca. À criança, qual Paulo Gonzo, "dou-lhe quase tudo", o que posso, não posso e até aquilo que acho que não posso de todo, mas lá vou podendo.

Mais um ano escolar que correu bem e hoje a cerejinha que faltava - subida de nível na sua classe de natação pura com uma avaliação que tanto me encheu de orgulho. Não foi uma aluna muito assídua este ano, tudo mea culpa mas como é esforçada e competitiva alcançou a estrela e lá vai ela a nadar por ali fora que nem uma sereia.

A mãe, babadérrima, ainda teve direito a um beijinho do professor e lá vamos nós com afinco preparar-nos para nova etapa.

She rocks!

Então e os meus pés!?

Eis que 2 meses e meio volvidos e eu arrisquei calçar umas sandálias, rasas que eu sou uma pessoa cumpridora e ainda não me posso atrever a grandes desvarios.

Sinto-me bem, farto-me de rir com a curiosidade das pessoas à procura de costuras e cicatrizes feias e no mínimo encontram uma marquita do que parece ter sido uma bolha que já secou.

Comentários: os pés estão tão perfeitinhos!

Yeahhhhh - valeu a pena. Eu sempre disse que se conseguisse associar a parte clínica e acabar com as dores, à parte estética, teria um pleno, et voilà!

Oh se são...

Então a parte do humor...ou não tivesse eu lá em casa uma "carangueja" em formação!


quinta-feira, 20 de junho de 2019

Como um sopro

Há 9 anos atrás estava a apenas duas semanas de a ter nos meus braços pela primeira vez, e que últimas semanas aquelas foram. Com todo o respeito, sinto que vivi a minha Via Sacra naqueles tempos. As dores, o desconforto, o peso, as ameaças de parto e tanta tristeza num momento que deveria ser apenas feliz, mas a verdade é que depois de ver a carinha dela, por momentos e que foram apenas nossos, tudo passou para segundo plano e lembro-me de dois pensamentos partilhados naquele bloco cirúrgico entre mim e a Divina Providência:

 - Que ela tivesse saúde
 - Que tivesse sucesso escolar

Parecem desejos estranhos logo após dar à luz e estar a conhecer pela primeira vez um filho, mas só quem passa pelos momentos que eu passei conseguirá compreender que naquele momento não sabia se teria forças para suportar a falta de saúde de um filho e, pensando num futuro próximo, que ela não desenvolvesse as capacidades intelectuais de modo a ter sucesso na escola - quando sabemos que  estamos quase sós no mundo e nos deparamos com a responsabilidade árdua de educar uma criança, o querer que eles tenham sucesso assume contornos ainda mais exacerbados do que para uma família dita normal e feliz. Sentir que tudo nos vai pesar nos ombros nos próximos anos e a responsabilidade que isso acarreta talvez seja das coisas mais penosas com que temos que lidar.

Se correr bem, a criança é um espectáculo, mas se correr mal...a culpa é da mãe. E por isso, não quero colher quaisquer louros e reitero que um dia que já não esteja por cá, gostaria que a minha filha se lembrasse de mim como "uma mãe porreira". Agora, continuo a transbordar de orgulho por ter uma filha que não é de todo uma criança fácil, mas que continua a ser uma boa aluna, tem generosidade na alma e uma boa dose de traquinice.

É a minha menina...

Insha'Allah...eu sei que vais perceber :)



Vou reter algo que me disseram há pouco

"Não vêem o diamante que tu és"...hoje estava mesmo a precisar de ser comparada com algo precioso, mas nunca pensei chegar aos calcanhares de tamanha preciosidade. Se me comparassem a um pingente de prata alemã já não era mau, agora diamante é grandioso.

Anda tudo ao contrário e quem nos valoriza verdadeiramente está sempre longe demais...

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Quando ainda nem sequer chegaram à adolescência, mas já têm a resposta na ponta da lingua

Ao perguntar-lhe há 2 dias atrás se porventura já tinha trazido as notas dos últimos testes e perante o seu ar despreocupado a responder que estavam na caderneta e eu a começar a enervar-me a querer saber detalhes, diz ela assim:

"Oh mãe, eu não me lembro das notas, mas fica descansada que eu não sou pessoa de Suficientes!"

I rest my case!

terça-feira, 18 de junho de 2019

E como uma desgraça nunca vem só

  1. A minha filha resolveu trazer mais 3 livrinhos de apoio ou fichas ou o raio que os parta para...apagar!
  2. Espetei a tesoura da cozinha no pé e estou cheia de dores
Aviso já que escusam de me deitar mau olhado aos pés, que eu sou uma fortaleza e agora que me vi livre dos joanetes, aguento um bisonte em cima deles!

Comentário simpático de uma filha ingrata

"Mãe, gastaste-me a borracha toda!"

Jamais se consegue agradar a toda a gente ou...a minha filha é mesmo igual à avó, está sempre a reclamar! :)

Foi um serão e peras

Mas consegui. Livros com gatafunhos apagados e a esperança de que para o próximo ano a professora não os mande escrever de todo nos manuais!

Uma mãe que leva com tudo em cima...também sofre!

Já estou quase sem polegar, uma alergia terrível a propósito da porcaria que a borracha faz...e mais um livro terminado, desta vez o de Português = 91 páginas até há pouco escritas.

...e só resta 1!

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Ah Mamã, a professora de Inglês quase não nos mandou escrever no livro!

Ya, foi até à página 57...and counting.

Já vão 2 livros!

Podia estar a ser um serão romântico

Até podia, não estivesse eu acompanhada por livros escolares do 3º ano que têm que ser devolvidos sem mácula. O problema é que a professora só se apercebeu disso tarde demais, e pelo menos o de Matemática estava gatafunhado até à página número 73.

Esse já terminou e ainda me faltam 3 livros. Isto promete!

A preocupação da minha filha quando lhe disse que hoje entraria na escola mais tarde

"Quem é que me vai dar o almoço?"

Nota-se portanto que é uma rapariga de muito alimento.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Não que eu não tenha que ter uma conversa à mesma com o Sr. Amâncio

Mas as calças...voltaram a entrar neste corpinho pseudo-gordo. Ainda não estou lá no nível desejado, mas já faltou mais!

terça-feira, 11 de junho de 2019

TrueLove#Holter

Lá vou eu passar mais 24 horas com ele juntinho a mim...já começamos a ter alguma intimidade, eu e o holter!

Se me ponho a jeito ainda pensam que vou mandar qualquer coisita pelos ares.

Esperteza saloia

"Mamã, no 5º ano já preciso de levar telemóvel para escola!"

O pigmeu cá de casa já tem catarro!

Para simplificar


segunda-feira, 10 de junho de 2019

Neste momento, eu não escreveria melhor

https://jafoste.net/namora-uma-pessoa-que-te-coloque-em-primeiro-plano/?fbclid=IwAR3MLuYMW5Eh00bI-7DPUTPayeI4eZ5vUk7xKJdBELu5q5KagzWw_OVdHac

Eso es


Hoje foi o dia

Em que, anos depois de não fazer qualquer tipo de exercício físico, ter a resistência abaixo do nível do mar e afins, me meti numa aula de RPM...e levei aquilo até ao fim, mesmo tendo ficado de cabeça à roda.

Já diz o ditado que "querer é poder" e é bem certo.

domingo, 9 de junho de 2019


Mas como tenho amigos porreiros

Numa tarde bem passada com algumas pessoas que não via há algum tempo, ainda fui recebendo uns elogios e, quem não gosta de ouvir um "estás linda" de quando em vez!?

Acho que me vou chatear com o Sr. Amâncio

Que virei gorda nas últimas semanas, é um facto. Que ainda não cheguei ao extremo mais terrível, também é um facto, mas se não me ponho a tomar cuidado, isto vai por aqui fora.

Mas a verdade é que embora note em toda a roupa que os quilos a mais lá estão, e são visíveis, nenhuma deixou de me servir a não ser as calças da Uterque. Ora se a Uterque faz parte do grupo Inditex, porque é que as calças da Zara me continuam a servir e as outras não, quando são exactamente do mesmo número!?

Está a pedir uma carta aberta ao Amâncio Ortega para colocarmos os pontos nos is! Que irritação.

sábado, 8 de junho de 2019

Nos dias em que as coisas até nem correm assim tão bem

Venha de lá um trapinho novo para alegrar o espírito.



sexta-feira, 7 de junho de 2019

"Ena páh, saiu-me a sorte grande há uma semana e só hoje dei conta"

Eu não digo que vou ficar rica! Já é raro preocupar-me em ver os números da taluda e por acaso na semana passada até vi o sorteio mas achei que os números que saíram não me diziam nada.

Como "pobre é pobre" lá fui hoje outra vez atrás do Jackpot e por dercargo de consciência dei os papéis da semana passada: "taram" soou a máquina e diz-me o senhor assim:

"Hoje não precisa de pagar nada e ainda leva troco!"

4,25€, o prémio dos derrotados em larga escala, mas é sempre melhor do que nada. Para que conste, fiquei contente.

...eu e a minha mania mesquinha de me contentar com quase nada. Por isso é que nas relações humanas sempre falhei, penso eu de que. Exigir sempre muito pouco, fazer muito e depois levar para trás. Life is a bitch!
O Facebook hoje atirou-me com uma memória de há 9 anos atrás em que eu estava com uma barriga gigante e ainda me faltava um mês para o grande dia. A verdade é que as saudades bateram, não no sentido de querer voltar atrás no tempo, o que, se fosse para a parte boa de lhe pegar ao colo, e sentir aquele cheirinho a bebé eu até pagaria para o ter novamente. Mas foi mais aquela saudade da gravidez e que, contrariamente a muitas mães que conheço, adorei o estado de graça, as transformações no corpo, sentir aquela bebé comigo todo o tempo, os primeiros pontapés, a emoção de a ver pela primeira vez - talvez por saber que será experiência que não voltarei a repetir, mais nostalgia me trouxe.

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Por mais que doa...


Percebo que a minha cabeça já não é o que era quando...

Me comprometi com a minha filha anteontem que no dia seguinte antes de ir para casa passaria no hipermercado para lhe comprar um conjunto novo de canetas de feltro porque "já está a usar o castanho, o verde e o azul da professora".

Não me esqueci totalmente, mas como ontem me desviei da rota habitual, esta obrigação ficou arrumada no lado oposto da prateleira do meu cérebro e ficou por lá.

Chegadas a casa, ela fica a olhar para mim com o seu ar meio descarado e claro, pergunta pelas canetas. E o que eu detesto falhar com ela. Mas como vivemos na base da sinceridade disse-lhe exactamente o que se passou e mais uma vez assumi o compromisso de que hoje sem falta lhe levaria as ditas. E de hoje não passará, nem que seja a última coisa que eu faça na vida.

O engraçado é que recebi esta terna e grata resposta:

"Não faz mal mamã, eu sei que nunca te esqueces de mim!"

Quando fica espelhado numa imagem que a vida é uma treta

Faz parte do meu imaginário de adolescente e não só. Aliás, acho que não existem mulheres da minha geração que não tenham achado que o Val Kilmer era qualquer coisa. Continuo a achar e continuarei a lembrar-me sempre daquele Deus do Olimpo que fazia virar todas as cabeças.

Fiquei em choque ao ver as últimas imagens dele. O que o cancro faz a um ser humano.


terça-feira, 4 de junho de 2019

segunda-feira, 3 de junho de 2019

domingo, 2 de junho de 2019

sábado, 1 de junho de 2019

Silicon Valley já era

O que está a dar é