sábado, 31 de março de 2012

Aqui me confesso!

Não foi por mal, mas não me foi possível aderir à iniciativa da hora do planeta.

Convenhamos que coincide com a saída do banho da Bébécas, jantar...e é impossível. Uma vela a alumiar o nosso caminho não é de todo compatível com o trabalhão que dá a Bébécas.

Sendo que o criminoso confesso tem direito a atenuantes na pena, esperemos que sejam brandos com estas duas cidadãs prevaricadoras!
Foi a EDP, agora a Cimpor...daqui a nada não temos nada que nos pertença!

sexta-feira, 30 de março de 2012

Andei de cozinhados

O polvo já está cozido e amanhã é só fazer o arroz, o bacalhau cozido e desfiado, amanhã vai virar bacalhau com natas, a Bébécas comeu canja de Pombo!!! Atenção que o pombo não veio do Rossio, veio da "terra" - eu não tenho "terra", sou menina da linha, sei lá, mas quem tem amigos com "terra" tem tudo.

É azeite caseiro, couves, carne...de vez em quando lá tenho direito a um cabaz e a Bébécas agradece.

Entretanto ia fazer pastéis de nata, mas aquilo leva 9 gemas...bolas, o que é que eu ia fazer com as claras!? Como não me apetecia fazer um bolo ou um pudim, os pastéis de nata ficam para a próxima.

Ah, e ainda fiz feijão com ovos escalfados que é bem bom!!!

E depois tomei 10 doses de paciência para dar o jantar à Bébécas; ao almoço portou-se mal, ao jantar, mal se portou. Mais de uma hora para ingerir uma refeição; que fase esta! Estou a começar a ser um bocado severa e a não ceder, porque já se está a transformar num hábito embirrar à hora das refeições principais - hoje tinha a atenuante de ter levado a vacina, mas com as crianças se abrimos um precedente, eles não entendem que a excepção não é uma regra. Comeu tudo até ao fim e depois, como se portou mal, lavar os dentes, mudar a fralda e cama....mas fiz-lhe as festinhas do costumo e o beijinho de boa noite que só a mummy sabe dar;-)

Mais uma vacina

Hoje lá levei a Bébécas a mais uma vacina. Eu fico tão stressada porque sei que aquilo lhe custa, que de manhã estava a ver que não conseguia sair de casa, com vómitos, tonturas e afins.

Uma vacina não custa nada, é óbvio que não, a Bébécas quando se apercebe e chora, já a vacina foi mais do que dada...mas o que é que eu hei-de fazer, custa-me vê-la sofrer.

Mas já está, agora tão cedo está livre de vacinas :)

Ah pois é!

O Estoril Open está quase aí :)

quinta-feira, 29 de março de 2012

A experiência do dia

A curiosidade é algo comum pelo menos a qualquer cientista.

E quer queiramos quer não, eu sou cientista e tenho muita curiosidade em saber como se fazem as coisas, como se chega a determinados resultados, enfim, os comos, os porquês e as conclusões.

Hoje assisti a algo que se por um lado não esperava testemunhar a não ser que o "doente" fosse eu, e tão pouco esperei que fosse de facto ter oportunidade de assistir a uma coisa dessas.

Enfim, assisti in loco com direito a estar na primeira fila à extracção de um dente do ciso. Aquilo é brutal. Para além do dente em si ter uma raiz enorme e estar num sítio de difícil acesso, bem, é preciso força para arrancar o bicharoco.

Anestesia take 1, take 2, take 3...dentista, ou não fosse ele nosso amigo, um amor...mas eu achei que aquilo ia doer.

Nadinha...vi o bicharoco a sair, e da parte da pessoa que ficou sem ele, nenhum movimento reflexo que desse a entender que tinha percebido que o dito já tinha saído.

Brutal!!!

Fiquei com uma nova perspectiva do que é arrancar um dente, pois até hoje só sei o que é ficar sem os dentes de leite e todo o assombro que eu tinha face àqueles dentes, caiu por terra.

Levam-se uns pontos e tal...mas a extracção em si não doeu nada!!!!

Ora bem, uma vez que da última vez que fui fazer limpeza, o dentista após elogiar os meus dentes maravilhosos disse que na próxima consulta iamos começar a extrair os cisos porque não fazem falta, porque têm tendência a estragar mais facilmente e ainda por cima os meus não saíram ainda totalmente e depois podem entortar os outros e isso não se pretende para não estragar o meu sorriso imaculado...e eu fugi de lá a 7 pés e não me voltei a sentar naquela cadeira, depois de ver o que vi hoje e de ter uma filha após quase 2 dias em trabalho de parto...enfim, aguento qualquer coisa!!!

Eh valente!

Lá foi o carrito ao Dr.

Hoje lá foi o meu amigão de 4 rodas ao sr. dr, fazer a mudança do óleo e afins.

Chego lá, o mecânico é um amor, mas mesmo um querido e lá lhe disse ao que ia.
E ele a perguntar se eu queria mesmo pôr aquele óleo que estava a dizer, e eu a acenar que sim, porque tenho ideia que é bom e é o que me costumam pôr.

E ele:

- Sim, é bom de facto, é só o melhor do mercado nesse tipo de óleo. Tens a certeza que é esse que queres? Há mais baratos...mas de facto esse é o melhor.

Bem, para além de já ser habitual tratar o carrinho o melhor possível porque ele também merece, feitas as contas, sendo o litro do óleo mais caro, mas também tendo mais durabilidade e mais eficácia...compensa!

Entretanto de há uns tempos a esta parte andava a fazer-me confusão um pneu, que parecia que andava meio vazio. Eu enchia e passado uns dias ele meio vazio; mas não chegava a estar vazio...mas andava lá perto.
Ou seja, nos pneus da frente com o carro sem carga adicional a pressão deverá ser de qualquer coisa como 2.1 bar, e quando eu enchia aquele pneu o sujeito estava nos 1.1 bar.
Chegava e ali e também não esvaziava mais, mas menos 1 bar de pressão é caricato.

Bem, a primeira hipótese que coloquei foi o pneu ter uma fuga :( E da última vez que o enchi, isto na semana passada, apanhei um susto, porque o carro ficou meio dançarino e eu não o sentia a obedecer a 100% ao meu comando.

Resumindo, não era uma fuga comum; o diagnóstico foi, dei uma pancada ou num buraco ou num passeio, a jante amolgou e estava a fazer pressão sobre o pneu que perdia aquele ar.
Lá se arranjou a jante, lá se calibrou o pneu e se alinhou a direcção e nisto tudo de óleo e pneu lá foram quase 2 centenas de euros para a oficina.

E depois lá me lembrei - da última vez em que levei a Bébécas a cortar o cabelo ao cabeleireiro dos ricos em plena baixa pombalina, ao entrar do parque de estacionamento dos Restauradores, dei de facto uma pancada num lancil, que fez um barulho seco e partiu mais um bocado do tampão da roda. E de facto havia lá um bocadito da jante metido para dentro...mas nem associei que isso pudesse interferir com o pneu.

Pois é...aprendi mais uma coisa hoje. Quando der uma pancadita no passeio, é melhor ir ver, não vá estar a deteriorar o material.

As consultas do Bob são carotas!

quarta-feira, 28 de março de 2012

O meu "amigo" privado

É impressionante mas de há uns tempos a esta parte um dos meus telemóveis tem sido assolado por telefonemas "anónimos".

Salvo quando estou à espera que o George me ligue, que por questões de segurança me liga de número suprimido, eu não atendo esse tipo de chamadas.
No mínimo é uma menina/menino a tentar vender a banha da cobra por telefone e a querer convencer-nos de que essa banha é um investimento de futuro.

Já pus a minha assistente a atender o telefone e a dizer que a dra. está muito ocupada e não pode atender, mas o privado não desiste.

Até já lhe dei música, já o pus a falar dentro da gaveta, e o privado continua a gastar chamadas.

É que desta forma também não me parece que lucrem muito. A malta já está farta!

Por vezes dou comigo a pensar


No que o futuro terá reservado para ela; se estarei cá para testemunhar as suas escolhas, os seus sucessos e fracassos.

Demonstra tanto interesse pelas coisas, tanta perspicácia que gostava que tivesse herdado a minha inteligência e que sobretudo conseguisse a presença de espírito para se valorizar sempre.

Se quer ser doutora, engenheira ou modista...que o faça com gosto, boa vontade e acima de tudo com muita coragem.
Como mãe espero sempre o melhor para ela, e que o que tiver que lhe acontecer de pior, que tenha sido o meu melhor.

...enfim, olho para esta vida que ainda há pouco começou e receio que ela passe por sofrimentos desnecessários.

Enfim, a ver vamos.

terça-feira, 27 de março de 2012

Esclerose múltipla: Primeiro medicamento oral aprovado - Ciência - DN

Esclerose múltipla: Primeiro medicamento oral aprovado - Ciência - DN

Sempre que me deparo com notícias relacionadas com avanços científicos na batalha contra esta doença, fico bastante esperançada de que em breve haja uma nova realidade para quem dela padece.

Infelizmente é-me "familiar" pois tenho um amigo de quem gosto muito a braços com a EM há cerca de 20 anos e desde que o conheço, já lá vão quase 10 que testemunho as mazelas e as "cicatrizes" que ela lhe vai deixando.

Lá digo e penso eu, cá para comigo, que é injusto, que ele não merece, é uma excelente pessoa, um bom marido, um bom amigo, extremamente inteligente e com aquele sentido de humor raro que me consegue arrancar sorrisos, risos e gargalhadas...aliás, pensando é mesmo um dos 3 seres humanos com quem tenho o gosto de privar que tem dos humores mais acutilantes e inteligentes de que há memória.

Mas a dignidade com que ele vive a doença, a coragem com que ele enfrenta cada limitação física que se vai manifestando, a força de vontade...enfim, fazem dele das poucas pessoas vivas por quem tenho de facto o mais profundo dos respeitos.

Há cerca de 2 anos consegui que ele fosse consultado por um médico do HSM que tem dado passos muito positivos com estes doentes, tem feito tratamentos pioneiros e a verdade é que decorridos 20 anos e apesar de tudo, continua a ser um guerreiro e um resistente.

Espero sinceramente que tal como para o cancro e tantas outras doenças mortais e degenerativas haja progressos e que as mentes que se dedicam a engendrar atentados e armas químicas se dediquem a causas verdadeiramente nobres, já que a inteligência quando aplicada para o bem é e será sempre bem vinda.

Tenho esperança por ti meu amigo H.
A minha pequena está numa semana de negação.

Está a ser complicado fazer com que ela coma nas refeições principais, chora horrores quando está na hora do soninho, e eu tento não abrir muitos precedentes, mas chego a um ponto em que tenho que ir ao quarto ver o que se passa, embalá-la, pegar-lhe ao colo, dar-lhe beijinhos...mas creio que ela já está a fazer ronha, e o que era uma excepção está a transformar-se, na mente dela, numa regra. E não pode ser.

Caso contrário quando é que eu descanso!?

Aqueles caninos todos a despontarem ao mesmo tempo também não ajuda; o desconforto deve ser enorme, mas isto estão a ser dias muito complicados mesmo, sobretudo para mim e quiçá para os vizinhos que ouvem aquela lamúria de fundo.

Há dias em que não sei bem qual a atitude certa, mas sem dúvida nenhuma que o melhor para ela é iniciar o seu periodo de sono nocturno à hora que deve ser.

Bem, oremos.

Azar com os hungaros

Era um dos países europeus que eu mais tinha curiosidade em conhecer e fiquei fascinada com o que vi, em todos os sentidos.

Em primeiro lugar foi logo a chegada ao aeroporto de Budapeste que deve ser tão grande como o Aérodromo Municipal de Tires; depois o trajecto até ao hostal, foi surreal - uma pessoa sai de Londres, e aquilo é um mundo à parte, desde a arquitectura dos edifícios, passando pelo parque automóvel.

Enfim, parecia estar a entrar nos míticos anos 70 e ver de perto o que o comunismo também fez.
Considero a ideologia comunista quase brilhante, mas não a ponham em prática, por favor; os resultados são desastrosos. No campo da utopia a coisa talvez funcionasse e tenho todo o respeito pelo Sr. Karl Marx.

Entrada num mundo à parte, absorvi cultura, monumentos lindos, até um simples marco do correio é bonito naquela terra. A maior Sinagoga da Europa, que infelizmente não pude visitar o seu interior, pois estavam em momento de culto.
Agora à conta da Sinagoga lembrei-me de um certo Judeu que me arrebatou o coração há uns anos atrás e era interessante que se fartava; enfim, daquele género com quem vale a pena estar uns tempitos e depois tchau porque quando uma pessoa é interessante demais a coisa complica-se :)

Voltando a Budapeste, adorei também os castelos e só pensava se o Conde Drácula me ia aparecer à frente e oferecer a vida eterna...mas também não.

Trouxe de lá algumas lembranças, duas das quais me deram um trabalhão enorme; uma era uma garrafa de vinho toda trabalhada com o formato de um cacho de uvas, tinha no seu interior vinho branco e tinto que se mesclavam de uma forma que a garrafa era linda. Para a trazer na cabine vi-me e desejei-me, mas trouxe - resultado, há uns anos atrás o meu gato partiu-ma.
Trouxe também um cachimbo em cerâmica, mas um cachimbo enorme, com uns berloques e as cores da bandeira da Hungria...uma peça elegantíssima. No outro dia andava eu a limpar o pó e dei conta que os berloques ganharam bicho ou lá o que foi e estão literalmente a desfazer-se.
Resultado, sobra-me um Pinguim de barro onde ponho uma vela.

Mas será que todos estes desastres me querem levar a Budapeste outra vez, para recuperar estas peças e voltar a sentir toda aquela cidade na minha pele?
Será que tenho que encontrar lá alguma coisa que me está reservada?

Não sei não...mas o destino às vezes também nos reserva grandes surpresas!

Chocolate pode ajudar a emagrecer - Ciência - DN

Chocolate pode ajudar a emagrecer - Ciência - DN

Então é isso; só podia!

segunda-feira, 26 de março de 2012

Uma questão de estatuto

As minhas memórias mais longinquas trazem-me sempre letras e livros. Lembro-me de ser muito pequenina, ainda dormir na cama de bebé e a minha mãe contar-me uma história ao deitar.

E o que é facto é que comecei a ler muito cedo, com 5 anos já eu dominava a arte, com a eloquência própria da idade.

Tive uma fase em que os livros eram os meus melhores amigos; não os da escola, mas obras de Julio Verne, Vitor Hugo, Tolstoi e até Karl Marx, isto com os meus 11/12 anos. Eu queria era ler.

E então, um dos meus sonhos de criança era um dia ter muito dinheiro, para ter uma casa muito grande que me permitisse ter uma assoalhada só dedicada aos livros, do chão, ao tecto.
Não era um escritório vulgar que eu idealizava, era mesmo uma grande e memorável biblioteca.
Ficou o sonho, não tenho muito dinheiro, nem tão pouco uma casa tão espaçosa que me permita tal devaneio, mas já cheguei à fase em que por cada prateleira de livros, tenho duas fileiras carregadinhas deles.

E ando a pô-los no lugar e ando a folhear uns Tolstoi que andavam esquecidos, a guardar uns Freud que o Honey me ofereceu recentemente, o Budapeste do Chico Buarque que me trouxe à memória a viagem que lá fiz há 6 anos atrás...e é nestes pequenos momentos, nestes pequenos nadas, e falando com alguns dos amigos de sempre e outros mais recentes mas não menos importantes que concluo que quase me deixei embrutecer, que quase deixei de ligar ao que sempre tanto me fascinou; as letras, as artes, a cultura, o belo.

Nunca é tarde, de facto, para recuperarmos a energia que espíritos inquietos nos tentam e quase que conseguem sugar...e aí volta a Fénix a renascer.

É o que sinto...

E mesmo depois da birra monumental



que não queria deixá-la adormecer, vê-la aos 20 meses a dormir assim...é de uma mãe babada ficar sem palavras.
Continua a ser a minha pequena bebé!

Ai a magreza

É impressionante, mas cheguei ao ponto de conseguir tirar calças, calções e saias sem ter que as desapertar.

Não era suposto depois de ser mãe o corpo alargar, ficar com pele a mais na barriga, estrias e esses dramas todos que assolam tanta gente!?

Pois olhem que não, é tudo uma questão de genética e alguma sorte.

Fui uma grávida com um barrigão bastante generoso, gerei uma cria que nasceu com mais de 4 quilos, 6 dias depois do parto já vestia a roupa normal, andei 2 mesitos com uma cinta pós-parto para pôr as pelinhas no devido lugar, e agora ainda me vejo mais magra e estilizada do que antes de engravidar.

Não faço nada por isso, muito pelo contrário e estou a ver que vou ter que começar a comprar roupa um tamanho abaixo, porque o que visto actualmente cai-me por todos os lados, e é muito deselegante, mesmo com o cinto no último furo/ou primeiro, depende do ponto de vista, andar constantemente a puxar as calças e as saias para cima.

Vá-se lá perceber isto!

PS: e para compôr o cenário, como sou do tipo "espargo", começo a parecer mais alta do que na realidade sou. Na semana passada numa loja com a funcionária a vermos tamanhos de meias e ela a olhar para mim como se eu fosse uma gigante e perguntou quanto é que eu media, lá lhe disse que era 1,70m...e ela fascinada porque media exactamente o mesmo mas parecia ter metade do meu tamanho.
Era de facto um pouco mais cheinha (mas nada de ser gorda) e estava de sabrinas. Ok, eu uso saltos muito altos às vezes;-)

domingo, 25 de março de 2012

...está complicado!
Agora está aqui a rodopiar na sala à minha frente com uma máquina de calcular na mão direita e ao ouvido a fazer de conta que é um telemóvel, mas antes foi ao quarto buscar a minha almofada, sei lá eu com que intuito.

Vai haver escândalo, mas vai voltar para a camita, quer queira, quer não!

Continuo com a convicção de que as regras existem para serem cumpridas e ela sabe que nalgumas coisas sou muito rigorosa e a corda hoje já foi mais do que esticada!
Hoje temos birra para dormir...

Vocabulário

E cada dia que passa...cada surpresa.

Hoje, a seguir ao banhinho, mais uma vez o deslumbre com o umbigo, às tantas levantou a minha camisola e pôs o dedo no meu...e ria...ria...

E eu disse-lhe:

- É o umbigo filha. Quando estavas na barriga da mamã, as papinhas para tu cresceres forte e linda eram passadas mais ou menos por aí.

E ela:

- Baguí

Resumindo: umbigo = baguí!

Coscuvilhices

Puras fofocas, do mais puro que há.


...sempre me fez confusão e continua a fazer e confesso que gostava de saber mais detalhes acerca das fofocas familiares da família Romanov.

1º O Czar Nicolau II era um homem lindíssimo e com grandes semelhanças com o meu professor de Filosofia do 12º ano :) - com todo o respeito Sr. Professor L. Sanches

2º A Anástasia ter-se-á safo, ou não?

3º A Czarina andou metida com o Rasputin!?

4º O Rasputin era bruxo, ou era um grande maluco?

Será que alguém pode satisfazer a minha curiosidade?

Mimos para a casa




Faço sempre questão de mimar também a nossa casinha, o nosso refúgio, o nosso lar.

Hoje deu-me para escolher estes adereços e transformar a cozinha num local alegre, mas ao mesmo tempo com um toque de classe.

Gostei do resultado final!

sábado, 24 de março de 2012

As primeiras lições #3

Não é só a pequenita que vai aprendendo...todos os dias me ensina coisas novas, outras vezes relembra-me.

Estava eu a retirar os legumes do frigorífico para lhe fazer a sopa, pensei ter fechado a porta do frigorífico, mas afinal ficou encostada. Vem ela a vociferar do alto dos seus 80 e tal centímetros e fechou a porta.

Pouco depois precisei de ir à gaveta dos talheres, e mais do mesmo. Ficou entreaberta e vem ela...e pimba, toca de fechar a gaveta.

Vejam bem o besnico que ainda agora nasceu já se intromete e muito bem nestas questões domésticas.

É o máximo!

sexta-feira, 23 de março de 2012

É que é mesmo este!

As primeiras lições #2

Ontem, ao aproximarmo-nos da casa de uns amigos de quem ela gosta muito, e sinceramente não sei se gosta mais deles ou da casa, começa numa de empurrar a Mamã, gritar, esbracejar e espernear.

E eu, contanto até 10 mentalvente, lá lhe fui dizendo que tinha que esperar, que saber esperar é uma virtude e que só iria a casa da C. e do P. caso deixasse de fazer aqueles disparates.

E ela continuava e eu avisava, às tantas levantou a mão para me bater...foi a gota de água.

Pois agora é que não vais mesmo, vamos embora!

Resumindo, não foi a casa dos amigos e não viu o imenso aquário cheio de peixes coloridos de que tanto gosta.

Lição - "quem tudo quer, tudo perde"
Lição - "não faças mal à conta que te vem bem"

Sou algo permissiva nalgumas coisas, dou-lhe tudo o que posso e confesso que até começa a ser demais; em nenhuma idade eu tive tantos brinquedos e roupa como ela tem aos 20 meses. Jamais tive uma festa de anos como a dela ao celebrar o seu 1º aniversário e por aí fora.
Faço-o com o maior dos amores, mas tenho a noção que lhe estou a permitir aceder a alguns luxos que ela vai ter que aprender que são isso mesmo - luxos.
Tento compensar o que ela também sofreu quando ainda estava na minha barriga e os seus primeiros meses...mas se há algo que não perdoo é a falta de educação, irreverência desmedida e agressividade para com os outros, sobretudo quando se trata de pessoas a quem ela deve respeito, e eu encabeço essa categoria.

Aí, viro mãe megera e zango-me muito a sério com ela.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Reveladas supostas imagens do assassino de Toulouse - Globo - DN

Reveladas supostas imagens do assassino de Toulouse - Globo - DN

E não há meio de neutralizarem o sujeito!

Mãe sofre...mesmo!!!!

Ontem já a noite ia longa, passaram-me uma informação acerca das vacinas, nomeadamente da Prevenar.

É daquelas vacinas opcionais, que não consta no plano nacional de vacinação, é cara que nem um raio e sem comparticipação, mas depois de muito reflectir e aconselhada pela pediatra da Bébécas ela lá fez as 4 doses da dita vacina.

Isto porque eu sou daquelas pessoas que acho as vacinas um mal necessário, e estar a enfiar no nosso corpo bicharocos para prevenir certas doenças, tem que ser bem pensado.
Por isso a dos Rotavirus não me convenceu, não estamos em país de predominância de diarreias, a Bébécas está a passar a primeira infância em casa da avó, há asseio, portanto essa dispensei.

Agora o issue é que faleceu um bebé de 6 meses após ter tomado ambas as vacinas e o Infarmed supostamente mandou retirar aqueles lotes.
A última Prevenar da Bébécas foi dada em Outubro e lá fui eu com alguma ansiedade ver qual tinha sido o lote.

Obviamente que pensando a frio mesmo que a causa da morte do bebé esteja relacionada com a toma das vacinas, será em teoria um caso isolado e tendo a Bébécas tomado a sua última há 5 meses, não haveria motivo para alarme.

Mas quer dizer, sou mãe, e uma pessoa por mais racional que queira ser face aos nossos tesouros, parece que à mínima coisa fica logo com ansiedade.

No fundo a situação é esta: que os sorrisos dela sejam seguidos das minhas lágrimas, porque é sinal que está tudo bem. Caso contrário, já começo a hiperventilar!

terça-feira, 20 de março de 2012

Autoridades temem que assassino de Toulouse volte a matar - Mundo - PUBLICO.PT

Autoridades temem que assassino de Toulouse volte a matar - Mundo - PUBLICO.PT

Mas isto está tudo doido? Não há quem apanhe este xenófobo e anti-semita?

É que estas situações geram por si só dúvidas e desconfianças; qualquer dia passa por "nós" um homem numa lambreta e já pensamos que é outro louco!

Mas que sociedade esta tão doente!

segunda-feira, 19 de março de 2012

São fantásticas de facto



Quando as estamos a vestir, não acreditamos que vão servir...mas depois, bem o efeito é extraordinário.

Nasceu hoje uma Princesa!

Acabei de receber a notícia e estou tão feliz.

Uma amiga de quem gosto muito e que, apesar dos encontros e desencontros, conservo com muito carinho desde os idos anos 90 em que andámos no ISCTE.

Ontem tive e senti o prazer de lhe acariciar a barriga redonda e perfeita de 9 meses e hoje, menos de 24 horas depois a princesa já está nos braços da mamã.

Parabéns para a Mamã, pela pessoa que é, pela amiga, pela profissional, parabéns para o Papá, que para além de comemorar o dia do Pai, viu também nascer uma filha maravilhosa e parabéns para o mano, que embora ainda não se tenha apercebido, está a transbordar de orgulho.

Estou mesmo muito feliz por toda esta família!

A Bébécas já ganhou mais umas prendas




O coral este ano está na moda; lá foram uns calções para a colecção e a t-shirt achei uma delícia.

Como instituí que o dia 19 de Março é o nosso dia (mais um no ano, eheh) para mim perdi-me na Calzedonia.

Estava a precisar assim de umas coisitas novas e temos prendas hoje :)

sábado, 17 de março de 2012

Águas de Março - Tom Jobim e Elis Regina no Fantástico



Hoje, dia em que comemoraria mais um ano de vida (Elis Regina), é enternecedor relembrar este dueto.

Fez-se música mesmo muito boa!

A Bébécas já diz Mãe

Estou tão feliz!

Hoje, do nada oiço:

- Mãeeeeeeeee!

Hummm, será que estou a ouvir bem? - pensei

E não é que ela repetiu e repetiu e repetiu!

Realmente é uma sensação incrível ouvirmos o chamamento; uma palavra tão simples, tão curta, mas tão potente:

Mãe! Para mim está a ser uma sensação extraordinária. A primeira vez que ouvi mamã foi assim um momento enternecedor e que está gravado na minha memória. Agora "Mãe", é uma sensação mesmo muito forte.

Obrigada filhota por me teres proporcionado mais um momento de felicidade.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Até a ser preso ele é Bonito:)

E aos 16 dias do mês de Março do ano da Graça de 2012 comprei o primeiro perfume da Bébécas.

Não tinha o hábito de lhe pôr nada antes, porque os bebés têm um cheirinho tão agradável, os produtos deles cheiram todos tão bem, que não valia a pena misturar mais aromas.

Mas agora já tenho quase uma menina grande e que vaidosa que ela é; vê-me a pôr perfume e fica a olhar muito intrigada. E depois cheira-me o pescoço quando lhe pego ao colo e inspira, expira com toda a convicção.

Por isso ela já merece ter o seu próprio perfume e o ritual diário que é perfumar-se.

Tem um cheirinho suave, a bebé. Espero que ela goste!

L.K. Bennett



Porque será que ainda não vendem L.K. Bennett em Portugal? :(

Têm sapatos tão lindos.

Bem, uma viagem até Londres pela EasyJet também fica em conta!

Uma semana sinistra

Depois da cena do rato e mais uma ou outra peripécia, hoje só me faltava mesmo o que aconteceu de manhã para eu ficar "au point".

Tinha eu acabado de deixar a Bébécas na avó, dirigi-me para o acesso à auto-estrada quando me deparo com um senhor para aí com os seus 60 anos a esbracejar no meio de uma via reservada a veículos automóveis, olho para o lado e vejo o carro do senhor a deitar fumo preto por todos os lados e na zona do motor ou sei lá eu do quê começo a ver labaredas.

O que me impressionou foi o facto do senhor estar desesperado, toda a gente a reduzir a velocidade para espreitar...e nada! Quem quiser que se governe!

Fiquei num estado de nervos tão grande que confesso que tão pouco parei ali na berma mas tive a presença de espírito para ligar logo para o 112, daí passaram-me para a Protecção Civil e daí para os Bombeiros. Curiosamente nenhum destes organismos tinha ainda recebido qualquer alerta face a esta situação...e eu penso, onde está o coração de todas as pessoas que passaram por aquele cenário antes de mim.

Lá me disseram que iam mandar de imediato uma viatura; assim que cheguei ao emprego liguei directamente para os Bombeiros para saber se já tinham alguma novidade, pediram-me para ligar mais tarde...lá voltei a ligar e ao que me garantiram tudo estava solucionado e o senhor em causa estava a ser devidamente acompanhado.

Ufa, pelo menos sinto que dentro do que me foi possível consegui ajudar; outra coisa não me sai da cabeça...a minha próxima compra vai ser um extintor. É uma coisa tão simples e naquele momento tinha feito toda a diferença.

Por fim, dissertando um pouco acerca da falta de solidariedade da espécie humana para com o seu semelhante, concluo apenas o seguinte: se o progenitor da minha Bébécas me fez o que fez, pondo à frente dos sentimentos que eu nutria por ele, da vida que tínhamos em comum e da criança que daí a semanas ia nascer, um capricho meramente físico, porco e sexual, tendo coragem para me mandar para casa das minhas amigas, elas que tratassem de mim e que seu eu precisasse de boleia para o hospital, para lhe ligar...ligação essa que mesmo que eu a quisesse fazer a criatura quando estava acompanhada pela galmudas até se dava ao luxo de o ter (telemóvel) desligado...como é que podemos querer que pessoas anónimas parem um carro ou peçam auxílio para ajudar um senhor que ainda por cima já tinha uma certa idade e tinha o carro a arder à sua frente.

Acabou-se de facto a moralidade e o respeito pelo nosso semelhante, e tenho dito!

Muito gosto eu de humor negro


É que ainda por cima no meu caso pode levar-se isto à letra; como diz a outra, aqui a "preta de m#$%&" tem sentido de humor e continua na sua de que vozes de criaturas com tamanha falta de cultura não ultrapassam os redutos de saneamento básico da Pontinha.

Ahahahah; e ao ver que ia estrear esta peça no Villaret, sinceramente deu-me uma tremenda vontade de rir.

Mas porque será que se lembram que utilizar a figura de um maneta no teatro e no cinema pode dar um toque de interesse à coisa!?

Não fui eu que escrevi a peça, não tenho nada a haver com o Dr. Richard Kimble e o assassinato da mulher, mas é que ainda ontem entre amigos estávamos a ter uma brincadeira daquelas tontas em que era engraçado oferecer uma mão daquelas que imitam as reais ou assim....enfim, não digo mais nada, porque tirado fora do contexto tem piada, mas é cruel.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Lindos!


É tão bonito este espanholito. Y su novia Sara Carbonero también, por supuesto.

Um casal bem bonito!

E pelo segundo ano consecutivo

Lá figuramos no Great Place to Work 2012!

É bonito, reconfortante, animador e desafiante saber que fazemos parte de uma equipa que, apesar da crise e das dificuldades consegue ter um engagement tão forte, capaz de nos proporcionar um reconhecimento desta natureza.

É um motivo de orgulho, sem dúvida :)

Afinal eu tenho muitos dias

Vejamos: dia 19 de Março está instituído como Dia do Pai, embora seja muito mais do que isso, pois é o dia que está consagrado a S. José.

E quem foi S. José, senão o carpinteiro simpático que assumiu o Filho da Santíssima Trindade e O educou como se de seu Filho se tratasse!

E então qual é a sua "função"?

Pois que é o padroeiro da Família, dos carpinteiros, dos Pais e até simboliza a fidelidade à esposa. Aí temos o S. José e o porquê de ser o seu dia o Dia do Pai.

Ora, sendo eu A Família, a Mãe, o Pai, o Colo, o Abraço, O Mimo e acima de tudo a Paciência para suportar noites sem dormir, birras e afins, também mereço receber a minha prenda!?

Portanto o que é que eu vou escolher para mim? Haja pretextos para comprar um miminho para nós próprias :)

quarta-feira, 14 de março de 2012

As primeiras lições #1

Hoje eu sabia perfeitamente que a Bébécas estava cansada, esteve no parque a brincar e a adrenalina quando se vai deixa-a molengona.

Com todo o meu carinho, quando chegámos ao prédio, baixei-me e a olhar para ela perguntei-lhe se queria ir ao colo. Do género, a mamã leva-te ao colo filhota.

E ela: nanana

E eu insisti e ela reforçou. Tudo bem. Mas uma coisa tem que aprender...toma uma decisão e tem que lidar com ela, sejam as consequências boas ou más.

Chegadas ao 2º andar e a Lady a pedir colo, completamente estoirada. E eu disse-lhe que tinhamos falado sobre isso há uns minutos atrás e que ela tomou a sua decisão...como tal, restava-me acompanhá-la e ampará-la, mas colo...não.

E á veio ela, no seu passo firme, mas pouco seguro.

Tive uma vontade louca de lhe pegar ao colo naquele momento, mas desde cedo e com a determinação que ela já revela tem que entender que as nossas escolhas mal pensadas por vezes podem ter as consequências que nós menos desejamos.

Foi a lição do dia.
...e depois comentava comigo o senhor

- Sabe, é que não é medo...mas....

E eu:

- Eu sei, é mesmo repulsa!

Que nojo!!!

Arca de Noé

Não chove, o Sr. Noé já não precisava de construir a Arca; vá-se lá saber o porquê foi hoje a história que eu contei à Bébécas ao jantar.

Mas talvez pelo facto de o meu dia ter começado de uma forma sui generis e ter acabado exactamente da mesma forma...é que meteu bicharada.

1º Episódio - saio do elevador para me dirigir à porta do escritório, vou toda lançada com o indicador direito para reconhecer a impressão digital e abrir a porta quando sinto, através do efeito da visão periférica algo a mexer-se perto dos meus pés e sem raciocinar pensei logo que era um rato. Só passados alguns segundos é que percebi que era um passarinho, enfim, lá fui buscar reforços ;-) e lá se conseguiu que o bicharoco voltasse para o seu habitat natural, ou seja, o ar livre.

2º Episódio - saí do escritório, fui lanchar a uma pastelaria com a Bébécas, a minha mãe e uma amiga, estava eu a comer com todo o gosto um pão de leite com queijo, a beber um sumol fresquinho quando vejo o dono da pastelaria a vir na nossa direcção, abrir a porta das traseiras que estava mesmo ao nosso lado e a olhar para cima - pensei eu, deve estar a olhar para o ar condicionado.
Mas o homem estava lívido, completamente.

E eu a comer descontraidamente, o homem olha para nós e a gaguejar diz que pede muita desculpa mas....e cala-se, mas ao "mas..." do senhor seguiu-se um apontar para cima, e eu olhei.

Bem, só posso dizer que parece que eu tinha uma mola no rabiosque. É que debandei dali para fora com a minha filha ao colo e o meu pão de leite na outra mão, acho que dei um grito e disse à minha mãe: "Mãe, saia daí. É um rato!"

E desta vez era mesmo. A ratazana entrou pela porta, subiu até ao tecto falso e depois caiu dentro de um aplique de luz, mesmo em cima das nossas cabeças.

Enfim, foi horrível ver ali a ratazana, eu fugi a 7 pés, a minha mãe ainda disse que não acreditava que estava ali um rato, mas isto com uma calma face ao ser vivo em questão que não é hábito nela e eu a correr dali para fora e a dizer ao senhor para me trazer o carrinho da Bébécas.
Curiosamente o senhor ainda estava mais assustado do que eu, portanto foi uma cena do caraças!!!!

Lá vieram uns valentões de vassoura, lá deram umas quantas traulitadas na ratazana, mas a dita não saía do aplique, às tantas pelo canto do olho lá a vi cair e um homem a pisá-la com o PÉ!!!!!

Ai que nojo minha Nossa Senhora.

Enquanto me lembrar desta, não como mesmo!

Mas que raio de moda é esta

da utilização do conceito de semi-novo nos carros, pneus e afins!?

Será que é menos pindérico para algumas pessoas referirem-se a uma pechincha como isso mesmo, algo usado e então dizem semi-novo porque parece chique?

Dá-se um pouco de verniz e uma coisa que é usada passa a ser chamada de semi-nova...porque sim???

É novo, é novo! É usado, é usado. So what????

Eu por acaso gosto mais das coisas novas e no que toca a carros, pneus, peças, por questões de segurança não sou propriamente adepta do usado.
Mas se tiver que adquirir algo usado, assumo-o...agora dizer que é semi-novo, tenham dó!

Por acaso esta temática dava pano para mangas se fosse buscar alguns conceitos da Antropologia, da raça e etnicidade, da mestiçagem e por aí.
Mas creio que nesse caso Claude Lévi-Strauss na sua obra clássica "Raça e História" deixa tudo muito explicado.

Mestiçagem temos mas em questões raciais; agora a mistura de usado, com "novo" nas minhas mãos ser igual a semi-novo, é ridículo!

Amigos imaginários

A problemática dos amiguinhos imaginários tem que se lhe diga e confesso que por vezes prefiro nem aprofundar muito o tema, para não ir ter a conceitos menos transparentes.

Agora chamem-lhe o que chamarem, a minha Bébécas já começa a denotar uma estratégia qualquer de diversão que me começa a chamar à atenção.

Dadas as minhas responsabilidades de mulher, de cidadã, de mãe, obviamente que não estou com ela todo o tempo que gostaria, mas quando estamos juntas é uma alegria. Aquela criança desde o primeiro dia faz uma companhia e tem uma presença tão forte, que me fascina.

Noto nela por vezes alguma dificuldade em estar sozinha; lá em casa tenho sempre a sombrinha atrás de mim, esteja eu na casa de banho, na cozinha, a passar a ferro...enfim.

Mas há alturas em que tenho que a "reservar" porque se uma pessoa está a aspirar, ou a lavar o chão com produtos de limpeza, não convém ela andar por ali; e nesses casos ponho-a na camita, vou dizendo lá ao fundo um Olá de quando em vez para ela sentir que estou por perto, mas pressinto sempre muita impaciência.

Ontem, mal cheguei a casa, troquei-lhe a roupa, e tive mesmo que a deixar um bocadinho na cama, cheia de brinquedos e fui para a cozinha fazer iogurtes, fazer o panelão de sopa, pôr o franguinho a gratinar no forno...actividades estas incompatíveis com a presença dela ao meu lado, por questões de segurança.

Qual não é o meu espanto quando a oiço a rir às gargalhadas, gargalhadas essas que lhas consigo arrancar sempre que lhe faço algumas brincadeiras muito nossas. Não são as gargalhadas normais...fui pé ante pé espreitar a rebaldaria, ela refastelada encostada à cabeceira da caminha, a dar aos pés e a rir com uma felicidade que parecia que estava a brincar com alguém.

Talvez tenha criado na sua cabecita algum amigo/a que lhe faça as mesmas brincadeiras que eu, sabe-se lá!

terça-feira, 13 de março de 2012

Isto hoje só me faltava receber um mail com o título "Job Opportunities" e tudo o resto escrito em Árabe.

Basta olhar-se para mim e vê-se logo que venho daqueles lados de dominância do Prestes João...mas o idioma Árabe ainda não domino.

Sei dizer Salaam Aleikum ou então responder Alaikum As-Salaam e pouco mais!

About Irão

Não que passe o dia a pensar nisso, mas a conjuntura internacional causa-me sempre não só alguma curiosidade, como também alguns receios.

E neste momento estou com bastante receio que ocorra algo de mau relacionado com o Irão.

Desde que depuseram o Xá e passaram para a dominação os Ayatollah, convenhamos que a conjuntura piorou. E agora com armas de destruição e armas químicas e o Estado de Israel começar a comentar...preocupa-me deveras.

Enfim, tenhamos respeitinho para com o Irão, porque são fortes e não me parece que brinquem em serviço!

A minha alimentação é uma desgraça

E cada vez estou pior.

Parece que em vez de parar para pensar e comer coisas saudáveis, cada vez como mais junk e me apetece mais junk. Está a ser um círculo vicioso.
O que vale é que não engordo, senão já não passava nas portas, tenho engordado para o lado do osso.

Gosto de cozinhar, cozinho bem, às vezes dou-me ao luxo de fazer iguarias e levar para a minha mãe e eu, quando como, é só plástico, salvo raras excepções.

Cozinho todos os dias, inovo nas refeições da Bébécas...e eu...nada. Quanto menos como, menos vontade tenho de comer.

O junk não me faz bem, eu já vou a caminho dos 35 e a genética é minha amiga, mas um dia cansa-se. Para além de que uma das minhas melhores amigas é a Coca-Cola, é daquelas que é muito minha amiga, mas um bocado inoportuna.

Bem, tenho que impôr a mim mesma um regime saudável urgentemente.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Troca de guarda do Soldado Desconhecido

O respeito dos militares e de uma nação para com os que  combateram e deram a vida pelo país...é honroso e bonito, e sobretudo infunde muito respeito.


Tonterias de mãe de primeira viagem

Há coisas que por tão surreais, acabam por ter a sua piada.

Há uns meses atrás, duas pessoas completamente diferentes, que não se conheciam de parte alguma disseram-me em ocasiões distintas que a Bébécas tinha os olhos tortos, mais precisamento o olho esquerdo.

A primeira pessoa, que por acaso foi o Honey, levou uma daquelas respostas, do género, olho torto tens tu mas é no rabiosque.

A outra pessoa, uns dias depois vem com a mesma conversa, também com a especificação de que era o olho esquerdo e eu comecei a pensar se seria eu que estaria a ver mal. E então perguntava a toda a gente se achavam que a Bébécas tinha o olho tortito...mas ninguém partilhava daquela opinião, a não ser aqueles dois!

Eu sou a mãe, tudo bem, para nós os nossos filhos são sempre maravilhosos...mas não sou nada aquela mãe cega que acha que a filha é a mais linda do mundo; é, de facto,a mais linda do meu mundo, mas no meu mundo também há outras crianças muito bonitas e cativantes, não partilham é partes do meu código genético.

Eu não andava descansada. Enchi-me de coragem e lá chateei um amigo que é Oftalmologista em Santa Maria que lá me indicou uma amiga que é Oftalmologista Pediátrica no Hospital da Luz.

Lá fui eu de Bébécas, a médica mal me viu começou-se logo a rir (pois já sabia do meu dilema) e disse logo: tortos os olhos dela não são de certeza, mas vamos fazer todos os testes.
Eu já respirava de alívio. Lá fiquei a aprender o truque de ver se uma criança sofre ou não de estrabismo de uma forma rápida e sem gastar dinheiro no médico mas a Bébécas não se safou de fazer a dilatação das pupilas...foi surreal. A criança ficou durante umas horas com a visão turva, o que é normal, mas ela não conseguia perceber porque é que andava aos trambolhões e de encontro às coisas!

Isto só eu. Tratei logo a seguir de torrar a paciência do Honey, mas uma coisa é certa, a Bébécas tem os olhos direitíssimos.

Seca está a agravar infeções respiratórias - Portugal - DN

Seca está a agravar infeções respiratórias - Portugal - DN

E devido a esse senão, desde Outubro último que ando literalmente agarrada aos lenços de papel, aos anti-alérgicos, aos nebulizadores a isto e àquilo, com periodos de febre, com dores de cabeça, num autêntico "fungágá".

Fiz uma viagem, com as diferenças de temperatura e de índices de humidade regressei neste estado, e desde então tem sido sempre assim.
Chego a já não ter forças para tanto espirrar.

Peço encarecidamente aos Senhores de lá de cima que abram urgentemente as torneiras, para ver se os polens assentam, caso contrário dou entrada de urgência no hospital com uma crise daquelas valentes!

domingo, 11 de março de 2012

...e ela continua com uma espertina "assustadora" a entreter-se a puxar a corda da caixinha de música.

Nem aquela música de embalar a adormece!

Sonos trocados

A minha pequenina este fim de semana tem andado com os sonos trocados, o que dá uma grande trabalheira.

Ora vejamos: dormiu horas a fio durante a tarde e à noite manda-me dormir a mim. Hoje, sendo véspera de segunda-feira não dá muito jeito. É que não há corrector de olheiras que me valha!

E ainda conserva aquele choro de bebé, aquele queixume...mas tem que se habituar a cumprir novamente os horários; nem eu entendo o porquê desta prevaricação.

sábado, 10 de março de 2012

Até sempre Companheiro!

Hoje vi um companheiro, um grande companheiro partir.

Agora ficam as memórias dos bons e maus momentos, de quando ele me tirava do sério, mas também do amigo incondicional que foi...esteve sempre ali, sem pedir nada em troca.

E a amizade é isto mesmo, estarmos lá e estarem lá para nós.

Já sinto saudades tuas companheiro :(

sexta-feira, 9 de março de 2012

Quem me conhece minimamente já sabe de longe que eu não vou com a cara do Sr. Silva.

E depois dos comentários que fez relativos ao outro, completamente fora de tempo e de contexto...fica feio.

Vai-nos atirar areia para os olhos, e que tal como o c#$%& foi o último a saber!!!

Esse papel só me assentou a mim e há dois anos atrás!
Realmente o amor por um filho é algo que só percebe quem passa por essa experiência e é real o facto de crescer muito de dia para dia.

É que eu gosto sempre cada vez mais da minha Bébécas, mesmo naqueles dias em que ela já me desafia e consegue quase esgotar a minha paciência.

Ontem, acabadinhas de chegar a casa, tirei-lhe os sapatinhos da rua e pergunto-lhe assim:

"Filha...tens cócó?"

Responde ela, abanando vigorosamente a cabeça:

"Naaa...naa"

A seguir pergunto:

"Gosta da Mamã?"

E ela "apenas" abanou a cabeça em jeito afirmativo. Foi o delírio, eu fiquei completamente feliz, lá está, aquele momento ontem foi de uma felicidade extrema.
O meu besnico com 20 meses já sabe o que é gostar e sobretudo da Mamã.
Foi sessão de beijinhos, de festinhas, de a levantar pelo ar, de risota....e que gargalhadas que ela dá quando está feliz.

É maravilhosa a minha filhota!

A Bébécas e a sua mania de transformar o horrível em belo

Pois parece que qualquer semelhança com o conceito que estudei em Literatura de "Belo-Horrível" tão utilizado por alguns autores, não será de todo mera coincidência.

Ora senão, vejamos: a minha filha vê uma varejeira, ri-se, aponta para a dita com um sorriso cintilante e diz: "Piu-Piu".

Só mesmo a minha filha para comparar um ser asqueroso, que para mim está ao nível de uma barata, com um Piu-Piu, classe essa onde se enquandra um Colibri, um Beija-Flor...

Filha, nem tudo o que tem asas voa e nem tudo o que voa é um Piu-Piu.

E assim se começam a ferir susceptibilidades, ainda que de um modo inocente.

quinta-feira, 8 de março de 2012

T Bone



Foi um destes, grelhadinho agora ao jantar.

Soube mesmo bem :)

"Não Condutores"

Analisando bem as coisas, nestes 15 anos de "encartada" noto uma clara involução de boas maneiras a conduzir e sobretudo de respeito pelas regras e pelo código da estrada.

É um facto que manobrar uma máquina...não é para todos; e entre pôr uma máquina a trabalhar e saber fazê-lo, vai uma grande diferença.

Mas vêem-se situações absolutamente chocantes e a tendência é para piorar. Antigamente dizia-se que a "Farinha Amparo" dava cartas de condução, mas agora, com ou sem farinha, com ou sem luvas, anda para aí muita gente que nem num carro de linhas devia pegar.

- Desde encararem um STOP ou um sinal de cedência de prioridade como se da faixa mais à esquerda da auto-estrada se tratasse
- Passando por fazerem indicação de mudança de direcção à esquerda e afinal atirarem-se para a direita, ou nem sequer fazerem tal indicação
- Terminando em estacionamento em cima do passeio, o que faz com que os peõs passem a andar no meio da rua, porque o povo tem que parar o carro em cima da cadeira da cabeleireira
- Etc. etc. etc...

Asneiras e contra-ordenações, não há quem não as faça; mas caramba, se estivermos com atenção, assistimos a crimes, sobre crimes, sobre crimes que nos põem a vida em risco.

Não é por nada, mas eu estou farta de dizer que quando me quiser suicidar, faço-o sozinha, não preciso que me empurrem para o abismo.

Dá vontade de andar com um Hummer e dizer assim: ora atirem-se lá para cima de mim!

Bolas, cansa, não só estarmos com atenção à máquina que levamos nas mãos, que por norma se falhar é por culpa nossa, como também aos patos e patas bravas que por aí andam que são autênticas máquinas de guerra em potência...

Aprendam a conduzir!

E porque ela também é Mulher




Hoje comecei o dia a dar muitos, muitos beijinhos à minha Bébécas. Sim, porque aquela "amostra de gente" é mulher e quero ajudar a fazer dela uma Mulher - que tenha sempre acima de tudo muita ética, que respeite os 10 Mandamentos, sobretudo:

Não matar
Não roubar
Não trair
Não cobiçar o homem/mulher do próximo
Honrar a mãe e todas as pessoas que gostam dela
Jamais lançar falsos testemunhos sobre seja quem for (já bastam as verdades da vida com as quais temos que lidar)

Chegada ao trabalho, recebi um telefonema, pensava eu de trabalho...e era um colega que é uma pessoa extraordinária "apenas" a desejar-me um feliz Dia da Mulher...caiu-me tão bem.

E, se de facto não ligo muito a estas coisas, não deixo de ser humana e ficar derretida com os pequenos GRANDES gestos que fazem com que um dia normal, se transforme num dia bem melhor.

A todas as GRANDES pessoas eu desejo um Feliz Dia, hoje e sempre.

Perdoem-me os seres que sendo geneticamente humanos, são pequeninos, pequeninos, primários, primários....a esses já nem para lhes desejar um mau dia tenho tempo :)
E o que a Calle de los Picones nos tem andado a atormentar!?

Ao invés

O almoço que mandei hoje/ontem para a Bébécas foi....Couscous com borreguinho.

Mas Couscous à moda da mamã (que sou eu), com um pouco de pesto, gema de ovo e mais uns segredos que não posso revelar.

Diz a avó que ela adorou e comeu muito bem.

Tem sangue mouro a minha filhota!!

quarta-feira, 7 de março de 2012

E o meu almoço hoje foi

um Sundae!!!

Pergunto-me como é que 170 centímetros de gente se aguentam com tanto. Devo ter um reservatório, como os camelos...até somos parecidos...quanto mais não seja na tez ;-)

Os camelos são castanhos, tal como eu, aguentam-se dias e dias no meio do deserto sem beber água...assim estou eu!

Mas hoje, não deu mesmo, portanto a paciência para fazer jantar para mim resume-se a colocar delicadamente uma pizza do Pingo Doce no forno, mas só daqui a uma hora e tal, depois da Bébécas ter comido o seu repasto.

Hoje é assim uma "Sopa da Pedra para Bebé", sem chouriço e por aí, muito rica que vai compôr a barriguita da pequena! Ah, e também não leva a dita da pedra, que ficou no tribunal de Torres Vedras depois do falhanço da senhora que tentou em vão atingir o rei dos Gnomos.

Crude na costa alentejana!?

Mas porque é que será que eu acho que isto é uma manobra de diversão para se ter assunto de conversa nos próximos tempos.

Não que não fosse bom...era óptimo, mas não me parece!

terça-feira, 6 de março de 2012

Conversas escatológicas

No outro dia pareceu-me que aquando de mais uma muda de fralda ela tinha dito "cócó"...e tinha, mas pensei..."devo ter ouvido mal" e não liguei mais ao assunto, embora o tenha retido.

Hoje foi a prova dos 9; depois do jantar, de lavar os dentes, deitei-a na bancada dela para rectificar os procedimentos do costume, ela aponta objectivamente para a fralda e diz "Cócó".

E não é que tinha mesmo??

Secção de Finanças de Gondomar foi assaltada esta manhã - Portugal - DN

Secção de Finanças de Gondomar foi assaltada esta manhã - Portugal - DN

Ora aí está...toca de assaltar o organismo que nos vai ficando com uns belos tostões.

Ladrão que rouba ladrão....não, eu não disse isto!

segunda-feira, 5 de março de 2012

De movimentos peristálticos

mas daqueles ao contrário, ando eu cansada!!!

Hoje foi dia D. outra vez.

Lady Bébécas não quis jantar e em vez de deixar o organismo seguir o seu curso, faz exactamente o inverso.

Entre o provocar uma vez, duas vezes...à terceira temos tudo cá fora. Mas porque é que a garota tem os movimentos peristálticos tão bem coordenados, mas a terem exactamente o efeito contrário!?

Estou com o coração partido, mas hoje deitei-a zangada com ela e não lhe dei o beijinho do costume. Uma pessoa esfalfa-se para lhe preparar tudo, faço-lhe as refeições todas com todo o carinho, leva tudo organizadinho para a avó, quando chegamos à noite toca a brincar, tomar banhoca, jantar apuradinho...e agora dá-lhe para isto de quando em vez!

Bolas :(

A memória visual da pequenita

São descobertas e novidades constantes.

No Natal fomos ao circo; um circo sobre o qual não vou tecer grandes comentários para não ferir susceptibilidades, ela gostou bem mais do espectáculo do que eu, sem qualquer dúvida.
Também...não gosto propriamente de circo, destes circos que por aí andam...fraquitos e tenho sempre pena dos animais.

Eu sou mais da onda Cirque du Soleil.

Mas voltando à Bébécas, pois que a primeira e até agora única ida ao circo foi em meados de Dezembro, já lá vão 2 meses e qualquer coisa.
Tomou toda a atenção do mundo, bateu muitas palminhas e assustou-se com um número que metia o barulho de fulminantes e ficou com cara de caso a olhar para o homem bala; deve ter pensado, "isto é tudo doido".

Pois bem, o Circo Cardinali decidiu montar a sua tenda itinerante lá para os nossos lados e hoje quando saímos de casa ela ia por acaso a olhar para aquele lado e viu os apetrechos circenses. Então não é que começa a apontar, a esbracejar, a "vocabulizar" qualquer coisa que se assemelhava a "ihhhhhhhhhh" e a bater palminhas!

Achei o máximo. A minha criança reconheceu o aparato, uma delícia.

E são 10 anos

É curioso que neste ano da Graça de 2012 se cumprem na minha vida algumas dadas redondas, daquelas comemoráveis, enfim, mais ou menos.

Pois que há precisamente 10 anos comecei a trabalhar na grande "casa" que ainda hoje me acolhe, era uma garota imberbe e idealista de 24 anos, e olhem lá como eu cresci.

Há 10 anos atrás não me passava pela cabeça que estivesse hoje a escrever isto, mas também, o que é que me passava pela cabeça!? Era o dia-a-dia, e aproveitar cada um o melhor possível, dentro da vidinha corriqueira que nos é permitida.

E é assim...10 anos!!!!

domingo, 4 de março de 2012

E já fez 20 meses

a minha Bébécas.

Há 20 meses que a tenho nos meus braços...estou emocionada. Foi e é uma dádiva.

sexta-feira, 2 de março de 2012

O meu progenitor faz hoje 60 anos

No outro dia dizia eu à minha mãe com um toque de humor:

Óh mãe, o seu ex-marido vai fazer anos na sexta-feira.

E diz ela:

Quem???

Demorou uma fracção de segundos até se situar e depois lá confirmou que o senhor faz 60 anos; isto se for vivo, digo eu.

Custa-me chamá-lo de pai, porque nunca o foi; contudo acabo por ter um certo orgulho em ser filha daquele homem, geneticamente falando.
Pai na verdadeira acepção do termo...não foi. Mas foi tudo uma questão de escolhas, de política e de ideais.
Obviamente que privou a família de muita coisa, mas não posso dizer que seja um traste como certos que andam por aí.

Para além disso é um homem com uma mente brilhante, com capacidades intelectuais e estratégicas acima da média, fala uma série de idiomas, fez os seus estudos superiores na ex União Soviética, tem uma figura distinta, um negro com traços finos e elegantes, de uma educação muito british.
Através dele tenho ascendência real/tribal, pois o meu avô era descendente directo dos Reis do Congo e é engraçado ter em meu poder fotografias dele (que não conheci) com traje militar, todas aquelas medalhas e o seu porte "real".

Acho que se falássemos de política éramos capazes de nos entender minimamente, se falarmos de Filosofia, Socialismo e paradoxalmente de democracia, também chegaríamos a conclusões engraçadas.

Dele herdei a beleza das mãos e alguns dos meus traços mais bonitos, entre os quais os olhos rasgados, os quais a minha Bébécas também herdou.

Não foi "meu" pai de facto, eu era apenas uma bebé quando ele regressou ao seu país natal, nos entremeios a última vez que o vi deve ter sido para aí há uns 15/16 anos, mas não posso deixar se sentir alguma coisa de positivo quando leio artigos de revistas e jornais portugueses e estrangeiros acerca dele, e sobretudo numa Point já muiiiito antiga numa das partes da entrevista, o jornalista dizer que ouvir aquele jovem homem era quase hipnotizante e sobretudo que os seus longos dedos exprimiam tudo aquilo que ele queria dizer.

A genética tem destas coisas; as minhas mãos são tão dançarinas como as dele.

Enfim, foi uma pena não termos sido um do outro, não tenho por ele aquele amor fraterno nem nada que se pareça, mas não deixo de me lembrar dele e que para eu existir, teve que existir ele, a minha mãe e tanta história!

A minha filha tem uma ascendência da parte da mãe de facto muito rica, talvez por isso já lhe ache aqui e ali, algum interesse pela cultura e pela arte.

Ahhh, parabéns Sr. pai!

quinta-feira, 1 de março de 2012

Agora deu-me para o curso de Mandarim!

E lá estou eu a aprender um idioma milenar!

É tão giro, não fazia ideia da complexidade, mas a pronúncia não é tão difícil como pensava.

Se esta fase inicial correr bem, a seguir vou tirar o curso da Clássica :)

84...

De vez em quando lá venho eu com uns números, da última vez acho que foi 88, agora 84...não, não se trata de peso, até porque apenas ultrapassei a barreira dos 50 quando estava grávida da minha Bébécas.

É muito mais importante do que perda de peso e muito mais gratificante, emocionante e positivo.

Vamos ver se a contagem decrescente continua.