quinta-feira, 30 de junho de 2016

Portugal - Sabe bem ganhar :)


1ª Constatação do dia da minha filha

Hoje aqui para os nossos lados o sol não deu o ar da sua graça, e diz-me ela assim:

"Mamã, o Outono está a chegar outra vez aqui a nossa casa?"

Marcelo condecora Salgueiro Maia

Mais do que merecida!



Marcelo condecora Salgueiro Maia: O presidente da República atribuiu esta quinta-feira, a título póstumo, a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique a Salgueiro Maia, num gesto de 'reparação histórica'.

Olhem que chatice, menos 1 Dr.

http://www.sabado.pt/portugal/detalhe/miguel_relvas_perde_a_licenciatura.html?utm_campaign=Echobox&utm_medium=Social&utm_source=Facebook

30/06 - 40 semanas (2010)

No dia de hoje, 30/06 há 6 anos atrás completava as minhas 40 semanas de gravidez. E que últimas semanas que vivi, que tanto delas podia ter usufruído em paz e magia...mas a menina linda cá está, cada vez mais querida e preciosa e assim me presenteia, 6 anos depois, com a queda do 4º dente de leite e este sorriso arrebatador...


quarta-feira, 29 de junho de 2016

Como diz uma amiga minha, que mês de Junho este :(

Desejo do fundo do coração uma franca recuperação para outro grande sociólogo que também tive o gosto de ter como Professor - António Firmino da Costa.

Do meu corpo, sangue e alma...


terça-feira, 28 de junho de 2016

Grande Juíza!

http://www.dn.pt/portugal/interior/mais-2-anos-e-9-meses-juiza-da-licao-de-vida-a-ex-lider-skinhead-5252805.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=facebook

Existem coisas que só uma mãe que cria o filho sozinha pode entender

....e é isto...



Existem coisas que só uma mãe que cria o filho sozinha pode entender: Você é mãe e pai. Isso pode ser legal em alguns momentos, mas em muitas
ocasiões é simplesmente exaustivo. Você não precisa negociar, nem pedir
desculpas, nem estar de acordo com nenhuma outra pessoa que não seja você
mesmo. As decisões são suas. Claro que não é fácil, mas ao mesmo tempo essa
situação te proporciona uma autonomia única.

domingo, 26 de junho de 2016

Mãe, já falta pouco para os meus anos?

Ui, isto promete!

Marco viveu com a orelha esquerda no braço durante dois meses

Mais um motivo de orgulho para a nossa Medicina; continuem a deixar os mais válidos ir embora deste país...esperemos que exemplos destes tenham a devida projecção e dêem que pensar no que somos capazes de fazer no nosso país.
Marco viveu com a orelha esquerda no braço durante dois meses: Cirurgia pioneira a nível mundial, realizada no Hospital de S. João, Porto, permitiu devolver orelha esfacelada num acidente de viação a jovem de Arouca.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Já é a 2ª vez que isto me acontece na vida

E desta vez ainda foi pior; portanto dirijo-me a uma ATM, felizmente associada a uma agência bancária, predisponho-me a levantar 200€, aquilo demora séculos; o ecrã fica a vermelho e o boneco informa-me que não seria possível concluir a operação e que por isso teria que me dirigir ao MB mais próximo.

Fez isto por duas vezes, até gentilmente me cuspir o cartão cá para fora e.....o talão, em que constava o movimento de - 200€.

Não precisei de me enervar, pensei, que tirando um extracto a seguir, apareceria lá o estorno e a situação resolvida. Mas não, o indivíduo mantinha a posição de que me tinha dado 200€!

Bom, lá peguei nos papéis, entrei na Agência e vá lá de contar a história; pergunta-me o gestor: "Mas não tirou nota nenhuma?"

Respondo:

Não, não tirei, elas não se deixaram ver.

E ele volta a perguntar:

- Nem uma!?

Não sei se isto é procedimento normal, ou se o senhor estava a tentar ter piada, e eu respondi:

Nem uma, nem duas.

Lá foi chamar uma colega, voltámos à máquina, novo extracto, já lá estava o estorno.

Ainda falam das máquinas, elas são perfeitas!

"Kastelo" para as nossas crianças

A melhor notícia que poderia ter recebido hoje; as nossas crianças precisam e merecem, e os pais que se vêem a braços com uma dor tão grande, necessitam não só de os ver num ambiente de paz, como também de descansar um pouco num espaço que lhes transmita pelo menos, uma energia um pouco melhor.

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/as-criancas-doentes-sem-cura-ja-tem-uma-casa-quando-sairem-do-hospital-1736155

Eu acho que no dia de hoje ocorre a qualquer pessoa falar do Brexit

Era mais do que esperado e confesso que achei que a margem estaria até mais próxima soa 60%; não creio que UK tenha muito a perder, até porque, apesar da estadia na União Europeia, sempre se regeram por regras próprias. Têm mais a perder outras nações deste meio que é a Europa.

Pese embora que o mote está dado, avizinham-se num futuro próximo mais novidades, não tenho qualquer dúvida.

Está lindo o meu menino

Resulta falar com ele...


quinta-feira, 23 de junho de 2016

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Raminhos filma dia do nascimento da filha

Uma pessoa mesmo que não queira, tem que se rir.



Raminhos filma dia do nascimento da filha: António Raminhos filmou os momentos que antecederam o parto da sua terceira filha, que nasceu este sábado. O vídeo humorístico, partilhado no YouTube, está a tornar-se viral nas redes sociais.

Estes são a nova paixão

My new precious...cada vez mais in love...TRU


...e eu que já fui tão feliz na Hungria!

Pronttchs!

Agora vão ser dias com a dicotomia Cristiano Ronaldo e Microfone!

segunda-feira, 20 de junho de 2016

sábado, 18 de junho de 2016

Tenho uma opinião partilhada por muitos a respeito do Cristiano Ronaldo na Selecção

Mas....esta agora foi azar :(

O nosso Hino é mesmo bonito!

Encontrado corpo de menino desparecido

Pobre criança!



Encontrado corpo de menino desparecido: Foi encontrado este sábado o corpo do menino de seis anos que estava desaparecido desde a tarde de sexta-feira, quando a mãe se atirou com o rapaz da ponte de Santa Eugénia para o rio Cávado.

Zanguei-me com ela

E mesmo a sério; sabemos que mesmo com balizas, tentam  sempre transpô-las, conseguem-no por vezes mesmo sabendo que estão a ir contra as regras - foi o caso e no fim uma tremenda falta de educação.

Fiquei e estou triste e desapontada com ela, e vai demorar algum tempo até me passar.

....está para ali a chorar no quarto numa lamuria sem fim e vai dizendo:

"Quero a mamã só para mim"
"Quero beijinho só da mamã"

Vamos lá ver quanto tempo aguento eu esta "tortura", mas ela tem que aprender que as faltas de educação começam a sair muito caras.

She...


sexta-feira, 17 de junho de 2016

E porque alguém cuja existência é muito especial para nós, merece o update com toda a pompa, dos preparativos para o 4th of July

O birth day (em separado propositadamente) da Independence Girl.

Quer queiramos quer não fomos abandonadas à nossa independência há 6 anos atrás e até por isso, o 4 de Julho vai ganhando cada vez mais pompa na nossa vida.

Bom, já lhe proporcionei coisas tão giras, que começo a achar que vai sendo difícil superar algumas coisas que já fiz mas, ao mesmo tempo, imagino que daqui a outros tantos anos iguais a estes que já passaram, vai desejar muito mais começar a fazer as coisas à maneira dela. Entendo que chegada à hora o deve fazer, tem as suas asas para voar, resta-me a mim facultar-lhe a solidez de valores e regras para que faça o menor número de disparates possível.

Todos os anos têm sido especiais, mas este, em que tenho uma Pocahontas em potência desdentada e prestes a ir para a escola a sério, é um ano de viragem. Já não cabem os anos nos dedos de uma só mão, cada vez as minhas costas se ressentem mais do peso dela, está cada vez mais alta e gira, enfim, um sonho de filha, o próprio do meu legado.

Não quer dizer que não esteja tão emocionada como no 1º ano, mas o facto é que comecei a tratar de tudo muito mais tarde do que é habitual; não está a ser um 2016 tranquilo, mas tão pouco quer isso dizer que seja mau.

....mas na realidade, está (quase) tudo preparado. O jantar de anos em família este ano não será em casa. Por muito que goste de preparar tudo com as minhas mãos, este ano apetece-me desfrutar. Bora jantar num sítio giro, com um ambiente giro, bora depois fazer a cerimónia de abertura do bolo em casa...mais um ano, mais um bolo My Cake Store da minha querida Catarina, que terá as suas honras no devido dia.

Mas....a festa....essa adivinha-se surpreendente - este ano também vou contar com ajuda mágica, daquelas que estão no imaginário dos miúdos e que, espero, a vai surpreender a ela e aos amiguinhos, neste ano de despedida do Jardim de Infância.

Portanto 2 festas, dois temas e espera que possamos ter um dia feliz.

PS: Os detalhes vêm depois :)

Aluna de Esposende é a melhor do Norte em medicina

Aluna de Esposende é a melhor do Norte em medicina: Filipa Martins Silva recebe, este sábado, a distinção de melhor aluna do curso de Medicina, com atribuição do Prémio Daniel Serrão, que visa reconhecer a melhor classificação das três escolas médicas do Norte.



É uma maravilha de facto, mas esperemos que o índice de Inteligência Emocional lhe seja proporcional; precisamos cada vez mais de médicos "humanos" no nosso SNS.

2º Conselho de Estado

...and counting.

Este Presidente está ao rubro; é o máximo.

terça-feira, 14 de junho de 2016

A minha filha é expert em futebol

E então quer que ganhem os vestidos de branco, porque os outros são do Benfica...chegou e disse, tirou o chapéu e foi-se!

Curiosa esta nota de uma Associação Galega de Investigadores acerca do meu Professor

http://www.agacom.org/#!Loito-polo-pasamento-do-profesor-Jos%C3%A9-Manuel-Paquete-de-Oliveira/glsac/575dc73f0cf2cc77ac00a108

E recordar a última vez que nos vimos há uns anos atrás, em pleno aeroporto de Madrid, com aviões praticamente à mesma hora, eu, para Lisboa e ele para a Coruña.

Já não nos víamos há algum tempo, e ele, com aquele humor característico ainda gracejou que foi preciso ir a Madrid para eu o visitar; telefona-me, dizia ele, tens o meu número de casa, o telemóvel, o número do ISCTE, quero que me contes tudo, conta-me as tuas experiências miúda, colega...Dra... - invariavelmente tratava-me(nos) assim, aos alunos com quem sempre fez questão de manter uma relação próxima e amiga; e a minha admiração crescia.

Não resisto a olhar para a folha de rosto da minha Tese e ver lá o nome dele, lembrar-me que jurei a mim mesma que a entregava dentro do prazo estipulado - 30 de Junho de 2000; o Professor tinha-me traçado tantos desafios, e eu queria provar-lhe que não o desiludiria.

Repetia para eu não me preocupar, a data era estanque, mas não era assim tanto, ele era o Coordenador, se eu entregasse uns dias mais tarde, continuava a ter avaliação de época normal na mesma, e tranquilizava-me e aconselhava-me a reler o produto final;

Acho que mesmo assim não o desiludi mas:

  • Não entreguei uns dias mais tarde
  • Não consegui ficar calma e tranquila
  • Não reli o produto final
Tive os contratempos, qual Lei de Murphy; a impressora começou a desconfigurar tudo no fim - confesso que imprimir 3 originais com 420 páginas cada, não deve ter sido fácil. Encadernar aquilo foi um jogo de paciência para os meninos da reprografia; entreguei a dita "como manda a tradição" dentro de uma caixa de resmas de papel A4, mais um resumo de 2 páginas e a versão em CD-ROM - 30 de Junho de 2000 à tarde, eu, o meu padrasto, a minha irmã com os seus 12 anitos e a melhor amiga dela, Ana Rita.

Liguei-lhe à noite a comunicar o meu feito - tu és obstinada, dizia ele, mas de facto, nunca tinha duvidado que até nisso eu ia insistir e conseguir. Aconselhou-me a descansar nos próximos dias, aguardava-me o período de leitura da parte do Departamento e marcação da Defesa da Dissertação.

Não falámos nesses dias, até receber notícias da marcação de defesa, algures em meados de Julho - disse-me para ir ter com ele antes da hora; lá fui eu, com uma colega que assistiu - não divulguei a ninguém o dia, embora seja um acto público; apareceram algumas pessoas, mas não todas as que gostariam de ter ido e que mo demonstraram depois - não queria estar ali lavada em lágrimas com muita gente a assistir.

E nesses momentos anteriores, mais uma vez o Professor Paquete igual a ele próprio; olhava para a minha colega e falava com ela acerca de mim como se eu não estivesse presente; elogiava o meu esforço, o meu empenho e dizia aos 4 ventos que eu era das melhores alunas que teve, e eu enterrava-me.

Depois, naquela sala, ao lado do Prof. José Barreiros que fez parte do Júri, foi o Professor Doutor Paquete de Oliveira, o Mestre, a minha referência, o meu crítico - ainda estou para saber porque é que ele pegou numa frase minha no meio de tanta página e me perguntou "porque é que escreveste isto!?" e eu engasguei, não estava à espera de nada tão directo, respirei fundo e lá respondi uma barbaridade qualquer e pensei - mas porque raio está a ser tão duro!?...tão sério!?....ele estava com um semblante sério, não deixava transparecer o que lhe ia na cabeça e eu interiorizei....ok, tenho que a refazer, não fui excelente como ele me merecia.

Mandou-me sair, assim como a todos naquela sala para conferenciarem a nota final, apertou-me o ombro, mas eu continuava a não conseguir ler nada dele - toda a gente presente me dava os parabéns, que tinha corrido bem, mas os nervos tomaram conta de mim.

Voltámos 15 minutos depois, fizeram-me aquilo que eu assumi como golpe de misericórdia ou elogio fúnebre, e as palavras do Professor ecoam, passados 16 anos, como se as tivesse ouvido agora: aí sorria, com aquele sorriso franco, bom e aberto, deu-me os parabéns, que eu já nem ouvia e diz-me:
"Lamento informar-te que depois de tudo, de todo o trabalho, esforço, empenho, humildade, brio e inteligência, de teres produzido um conteúdo cientificamente rico, de já terem passado por mim Teses de Mestrado com qualidade ao nível da tua Tese de Licenciatura, por teres demonstrado uma maturidade conceptual apesar dos teus 22 anos....estás chumbada com 17 valores".

As pernas tremeram-me, quase desfaleci de orgulho por mim, por ter conseguido corresponder aos desafios a que ele me acometeu, por ter acabado atempadamente, por ser Socióloga, por ele ter sido a minha inspiração, por começar a bater as minhas asas e voar.

Vou sempre recordá-lo e agradecer pela pessoa que foi para mim e para tantos alunos que terão tantas ou mais boas memórias como as que eu guardo aqui, no meu coração.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Cheguei àquela fase em que parto unhas sem razão aparente, numa zona em que até dói só de pensar; mas que treta, já vou na segunda.

domingo, 12 de junho de 2016

Alergia a crimes de ódio

Uma pessoa já começa a ficar saturada destes ataques de ódio, seja por questões religiosas, igualdade de género, ou porque simplesmente lhes apetece.

É quer o radicalismo destas criaturas, começa a levar ao quase radicalismo intelectual de pessoas instruídas e que sempre defenderam a pluralidade e que, uma das grandes essências de qualquer sociedade à escala global, assenta exactamente na diversidade e respeito por essa diversidade.

O Professor era mesmo assim...


http://www.dn.pt/sociedade/interior/um-oasis-de-bondade-ate-em-meios-de-faz-de-conta-5223340.html

sábado, 11 de junho de 2016

E a grandeza do Professor ao despedir-se ontem dos leitores do Público, de quem era Provedor...

“Venho por este meio pedir a demissão formal do cargo de Provedor dos Leitores, que vinha desempenhando há quase quatro anos. Igualmente, peço a maior compreensão a todos os profissionais e colaboradores que fazem o PÚBLICO e, ao mesmo tempo, aos seus leitores, pois não era efectivamente desta maneira, quase tão informalmente, que pretendia despedir-me. Todos mereciam mais.
Porém, uma inesperada ordem de internamento por uma medida médica, face a uma doença que me tem vindo a afectar nos últimos tempos, fez com que tudo se precipitasse mais rapidamente.
Esperava acompanhar este meu adeus com as razões explicativas, as perspectivas futuras e sugestões concretas.
Não sei se o momento da morte ainda o consentirá.
Obrigado a todos e ADEUS."
Lisboa, 10 de Junho de 2016
José Manuel Paquete de Oliveira
In, Público

E hoje partiu um dos poucos Homens da minha vida

Ainda estou em choque. Alguém que mesmo antes de conhecer admirava, que me inspirou e que me fez interligar a paixão que tinha pela Comunicação Social à Sociologia.

Nos primeiros anos de curso, via-o passar pelos corredores do ISCTE e desejava ter a sorte em ser sua aluna - as aulas dele eram as mais concorridas, não cabia mais um grão de areia e, por isso, embora tenha escolhido logo a cadeira de Sociologia da Comunicação no 3º ano, os candidatos eram muitos, portanto tive que esperar pelo 4º - a espera valeu a pena.

Não era Professor cujas aulas dessem para tirar apontamentos ou muitas notas - cada tema era mais interessante do que o outro e ele puxava por nós de uma forma brilhante; cedo se estabeleceu uma admiração mútua, tantas vezes ele dizia para mim "esta miúda é inteligente", e eu, entre o rubor na face e o orgulho, ficava sem palavras, quase que me enterrava no chão.

No fundo eu gostava daquilo, gostava do Professor e portanto o caminho estava traçado para ter sucesso.

Foi a medo que lhe fui pedir para ser o meu Orientador da Dissertação do 5º Ano de curso; desde que entrei na faculdade nunca coloquei a hipótese de ter outro orientador que não ele, mas o facto é que, sendo tão requisitado, tinha que dizer que não a muitos alunos; tive sorte, foi com aquele sorriso aberto e o charme que lhe era característico que me disse aguardar ansioso pelo meu pedido, e que seria meu orientador com muito orgulho - isto para mim, aos 21 anos foi mais uma melodia apaixonante.

Escusado será dizer que ainda hoje me lembro sem precisar de recorrer à cábula, qual o número de telemóvel dele; a minha angústia de cada vez que partilhava com ele os meus textos, as minhas dúvidas, receio de estar a ser simplista - mas ele puxava por mim.

Havia a regra de, se optássemos pelos métodos qualitativos, na parte empírica constassem cerca de 15 entrevistas completas, para daí sermos capazes de retirar conclusões minimamente reais. Cheguei, já na perspectiva de o impressionar a dizer que iria entrevistar e trabalhar com 25 reclusos; sorriu, olhou-me de alto a baixo com aquele seu ar meio cómico, meio sedutor, e diz-me:

"Até podia ficar impressionado se não fosses tu, mas para a aluna que és, tenho um desafio - 50 entrevistas bem trabalhadas!"

Respirei fundo e disse - ok!

Depois de já ter o canudo nas mãos, confessou-me que o disse para ver até onde é que eu ia, mas que lhe deu um gozo enorme eu não ter desarmado e ter levado o desafio até ao fim.

Tenho tantas memórias dele...

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Ai meu Deus que o 2º dente de cima está prestes a cair, até faz impressão.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Entretanto lá em casa

Algo de estranho se passa esta semana; a minha filha tem acordado invariavelmente pelas 5/6 da manhã. Estou de rastos com esta alvorada.

O bebé milagre de Portugal

Cada linha que leio desta história, leva-me ao choro compulsivo. Que misto de emoções deve sentir aquela família, e que lição de vida deixou aquela mãe a este bebé.

http://ionline.sapo.pt/artigo/512891/mae-chegou-a-saber-o-sexo-do-bebe-e-foi-ela-que-escolheu-o-nome-lourenco?seccao=Portugal_i

quarta-feira, 8 de junho de 2016

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Kelly Clarkson: Invincible Lyrics (album Piece by piece)

Mamã, sabes o meu nome todo!?

Começo por dizer, que raio de conversa, então, não havia de saber...vamos lá....

Quando terminamos de o dizer em conjunto, vem a surpresa:

Mas eu também sou a:

Princesa Isabel
Rita Salpico
Rita Catita
Pocahontas

São as minhas educadoras que dizem mamã.

Depois da visão do "Rei Juliano" no Zoo, tinha que vir mais esta para eu rebolar a rir - e no dia de hoje, não é fácil fazer-me rir.
Parece que vem aí o calor!

domingo, 5 de junho de 2016

Lady Bébécas de molho

Já sabemos que este tempo incerto dá nisto - aqui estamos de tosse infernal, secreções nasais com tonalidades entre o verde, castanho e amarelo e algum mau feitio.

Portanto, a 2 semanas de começar a Colónia de praia no colégio, não é muito animador. Já estamos com uma série de tratamentos; a tosse diminuiu em termos de frequência, mas aumentou em termos audíveis e de intensidade, o que não deixa de ser normal, dado se estar a tentar criar expectoração e, consequentemente contribuir para o desaparecimento da infecção.

Lá se foi a ida ao cinema surpresa para ver os Angry Birds, mas pode ser que tenhamos com isto evitado mais uma toma de antibióticos e derivados; escusado será dizer que hoje, ninguém saiu de casa.


A miúda tem jeito, esta Lãzinha está o máximo!


Anneke van Giersbergen & Danny Cavanagh - The Blower's Daughter

...mas esta versão é mais qualquer coisa...!

sábado, 4 de junho de 2016

Ana Carolina, Seu Jorge - É Isso Aí (The Blower's Daughter)

Arte

O artista dizer à sua inspiração "estás gravada em mim"...

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Viste Koalas filha?

"Hummm, não, acho que não, mas vi um parecido, era o Rei Juliano!"

OMG!


Dia no Zoo

A minha pequenita foi passar o dia de hoje ao Jardim Zoológico; não sei se por estar completamente em ansiosa, fez trinta por uma linha na noite passada.

Um grande xixi na cama, caiu da mesma abaixo, acordou com os nervos à flor da pele...uma excitação. Mas ia tão, mas tão feliz!

Quando em pleno mês de Junho começamos a marcar reuniões para Outubro

Que dizer que estamos com a agenda cheia!

Daquelas constatações para a vida

Os laços de sangue não são sinónimos de sintonia.

Ojo con ellos!


Grande galo

Receber uma chamada do escritório pela manhã, antes de chegar - por um lado não ouvi o telemóvel, por outro, seria pouco aconselhável atender, estando a conduzir.

Chego ao escritório e diz-me a colega da recepção:

 - Olha, liguei para ti, era uma chamada do Aguilera!

Foi meu chefe há imensos anos, seguiu outro caminho, mas é uma pessoa de que gosto imenso. Perdemos o contacto, mas há uns tempos lá nos reencontrámos no LinkedIn, mas bolas, foi pena - do escritório não ficaram com o telefone dele, provavelmente estaria cá em Portugal e era pessoa que gostava muito de rever.

Muito gostam os espanhóis de fazer surpresas, e depois, dá nisto :( Ohhhhhhhh

quinta-feira, 2 de junho de 2016

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Venha a proteína

Realmente após o choque inicial, uma pessoa começa a habituar-se - wraps de clara de ovo, com cenoura e cebola picada, estavam uma delícia.