quarta-feira, 30 de março de 2011

Cheira a Primavera



E para aproveitar o dia que se fez bonito com uma temperatura amena, lá fomos os três passear a pé, aliás, a Bébécas comodamente instalada na sua poltrona de 4 rodinhas e demos atenção àqueles pormenores que raramente vemos no dia-a-dia.

Andei mais a pé do que provavelmente nos últimos 6 meses, ria-me com ela, brinquei com o "honey", enfim, foi uma tarde e tanto...e degustei o primeiro gelado self-service do ano. Durante o passeio, soube mesmo bem.

terça-feira, 29 de março de 2011

Preta com Sabor a Chocolate



A novidade que o meu "honey" trouxe hoje para casa...será que é alguma indirecta?

Eheheh

Memórias

Não há nada como as memórias...as boas memórias sobretudo.

E quando nos ficam boas memórias das pessoas que já partiram é um perfeito sinal de que as suas vidas e a forma como se cruzaram connosco tiveram uma valência, um propósito e que tal foi de facto cumprido.

Lembro-me por exemplo dos gestos de carinho da minha avó, dos beijinhos que me dava na ponta do nariz, das sestas que fazia comigo quando eu era pequenina, do carinho com que me preparava o lanche da escola, do sorriso e dos acenos que me dedicava quando me ia buscar ou quando me ia simplesmente visitar ao recreio.

Lembro-me das estórias de encantar que a minha mãe me lia ao deitar e de quantas ainda guardo comigo, da colecção de borrachas de cheiro e dos carrinhos, que todos os dias com todo o amor me trazia, para compensar as ausências a que a vida laboral obriga...como que dizendo com aqueles gestos, "eu não me esqueço de ti".

O meu padrasto era o conciliador, o quebra-castigos. A minha mãe dizia "não compro as Levy's" por isto e por aquilo, e no dia a seguir lá tinha eu as 501 no armário...era a forma dele me compensar por carências de pai que ele sabia que eu tinha.

E estaria aqui um dia inteiro a recordar tantas pessoas e tantos gestos de amor que nos marcam e nos acompanham ao longo do nosso percurso.

E...apesar da tenra idade da minha Bébécas, já dou por mim a ter rotinas com ela que revelam todo o amor e toda a entrega que ela um dia irá recordar, mesmo quando eu já não fizer parte da sua vida quotidiana, e a minha presença seja apenas pautada por memórias.

Os "apelidos" carinhosos que lhe chamo e que são só nossos, os momentos só nossos, a despedida à hora de deitar e a farra que fazemos ao acordar.

Não há nada como sermos recordados pelos nossos e deixarmo-lhes boas memórias.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Um dia só para nós

Para muitos mais uma segunda-feira cinzenta, para nós o Sol brilhou.

O dia foi só nosso, e entre muitas brincadeiras ainda não deu para matar as saudades que eu tinha de passar assim tempo com ela.

A alvorada...cedo, as usual.
Hoje lembrou-se de fazer birra ao almoço e ao jantar.
Mas foram deliciosos todos os momentos e as gargalhadas dela contagiantes.

Está à descoberta do mundo, definitivamente, e está a gostar...e nós também.

domingo, 27 de março de 2011

Hoje pela primeira vez

pus-lhe um ganchinho no cabelo.

Estava tão linda e graciosa a minha menina bebé. Agora, com as feições mais definidas, parece o meu clone, quando tinha a idade dela. Fico tão contente por ter esse presente...confesso.

Quando engravidei dizia e sentia que adoraria que a criança fosse parecida com o pai; para além de lhe dar um filho, queria perpetuar a imagem dele, porque o amava.
Dadas as circunstâncias e após o sofrimento que me foi imputado, para além da filha linda e escorreita ainda tive mais este prémio. As bochechas proeminentes e penduradas, os olhos rasgados e o sorriso...já nos chamam Pocahontas mãe e filha.

E eu gosto de a embonecar, de lhe cultivar a sua feminilidade, de dar uns retoques na sua tenra e tamanha beleza.

Mas está de dia para dia mais dinâmica; não há mãos a medir, não pára, e tenho que me desdobrar em duas para conseguir fazer tudo e olhar por ela...mas o que é certo é que nem eu nem a minha vida jamais fomos iguais. Tudo mudou e para muito melhor.

Agora que já gatinha e parte sistematicamente à descoberta do seu ainda pequeno mundo, vou-lhe ensinando algumas normas da boa vivência, tais como os sítios "proibidos", o não mexer e o não estragar.
Nalguns pontos já tive sucesso, noutros nem tanto...é teimosa qb. Mas até nisso ela tem graça, encanto, brilho.

E tenho uma vontade incessante de estar com ela...sempre. E dou comigo a admirá-la, a observar cada olhar, cada sorriso, cada beicinho...e pensar como consegui gerar alguém tão belo.
É a obra de arte da minha vida, a personificação de que valeu a pena existir para a gerar a ela, para a conhecer.

quinta-feira, 24 de março de 2011

E lá caiu...


Aconteceu o previsível; com o chumbo do PEC em plenário, a demissão do PM José Sócrates era algo de muito real a não contrastar com o que de surreal se vive actualmente.

Ideologias políticas e gostos pessoais à parte, pesa o facto de governos sem maioria não governarem de facto, e a certeza que tenho neste momento de que tão pouco temos oposição à altura que consiga estabelecer medidas de austeridade mais do nosso agrado que as propostas pelo ainda vigente executivo.

Não sou defensora das mesmas, foram-me ao bolso em várias vertentes, padeço das mesmas dificuldades de tantos outros...mas também não acredito que venha em breve um novo Messias capaz de nos ajudar a ultrapassar todos estes males.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Aceitam-se Apostas!

O governo cai ou não cai?

terça-feira, 22 de março de 2011

Gosto tanto de você leãozinho...



Que é o rei da selva (embora não queira grandes conversas com os elefantes), que é um belo e majestoso animal e que é a mascote do meu Sporting, já todos sabemos, mas escusavam era de ter a ideia de oferecer à minha Bébécas Tinkerbell um leão de peluche, com direito a juba e tudo.

Lamento, mas o dito foi por mim alvo de censura pois a minha criança decidiu arrancar a juba da criatura felina, com os dentes aguçados, como que competindo com a sua ferocidade.

segunda-feira, 21 de março de 2011

E hoje o penoso regresso

Ao PEC, ao FMI, à subida dos juros e afins.

E lá tivemos mais um excelente dia


Para darmos as boas vindas à estação das flores e agradecer o facto de estarmos vivos e junto dos que mais amamos, lá brindámos à Primavera.

O soninho da manhã bem descansado, a sesta depois de almoço e o passeio pelo jardim à tarde, absorver tudo o que de bom a natureza tem para partilhar connosco.

Os passarecos no seu canto, as crianças nos seus jogos e aventuras, e a minha criança comodamente instalada na sua poltrona com rodas, a empertigar-se para que nada das movimentações vizinhas lhe escapasse.

E pensar que há um ano andava eu de barrigão, hoje olho para ela e vejo diariamente novas conquistas e para o ano andará também ela com as suas correrias e tropelias.

E assim passa o tempo...

domingo, 20 de março de 2011

Foi ontem o Dia de alguns deles

E é incrível como há um ano atrás e um dia eu entusiasmada e eufórica enviei com todo o carinho uma mensagem para aquele que iria ser (dizia eu) o melhor pai do mundo, and so on, and so on.

Como eu estava enganada, redondamente enganada, profundamente enganada...

Mas o balanço que faço do dia de ontem, é tão bom.

Dizem os antigos que "parir é dor e criar é amor", e acabou por ser um dia com experiências muito melhores do que aquelas que imaginei, com surpresas tão boas e aqueles pequenos "nadas" que nos deixam sem palavras.

Ganhei muito de facto, senti-me uma mãezona a preparar as surpresas que uma pessoa como ele merece; sorrimos e disse-lhe pela primeira vez por escrito e para a posteridade o quão importante me fez sentir depois da adversidade que passei e que foi todo este processo de que faz parte a regeneração e o transformar e canalizar uma dor, para um novo amor.

Por seu turno, fez e faz-me sentir cada vez mais feliz no meu papel de mãe, de ser humano e de mulher.

Foi um dia de afectos e de muitos mimos para Ela, que é no fundo a raiz e o ponto de partida para o amor, para a felicidade e para a demanda de muitas coisas boas que decerto se avizinham.

E, completando o título deste post, foi também o dia de nós os três.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Amarelo


Que um Hummer é um espectáculo, já todos nós sabemos...mas...amarelo!?

Que se dane, achei espectacular, e mesmo amarelo, que venha uma voltinha num espécime assim.

Travei conhecimento com ele hoje no Shopping da Linha.

terça-feira, 15 de março de 2011

Wittgenstein

"Sentimos que, mesmo depois de serem respondidas todas as questões científicas possíveis, os problemas permanecem completamente intactos."

Apraz-me dizer em boa hora e por conhecimento de causa que, enquanto não formos nós próprios a resolvê-los, qualquer ciência ou guru terá jamais essa virtude...quando muito poderão facilitar a "limpeza" dos trilhos a percorrer.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Quem quer mais cadeiras!




E em tão pouco tempo, o que se passou e o que ela cresceu.
Já ando na fase seguinte, novas cadeiras, outras novidades e outras preocupações.
Quando me diziam para aproveitar bem cada momento dela, porque passa tudo demasiado rápido, não tinha a noção de que era assim mesmo.

E sorrio de satisfação porque há 3 dias atrás ao acordar disse com toda a clareza "mamã".

Yo no creo en brujas, pero que las hay...hay



E saber que há tanta coisa útil e nobre que se pode fazer, e há quem gaste dividendos a fazer mal aos outros com a ajuda das "ciências do oculto"...é miserável, de facto.

Contaram-me aqui há tempos um episódio que realmente tenho que partilhar para memória futura; aqui vai:

Um certo sujeito de género masculino pulou a cerca e fê-lo com uma certa sujeita de género feminino que também ela pulou a cerca; portanto cada um deles tinham um compromisso com terceiras pessoas, que não honraram.
Uma das justificações que o sujeito do género masculino deu para o ter feito, é que a sua legítima companheira também o tinha "enganado"; resumindo, foi a um dito "vidente", mais vulgarmente conhecido por bruxo, pedir ajuda para o dilema...deixar a mulher para ficar com a galdéria.
Ao que o bruxo responde que a galdéria é que é a tal porque a mulher tinha pulado a cerca, logo não era mulher para ele.
Nos entremeios a galdéria também é adepta de meios menos ortodoxos para hipoteticamente conseguir os seus intentos.

Mas porque será que gente básica a este nível, continua a ser considerada como cidadão?

Se quiserem ideias em como gastar tempo e dinheiro de forma verdadeiramente útil, também se arranjam; basta analisar com atenção o movimento de massas que foi a manifestação da chamada "geração à rasca".

Enfim...faltas de cultura.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Discussões Estatísticas


As "discussões" que tenho com o meu Honey, são no mínimo hilariantes. Para além de serem sempre acerca de temas interessantes, com alguma substância, quando entramos em desacordo é de gritos, porque cada um apresenta o seu argumento e terminamos dizendo ao outro "tudo bem, é a tua opinião, mas eu tenho razão". Selamos tudo com um beijo e muitas das vezes escolhemos outro tema para dissertar, e lá recomeça o jogo.

No fundo em termos de base estamos muito de acordo um com o outro, mas como é óbvio cada um tem o seu ponto de vista, e isso acaba por nos enriquecer também.

O nosso último debate centrou-se no Censos 2011 - sendo eu Socióloga e tendo bases de estudo em estatística, para mim isto é o evento de 2011. Ando toda entusiasmada, desejosa para que sejam divulgados os resultados e aferir que indicadores estão subentendidos nas conclusões que daí vão advir.
Já me entregaram os questionário e vou preenchê-los com todo o rigor.

O meu querido por seu turno, concordando (até porque também é da área das ciências sociais) fica com mau feitio com a questão "obrigatoriedade" do acto em si.
Fala-se em multas, em penalizações para quem não cooperar, o INE já veio a público dizer que não será o caso, até porque não tem legitimidade jurídica para o fazer.

Mas é um facto que se as pessoas não sentirem que é "obrigatório", pura e simplesmente se esquecem de responder às questões, deitam o papel para o cesto do lixo mais próximo, quando é tão importante sabermos ciclicamente quem e quantos somos e como vivemos.

...mas mesmo não se deixando levar pelos meus argumentos puramente académicos, ele até diz que, se estiver bem disposto...até responde ;-)

PS: Só não entendo o alcance de 3 questões ao longo dos questionários (individual/habitacional/familiar), que mesmo podendo ser de controlo, não fazem grande sentido, no meu entender...mas enfim, de um modo geral está excelente.

quinta-feira, 10 de março de 2011

E lá foi mais uma "má" noite


Tenho a dizer que estou literalmente a arrastar-me.

Tantas vezes que me perguntam como consegui recuperar tão facilmente a silhueta após o parto...pois tenho a dizer que descobri a fórmula - criar um bebé sozinha.

É que não há o virar para o lado e dizer "hoje é a tua vez", ou "vai dar uma volta com ela enquanto eu limpo a casa". Há que transformar os dois braços em quatro, as 24 horas do dia em 36, passar a estar no banho 3 minutos quando se estavam 10 e por aí fora.

Rapidamente se fica com esta silhueta, ainda mais esguia e estilizada do que antes de engravidar; aos 33 aninhos, não pode ser tudo mau. De notar em má hora a dimensão das olheiras, que neste momento estão a descer assustadoramente até às canelas.

Nada que umas merecidas férias não curem, umas boas massagens e uns passeios à beira-mar. Está quase!

Mas tudo isto, porque a pequena Tinkerbell anda de novo às voltas com os dentinhos, desta vez os superiores e o seu desconforto traduz-se em berreiro a partir das 3 da madrugada.

Confesso: esta noite desesperei, não sabia como aliviá-la, nada que fizesse resultava, ela chorava, a minha cabeça latejava, o tempo possível de descanso diminuía e eu a pensar como é que ia ter forças para aguentar mais um dia normal.
Acabou por acalmar a mamar, mas isto já o relógio dava as 7 badaladas.

Resumindo e baralhando, para participar no videoclip do Thriller eu hoje não precisava de caracterização, apenas um ligeiro toque de pó de arroz para dissipar o meu bronze natural.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Upgrade

Isto de se ter um bebé em casa é sempre motivo para haver novidades e novidades e novidades.

Com reset's e upgrade's lá nos vão mimando com as suas conquistas.

Agora temos um ainda muito tímido "gatinhar" para trás tipo caranguejo...ou não tivesse ela nascido sob o seu signo.

Idem - Parte II

Ah, e intoxiquei-me a propósito da minha mania das limpezas. Armei-me em génio das limpezas e misturei vim, cif e lixívia para desinfectar o chão; foi de bradar aos céus - eu tossia, eu tinha vómitos, eu chorava e para acabar em beleza dizia...ESTÚPIDA, tudo o que é demais dá asneira.

A Tinkerbell acordou às 3.30h da madrugada de hoje para mamar, lá alimentei a criança com todo o carinho, quando chegamos à fase da muda da fralda..."badum", levo com um bruto pontapé no olho esquerdo; isto porque àquela hora da madrugada não tive a presença de espírito de pôr os óculos, e como sou míope estava com todo o cuidado a analisar o que estava a fazer e lá foi o belo do pontapé.

De facto o céu não estava estrelado, isto porque as estrelas tinham cadência no centro da minha íris.

A pérola foi ter recebido uma mensagem alusiva ao dia da Mulher, muito doce, e não saber a sua proveniência - mas aqui vai o meu muito obrigada.

terça-feira, 8 de março de 2011

What a Day!

Desde madrugada que este não é definitivamente o Dia, quer isto dizer que quanto mais planeamos, menos acertamos.
Temos que improvisar.

Então aqui vai...ontem ao deitar pensei, hummm, uma bela noite de sono, um feriado para descansar, fazer "mapling", brincar com a pequena Tinkerbell e deixar rolar.

Isso era o sonho!

A realidade foi; toque de alvorada da Tinkerbell às 7:20h, ritual de mamar, mudar a fralda e explicar-lhe com muito cuidado que era feriado e dia de merecido descanso. Tinkerbell na sua caminha, eu ao lado na minha, quando estava a entrar no 1º sono o inacreditável choro/grito/bábábá, já nem sei.
Eu com a minha longa cabeleira em pé, ainda na fase em que pensava estar a ter um pesadelo, fui buscá-la, deitei-a no meu regaço, e entre shhhhh, óó, bebé faz óó....mais ela despertava, ria-se, mordia-me a bochecha, brincava com o meu cabelo...desisti...cama...goodbye.

Viemos para a sala, Tinkerbell no seu playgrownd, mas a sua atenção sempre focada na presa; se me apanhava distraída, fazia valer-se dos seus pulmões e passámos o dia nisto.

Entretanto achei por bem limpar umas coisas...plim, a esfregona que se parte. Isto depois dela ter decidido presentear o meu cabelo, cara, camisola, óculos, com uma chuva de sopa às pintinhas cor-de-laranja.

Haverá dia da mulher mais bem passado do que este?

segunda-feira, 7 de março de 2011

Mais uma Pérola do Monstro

Ontem, para colmatar um pouco o facto de estar numa fila de espera, pus-me a ler e a apagar algumas mensagens antigas no telemóvel, que só ocupam espaço e memória.

Eis se não quando, deparo-me com mensagens que recebi aquando do nascimento da minha filhota, por parte dos amigos e familiares; fiquei com um sorriso pateta, já cheia de saudades de quando ela era bem mais pequena.

Tendo ela nascido a 04/07/10 às 15:48h, tenho eu uma mensagem do progenitor biológico recebida no dia 06/07/10 pelas 8 e qualquer coisa da manhã, ou seja, menos de dois dias depois de eu, mulher digna e honesta ter dado à luz uma criança, lhe ter dado vida, ter tido um parto muito complicado em que a minha própria vida num certo momento inspirou cuidados, que diz assim "como é que está a minha filha!".

...comportamentos dignos de criaturas mais terríficas do que o Godzila.

Obviamente que mensagens destas não se apagam, são verdadeiros legados históricos.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Horror (2001-2011)

Disse há pouco a minha mãe

"Olho para os comportamentos da minha neta e lembro-me da minha primeira maternidade, tal e qual".

Quem sai aos seus não degenera, e digamos que o feitio, as expressões e o mau génio de alguns momentos, são iguais aos de mamãe.

Ou não fosse ela minha filha.

Sobe a Taxa

Pelas piores razões dediquei-lhe um post há uns anos atrás, e agora o devaneio repete-se.

Eles andavam a ameaçar, nós pensamos sempre que pode ser que não, mas afinal foi.

Com a subida da taxa de referência absolutamente iminente, eis que a Euribor já começou a sofrer do mal da antecipação e agora sim, está a começar a subir a sério.

Elevation, ehhhohhhh, ehhhhohhhh

8 mesinhos depois

Está linda, com dois dentinhos, vivaça e com umas gargalhadas maravilhosas.

Parabéns filhota!

quinta-feira, 3 de março de 2011

Pesos, comprimentos, perímetros e percentis



Que tenho uma filhota relativamente robusta para a idade que tem...não nego.
Grávida de 32 semanas e comigo a perder peso drasticamente, a bébé estava no percentil 75/90.
Nasceu com 4.190kg já passavam 4 dias das 40 semanas, o que fez com que eu olhasse para as outras mamãs com os seus bébés ao colo e pensar que tinha havido algum engano, e que a minha filha já tinha 1 mês.

Mas não...

Desde então o seu desenvolvimento tem sido o adequado face às circunstâncias; tenho uma bébé no percentil 95 em todos os seus parâmetros, comprida e um chumbo.
Ao final do dia bem que desejava ter asas e levitar, pois chegar a casa é uma tarefa árdua e pesada...muito pesada.

Pois que hoje decidi ir ver roupa de gente miúda, a fim de começar a organizar o guarda-roupa de Verão da princesa. Vi coisas lindas, lindas, lindas.
Umas mais para o clássico, outras mais para o fashion, mas uma pessoa perde literalmente a cabeça.

Contudo esta história de estar no percentil 95, tem as suas desvantagens; então a criança com 1 ano, vai vestir roupa tamanho 24 meses??

Ela é de facto grandita, mas não deixa de ser um bebé pequenino :-(

quarta-feira, 2 de março de 2011

Bébécas Cuspideira



Já nascem com muitos ensinamentos, sabemos lá nós como os adquirem. De dia para dia é vê-los a evoluir, a desabrochar, a mostrar gracinhas e traquinices.

Da minha paixão por ela já todos sabem, que deliro com todas as novidades também não é segredo...mas confesso que há coisas que desejaria que ela jamais tivesse "aprendido".

Pois que ora quer a sopa, ora faz cara feia, ora faz cara feia, ora quer a sopa. Curiosamente à maminha da mãe, ao biberão, à papinha e à fruta só dá sorrisos.
Gulosa a minha petiz!

Então e não é que a novidade da semana de Her Royal Highness Bébécas Tinkerbell I é exactamente "cuspir" a sopa para onde calha?...para a roupa da mamã, para o cabelo, para os lados, para cima, para trás...enfim, fosse o Miró vivo e tinhamos aqui uma discípula aprimorada.

Luxos do quotidiano



A situação em que vivemos está a ficar insustentável, ou muito perto disso.
O preço dos combustíveis atingiu máximos históricos, e se há cerca de 3 anos atrás pensei seriamente em limitar o uso do meu carro, neste momento apenas não o faço porque tenho uma bébé muito pequenina e todos os meus trajectos diários ficam bem mais facilitados com a ajuda do "bóguinhas".

As nossas parcas posses monetárias vão literalmente ardendo, com aumento de preços aqui e ali e cada vez nos podemos dar a menos luxos, e desemboca tudo nos combustíveis, porque no fundo tudo gira à volta do petróleo.

Para nos locomovermos, seja nos nossos veículos ou em transportes públicos - petróleo.
Adquirir bens alimentícios - petróleo.
Roupas, sapatos, brinquedos, férias - o petróleo está sempre lá, directa ou indirectamente.
E até as guerras que proliferam por esse mundo fora, têm muitas delas como principal condicionante o petróleo.

E não é que andamos daqui a nada a mendigar, e tudo por causa do ouro negro?

Vou mas é mudar-me para uma tribo da Amazónia; sem dúvida que deve ser mais fácil viver de acordo com as leis tribais.

terça-feira, 1 de março de 2011

Lavar os dentinhos



Diz-se por aí uma frase emblemática - "mente sã, em corpo são".
Mas o corpo é composto por vários elementos, que no seu todo, nos tornam naquilo que somos (fisicamente).

Também se não formos nós a preservá-lo, ninguém mais o fará, e por muitas especialidades médicas ou da área da estética que nos possam dar uma ajuda, há passos que têm que ser dados por nós, e certos passos podem influenciar a nossa aparência.

E não há nada como o asseio, e como "de pequenino se torce o pepino e se traça o destino" (sic), a minha pequena já "lava" os dentes desde o seu aparecimento envergonhado.

Comprei-lhe a sua primeira escova e impus desde cedo o hábito da lavagem/escovagem de tão precioso elemento do nosso corpo.

Não há nada como um belo sorriso, consequência em grande parte da existência de uma dentição cuidada. E como tenho uns dentes fenomenais (para quê ser modesta, se é um facto que os tenho), encontro-me já a trabalhar para que o meu legado dentário seja visível desde cedo na minha filhota.

E não é que ela àquela hora, ao entrar na casa-de-banho, mesmo antes de eu pegar na escovinha dos dentes, abre a boca e olha para mim à espera de tão aguardado momento!?

Realmente os bons hábitos promovem-se desde o berço.