segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Políticos e Troca-Tintas

Se há coisa irritante são os comportamentos "diz que não disse" de muita gente, nomeadamente da classe política.

Uma coisa que eu aprendi nos meus tempos de estudante de Sociologia foi a saber debater e defender uma ideia e, como tal, defendê-la até ao fim.

Eu gosto da côr preta, ok, gosto da côr preta. Amanhã também posso vir a gostar da côr burro quando foge, mas não deixo de gostar da preta.

Isto é como andar de bicicleta (passo a expressão); uma vez aprendida a proeza jamais se esquece.

Pois que fiquei recentemente com os olhos esbugalhados face a uma notícia do foro político nacional; conheci o agora deputado pelo PS - Miguel Vale de Almeida quando era universitária, no ISCTE e tenho muito boas recordações da sua pessoa enquanto docente de Antropologia. Uma pessoa inteligente, um bom professor.

Pois que essa pessoa inteligente fazia parte da formação do Bloco de Esquerda, é o que lhe costumo chamar, um dos históricos e, embora eu não concordasse com mais de metade, tiro-lhe o chapéu pois ele debatia as suas ideias com convicção e seriedade.

Qual não é o meu espanto quando venho a saber que agora é deputado pelo PS; no fundo não tenho nada pessoalmente contra, repito que é uma pessoa inteligente e pelos vistos agora professa uma ideologia que até me agrada mais, mas não haverão certas ideologias que deveriam ser para a vida?

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Quase me esquecia

de deixar aqui para a posteridade que aquela minha jovem amiga que concorreu este ano ao ensino universitário lá conseguiu passar mais esta barreira e soube na semana passada que era a partir de agora estudante universitária.

Desejo-lhe a melhor das sortes...mas não te iludas, nada se consegue sem trabalho e mais trabalho.

Espero que daqui a 3 anos tenhamos no nosso universo mais uma brilhante Engenheira do Ambiente.

Muitos parabéns!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Os Altos e Baixos da Vida

Passo a expressão, mas a vida é de facto uma passagem para a outra margem...numas alturas estamos bem e tudo nos corre de feição, noutras parece que tudo nos atrapalha, que tudo está contra nós e parafraseando o Astérix, parece que o céu nos cai em cima.

Passei por uma dessas más fases recentemente, mas mais uma vez depois da tempestade veio a bonança.

Os maus dias do mês de Outubro já lá vão, a minha serenidade já me acompanha de novo e o meu P. tem estado sempre presente, tem partilhado sonhos, angústias, projectos e sorrisos comigo e...tem sido tão bom.

Continuamos a trabalhar que nem uns escravos, mas aprendemos muita coisa com erros passados e estamos em perfeito equilíbrio com a vida e com o que queremos para nós.

Assim é de facto bom viver...eu quero, e tu...queres!?

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O Sentimento de Saudade

Na noite de anteontem para ontem sonhei, sonhei e sonhei com a minha avó, ainda por cima com a "via sacra" da sua morte.

(In)felizmente são sonhos com Ela que me têm acompanhado nos últimos dias o que me deixa sempre uma certa angústia por vê-la nos sonhos e não poder tocá-la na realidade.

Já Lhe dediquei alguns posts, tenho falado aqui várias vezes acerca Dela, mas tudo aquilo que eu diga é ínfimo face à pessoa que foi e às saudades que Dela sinto.

Estes dias que estão a acontecer agora são particularmente difíceis para mim, pois revivo a história do que se passou há 11 anos atrás com o máximo detalhe...e a verdade é que ainda sofro.

Fez ontem 11 anos que estive com Ela em ambiente doméstico pela última vez; foi a véspera de ter ido para o hospital na fase terminal do seu cancro (Linfona não Hodgkin) e lá falecer, tal como ela dizia...e assim foi...

Talvez tenha sido o dia, há 11 anos atrás que me senti mais próxima Dela, exactamente quando estava prestes a perdê-la para sempre; fui buscar-Lhe o pequeno almoço á pastelaria como Ela gostava, dormimos uma sesta juntas, falámos, falámos. Tinha orgulho nas netas a minha Avó, eu era estudante universitária na época, e que bons conselhos Ela me deu, conselhos esses que me serviram para ser uma aluna com excelentes resultados após a sua morte. Se até aí tinha resultados bons, após a sua morte passei a ter resultados brilhantes e por isso o meu triunfo académico o dedido a Ela.

É incrível que ao recordá-la, lhe sinta ainda o cheiro do Trésor da Lancôme que Ela usava, sinta os olhos azuis vivos e brilhantes, o cabelo negro e aquela vivacidade que só nos últimos dias perdeu; e mais incrível é, que após 11 anos, pareça que foi tudo ontem, que tudo não passou de um pesadelo e que ainda vou conseguir estar com Ela, falar com Ela, ouvir os seus raspanetes e conselhos, as suas lições de vida, as suas opiniões.

Nunca segui totalmente à risca tudo o que me disse, mas os valores de honestidade, trabalho e empenho nunca os vou esquecer e foi a minha grande Professora, a minha Mestre e será sempre a minha fonte de inspiração.

Este ano decidi não ir ao cemitério "visitá-la" no dia da sua morte, porque fico muito "pesada" com essa visita e prefiro recordá-la de outra forma que não sentir o seu corpo por detrás da porta de um jazigo.

E é ciclico, é nos momentos em que me sinto com pouca energia que se cumprem estas datas, estas memórias...