domingo, 17 de maio de 2009

Austrália

Conhecer a Austrália é sem dúvida um sonho que povoa o meu subconsciente, mas sei que é certamente daqueles sonhos que não vão passar disso mesmo...algo difícil de atingir, por muitos e vários condicionalismos da vida.

Há que definir prioridades, circunstâncias, e o facto deste magnífico país ficar do outro lado do mundo, digamos que não ajuda.

Mas, neste momento e finalmente, folgo em dizer que estou satisfeita com aquilo que tenho, que a minha vida tomou um rumo, que me faço rodear por quem realmente é importante, que continuo a ter algumas questões por resolver mas a tendência é de constante melhora.

Tenho no fundo perseguido e lutado por atingir alguma plenitude e junto de quem amo sei que vou (vamos) chegar lá.

Este nosso fim de semana foi calmo, relaxante, tive o meu P. à minha disposição durante 48 horas seguidas, o que ultimamente tem sido raro, fizemos mais um upgrade para a nossa casinha, mimámo-nos, dormimos imenso, enfim, valeu a pena e pena é que já esteja prestes a acabar.

Como o tempo de qualidade a dois é escasso, pois o trabalho impede-nos de ter tempo para o lazer, as nossas idas ao cinema tornaram-se cada vez mais raras, vale-nos o clube de vídeo para actualizarmos as nossas cinéfilices.

Hoje prendemo-nos a Austrália...adorei. Vibrei com aquelas paisagens e imaginar-me nelas também, vibrei com a cultura aborígene, os cangurus aos pulos, a história e alguns personagens.

E porque foi mais um momento nosso, aqui estávamos os dois, juntinhos, os nossos morangos com chantilly, taças de champanhe...sim, nós merecemos.

Foi uma tarde linda. E que daqui a 50 anos, os nossos filhos possam comemorar à sua maneira o primeiro centenário do Cristo Rei, lá perto ou não, mas acima de tudo em Paz e harmonia, aqui ou nos antípodas australianos, mas sobretudo num lugar em que sejam felizes e realizados.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Há dias de azar...perdão, de Sorte!

Costumo dizer que há dias em que mais vale uma pessoa nem sair de casa, porque os azares sucedem-se...

Mas também, não sejamos pessimistas, senão vejamos; na passada segunda-feira acordei com aquele humor digamos que de segunda-feira. É sempre aquele dia difícil em que temos obrigatoriamente que nos render às evidências, levantar e ir trabalhar, porque os dias de boa vida já ficaram para trás.

Pois que venho eu quase a chegar ao meu destino, quando um indivíduo a sair do estacionamento resolve fazê-lo à grande e à francesa, pois que deve ter confiado apenas nos seus instintos; eu sigo na minha via, vejo-o a fazer a manobra perigosa, mas já não tenho tempo e CATRAPUZ. Dá-se a bela da colisão.

Ainda se pôs com histórias, blá blá blá, eu na minha calma que nem me é característica apenas lhe digo que chamo a polícia e os senhores agentes de autoridade que decidam e constatem a culpabilidade.

Sai de dentro da viatura do condutor com fé em Deus a mulher que (bendita seja) o pôs na ordem, lá o fez entender o que era evidente, chegámos a acordo e o problema ficou resolvido.
As feridas no meu bóguinhas foram reparadas ainda nesse mesmo dia, diga-se de passagem o CATRAPUZ apenas resultou num espelho retrovisor partido, o senhor indemnizou-me no que tinha que indemnizar e cada um seguiu o seu caminho.

Agora digam-me...não foi tudo uma grande sorte!?

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Esse Génio...Einstein

Que a genealidade de Albert Einstein é grande, isso é inequívoco; criticáveis ou não alguns dos seus postulados (que o diga o João Magueijo), para mim foi um dos grandes génios do seu tempo e é daquelas pessoas (poucas, cada vez menos) que fez História, que deixou o seu nome gravado e vai ser falado de geração em geração.

Mas hoje fiquei a conhecer um pensamento seu, nada relacionado com os temas da velocidade da luz, mas que encheu de luz o meu dia.

Já tinha ouvido dizer no fundo por outras palavras esta máxima por aquelas pessoas que me querem bem e se preocupam verdadeiramente comigo, aquelas pessoas a quem eu chamo "as minhas pessoas" e que obviamente eu também sou delas.

Mas como sou casmurra, e passo a expressão, às vezes certas dissertações parece que não surtem grande efeito em mim, e lá retomo eu aos meus pessimismos.

Mas sabendo que Albert Einstein há anos luz atrás disse uma coisa destas que assenta no meu âmago que nem uma luva, dou a mão à palmatória, caríssimos amigos(as) das horas boas e sobretudo menos boas, vocês estiveram sempre certos.

E diz-me então Einstein:

"Preocupe-se mais com a sua consciência do que com a sua reputação. Porque a sua consciência é o que você é, e a sua reputação é o que os outros pensam de si.
E o que os outros pensam, é problema deles."

...Got it!?

domingo, 3 de maio de 2009

Aí vem o calor


No fim de semana em que se comemora o dia da Mãe, nada melhor do que esta temperatura maravilhosa que se tem feito sentir.


Os dias estão bonitos, longos e primaveris a apelarem às boas coisas da vida. Não fossem as obrigações que nos trazem à terra, seria meio caminho andado para uns bons dias de puro relax.


Não vou dizer que não goste dos dias mais frios, aliás, a melancolia que me caracteriza é típica dos dias outonais, mas começo a render-me ao Sol a entrar no meu coração.


....mas, a vida não era a mesma sem as dualidades do costume. É verdade já tenho saudades de ter a minha lareira acesa, um bom jantar regado a champagne em frente a ela...gosto muito desse calor também.


No fundo, todos os dias podem ser maravilhosos quando estamos bem.