terça-feira, 15 de setembro de 2009

Paixonite de Adolescente

Nós mulheres, temos todas as nossas "pancas" (passo a expressão) e as nossas fantasias com este ou aquele ser humano famoso e que nos faz sonhar que o Mundo é fantástico e o Amor é belo.

Eu não sou excepção à regra, e na minha fase de adolescente sofri do mal agudo da "paixão" assolapada, para além do vizinho do 6º andar de alguns ilustres famosos que na altura nos faziam sonhar.

Numa das fases foi por Patrick Swayze, claro, ou não fosse Dirty Dancing o filme de selecção de quase todas as meninas da minha geração. Pois sabendo que Patrick Swayze partiu, não aguentando uma dura batalha contra o cancro, aqui deixo umas imagens que me fizeram sonhar há muitos anos atrás.

Inteligência Emocional

"Sem a educação das sensibilidades,
todas as habilidades são tolas e sem sentido"

Rubem Alves

A caminho da Universidade

A filha de uns grandes amigos empreendeu na jornada que é a vida académica, ou antes, o desejo de a alcançar.

Teve um percurso escolar sem grandes percalços, e embora não se possa considerar uma aluna brilhante e destacada, lá fez o que lhe foi pedido, nalguns casos com relativa eficiência, e o resultado está à vista, a candidaura ao Ensino Superior com uns jovens 17 anos de vida.

Um ou outro percalço fizeram-na apresentar a "papelada" apenas na segunda fase e agora é esperar mais três semanas até ao veredicto final.

É o tudo ou nada, tudo pode acontecer, estamos a falar apenas de mais um mero concurso que pode ditar o rumo da vida de muitos estudantes, ou talvez não.

Para quem consegue o ingresso à primeira, é uma vitória, a concretização de um sonho que se calcorreou em pelo menos 12 anos de estudo, para quem não consegue, também não é o fim do mundo e há que ir tentando com afinco para conseguir alcançar o que se quer.

Lembro-me de estar na mesma situação há cerca de 14 anos atrás, com os mesmos 17 anos de vida, as dúvidas e uma relativa ansiedade em saber o que se iria passar depois.

No meu caso correu tudo muito bem, o dia em que li o meu nome numa lista infindável de pessoas com nome parecido e aparecer à frente a palavra "Colocado" vivi realmente a emoção de Missão Cumprida, outras se seguirão. Depois foram cinco anos de algum estudo (também não foi muito, não foi um bicho de sete cabeças) e tentar canalizar o que aprendi para o que mais gostaria de fazer.
Aprendi muito, conheci pessoas fantásticas entre colegas e professores, tive experiências fabulosas e ajudou-me a sair da concha e experimentar mais altos voos.

Portanto para a minha amiguita pequena R. aqui vai um turbilhão de energia positiva, muita força, acredito sinceramente que vamos ter razões para te dar um abração em breve e aproveita ao máximo os anos de escola que se seguem, porque estes sim, embora intensos, vão ser dos melhores anos de aprendizagem da tua vida.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Falando em conquistas...

Estava eu a ter uma conversa banal com um amigo,acerca daqueles pequenos nadas do dia-a-dia "olá, tudo bem", "que tens feito", "como é que estás" quando na sequência de um ou outro comentário meu ele me diz uma coisa do género:

"Quando queremos algo ardentemente,
Perseguimos persistentemente...
Acontecerá inevitavelmente"

John F. Kennedy

As palavras poderão não ser precisamente estas, mas a ideia chave está lá. Quase tudo na vida se baseia num sonho ou num desejo que temos, e cabe-nos a nós persegui-lo com todas as forças, mas, a minha questão é: será sempre assim para todos? E de que dependerá, da força com que se sonha, da teoria do caos, dos astros ou apenas de nós próprios e do ambiente que nos rodeia?

Fica a reflexão!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

O voto de confiança ao Xá

Não é segredo para ninguém que eu adoro o meu bicharoco Xá; aquele animal é formidável.

Parece uma esponja que absorve as minhas emoções, e lida comigo de forma diferente, esteja eu triste, ou feliz....é impressionante como um animal tem estes dotes de pura sensibilidade, que lição!

Pois que ele passa tantas horas sozinho lá em casa, que o tempo que passo com ele faço questão de lhe dedicar alguns bons momentos; afago-o, escovo-lhe o pêlo, dou-lhe banho, compro-lhe brinquedos, faço questão de o cumprimentar quando chego a casa e ele está entusiasmado á minha espera...enfim, é o meu pequeno princípe de pêlo.

Desde que nos zangámos muito a propósito do seu desabrochar sexual, se é que o posso dizer, que o petiz nunca mais tinha tido permissão para se deitar aos pés da minha cama, como tanto gosta.

Mas ontem eu estava muito bem disposta, o dia apesar de muito trabalhoso não correu mal, a noite tão pouco e mal abri o quarto era ver qual seta peluda a correr para cima da cama. Olhei para aqueles olhos enormes que mais parecem dois berlindes, um olhar muito submisso e pensei:

"Que se lixe, se fizer xixi na cama, olha...lava-se, I don't care". E lá ficou o Xá no seu sítio nocturno preferido, a dormir sossegado e a acordar-me de manhã com as suas unhas "delicadas" a roçarem na minha cara.

Foi uma forma ternurenta de acordar, a qual já me deixava algumas saudades.

PS: A testosterona da criatura já baixou, não houve marcação de território esta noite e ficámos os dois contentes.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

domingo, 6 de setembro de 2009

Fim de Tarde à Beira-Rio



Ainda há dias disse a uma jovem que me lê (Marianinha), que olhar o mar, passar um fim de tarde num cenário tranquilizante, é o melhor que se pode ter.

E é nestes momentos que sinto que afinal viver vale a pena, e não há problemas, situações negativas ou pessoas que têm a capacidade de nos anular que valham mais do que a nossa tranquilidade e a nossa vontade em estar de bem com a vida.

É de facto um sítio em que reencontro forças, qualquer lugar à beira-mar, neste caso foi mais à beira-rio.

Uma água com gás, um café...uma boa conversa, sem pressas ou falsas delongas e, embora me sinta um pouco nostálgica, o que é facto é que me fez bem e proporcionou-me umas horas de paz de espírito, sossego, uma troca de ideias interessante e, o que já não acontecia há algum tempo, senti-me bem na minha pele, por dentro e por fora.

Tão bela a nossa cidade, tão belo o nosso rio...tão belos que podemos ser Nós - e porque complicamos tanto?

À minha maneira

Há certas coisas na vida que têm a faculdade e a capacidade de nos dar força para ultrapassar situações adversas, e, sem saber muito bem porquê, ouvir esta música dá-me uma força e um sentimento de que vou ser capaz indescritível...


sábado, 5 de setembro de 2009

O Pensamento de um Mago

"(...) Quantas vezes somos arrastados para situações que não procuramos, que acabam por ser impossíveis de controlar, sendo esclarecidas apenas depois de já não estarmos aqui?"

Paulo Coelho

É incrível, mas o Paulo Coelho conseguiu com esta frase dizer muito daquilo que sinto neste momento.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

A Tristeza de uma Criança

Ontem em conversa com um grande amigo, fiquei sem palavras, chocada e muito comovida com algo que me confidenciou, e ainda hoje, reflectindo acerca da situação em causa, tenho uma sensação horrível.

Não podendo contar muitos pormenores por razões óbvias, o cerne da questão prende-se com o seguinte: uma criança pequena de raça negra foi adoptada por um casal de raça branca. Algum tempo depois o casal resolve "devolver" a criança à procedência, invocando situações financeiras para tal acto.

A criança vira-se para uma pessoa (que no caso foi o meu amigo) e diz sensivelmente o seguinte: "Se eu fôr para dentro do frigorífico e ficar branco, será que eles já vão gostar de mim?"

Que injusta a espécie humana. Como é que estas pessoas são capazes de uma atrocidade destas face a uma criança?

Trata-se de uma Criança, não de uma peça de roupa que afinal depois de experimentada já não nos agrada.

É um cliché, mas de facto quanto mais conheço as pessoas, mais gosto dos animais, esses pelo menos sendo desprovidos da faculdade de pensar, por puro instinto sabem ser leais, não "devolvem" os seus donos, não preferem actividades menos ortodoxas nem fazem por preterir a companhia de quem deles cuida e quem os alimenta.

Sem mais comentários...

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Glorioso Tarantino

Já tinha saudades de uma estreia do Tarantino, até porque o Kill Bill já tem uns anos.

É um realizador de que gosto particularmente, creio que vi todos os filmes dele e tenho vontade de ver mais e mais. É um estilo muito próprio, mas que me agrada imenso.

Por isso já estou a contar os dias para chegar o fim de semana e ir ver a sua mais recente estreia...eheh, já falta mesmo pouco. Depois faço o meu comentário ao filme com conhecimento de causa!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Fishing for Compliments

Há fases, ou dias, ou horas em que precisamos de mais mimos, do que noutras; e por norma é quando mais precisamos deles, que eles não vêm, e vice-versa.

Eu por si só, já sou uma pessoa sensível demais até. Vivo muito os problemas, sejam meus ou alheios, mas tenho alguma dificuldade em distanciar-me, é certo.

Talvez fosse tudo muito mais fácil, se adoptasse a postura do "meia bola e força", mas não consigo, é algo que a vida me tem tentado ensinar...mas sem sucesso.

Mas também é certo que as situações por vezes acontecem quando menos esperamos, e quando são boas notícias para nós, talvez até tenha valido a espera.

Eu confesso! Gosto que de quando em vez elogiem as minhas virtudes, gosto de ouvir coisas boas, gosto, gosto, gosto.
E gosto também que os meus Amigos me digam não só aquilo que eu quero ouvir, mas as verdades, que tenham as atitudes construtivas que se espera dos Amigos, isso sim, é o mais importante.

E hoje, quando menos estava à espera, e ainda por cima da proveniência que foi, recebi um elogio daqueles que me encheram o Ego - eu estava a precisar.

Num contexto importante para a minha vida, passo a expressão "tiraram-me o chapéu", tomando-me como exemplo a seguir.

Foi bom saber que sirvo de exemplo numa determinada esfera a que outros sigam algo que trilhei.

Agora é a minha vez de seguir também alguns bons exemplos e reformular certas coisas que foram mal delineadas. Tudo nos serve para aprender.

Ontem à noite

tive finalmente um serão a relembrar os meus (nisso) bons velhos tempos.

O início do meu serão, por razões pessoais é cada vez mais tardio, pelo que diariamente só se me afigura o merecido descanso já a noite vai longa e por isso e outros motivos menos positivos há tempos que tinha deixado de fazer o que me causa paz e tranquilidade.

Acabar o meu dia de trabalho e dedicar-me aos prazeres da leitura; já estava a fazer-me uma falta enorme, já me sentia a embrutecer e passo a expressão, a "estupidificar". Mas parece que estava sem a mínima coragem de pegar num livro com o afinco que sempre me caracterizou.

De facto o nosso estado de espírito, a paz ou a guerra em que vivemos, modifica no seu todo a nossa atitude perante a vida, perante os nossos tempos livres e de lazer.

E eis que, tal como em muitos outros aspectos, estou a retomar a minha rotina, fazer tudo aquilo que me dá mais prazer, estar e conversar com aqueles que, nalguns casos apesar da distância física, estão sempre por perto, enfim, as boas influências que tenho e sei que sempre terei.

E está a ser muito bom redescobrir estes prazeres...