segunda-feira, 29 de junho de 2009

O Sonho de Martin Luther King

"Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver numa nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu carácter. Eu tenho um sonho hoje!"

Há 40 anos Martin Luther King tinha este sonho, e esta frase irá prevalecer ao longo de gerações e gerações.

Mas volvidos estes anos, verifica-se que o sonho ainda não deu o total lugar à realidade; a ignorância persiste. Continua a existir um bando de inúteis e mal formados que ainda se referem a factores como a côr da pele para denegrir a imagem dos outros, basicamente por não lhes poderem atacar o carácter.

Coisa feia a inveja...

É das coisas que critico por exemplo no Michael Jackson, mas respeitando a sua memória. Estranho o facto de uma pessoa com um talento tão nobre, não ter aceite a sua "heritage" e ter tentado fazer-se passar por algo que não era.

Eu, sou mestiça, fruto da fusão da raça branca com a negra e gosto daquilo que sou; desfrizo o cabelo sim, mas não para fugir às minhas origens, mas a minha "carapinha" não me deixava amplitude para grandes penteados e de facto prefiro ter o cabelo mais para o liso...

Mas não renego o lado negro e um dia quero que os meus filhos conheçam também esse lado da sua história; espero profundamente que a sociedade não os faça dar um passo atrás e que de uma vez por todas sejamos reconhecidos pelo nosso carácter, valores, honra e inteligência.

Quem não é capaz de o reconhecer, que faça uma boa introspecção, porque algo de errado se passa consigo, está provado!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Duas das minhas músicas preferidas de Michael Jackson...




Adeus Michael Jackson



É com pesar que recebo esta notícia e fiquei sem palavras. Digam o que disserem foi o meu ídolo na adolescência e fica o mito.

Foi pena ter-se destruído, sem dúvida foi o grande artista dos anos 80 e 90. Tenho pena de nunca o ter visto ao vivo, mas não me esquecerei do seu carisma e da sua performance.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Férias...Onde andam?

Aqui fica o desabafo desesperado de quem precisa mesmo de uns valentes dias de férias.

Se fosse transpôr para aqui tudo o que se passou neste último ano, era bem capaz de demorar 1 ano e meio a escrevê-lo, daí talvez a minha exaustão.

Cheguei àquela triste realidade em que nem o descanso do fim-de-semana ou de um esporádico feriado são suficientes para recarregar as minhas baterias.

Do que eu preciso mesmo são de férias, estar longe da azáfama quotidiana, relaxar, passear, comer bem e dormir ainda melhor...talvez ponha as ideias no lugar e consiga dar um passo à frente face ao cataclismo em que me encontro.

Resta-me a boa nova de que a contagem decrescente já só tem um algarismo e portanto faltam apenas oito dias para uma merecida semana de descanso.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Resta-me um retalho enternecedor

Há dias....

...complicados.

Daqueles em que nos sentimos mal, em que precisamos de tanto e temos tão pouco. Em que nos sentimos infelizes e parece que o mundo vai desabar.

Em que parece que tudo à volta está bem e nós é que estamos mal, com tudo...

Aqueles dias em que nos apetece que tratem de nós, em que tanto nos apetece estar a curtir, como a dormir...no fundo é igual, no fundo não apetece nada.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Finalmente comprei um saleiro

É íncrível, mas vivo na minha alegre casinha há já 4 anos e ainda me falta tanta e tanta coisa para que ela fique devidamente apetrechada.

Por isso e tanto mais, imponho a mim mesma novas rotinas, hábitos e alguns sacrifícios, para conseguir colocar tudo no devido lugar, isto se não acontecerem acidentes de percurso entretanto.

E bem que ando às voltas e voltas na expectativa do que conseguirei concretizar a seguir, e andando numa fase em que necessito de mimos especiais, pois que hoje pensei cá com os meus botões: "não é tarde nem é cedo, hoje é o saleiro".

Uma peça tão banal e tão necessária, que ainda se encontrava em falta. Imperdoável cozinhar ao longo destes anos, com o sensaborão pacote de sal ao lado...credo, que falta de gosto e de atenção face a um detalhe que não deve faltar numa cozinha.

Pois que a partir de hoje...já lá canta; e decerto dará outro sabor aos meus cozinhados e afins.

domingo, 14 de junho de 2009

25 Anos sem António Variações

Quando morreu António Variações eu teria cerca de 6 anos, mas é de facto uma figura intemporal.

Não consigo deixar de trautear as suas canções, continuo a encontrar bastante significado nas suas letras, bem como, em tudo o que nos trouxe naquela época.

O Variações era um visionário, uma pessoa com os seus sentimentos e anseios muito apurados, facto esse que transpunha para a sua música.

Foi brilhante, e mais uma morte precoce a lamentar. Dos melhores artistas que vimos nascer em Portugal.

sábado, 13 de junho de 2009

O Casamento de um grande amigo

Hoje, dia de Santo António, o padroeiro de tantas e tantas causas, casa-se um grande amigo.

Não é aquele amigo exageradamente presente, até porque temos vidas profissionais que nos ocupam muito tempo, mas é aquele amigo, com quem dá para ter conversas sérias, ou completamente disparatadas.

Com quem desabafei acerca das minhas relações fracassadas e ele das suas, com quem passei um outro serão de pura palhaçada no Passeio Marítimo de Oeiras, que me dá dicas sempre que quero concorrer a cargos públicos...

Temos várias afinidades, ambos gostamos de Shakespeare, ambos gostamos de José Régio, enfim, é daquelas pessoas com que dá para manter largas e largas conversas.

Enfim, desejo que o casamento seja de facto abençoado e que sejas mesmo muito, mas muito feliz.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Segredos...

Fizeram-me ouvir esta música há uns bons anos atrás, e dei comigo a ouvir uma versão recente interpretada pelo Paulo Gonzo.
Prefiro esta e nalguns momentos da minha vida, vou buscá-la ao álbum das músicas que não esqueço.

Anne Frank - 80 Anos



Se estivesse entre nós actualmente, Anne Frank teria...80 anos. Deparei-me hoje com este facto, e não deixa de ser curioso que para nós, todos aqueles que se transformam num mito, não envelheçam.

Acontece o mesmo com Marylin Monroe, Jim Morrison, James Dean, Kurt Cobain, Kafka entre tantos outros.

Tiveram uma vida breve, mas o legado que deixaram, cada um a seu modo, foi tão rico, que nos faz imaginá-los sempre jovens e cheios de vida.

Travei conhecimento com Anne Frank era ainda eu uma miúda e ela também, mas a riqueza das palavras que nos deixou, fizeram dela um ícone, de coragem, inteligência e esperança.

É daquelas pessoas que gostava de ter conhecido, gostava que me tivesse transmitido aquela sabedoria, aquela simplicidade, aquela forma visionária com que retratou os seus dias de Holocausto.

Lamento a sua morte tão prematura, mas talvez se tal facto não tivesse acontecido, jamais teríamos ouvido falar de Anne Frank.

Estejas onde estiveres, és um dos meus ídolos...Anne.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Anjos e Demónios



Já andava para ver este filme desde a sua estreia, mas tal estava complicado, por condicionalismos do dia-a-dia e também por alguma falta de tempo.

Mas finalmente a ocasião surgiu e lá fui satisfazer a minha curiosidade. Digo desde já que a obra literária me agradou imenso, e embora já a tenha lido há cerca de três anos, continua bem presente na minha memória.

De facto a escrita de Dan Brown é deveras interessante e prende o leitor até ao fim.

É um facto também que as adaptações cinematográficas são sempre mais pobres, já que não nos deixam apelar à nossa imaginação e, o que está escrito é trespassado para o grande ecrã, pelos olhos de um realizador.

Mas...em termos gerais foi um bom filme, gosto imenso da música-tema que também está presente no Código da Vinci, achei esta história muito mais interessante e o contexto melhor estruturado.

Enfim, deu para matar saudades de uma ida ao cinema, de alguma descompressão e de ter a cabeça ocupada com outros temas, que não os quotidianos.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Contribuí para a Abstenção

Pois é, infelizmente faço parte do vasto grupo de não votantes e contribuí também para a larga percentagem de abstenção que se verificou no escrutínio de ontem.

Não fiquei contente com os resultados, embora algumas medidas tomadas pelo meu partido não me agradem, e quando a cabeça não tem juízo, o corpo é que paga. Sem dúvida que as mostras de descontentamento dos cidadãos, podem fazer a classe política pensar, mas a vantagem de um partido de direita, não me agrada...de todo.

Nos últimos tempos tenho seguido a minha ideologia e feito honras ao meu dever cívico, mas desta vez, por condicionalismos da vida também...falhei.

Mas valeu a pena, estive num ambiente agradável, acolhedor e que ontem foi bem mais positivo para mim, do que participar no acto eleitoral.

Enfim, penso que estou perdoada.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Bill killed himself

Não foi preciso a Uma Thurman levar a cabo a sua função, pois por fim o Bill acabou por fazê-lo a si próprio.

...foi com estranheza que ontem li as primeiras notícias acerca da morte de David Carradine, e mais estranheza ainda quando as mesmas notícias apontam para suicídio.

Era um dos actores que eu relembro desde muito pequena, pois seguia a série Kung Fu a par e passo, e confesso, adorava a série e o personagem imortalizado por David Carradine. Ainda tenho a imagem dele a percorrer kilómetros com as suas belas sandalinhas, a fazer o bem e em cada episódio imperava sempre uma lição de vida.

Mais recentemente ficou imortalizado por Tarantino na sequela de Kill Bill e posso dizer que dentro do género, foi dos melhores filmes que vi nos últimos tempos, a par com a sua banda sonora inesquecível e que oiço com muita regularidade.

Ora, como é que uma pessoa com tantos admiradores, uma pessoa que marcou décadas, que em princípio terá seguido a carreira que escolheu, desempenhava o seu papel como ninguém, chega a uma fase de desespero tal em idade de consagração, a ponto de cometer suicídio...não se entende.

Lamentavelmente lá terá tido as suas razões, pois nos momentos mais desesperantes da vida, somos capazes de cometer loucuras. É triste é que se perca assim uma vida, uma estrela e fiquemos apenas com uma imagem.

Infelizmente David Carradine não lutou até ao fim, não seguiu alguns dos ensinamentos com que nos presenteou no Kung Fu e foi mais uma estrela no firmamento do cinema que deixou de brilhar.

Até sempre.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

O Pássaro tombou!

Venham lá as teorias altamente comprovadas dizer nas suas escrituras que o avião é o meio de transporte mais seguro do mundo, que o índice de acidentes mortais é avassaladoramente inferiror aos ocorridos com os automóveis, etc, etc.

Mas o que é facto é que quando se dá uma fatalidade de um pássaro destes cair, o choque é não só muito maior, como o facto de perecerem ao mesmo tempo duas centenas e meia de pessoas, nos faz pensar.

Foi uma grande invenção, permite-nos fazer viagens das mais curtas às mais longas em espaços de tempo curtos e com óptimas condições, mas é um facto que se desafiam completamente as leis da física, e sempre que o monstro sucumbe, o ambiente é de consternação.

O meu pai (embora não tenha contacto com ele) tem licença de pilotagem, conheço pessoas que trabalham na área e confesso que quando olho para um avião, sinto um mismo de emoções.
Se por um lado aquela máquina quase perfeita e esguia me fascina, por outro tenho-lhe o maior dos respeitos.

Num acidente de automóvel, de barco, de mota e por aí fora, por muito que até seja o nosso dia e tenhamos que sucumbir, de uma maneira ou de outra, por vezes consegue-se evitar o pior. Num desastre aéreo, as variáveis são outras, e a máquina não perdoa.

Imagino, sem o querer, o pânico e a aflição daqueles seres perante os seus últimos minutos de vida, saberem que não podiam voltar atrás, não se podiam desviar, estavam no limiar entre a vida e a morte...os seus pensamentos, o seu medo, as coisas que ficaram por dizer...

Não tenho palavras para descrever o quanto transtornada fico perante estes sinistros.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

E porque hoje é Dia Mundial da Criança

e elas de facto são o melhor do mundo, os meus pensamentos estão com esses seres pequenos, por esse mundo fora.

Não tanto com aqueles que tudo têm, mas mais com os que sofrem, com os que choram, com os que pouco têm, com os tristes, com os orfãos, com os mal tratados...

Se todas as crianças merecem o nosso carinho, estas em especial merecem a nossa força, as nossas orações e na medida do possível a nossa ajuda para mudar tudo o que de mau acontece com elas.

Costumo dizer que há tantas pessoas a quererem uma criança e a não terem, como é que podemos permitir tantos milhões de crianças vítimas de tantas atrocidades por esse mundo fora.

Que mudem as mentalidades, que mudem as políticas, que mudem as acções, mas que se protejam as crianças, que se lhes dê um mundo melhor, pois se estes milhões de adultos de amanhã continuarem a crescer sem perspectivas, que será do nosso Mundo no futuro?