segunda-feira, 29 de junho de 2009

O Sonho de Martin Luther King

"Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver numa nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu carácter. Eu tenho um sonho hoje!"

Há 40 anos Martin Luther King tinha este sonho, e esta frase irá prevalecer ao longo de gerações e gerações.

Mas volvidos estes anos, verifica-se que o sonho ainda não deu o total lugar à realidade; a ignorância persiste. Continua a existir um bando de inúteis e mal formados que ainda se referem a factores como a côr da pele para denegrir a imagem dos outros, basicamente por não lhes poderem atacar o carácter.

Coisa feia a inveja...

É das coisas que critico por exemplo no Michael Jackson, mas respeitando a sua memória. Estranho o facto de uma pessoa com um talento tão nobre, não ter aceite a sua "heritage" e ter tentado fazer-se passar por algo que não era.

Eu, sou mestiça, fruto da fusão da raça branca com a negra e gosto daquilo que sou; desfrizo o cabelo sim, mas não para fugir às minhas origens, mas a minha "carapinha" não me deixava amplitude para grandes penteados e de facto prefiro ter o cabelo mais para o liso...

Mas não renego o lado negro e um dia quero que os meus filhos conheçam também esse lado da sua história; espero profundamente que a sociedade não os faça dar um passo atrás e que de uma vez por todas sejamos reconhecidos pelo nosso carácter, valores, honra e inteligência.

Quem não é capaz de o reconhecer, que faça uma boa introspecção, porque algo de errado se passa consigo, está provado!

Sem comentários: