quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Onde é que pára o Verão!?

Seja porque o mundo está louco,
Seja porque estamos a pagar a factura de atentados contra o ambiente que se fazem diariamente,
Seja por terem aberto a escotilha da era nuclear,
Seja pela globalização de atrocidades,
Seja pelo aquecimento global,
Seja pelo recrudescer de cada vez mais catástrofes naturais,
Seja...Seja...Seja....

O que é facto é que de ano para ano, as estações do ano em nada são o que eram há uns anos atrás.

Lembro-me de invernos chuvosos, ventosos, frios (gélidos) e com queda de granizo.
Lembro-me da aurora da Primavera.
Lembro-me de verões verdadeiramente quentes, com noites igualmente apetecíveis, em que até os lençóis de linho nos encaloravam ainda mais o corpo.
O Outono enfim, sempre foi aquela estação, da mudança do espírito alegre para o espírito mais triste, a queda da folha e as árvores com a sua tonalidade amarelada.

Uma estação contudo, com muito encanto.

Mas pergunto-me, o que está a acontecer, para já nada ser como era antigamente? Até onde irá esta descaracterização?

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Portugal-Jacking

Que Portugal há muito deixou de ser um belo jardim à beira-mar plantado, já muitos de nós o sabemos e por certos pontos...ainda bem.
Há que sair do anonimato, mas pelo menos que seja por bons motivos.

Mas, o actual estado da (in)segurança no nosso país é algo que começa a preocupar-me seriamente.

Os casos isolados de criminalidade em geral devem requerer a nossa melhor reflexão, mas estamos a assistir diariamente ao advento de uma onda de crimes e vandalismo que tocando quase toda a tipologia de criminalidade, se está a tornar preocupante.

Agora pergunto-me, esta onda está em formação neste momento, ou os meios de comunicação social ter-se-ão lembrado agora que este tema afinal também vende?

Assaltos, roubos, homicídios, raptos, violações...sempre os houve, é certo. Mas estamos a assistir neste momento a uma quase histeria da bandidagem que resolveu atacar em todas as direcções, com uma periodicidade alucinante.

O aumento dos índices de criminalidade está associado a vários factores, nomeadamente questões peremptoriamente relacionadas com a esfera económica, e como em tempo de crise não se limpam armas, acabam sempre uns por ser mais afectados do que outros.

Pensando com alguma irracionalidade entendo que o desespero possa levar a cometer certos actos, mas existem outros tantos actos para os quais não há perdão possível.

Portanto espero que quando os nossos ilustres dirigentes políticos regressem dos seus merecidos (ou não) banhos, reflictam activamente acerca desta nova vaga que está a caracterizar o nosso país, e que sejam tomadas medidas rápidas, urgentes e eficazes não só para proteger os possíveis futuros lesados, como também evitar que situações semelhantes às quais temos assistido nas últimas semanas, ocorram com a frequência com que têm acontecido.

...Regresso

Após quase 3 meses de ausência destas lides, eis que regresso a este espaço.

Que saudades.

Que saudades de perpetuar os meus pensamentos, que saudades de expandir através da escrita os meus sentimentos e emoções, que saudades dos comentários e desabafos....enfim, que saudades de tudo e mais alguma coisa.

Digamos que o regresso seja ao que fôr nos deixa num misto de sensações, sem sabermos a que dar atenção primeiro, sem sabermos ainda bem o nosso lugar, sem sabermos se a "casa" está ou não bem arrumada. Há que colocar tudo nos eixos e acordar para vida.

E cá estou eu....afinal viva!