segunda-feira, 30 de setembro de 2019

A malita vermelha não me iria assentar nada mal


A aventura do Fernão de Magalhães contada aos miúdos

Juntar o útil ao agradável é sempre bom. Decidimos levar as miúdas a ver o filme "Uma Aventura nos mares - A Primeira Viagem de Circum-Navegação" e foi tão bom para elas que aprenderam de uma forma simples algo de que vão falar daqui a uns anos na escola e para nós, relembramos a narrativa e os detalhes dos feitos de um português de uma forma simples.

O filme vale muita e pena, honestamente já nem me lembrava que apenas tinha regressado 1 Nau, das 5 que partiram em expedição e tão pouco me lembrava que dos duzentos e tal tripulantes, apenas regressaram 18. A minha quando chegou a casa ainda perguntava quantos anos tinha demorado a expedição e depois foi ligar à avó a dizer que o Fernão de Magalhães fez uma expedição às "Malucas" - claro que a teimosia impera, e por mais que eu lhe soletre Mo-lu-cas, rebaptizou-as de "Malucas".

Ficou triste por ter percebido que o Magalhães não chegou ao fim da viagem, mas depois lá percebeu que foi um grande herói e navegador português, embora que naquele caso estivesse ao serviço de Espanha - politiquices.

Conclusão dela: "Mamã, se eu pegar numa bússola e andar sempre para Oeste, vou conseguir dar a volta ao mundo e chegar ao mesmo sítio de onde parti, não é?"

...lá lhe disse que o Magalhães concluiu isso primeiro :)


domingo, 29 de setembro de 2019

Temível e bela

As cobras são um ser fascinante. Frias em toda a acepção da palavra, embora creia que conseguem assim mesmo ser mais previsíveis do que certa gente. E tem um je ne sais quoi de belo. Esta anaconda pequenina, com “apenas” 2 metros, estava tranquila a digerir qualquer pequeno mamífero que se percebia ter lá nas suas entranhas. E eu fiquei ali, que tempos a admirá-la...ao de longe, que eu nestas coisas, e apenas nestas, sou muito cobarde.


Um passeio pelo Fluviário de Mora

Hoje foi dia de visitar um local que ainda não conhecíamos. Fluviário de Mora. Ecossistemas de água doce. A miúda adorou e nós adultos, também. O passeio até lá também foi muito bom, almoço por terras alentejanas com as famosas migas de espargos selvagens incluídas. Preparadas para começar bem a semana que se avizinha.


...and Us!




O que dizem os astros

Ora vejamos, o astrólogo Paulo Cardoso pôs-se a prever os próximos 3 meses, e vai daí que me sai isto (contrariedades, superações, especial cuidado aos nascidos entre 8 e 12....tendo em conta os últimos dias, quem sabe se a bonança não está a pairar sobre a minha cabeça)


sexta-feira, 27 de setembro de 2019

This is Us!


Há 5 aninhos atrás

Uma princesa!


E o que não for, escusa de vir. Não faço qualquer questão


Tão lindos...já estou a imaginá-los nos meus pézinhos recauchutados


A minha mãe tem uma forma de ser peculiar, demasiado terra a terra digo eu, mas não me posso esquecer que falo de uma Senhora que nasceu em 1954, andou num colégio de freiras, etc etc etc. Obviamente que me revejo e agradeço a educação distinta que me deu; lá em casa não havia baldas e as eventuais faltas de educação (isto porque não me deixava pôr o pé em ramo verde) eram resolvidas na hora, não da forma mais ortodoxa, mas a verdade é que fui ensinada a basicamente...respeitar o outro, o ambiente que me rodeia e por aí. Logicamente que em termos de respeito o que aprendi desde o berço foi a questão hierárquica. Eu estava na base da pirâmide lá em casa, quando a minha irmã nasceu, subi meio degrau, ou não, porque quando a pulga desabrochou, mostrou a sua raça, e eu, bom, eu continuei a ser a parva de sempre :)

Portanto para a minha mãe a antiguidade também é um posto - discordamos aqui, porque entendo que uma pessoa mais velha, não deve por si só desrespeitar os outros, utilizando como argumento a sua longevidade, mas tudo bem, percebo que a partir de uma certa idade, já não se consiga corrigir o que não se fez em toda uma vida e o pessoal tem que relevar.

Mas ontem à noite não pude deixar de me rir com os comentários após o jogo do Sporting. A minha mãe percebe tanto de futebol, como eu, ou seja...muito pouco ou nada. Mas vocifera como se fosse expert. Pois que ontem o alvo da ira era o Frederico Varandas, a quem trata "carinhosamente" por "O Rapazola". Tenho impressão que deve ser um pouco depreciativo, coisa pouca mesmo, já que eu e a minha irmã estamos no patamar "das miúdas", o que me parece bem mais simpático.

A única pessoa em quem de facto não se pode tocar é na Duquesa Magenta - essa tem status, até para a avó. Será sempre "A Minha Neta!" - cada um é tratado como bem merece.

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Completamente desnecessário

Terem deixado o meu braço neste estado:

.
Será que custa muito não deixar uma veia babar para evitar este lindo serviço!? 

E ainda nos arriscamos a ficar com cicatrizes. Não há necessidade!


Já me adoçou literalmente o sorriso há meses atrás

E hoje faz-me todo o sentido dizer-lhe que...


Eu devo pensar que a minha filha anda a dormir

A minha filha tem uma aptidão inata para rasgar calças; então se forem calças caras, ainda mais. Pelo que, ontem por acaso levou as leggings do Harry Potter que a "Fada Dentinho" lhe deu e à noite perguntei-lhe se por acaso teve o cuidado de não as rasgar, porque não me apetece comprar mais calças nos próximos tempos.

Levei com esta:

"Não, não vês que não estão rasgadas? Mas também estas não foste tu que compraste, foi a Fada, por isso não gastaste dinheiro!"

Ok, perante ela até pode parecer que  ando a dormir, mas ainda consigo ter o raciocínio um pouco mais rápido - valha-me isso. Atirei o seguinte:

"Pois, mas quando rasgares essas, quem terá que comprar as próximas, será a mãe, certo!?"

Vá...ficou sem resposta, reduziu-se à sua douta importância e calou-se. Mas esta foi por pouco, confesso.

O amor pratica-se em pequenos gestos...


Às voltas com o meu coração

Em sentido literal. Para que as dúvidas fiquem esclarecidas, pese o facto de me sentir melhor desde que ando a fazer a medicação que me baixou consideravelmente o batimento cardíaco para níveis normais, mas que também me baixou ainda mais a tensão arterial, a verdade é que me sinto tendencialmente melhor. As arritmias reduziram, mas não terminaram, o cansaço tem dias...mas como o meu cardiologista não deve querer que eu morra cedo, desta vez resolveu querer verificar uns valores chave, que podem confirmar ou não se de facto existe Insuficiência Cardíaca, já que os exames locais não foram conclusivos.


Veremos...como já é sabido que a minha coagulação também não funciona muito bem, estou para aqui com um hematoma na veia, sangue por todo o lado...um filme.

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Vai começar a baixaria....algo me diz que isto vai ser divertido

É oficial: Democratas avançam com impeachment contra Trump: Nancy Pelosi anunciou na noite desta terça-feira o início do processo com vista à destituição de Donald Trump da Presidência dos Estados Unidos

Dia de celebrar a vida de quem me fez saber o que é ter um pai

...e uma família paterna, sem laços de sangue. Não foi só a minha mãe por quem ele se apaixonou e quis que fizesse parte da sua vida. Com ela, levou-me também para dentro do seu coração e foi a figura paterna que eu tive, que tantas vezes desejei que fosse mesmo ele o meu pai e que tanto orgulho sempre demonstrou por mim. Não fui uma miúda fácil em termos de feitio, e só me lembro que se tenha aborrecido comigo uma vez, em tantos anos...e cheio de razão, porque num certo dia era eu miúda me pediu para lhe ir comprar cervejas e eu disse que não! E não fui, e ele ficou triste e eu na minha e só depois da minha mãe me ter dado um sermão é que lhe fui pedir desculpas...e lembro-me que cheguei ao pé dele cheia de vergonha a pedir desculpa, ele vira-se para mim, dá-me um abraço e diz: “Oh Tanoquinha, o Zé já não está zangado consigo. Dê cá um beijinho”. Ainda hoje sou a Tanoquinha e ele, não é só o pai....ele é o ZÉ. E quanto a isso nada há a acrescentar.

Têm sido uns meses complicados a nível da saúde dele, mas hoje é dia de celebrar a vida, é dia de dar graças pelas nossas vidas se terem cruzado, é dia de agradecer o magnífico avô que é para a minha filha...é dia de agradecer por ter escolhido ser o meu grande amigo. Se de um molho agridoce se resumisse a minha memória ele era o doce da minha infância.

A cabeça da mãe não precisa de "reminders"

Sim, confirma-se que a minha memória ainda vai sendo a minha melhor aliada. Hoje, do nada, como que com o auxílio de um choque eléctrico de baixa voltagem, lá me lembrei que estamos no fim de Setembro, que entrámos no Outono, que quero como sempre fazer o que está ao meu alcance para a miúda não ficar doente e, caso fique, que seja o mais leve possível, e lá fui à farmácia a correr comprar os bicharocos, tudo para aumentar as células T da miúda:

A partir de amanhã recomeçamos a caça aos bichos, que é como quem diz, toma 10, descansa 20, idem, idem, aspas aspas. 3 meses de lisados para me protegerem a cria.

E é tão bom sabermos que podemos contar com os verdadeiros amigos e eles connosco...no matter when


Quando uma mulher de meia idade como eu

Recebe num dia tristonho como o de hoje uma mensagem destas, vinda de um homem, daqueles que são bem sucedidos em tudo, mas sem ser "cagão", essa mulher que sou eu, fica a sentir-se o máximo. Ora vejamos:

"És um MULHERÃO, linda, com cara de miúda, com grande nível e auto-suficiente. És uma mulher dos anos 2020! E sabes que sim. Talvez as pessoas à tua volta, tentem puxar pelas tuas incertezas, mas apenas para abafar o teu brilho e as incertezas deles próprios"

O que faço? Caso com ele!?

Verdade, verdadinha, verdadeiríssima


Emoção, avisos e promessas: os destaques da cimeira do clima da ONU

Acho esta miúda brilhante, e concordo com muito do que ela sente e transmite. Não sei que futuro terá a minha filha, a geração dela e as seguintes...contudo acho que a forma como estão a expor esta miúda e a forma como ela está a levar a sua luta, se está a tornar demasiado enfatizada. Ninguém me pediu opinião, mas eu opino na mesma.

Emoção, avisos e promessas: os destaques da cimeira do clima da ONU: Dezenas de países assumiram o compromisso de acelerar o combate às alterações climáticas, numa cimeira que ficou marcada pela ausência dos EUA, do Brasil e do Japão. "Nós não vamos falhar", prometeu Marcelo Rebelo de Sousa.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Já o fiz e que estúpida fui


O Saber não ocupa de facto lugar

Orgulho por também ter estudado aqui.

E eis que hoje recomeça a minha odisseia desportiva

A pequena é que anda na natação e eu é que faço autênticas piscinas para lhe proporcionar o bem que aquilo lhe faz. Vá, de que me queixo eu, tenho uma filha perfeita, pespineta qb, que dá luta e de vez em quando até precisa de um abanão.

He knew it


Quando me apetece chamar "macaca" à minha filha

A Unicórnio Magenta, perdão, Duquesa, que está a ficar cada vez mais "afectada" e queque, embora quem tenha nascido na Linha, tenha sido eu, mas adiante.

Na sexta-feira trouxe um papel da escola com o valor que terei que pagar para um livro extra de fichas. Com o stress do fim de semana, esqueci-me de levantar dinheiro. Vai daí, para ela levar hoje o papel assinado e o dinheiro, disse-lhe que ia tirar de um envelope que tenho lá com dinheiro que a avó lhe deu e que logo à noite lho pagaria.

Foi a loucura - "ahh, mas isso não é justo, o dinheiro é meu, e quando é que me vais devolver..."

Uma miúda a quem dão dinheiro nos anos/Natal e a mãe guarda no Banco na conta dela e acaba por lhe comprar coisas para compensar - quem é que fica "prejudicada"? A mãe, pois está claro.

Dei-lhe duas hipóteses - ou continuas a ser parva e só levas o dinheiro amanhã, ou levas o dinheiro hoje e a mãe logo devolve.

A contra-gosto:

"Levo hoje!"

E entredentes:

"Mas não te esqueças de me pagar"

Grande macaca me saiu esta miúda.

domingo, 22 de setembro de 2019

O que fica das eleições na Madeira

Uma barrigada de riso e o lirismo dos senhores da Direita que dizem em uníssono que os grandes derrotados foram o PS e o António Costa. Portanto deixam de poder formar Governo sozinhos, o PS sobe de 5 para 19 deputados, o que para a minha memória, neste território é histórico, perdem mandatos e os grandes derrotados são os outros. Tá bem...abelhas!


Anos de saudade

Todos os dias de manhã ligava para o edifício Rainha D. Amélia do Hospital Pulido Valente para saber como tinha sido a noite, como é que ela estava. Lembro-me que saí de lá num dia de visita um pouco perturbada, por me parecer que estava com dificuldades em respirar, não estava ventilada e tinha uns espasmos, não obstante me parecer serena.

Quando lá ia falava com ela, não de coisas que a pudessem sensibilizar naquele estado comatoso, mas de coisas mais banais - mesmo deitada naquela cama de hospital, completamente careca e com uma costura que lhe circundava o craneo, a minha madrinha continuava a ser ela própria, pequenina, maneirinha, com as suas unhas pintadas, e as suas camisas de noite mimosas. As enfermeiras, a princípio diziam que estava tudo controlado, mas a uns dias do fim, diziam- me para ficar tranquila, que ela estava “ bem”, à espera da hora dela. Juro que pensei que as coisas pudessem reverter, mas é o que queremos sempre, mas o dia dela estava próximo. Mas todos os dias mal chegava ao escritório ligava, a enfermeira atendia e falava comigo....sempre. Até ao dia de hoje, há 4 anos atrás.

O telefone tocava e ninguém me atendia. Já estava a ficar nervosa, mas sem querer pensar que a véspera tinha sido a despedida. Nada, o telefone tocava e nada. Até que o meu próprio telemóvel tocou. Foi melhor assim, saber por alguém de quem ambas gostávamos muito, do que ser algo impessoal dito por uma enfermeira. A Guida já tinha partido e doeu-me demasiado, como ainda dói. Devo-lhe muito e relembro-a com muita saudade. Foi cedo demais, com demasiado sofrimento, 2 filhos que ainda precisavam muito dela, tantos amigos, afilhados e eu...

Se me dessem a oportunidade de voltar a estar com alguém, seria com ela e com a minha avó. Fazem-me mesmo muita falta.

Não te esqueço madrinha, hoje por ser o dia que partiste, e todos os outros pela pessoa que foste e acho nunca te disse a importância que tiveste para mim. Saudade imensa.

Depois dos 40

Pintei pela primeira vez o cabelo...e de amarelo..., vá, loiro. Umas madeixas que achei me dariam luz. Se deram, não sei, mas não desgosto de me ver assim. É diferente. Hoje, extravasei. Pintei pela primeira vez na vida as unhas de...preto. Por norma não é tom que goste de ver na maioria das pessoas, mas já vi muita mulher bonita e com classe com unhas pintadas de preto e que lindas que estavam.
Longe de mim ser assim um mulherão fantástico, mas acho honestamente que tenho um aspecto cuidado e com alguma classe. Vai daí arrisquei:

Só peço aos meus amigos que se acharem que estou a ficar gaiteira, me internem. Fazer figuras tristes é que não!

Pelo menos o jantar valeu a pena


in Italy Caffe


sábado, 21 de setembro de 2019

Claro que devia estar a adivinhar “ desgraça”

Ir fazer o alisamento ao cabelo num dia como este, não é um bom augúrio, mas estava marcado, pelo que lá fui, sempre a pensar que tinha tudo para não correr bem. O alisamento até está perfeito, como sempre


O mesmo não se pode dizer do tecto da minha sala, que voltou a verter água...pergunto, já não chega de chatices? Estou saturada, a perder as forças 




sexta-feira, 20 de setembro de 2019



Não sei se é impressão minha apenas, mas o senhor do PAN é um pouco assustador....eu até diria um bom bocado. Ainda falam do senhor de Santa Comba Dão.

A questão que se coloca é: e quem ensina em primeira instância os adultos, para que estes últimos possam ensinar devidamente as crianças?

É que infelizmente o problema da falta de educação e de respeito vem da nossa geração, da dos nossos pais e afins. E eu reforço o de sempre: Quem nasce lagartixa, jamais chega a jacaré e obviamente que só pode cultivar ensinamentos de lagartixa. Nunca vai conseguir progredir ao ponto de alterar a sua essência e a espiral de desvio não se fecha. Cada um é de onde nasce, cada vez tenho mais essa certeza.


O dia em que o pintainho vira pintarola havia de chegar

Chatices com a escolha da roupa para vestir, tivemos desde sempre, mas como não fomento discussões, só repito uma vez que é aquela roupa que vai vestir no dia, e ponto final. Fica para ali a vociferar, mas eu abstraio-me para não me começar a enervar logo de manhã.

Mas eis que neste Verão, 9 anos de existência endiabrada, descobriu que tem cabelo, literalmente. Até aqui eu conseguia controlar a coisa, para a escola e restantes actividades em que não estou a controlar, optei por sempre lhe apanhar o cabelo, entrançar, etc. Para evitar que haja acidentes, que lho puxem, que fique preso nalgum sítio, que seja acometido por uma praga de piolhos e afins. E só eu sei o trabalho que aquela cabeleira me dá, os produtos que lhe compro em lojas especializadas e que, muitas vezes até mando vir de fora - as americanas estão de facto a anos luz de distância no que respeita a cabelos mais "étnicos".

A verdade é que a miúda tem um cabelo lindo....e enorme! E agora decidiu que não quer andar com ele apanhado, vai daí que passa horas ao espelho a escová-lo, a fazer penteados, alguns deles demasiado estranhos, tranças, acessórios e afins. Já tive que lhe dizer que a escola não é propriamente a Passerelle  da semana da moda de Milão. É que se não me imponho, daqui a nada a minha casa vira backstage dos devaneios de moda da minha filha.

...qualquer dia vai-me ao eyeliner...

Esse é de facto o (bom) caminho


quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Estes dois...


Que maravilha de miúda!

Da caixa de supermercado para a faculdade de medicina com 19,4 valores: Totó, nerd ou marrão. Estes são alguns dos adjetivos utilizados pelos adolescentes quando se referem aos melhores alunos da escola. Beatriz Araújo não encaixa no perfil. Terminou o secundário com nota 20 a todas as disciplinas, mas fugiu ao estereótipo do aluno de excelência. Trabalhou como caixa no Pingo Doce ao longo de todo o 12º ano.
Hoje foi um dia em que me vi literalmente grega para resolver uma situação que, embora não dependa literalmente de mim, é a mim que me vêm pedir explicações. E eu que adoro a Grécia, a filosofia grega e o seu legado, vejo-me da cor dos gatos gregos para me entender com eles. Não largam o osso, questionam, persistem e eu tenho que usar de toda a diplomacia que tenho e não tenho para responder "a sorrir" embora me tenham muitas vezes conseguido enervar.

Mas ao longo destes anos de trabalho posso dizer que aprendi a ser muito assertiva. Quando era mais nova, a impulsividade criou-me uma fama de implacável e severa, que na realidade não sou. Passei por isso a, antes de ter que escrever certos emails, ir dar uma volta até ao fundo do corredor, voltar, beber um gole de água e escrever com uma assertividade suave e delicada para não ferir susceptibilidades.

Pelo que hoje, depois de uma gestão dificil, recebo os seguintes comentários ao meu statement:"But you are right in this case. (...) My mistake. (...) Sorry for the misunderstanding."

Missão cumprida....por hoje. Não deixa de ser positivo saber que tenho aprendido tanto e conseguir pô-lo em prática é animador. Vou morrer uma pessoa bem melhor do que aquela que era há 20 anos atrás e isso deixa-me apesar de tudo feliz. Sofri como um raio e sei lá eu o que ainda aí vem, mas continuo a ter como missão pessoal melhorar os pontos em que falho. Ainda não consegui melhorar aqueles que me afectam directamente e só a mim - é que até nisto se nota que não sou nada egoísta e coloco sempre os outros à frente de tudo o resto. E não pode ser, aqui terá que ser o oposto. Aprender a ser egoísta, sacaninha, um bocadinho mentirosa e cínica talvez, podem ser a chave para a minha perfeição.

Hei-de lá chegar.

A cria está a precisar de mais roupa de cama

E vai daí a mamã, que a tem sempre no pensamento comprou este conjunto absolutamente amoroso:


Estou em crer que vai ter definitivamente sonhos mágicos e côr-de-rosa!

Prognóstico

Pois que a teoria é que mais coisa menos coisa o meu Samsung S6 vai explodir. Eu nem quero imaginar o que será um telemóvel a explodir e com que traumas ficarei para o resto da vida. Tratei sempre tão bem dele, não há direito.

Sim, penso demasiado, sofro pelos outros

E não ganho nada com isso,  mas é a minha massa e se assim não fosse, não seria eu. Isto passou-se há horas, mas mesmo assim não me sai da cabeça. Tinha acabado de deixar a miúda na escola, em passo acelerado dirijo-me para o carro e oiço um “ bom dia”. Não reconheci a voz embora se aproximasse de mim um vulto, olhei de relance e estava perante uma senhora de idade, dos seus 70 anos para cima, que provavelmente nunca terei visto na vida.
É tudo muito rápido, de manhã não sou a criatura mais afável do mundo, ainda devo ter pensado para com os meus botões algo do género “o que é que está quer”,  não obstante lhe ter contribuído a devida saudação.

Pergunta- me de seguida se por acaso no meu prédio não precisavam de uma pessoa para limpar as escadas. Este tipo de situação para o meu feitio, mortifica-me. Aquela senhora com aquela idade já merecia literalmente sopas e descanso e ter que se sujeitar a fazer limpezas....fiquei triste. Tão pouco sei o que o amanhã me reserva, se não serei eu própria a fazer algo semelhante, não estou livre disso, mas ver uma pessoa no Inverno da vida com esta humildade, fez-me estremecer. A vida para muitos é mesmo dura. Demasiado.

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

A neutra foi-se. O bicho ressuscitou!

Os engenheiros sabem mesmo tudo. O meu querido P. lá me foi dizendo que tinha que o deixar arrefecer e que o telemóvel ia ressuscitar mas aquilo fervia, sendo o mais curioso o facto de não estar ligado a nenhuma fonte de energia. Mas como é que aquilo emanava aquele calor?? Pois que o senhor engenheiro lá me ia passando instruções e eu só via que o telefone tinha morrido. Pois que agora pego nele, já estava frio e....tcharam!!! Foi telepatia. Até à distância fazes milagres my dear. Thanks!


É tudo uma questão de memória


Neura

Portanto chego a casa e percebo que o meu telemóvel se foi, não liga nem por nada. Não é o número que utilizo para as pessoas mais chegadas, mas é um telemóvel de que necessito para o dia a dia. E não liga nem por nada. Era tudo o que não me faltava era ter que comprar um novo. Já me custou uma ida ao ginásio, porque tentei de tudo para ele se ligar e nada. Enfim...tenho que ter sempre alguma coisa para me irritar.

Tive a sorte de ter alguns

E a satisfação que sinto por ainda me cruzar com alguns dos que me acompanharam nos ensinos básico e secundário, ir dar-lhes um beijo e um abraço, saber que também se lembram de mim e que fui uma aluna que lhes deixou boas lembranças. Tendo em conta que nalguns casos já lá vão mais de 30 anos, é bonito :)



Fenómenos do crescimento infantil em comprimento e da meia-idade em volume

Não são raras as vezes em que a miúda veste uma peça de roupa que lhe serve na perfeição, depois a dita peça pessa pelo circuito da lavagem, passagem a ferro, armário e quando volta a vestir outra vez...já não serve. Parece que estou no filme "Querida, encolhi os miúdos!" mas ao contrário.

Al calças viram corsários, as camisolas de manga comprida passam a 3/4 e as t-shirts passam a mostrar o umbigo. De salientar que não me enganei no programa da máquina. Bastou a cena da minha camisola de caxemira.

Com os vestidos então, fica a parecer aquelas bonecas antigas que mostram as culotes. Ou seja, do alto dos seus 9 anos, já veste tamanho 11/12.

Comigo tenho fases em que o fenómero é, digamos que para os lados e aí acho que o defeito é dos tecidos, não sou eu que engordo, de todo. Aquela sensação de que tenho que encolher a barriga para fechar melhor as calças, etc. etc. etc - a qualidade da roupa já não é o que era, ora esta! Nem é a minha bebé que está a ficar uma crescida, nem sou eu que estou a ficar obesa.

É uma boa perspectiva de ver as coisas


terça-feira, 17 de setembro de 2019

É sempre útil saber

Onde é que se pode estacionar grátis em Lisboa?: Conheça as zonas da capital que estão ainda livres de parquímetros. Em algumas não será por muito mais tempo...

Everyday


Eu pelo menos sou assim


...mas no meio de tudo, tem consciência

Ou não tenha uma mãe que lha cultiva. É que isto de lidar com pessoas sem consciência, valores e sentimentos começa a irritar-me profundamente.

Vai daí, hoje de manhã, até eu já me tinha quase que esquecido do stress de ontem ao fim do dia, puxa-me pela camisola e pergunta:

"Mãe, porque é que tu não gostas de mim?" - isto para quem não conhece a minha filha é a prova de que ficou a remoer no que me conseguiu enervar na véspera e estava numa de "fishing for compliments".

A nossa vida familiar dava uma comédia por vezes.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Quem disse que aqui era só paz e amor!?

Hoje está refilona, teimosa e a roçar a má educação. Começou a escola, começa a proliferar o desvio.

Pode ser, em azul também


Lembra-me o FB que há um ano atrás estávamos assim

As Paez encardidíssimas, mas a elegância de sempre. Esta miúda tem porte de Duquesa mesmo :)