quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Dedicado ao P.

O P. é o meu mundo, a minha alegria, a minha esperança num futuro bom, o meu sorriso, as minhas lágrimas de alegria, o meu porto de abrigo, a personificação dos meus mimos...enfim, à excepção dos desentendimentos que fazem parte da vida de qualquer casal, o P. é o meu outro Eu, a minha metade.

Mas não vou falar agora acerca dos meus sentimentos por ele, que são muito importantes e reais; vou centrar-me no dia de hoje (27/11/08) e no significado que este dia tem para ele.

Faz hoje precisamente 5 anos que um acontecimento mudou para sempre a vida do P. e só ele sabe que reflexos isso teve na altura na sua vida e hoje em dia para com as suas atitudes, os seus sonhos e os seus projectos.

Sei que hoje é um dia de introspecção para ele, sei que hoje é o dia de avaliar o seu passado, o seu presente e o seu futuro, sei que hoje é um dia de grandes recordações, nem todas elas substancialmente positivas mas...

...tenho a certeza de que um acontecimento apesar de ter a capacidade para mudar para sempre as nossas vidas, também molda aquilo que vamos sendo, a forma como nos olhamos e como agimos com os outros.

Talvez por isso a par com toda a sua temperamentalidade que lhe confere tanta graça, o P. seja uma pessoa muito alegre, bem disposta e de bem com a vida. Tem-me ensinado a lidar com alguns medos, com algumas provações e a sorrir (embora eu nem sempre seja uma aluna muito aplicada).

E como não concordo que se homenageiem as pessoas quando elas já não estão entre nós, aqui fica retida toda a minha admiração por ti, pela forma como encaras a vida, com a forma como ultrapassas os maus momentos, pelo ser superior que és (private joke), pela tua generosidade, e por seres sempre tu próprio, mesmo nos momentos mais difíceis.

Hoje não é dia de dar Parabéns, mas é dia de dizer Força, Luta porque a vida e o meu Amor por ti te sorriem.

Da sempre tua
T.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Interessante este pensamento...

"Existe no mundo apenas uma pessoa com poder suficiente para melhorar a sua vida.
E essa pessoa é...você mesmo"

(Dirk Wolter)

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

E voltando a falar no Xá...


...que para quem não sabe ainda é o novo membro da minha família, o meu bébé gato Persa, esse querido animal a quem tanto me estou a apegar faz hoje 2 meses de vida, embora só esteja comigo desde o passado dia 16.

Continuam a ser momentos muito enternecedores com ele, muito ternurentos, que me deixam um sorriso nos lábios todo o tempo em que eu e o P. estamos com ele, e ponho-me a pensar no que ele andará a fazer enquanto estamos fora.

Animal ou não, não deixa de ser uma cria que necessita da nossa atenção e dos nossos cuidados, do nosso carinho e da nossa ternura e é tudo isso e muito mais que daremos ao nosso (ainda) pequeno Xá.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Já tenho o Bébé Gato (Xá)


Nos últimos dias tenho andado tão contente, tão contente, tão contente...
Depois de muito pedinchar ao P. por uma mascote, depois de muito insistir na ideia e confesso, depois de muito chatear a sua paciência de santo, eis que ele lá se mostrou disponível para ver uns espécimes - note-se, ver apenas, sem qualquer compromisso.
...Está bem, eu confesso...para além da minha capacidade persuasiva, também usei de "chantagem", ou seja, uma noite de discoteca que naquele dia não me estava a apetecer particularmente dado o muito cansaço, valia o tal felino, aquisição esta com prazo até dia 10 de Dezembro.
E o P. que adora fazer-me as vontades, ver-me feliz e com um sorriso rasgado nos lábios lá aceitou tamanho negócio (no que ele se foi meter).
Lá contactámos um criador de gatos Persa, lá fomos no Domingo passado (repito, sem qualquer compromisso) ver as pequenas "feras" felpudas e roliças.
Digamos que mal entrei, o meu entusiasmo ainda cresceu mais. Eram lindos, lindos, lindos. Quatro espécimes bébés com cerca de 2 meses e uma ninhada com apenas 3 semanas.
Fiquei rendida àquelas ternuras e à restante família de quatro patas.
P. ainda se mostrou aparentemente renitente, não deu logo o braço a torcer "the show must go on" e tal, ainda quis ir tomar um café para pensar, continuou com toda a altivez do seu charme e no fim de tudo e a páginas tantas em frente ao multibanco, o gesto mais romântico e generoso do dia - a aceitação do novo membro da família, ainda que com relativa aparente relutância.
Lá fomos de novo ao ponto de partida olhar bem para todos eles e trazer aquele que iria fazer parte das nossas vidas daí em diante...
Veio o Xá, lindo de morrer, com uns olhos verdes grandes, o mais pequeno da ninhada, mas uma autêntica bola de pêlo. É um fabuloso gato Persa bicolor azul e tabby que tem feito as nossas delícias desde o passado Domingo dia 16 de Novembro de 2008.
Para além de ser bébé e fazer todas as gracinhas que qualquer bébé faz, é muito dócil, afável, simpático, brincalhão e faz imensa companhia. Dou comigo a pensar, como é que um animal tão pequenino, nos consegue transmitir tão boas emoções?
Escusado será dizer que estamos rendidos ao pequeno ser, que pensamos em como ele estará enquanto trabalhamos e que queremos proporcionar-lhe o melhor bem estar enquanto parte da nossa família.
E aqui deixo à distância muitas festinhas e muitos carinhos para o meu bébé gato, Xá.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Parabéns Mickey!



E quem é será capaz de dizer que o Mickey não faz ou não fez parte do seu imaginário infantil e não só?
No meu caso, continua a ser um dos personagens da Walt Disney mais emblemático...talvez porque apesar de não gostar de ratos, este espécime seja bastante simpático; talvez que pelo facto de nunca ter mudado de indumentária, continue a conservar uma frescura e uma simpatia muito características; talvez por conservar aquele sorriso enternecedor que nos consegue "enfeitiçar" no reino da fantasia; talvez por manter umas orelhas e uns contornos que o tornam num personagem absolutamente cativante.

E pensar que ao mesmo tempo que mantém toda esta jovialidade, perfaz também 80 simpáticos e ilustres anos, a encantar miúdos e graúdos.
Faz-me crer que quando as obras de arte, são de facto de qualidade, adquirem intemporalidade e reúnem seguidores de várias gerações.
O Mickey vai continuar a encantar, a conservar o seu bom aspecto, tal como os seus pares, vai continuar a fazer parte do nosso imaginário e das nossas fantasias de criança.
Parabéns Mickey, parabéns Walt Disney e que venham mais uns quantos anos com histórias e animações com a qualidade a que nos têm habituado.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

E porque não falar em Amor...



Dedicado ao meu amor P. e ao sentimento que temos um pelo outro...e porque sei partilhar, dedico também a todos aqueles que amam...

Porque o Amor move montanhas, derruba barreiras e é o sentimento mais bonito e puro que existe, embora muitas vezes seja esquecido.
Implica dádiva, partilha, generosidade, gestos simples ou calorosos, mas nunca deixará de ser o sentimento maior.
O Amor é....Tudo.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

"Cinéfilices"

Já não sendo segredo para quem me conhece que adoro cinema, embora os meus filmes de eleição sejam tramas mais antigas (Citizen Kane, O Nome da Rosa, Apocalypse Now, Os Pássaros, África Minha...entre tantos outros), os musicais continuam a fascinar-me muito.
Não só porque dispõem bem, passa-se um bom momento de cinema, não nos obrigam a pensar muito, põem à prova outros dotes a que muitos actores não estão habituados e normalmente trata-se de comédias, o que, dada a conjuntura actual, nos faz cada vez mais falta.
Neste caso específico gostei da história, do enredo, das músicas intemporais dos ABBA, das notas de humor e da sempre notável interpretação da Meryl Streep; seja em que género fôr, aquela senhora é de facto uma actriz extraordinária (de se lhe tirar o chapéu).
Para o P. que não aprecia nada este género cinematográfico ficou a absoluta rendição a esta peculiar película rodada pelos paraísos gregos e valeu o meu espírito persuasivo a convencê-lo a deixar-se de preconceitos e aproveitar da melhor forma possível as duas horas de filme.

Adorou, aliás, adorámos os dois e foi mais um serão muito bem passado na nossa cada vez melhor companhia.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

E porque hoje é Dia de S. Martinho...




"Pelo S. Martinho vai à adega e prova o teu vinho"

Estas e outras quadras acompanham-nos neste dia que por norma é solarengo e quente (dada a época), mas que neste ano trouxe alguma chuva para uns mais a norte e nuvens escuras para nós, mais a sul.

Mas faça chuva ou faça sol, este dia não poderia passar sem cumprirmos a nossa pagã tradição e dedicarmo-nos ao nosso mais ou menos recheado ritual de S. Martinho.

Sejam assadas ou cozidas, queremo-las é "quentes e boas" e bem acompanhadas com a tradicional água pé.

Um bom dia de S. Martinho para todos e mais um rito pagão para juntar à nossa vasta colecção.

Não é tão ternurento!?


É verdade que já não sou nenhuma criancinha, é verdade que já tenho a noção do certo e do errado e a noção do trabalho e responsabilidade....mas....gostava tanto tanto de ter uma mascote lá em casa, e estou rendida ao encanto dos gatos persa.
É verdade que sempre fui avessa a animais dentro de casa...mas os gatos são tão asseados e independentes...
É verdade que sempre fugi de gatos em casa, a pensar no sofá, nos belos cortinados e nos meus bibelôts....mas os persas são tão mansinhos e fazem tanta companhia.
...E...mudei de opinião. Rendi-me aos encantos deste felinos felpudos.
Será que sou troca-tintas e o facto de olhar para uma ternura destas me desconcertou e deitou por terra as convicções antigas?
Uma coisa ou outra neste momento não tem grande importânia; P. por favor, pensa lá nos meus apelos, era tão engraçado ampliarmos já o nosso agregado familiar...

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Mudança de Dinastia

E eis que a notícia mais que esperada chegou.
Barack Obama é o novo presidente eleito nos Estados Unidos da América.
Finalmente uma boa notícia, na minha parca opinião, não só para o povo americano, como também para a conjuntura mundial.

Não posso disfarçar o meu entusiasmo por constatar que finalmente foram premeados os bons valores morais, a mudança, a inteligência e o sentido de Estado, em detrimento de factores mais ou menos claros que muitas das vezes movem o eleitorado.

Espero que esta eleição contribua para uma nova ordem mundial e para um sistema um pouco mais justo para todos, principalmente para o povo americano e que, os ventos de mudança que começaram a soprar, sejam pautados sempre por atitudes positivas e ordeiras em prol do alcance de uma relativa estabilidade mundial há muito perdida, em parte devido à má governação dos últimos dirigentes da "grande" nação que é a América.

E que o grande dia de Barack Obama, seja também o início de muitas novas ideias, úteis convicções, decisões de carácter e sentido de justiça.

Esperemos para ver o que este futuro próximo reservou para todos nós...