sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

E é tão bom...


Há que conceptualizar para que não haja dúvidas

“Mamã, há lá dois meninos na escola, um do segundo ano e outro do quarto que gostam de mim, mas é por amor!”

A verdade é que fiquei sem qualquer dúvida. Não há como esclarecer as coisas logo na base da sinceridade!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Como o estado actual da sociedade nos faz desconfiar...e quando o nosso coração nos impele a ajudar

De passeio por uma avenida como tantas da nossa cidade, ia com uma amiga distraída na conversa ao que um indivíduo nos trava, cada uma acelerou o passo, ele ia dizendo para não termos medo e eu com aquele instinto de ir andando mas a olhar para ele e saiu-me um:

“Desculpe, estamos com pressa, o que pretende?”

Lá disse que tinha vindo do Alentejo há uns dias para trabalhar, que foi enganado, que lhe tinham roubado 300€, que andava a dormir na rua, e se lhe podíamos dar alguma coisa para comer. Ficámos estáticas. A verdade é que olhei para ele a tentar perceber se alguma daquela narrativa era real, não estava com ar de quem tivesse consumido substâncias...mas...é tudo tão estranho. Ok, tem fome, estávamos em frente a uma pastelaria entreolhámo-nos e em perfeita sintonia dissemos que se ele quisesse comer, lhe pagaríamos a despesa. Os olhos dele sorriram, o homem até cresceu, fez-me tanta pena. Disse que lhe apetecia um croissant com creme de ovo e um leite com chocolate. Lá pedimos, mesmo assim no meio daquele episódio lembrei-me de lhe perguntar se ele gostava de queijo, disse que sim, como se a ouro me referisse. Pedi para lhe prepararem uma sandes de queijo, que embrulhassem para ele comer mais tarde, pagámos as duas a conta. Veio atrás de nós dizendo que não tinha dinheiro para nos pagar, mas que nos podia carregar as compras ou fazer o que fosse preciso.

Desejámos-lhe que conseguisse resolver minimamente a vida, voltámos ao nosso caminho e durante uns momentos não conseguimos falar. Depois, respirámos ambas fundo e sentimos que tínhamos com  tão pouco a cada uma, melhorar o dia de alguém.

Não deixou de me fazer impressão o senhor da pastelaria ter sido incapaz de dar alguma coisa ao homem, mas a vida assim. As acções ficam mesmo para quem as pratica.

O que é que eu comprei para mim!?

Umas coisitas aqui e ali, mas para uma amante das letras, perdi-me por este Moleskine que me irá acompanhar pelos próximos meses.


Crash! Boom! Bang!....

Os elogios mais queridos de hoje, cada um no seu género:

"Quarentona jeitosa"
"(...) continuas sempre uma princesa"

Quem pode, pode!

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Lindas....

É de encher o coração receber um ramo destes, lindo no dia de hoje. Há pessoas assim, que são maravilhosas.


Mommy turned 42

O cartão de cidadão assim o diz, a minha mãe também, ela estava lá, ela sabe.

42 anos de mim. Já são alguns. Uns passaram a correr, outros nem tanto. Os bons momentos foram como um sopro, os maus são mais teimosos e perseguem-me. Mas cá estou a viver e a aprender. Não, não vou viver outros tantos, nem nada que se pareça. Mas que o que me falte viver seja melhor do que o que já passou, ou tenha mais bons momentos.

Parabéns a mim!!!

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

And so on...


De mim para mim

Já não é de hoje que digo que sou a melhor pessoa para comprar prendas para mim própria. Não falho, acerto sempre. E este, bom, este é daqueles para fugir às convenções. Para usar no indicador...acho que é capaz de ficar giro.



E a saga continua....

....prendas verdadeiras é que nem vê-las!


Conflito geracional ou...se isto é assim aos 9....

Sair de casa de manhã com a minha filha é um tormento, ao ponto de eu ficar à beira de um ataque de nervos. Não que acorde tarde, mas faça-o a que horas for, saímos sempre à tabela, muito à conta dos dramas existenciais da miúda, coisas de mulheres....roupa!

Hoje embirrou que queria vestir uma dada camisola que não estava passada a ferro. Ela tem dezenas de camisolas, mas tinha de ser aquela - e depois pára, chora com lágrimas, ranho e tudo aquilo a que uma cena dessas obriga. My little Drama Queen ao seu melhor. Mas irrita-me. Eu tenho as minhas obrigações e ela tem as dela, que são entrar na sala de aulas às 09:00h. Eram 08:58h e nós ainda em casa.

Sim, a escola está a um atravessar de rua de distância, mas não pode ser assim.

Dou um berro:

"São 09:00horas, vais chegar tarde! Vais sair de casa já, conforme estiveres!" - ainda tinha a parte de cima do pijama vestida.

Responde:

"Não quero saber!"

Peguei nas minhas coisas, abri a porta e saí, ao que ela apareceu rapidamente. Àquela hora optei por ignorar o "não quero saber", mas quer-me cá parecer que teremos que voltar a ele em breve. Há por aqui resquícios de desafio à autoridade e até mesmo falta de educação.

Ok, são 9 anos e meio, pelo que a adolescência desta criatura promete!

domingo, 8 de dezembro de 2019

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Quando se estão a borrifar para nós mas colocam nos píncaros os nossos filhos

Aproveito sempre (ou tento) os períodos de férias para fazer o tour pelos médicos, e hoje lá liguei para o dentista para marcar higienista oral para mim (sim, porque isto de se ter a pancada com os dentes também requer dedicação) e uma consulta de revisão para a miúda que quer-me cá parecer vai precisar de corrigir a posição de uns dentitos de cima. Veremos!

Primeiro fiz a minha marcação e so far so good, perfeito anonimato. Quando chega a vez dela e me pede o nome da miúda, eu lá digo os 2 primeiros e antes mesmo de pronunciar o apelido, diz-me a senhora assim:

“Ah, é a Ritinha!”

Bom, perdi de facto completa e totalmente a minha identidade. Passei a ser quanto muito a mãe da RITINHA.

Isto até poderia parecer normal se eu andasse a caminhar com ela regularmente para o dentista, mas a verdade é que não vou lá há cerca de um ano e meio.


Falharam-me algumas matérias de Geometria, mas entretanto já tive explicações particulares

Saíram caras, não pude descontar no IRS, mas serviram para recuperar matérias que me tinham escapado nos tempos de liceu, em que andava mais preocupada com as Letras.


Bom, se virar a página implica continuar com o mesmo livro enfadonho...que também os há

Vale mais fechá-lo e encomendar outro na Wook, ou na Bertrand, Fnac, ou até mesmo no Continente, porque a Feira do Livro do Parque Eduardo VII é só em Maio.


A Lei de Murphy à saída de casa

A minha filha nasceu para me dar cabo da paciência, enervar-me, e faz-me desejar, volvidos estes 9 anos que ainda pudesse devolvê-la à procedência, mas o tempo de garantia já expirou.

É a rainha dos calores, desde que nasceu. Com dias de vida destapava-se, gosta de tomar banho de água quase fria, o leite dos cereais frio...é uma rapariga dos trópicos, literalmente.

Como qualquer jovem, é uma guerra para sair de casa com um casaco quente quando tal é necessário, conseguir que feche o casaco é uma odisseia, gorros, cachecóis, luvas!? - tá quieta óh mosca!

Pois que quando me vê sair de casa de gorro na cabeça e luvas nas mãos faz este tipo de cena ridicula:

"Buáááááááááááááá, eu quero um gorro igual ao teu. E tu tens luvas, eu também quero!"

Juro que não percebo esta gente!

A aproveitar a maré de ter o "bom" colesterol altíssimo, que segundo o meu cardiologista, dada a vida pouco dada a práticas desportivas que faço, é um fenómeno

Não resisti a comer uma rabanadita ao pequeno almoço. Soube-me pela vida :) Não fosse o facto de ter que fazer dieta urgentemente por questões de peso a mais, até teria comido duas!


Com tanta derrota este "xôtor" qualquer dia muda de profissão

Ainda estou para ver o resultado da instrução ao "marquês" da Braancamp.

https://observador.pt/2019/12/05/ivo-rosa-novamente-derrotado-na-relacao-desta-vez-por-nao-querer-considerar-declaracoes-de-salgado/?fbclid=IwAR0U-z7-b8v7sXQgXrfpSQ4mWCsLm3kLt0lARPsjyzX57LUvHCy49P2B2Ek

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Tenho um amigo, uma pessoa daquele tipo com que só nos cruzamos uma vez na vida que hoje decidiu profetizar que vai morrer em finais de 2020.

É uma anta, ou não é!? Mesmo que não seja, foi o que lhe chamei. Parece que é parvo. E depois com quem é que eu me iria chatear, irritar, bloquear o whatsapp...anta!

Eu não digo....!?


terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Começo a ser alvo de coacção psicológica

Multiplicam-se as mensagens de "gente" que me quer oferecer....descontos. Não se limitam a dar presentes que é o que eu mereço...não, o máximo que conseguem são descontos. Amigos da onça!


Coisas que me fazem confusão

...mas aquela criança Greta não vai à escola!?

Constatação do dia

"Mamã, quero dizer-te uma coisa. Eu vou ser mais alta do que tu!"

Assim, a frio, que nem uma seta embebida em cicuta. Toma lá que é para aprenderes!

....isto dito assim quando ainda estamos com a neura da manhã e caminhamos a passos largos para a idade em que começamos a encolher...é animador.

66...

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

A disputa de um canídeo no Tribunal de Família e Menores

Uns, quando vamos lutar pelos direitos dos nossos filhos humanos, ainda nos atiram à cara que estão fartos deste tipo de processo em que os pais não se entendem e que, mesmo que um dos progenitores não cumpra, o outro tem que se aguentar - outros então até chegam ao ponto de chamar cães à sala de audiência. Se fosse nos States eu até entendia, aquele povo vai ao tribunal discutir as coisas mais surreais, agora aqui, ao ponto em que a nossa justiça está, em que temos processos ditos urgentes que se arrastam por longos e penosos anos honestamente acho um perfeito disparate.

Por acaso gostava de ver se o Ilustre Magistrado com a sua Beca vestida, também tinha lá um osso para dar ao cão, não fosse o bicho ficar stressado num ambiente que lhe era estranho.

https://www.publico.pt/2019/12/02/sociedade/noticia/kiara-cadela-disputada-excasal-tribunal-fica-dona-1895871?fbclid=IwAR1prFUBhXmZd0F8FaCYzbfM1y2qxhNZIon8_krQftXOfSsYwAiKbsxcUKg

Que saudades do Verão passado...

Lago Salgado - Tunísia 

domingo, 1 de dezembro de 2019

Restauração da Independência e não só

É um dia histórico para nós portugueses e também é o Dia Mundial da Luta contra a Sida. E no meio das minhas leituras, descobri (ou a minha memória afinal começa a atraiçoar-me) que um dos meus mestres, Michel Foucault também sucumbiu a esta doença. Ninguém está livre.

As tardes de Domingo sem a maravilhosa vista de Lisboa, já não são a mesma coisa

O tempo até pode estar farrusco, mas Lisboa e boa companhia são o suficiente para recuperar energias. I really love this!


Pessoas queridas

Quando recebemos uma mensagem de manhã de uma pessoa que nos diz que se lembrou de nós porque começou o mês do nosso aniversário....são estes pequenos gestos de afecto que me aquecem a alma. Obrigada my friend.

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Aquelas coisas que uma pessoa até gosta de ouvir

Vá, sou humana e muito pouco emproada até.

“Mãe, hoje as professoras do Centro de Estudos disseram que tu és muito bonita!”

E eu:

“Ai sim? Então e a que propósito veio essa conversa?”

“Eu conto mãe! Uma das professoras disse que eu estou a ficar muito bonita e depois disse para eu ter cuidado porque ia ficar tão bonita como a minha mãe. E depois a Cecília que é a directora disse assim: a mãe da Rita tem muita beleza e simpatia. E depois a Vanessa também disse: é mesmo bonita a tua mãe!

Bom, face ao exposto, acho que rejuvenesci! Quem não gosta de receber elogios, mesmo que indirectamente, que atire a primeira pedra.

E quem é que pela enésima vez não teve escola por causa da greve, quem foi, quem foi?

A minha filha pois está claro!

É de Homem!

Jorge Jesus doa mais de 200 mil euros a hospital oncológico - JN

Já estou farta de receber mensagens, emails e afins a propósito da sexta-feira negra

Bolas, que gente cansativa!

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

E percebemos que afinal fez sentido acontecerem certas coisas, porque algo de bom nos esperava


Caixinha de surpresas

Chegarmos ao Centro de Estudos para ir buscar uma criança de 9 anos que após nos ver chegar nos diz do alto da solenidade que o momento impõe:

"Mamã, já chegaste? Podes ir para casa e vir buscar-me mais tarde, porque eu ainda quero estudar mais um bocadinho?"

Eu perguntar à professora se ela está com alguma dificuldade de maior, a professora encolhe os ombros como quem diz "isto é ideia dela, mas ela que fique"...sim, fico agradavelmente babada pelo compromisso e sentido de responsabilidade da miúda.

Tem pedigree ou não tem?

Já eu pensava que ela estava a dormir quando oiço o inconfundível:

“Mããããeeeeeee, anda cá!”

Eu já enroscadinha no sofá, quentinha, lá fui até ao quarto ao lado. Vejo-a sentada na cama a choramingar, pergunto-lhe, sem muita paciência confesso, o que se passa, ao que me responde:

“Dói-me o ilíaco!”

Qual dói-me aqui, qual dói-me a anca, qual mãe tenho dói-dói. Com ela é de termos clínicos para cima. Ela diz que quando crescer quer ser treinadora de cavalos, mas com o afinco com que anda com as questões  do corpo humano, ainda vai ser médica como a avó, está visto.

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Mais uma para alegrar a minha existência em modo mamã

A miúda trouxe hoje um Bom Mais a Estudo do Meio. É ou não é uma riqueza do meu coração!?

terça-feira, 26 de novembro de 2019

Existem pessoas mesmo bonitas...no matter how!

Que maravilha de ser humano! E é com pessoas destas que devemos aprender a ser um pouco melhor a cada dia. Que inspiração, e que longo caminho sinto ter a percorrer depois de ter lido isto.

"A minha mãe dizia aos médicos: 'fique como ficar, quero-o aqui'. Isso também me salvou"

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Épico

Hoje, ao dobrar da esquina para a escola da minha filha vislumbro novamente a multidão, o infortunio, o martírio. Depois de 2 semanas seguidas de greve, associei a que estivessem porventura a distribuir alguma coisa...a raspadinha por exemplo.

Confesso que ainda conservo em mim uma certa dose de boa fé...mas era ela; aproximando-me do portão lá estava o cartaz magnífico com pré-aviso de greve para os dias 25/11, 26/11, 27/11 e 28/11 sendo que para dia 29/11 já está agendada uma greve nacional do pessoal auxiliar.

A miúda lá teve aulas, mas claro, tem que se esperar que o professor titular entre e só depois entra a malta jovem e eu creio ter descoberto a pólvora seca:

Se calhar, pelo andar da carruagem é melhor começarem a avisar quando não há greve, pois a greve já se começa a transformar em regra. Está tão banal, tão banal, tão banal, que acho que se fizerem um protesto ao contrário, são capazes de conseguir chegar mais longe!

sábado, 23 de novembro de 2019

Acho o máximo!

Marcha do ″orgulho hétero″ esperava dois mil participantes. Apareceram dois homens - JN

Hoje foi a Promessa dela

Riqueza de sua mãe!

Guias de Portugal

Surpresa a la West End

Estava tudo encaminhado, julgava eu, para um serão de relax puro. A miúda já tinha uma dormida fora de casa marcada, e eu após uma semana de imenso trabalho tinha em mente enfiar-me em casa, sozinha, sossegada e usufruir de algum descanso.

Em plenas 7 da tarde recebi um telefonema para estar daí a 2 horas no Campo Pequeno porque me esperava O Fantasma da Ópera! Começo a acreditar que eu, surpresas e Campo Pequeno combinamos, e tive um dejà vú com um concerto do James Blunt em que me fizeram algo semelhante.

Entre os nervos de pensar que em duas horas ainda tinha que ir buscar a minha filha, dar-lhe o jantar, preparar a mala dela e deixá-la no local em que ia dormir e ainda rumar à capital, ia ser apertado mas...eu mereço que algumas coisas corram bem e pois que às 21.04h estava eu a entrar no parque de estacionamento.

Emoção pura. Mesmo. Pensei que me ia acontecer muita coisa este ano,  mas ver o Fantasma da Ópera estava out of my mind. Ainda estou nas nuvens. A Sofia Escobar é mesmo qualquer coisa. Arrepiei durante várias vezes, verti umas lagrimitas, mas acho que ninguém viu.

The Phantom of the Opera is there 
inside your mind 


sexta-feira, 22 de novembro de 2019

As decisões dúbias do Estado português

Portanto o bebé que foi abandonado tristemente à sua sorte no Ecoponto amarelo e que graças a várias situações se safou e com saúde, já foi entregue e muito bem a uma família de acolhimento. Precisa de colo, de afecto, de carinho, de atenção - tudo aquilo que lhe foi negado desde o primeiro contacto com a vida extra-uterina. Era ainda mais desumano ser entregue a uma instituição.

O Estado português proporciona à família de acolhimento uma compensação de 601€ por mês, para comparticipação das despesas da criança que é tutelada pelo Estado - totalmente de acordo.

Mas o mesmo Estado português, e entidades como o MP em processos de regulação das responsabilidades parentais acham que uma mãe que fica com uma criança a cargo completamente sozinha e não sendo essa mãe abastada, tem que se aguentar com uma pensão de alimentos em regime de tudo incluído de pouco mais que uma centena de euros.

Não deveriam ser encaradas da mesma forma as despesas com uma criança? O altruímo de uma família de acolhimento é compensado desta forma...e então o esforço de mães e/ou pais que ficam com os seus filhos sozinhos, sem os abandonarem à sua sorte e com constantes sacrifícios e desafios para que nada lhes falte, já que a outra parte se está a borrifar!?

Honestamente mesmo que não me tocasse a mim, causar-me-ia a mesma urticária aguda que me causa o sentir na pele estas injustiças.

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

A minha mãe que nunca ouse sequer pensar que eu uso este tipo de terminologia

Mas a verdade é que às vezes dou comigo a admirar a minha filha e penso cá com os meus botões:

"Bolas, gosto mesmo desta chavala!"


Chegou...

Aquela altura do ano em que começamos a ser adicionados em barda a grupos de whatsapp para jantares de Natal, festas de anos em cima dos jantares de Natal, espectáculos de Natal e não só, saídas, farras, noitadas...e uma pessoa começa a ter que marcar literalmente na agenda, senão vamos começar a ter sobreposições!

A vida sem amigos seria mesmo vazia.

terça-feira, 19 de novembro de 2019

Mas como temos mãozinhas, elas protegem-nos, e mesmo feridas, ajudam-nos a levantar de novo



Porque hoje é o dia deles - Dia Internacional do Homem

Corria o ano de 1999 quando Jerome Teelucksingh em Trinidad e Tobago com o apoio da ONU e de vários grupos de defesa dos direitos masculinos decidiu iniciar as comemorações e a sensibilização para as causas do homem em si e per si.

Sim, muitos falam que existe o Dia da Mulher, blá blá blá e desconhecem completamente que o Homem também tem um dia e muito bem. Devemos estar conscientes dos papéis na sociedade, sem sexismos, sem demagogias, sem parvoíces.

E existem homens Grandes, tal como existem mulheres Grandes e essa grandeza, coragem, força, perseverança bem como a luta pelos seus direitos, jamais deve ser esquecida.

Portanto aqui fica o meu agradecimento aos homens por esse mundo fora que tratam de fazer das suas vidas e das de quem os rodeia algo melhor, e aos homens com quem privo em particular e que são dignos e pessoas de facto incríveis, um beijinho especial e um sorriso dos meus que eu sei o quanto gostam dele.

Beijinho meus queridos!

Vou ali até ao Cacém e já volto

Ontem ao vermos as notícias, falavam acerca das inundações em Veneza, centrando-se na Praça de São Marcos.

Comentário da minha filha:

"São Marcos é aqui perto de Lisboa, não é mamã?"

"Também filha, também...mas esta é mesmo em Itália!"

"Mas porque é que dão o mesmo nome aos sítios?"

....realmente esta gente não percebe nada disto. A criança tem razão. Porque é que complicam!?

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Infelizmente de canalhas está o mundo cheio...e eu já conheci alguns.

Ajam com dignidade criaturas do demónio. Até o JFK concorda.


Jeff Buckley - We all fall in love sometimes

And we can feel true magic even when we thought it wouldn't happen again...and it's so special!

domingo, 17 de novembro de 2019

sábado, 16 de novembro de 2019

Haverá pessoa melhor do que eu para comprar presentes para mim!?


Haver até há, mas eu até tenho jeito para a coisa!

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

As coisas que eu descubro

Não sou uma mãe que passe a vida na escola a falar com a professora. Em primeiro lugar porque não é do meu feitio e em última instância porque não tenho tempo. Não falho as reuniões de pais e quando percebo que a criança anda mais agitada, marco uma pequena reunião, mas por norma até consigo gerir as coisas por email.

Sei o que ela estuda, acompanho no portal os sumários, vou lá de vez em quando ver alguma novidade, as notas, comentários e afins, mas hoje concluo que tenho estado desatenta, o que não é meu apanágio por sinal. Então não é que a miúda pelos vistos tem "Robótica" e eu ainda não me tinha apercebido. Por isso é que ela quer um Robot. Tudo começa a fazer sentido.


No meu tempo era Língua Portuguesa, Matemática e Meio Físico e Social - já não bastava terem mudado o nome para Estudo do Meio, ainda têm mais áreas do que eu tinha em cada ano de faculdade. Os futuros Drs. deste país vão saber muitas coisas. Tenho fé neles!

Chamar-lhe cobardia é ser demasiado light...eu até diria que é de falta de carácter, promiscuidade moral e afins para cima

https://jafoste.net/e-covardia-despertar-o-amor-em-alguem-sem-intencao-de-ficar/?fbclid=IwAR03mQv6iH6wSn1wG8_F96_WIML0_92g6QG05eINVcXoCFc0WBJq6smJHgI

Portanto, ou não confiamos em ninguém, ou descobrimos que encerramos em nós um compêndio de lições


quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Filha...há 9 anos a encantar-me!

Inglês - 100%
Estudo do Meio - Bom
Português - Muito Bom-
Matemática - Muito Bom+

Riqueza de sua mãe. Every word, every line, everything! My world!

Os miúdos só dependem mesmo das tecnologias se os pais quiserem

Ou, dito de outro modo, se os pais derem esse exemplo.

Eu acredito e defendo que há tempo para tudo e que se a utilização de gadgets foi regrada e conferindo-lhes a utilizade que têm, são excelentes. Utilizá-los para lazer e substituição do tempo em que podemos fazer outras coisas que nos acrescentam mais valor, é permitir que o ser humano estupidifique.

Oiço em conversas de amigos comentários do género que os filhos não gostam de ler, não gostam de cinema, não gostam de isto e daquilo. É curioso que esses mesmos miúdos gostam de passar horas ao telemóvel, gostam de passar horas na PlayStation, etc. São crianças desinteressadas? Não creio. Mas também não acredito que essas mesmas crianças não gostem nem de ler, nem de escrever, nem de cinema adequado às suas idades, fazer puzzles, legos, quebra-cabeças, etc.

Acho sim que é mais fácil para os pais dizerem que os filhos não gostam, do que lhes fomentarem hábitos culturais de gente com um nível cultural diferenciado e não vulgar. Cada vez mais fujo da vulgaridade e de mentes medíocres, bem sei, mas se não forem as nossas gerações a fazer alguma coisa, isto não vai longe.

A minha filha tem um Tablet - não fui eu que lho ofereci, não lhe teria posto nas mãos um aparelho daquele gabarito tão cedo, mas confesso que se mo tivessem dado eu também teria ficado muito feliz. E ela ficou, claro. A miúda teve um Tablet bem acima da média, muito antes de eu própria ter um aparelho similar. Ok, teve. mas quem gere o tempo e a forma de utilização, sou eu. E tanto que sou que só passados muitos meses de lho terem oferecido é que a deixei utilizá-lo para os joguinhos dela, para as músicas e filmes - sempre com a directriz de antes de lhe tocar, pedir-me, e se eu disser não, é não. Ponto!

Eu também já tive a idade dela, e o que eu vibrava com o Tetris, o Prince of Persia, o Samurai Warrior, etc., portanto desde que se utilizem bem as tecnologias, também faz parte. Mas se há tempo para isso, também tem que haver tempo para ler e fazer muitas outras coisas.

Lá em casa, para além de haver um limite de horas por dia para devaneios, vou mais além e aos olhos menos exigentes posso parecer fundamentalista. Mas com gente pequena, tem de ser, para mais tarde conseguirmos colher bons frutos. Quer dizer que o Tablet desde o dia em que começaram as aulas não mais foi ligado e não o será até às próximas férias - que, começam amanhã. Vindo as notas boas, terá Tablet até ao fim das férias, se as notas não vierem boas, temos castigo e o aparelho terá que esperar pelas próximas nupcias. Tão simples quanto isto.

Não prevarica, não me pede excepções, porque a regra está definida e não vale a pena abrir precedentes.

Portanto tenho uma miúda que aos seus 9 anos se entretém com as bonecas, puzzles, legos, livros, enciclopédias, escrita, desenho, pintura, televisão, chatear a mãe, fazer birras....e demais tecnologias, sempre que para tal haja espaço. A culpa é dos miúdos por estarem reféns da tecnologia? Não, de todo.

E o telemóvel?...bom, aí temos o verdadeiro busilis. Nestas últimas férias com o pai, uma amiga nossa deu-lhe um que a filha já não usava e ela levou-o para poder falar comigo sempre que quisesse. Foi a loucura, mas quando chegou, o telemóvel foi guardado para ocasião futura. Não lhe faz falta, está sempre acompanhada por adultos, pelo que se quiser ligar a alguém, pede ao adulto que com ela esteja. Quando for para o 5ºano, veremos. Parece-me tratar-se mais de um utensílio perturbador e desestabilizador do que de utilidade comprovada. Mas até lá, muita água ainda estará para passar debaixo da ponte.

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Isto está mesmo tudo perdido

Quando eu vejo pessoas que, são tão boas pessoas, mas só às vezes, a tentar encontrar desculpas para a pessoa que com 22 anos deitou para o Ecoponto amarelo um bebé que tinha acabado de parir, ainda por cima com vida, tal como eu, que devo ser um monstro sou capaz de atirar uma garrafa de amaciador Quanto para o mesmo Ecoponto; quando vejo pessoas que choram porque vêem uma ninhada de cães ou gatos abandonados ao lado de um caixote do lixo e coitadinhos dos animais, estas pessoas são umas assassinas; e quando vejo um juiz que chama a "depor" ou a "ladrar" perante uma sala de audiências neste nosso Portugal profundo, oprimido e ostracizado um cão, propriedade de um ex casal agora desavindo, para se discutir as suas responsabilidades "parentais" acredito que em prol do superior interesse do canídeo, que por acaso é um Beagle, mas podia muito bem ser um rafeiro, acredito que isto está mesmo tudo doido.

Atenção que não deixo de ser a pessoa que sou, de ter o meu (bom) senso, o meu sentimento de justiça, de solidariedade, de generosidade, para o que me rodeia e de ser acima de tudo mais uma cientista com o devido canudo académico que gosta de estudar e trabalhar estas dinâmicas. Se há um problema social e também sociológico grave com a pessoa que atirou o seu filho para dentro do Ecoponto entregue literalmente à sua sorte e que apenas sobreviveu por milagre, há, sem dúvida. Mas não utilizemos isso para tentar encontrar atenuantes aos seus actos, porque as agravantes são bem mais susceptíveis de análise. De facto no reino animal (e aqui coloco os ditos racionais e irracionais no mesmo lado da equação), só mesmo os humanos é que são capazes de abandonar um ser vivo que acabaram de dar à luz. Os irracionais aí, batem os ditos racionais aos pontos!

Quanto a chamar um cão para uma audiência em que se vai discutir com quem ele vai ficar ou em que regime ficará com ambos...é também nisto que os nossos magistrados trabalham e acumulam apensos aos seus processos. E nós humanos, quando necessitamos de fazer o mesmo pelos filhos de carne e osso, esperamos meses, anos...sim, parece-me que afinal ainda há muito para aprender...com os animais ditos irracionais e com as pessoas, em particular.

Digamos que não é um azar, mas azarito até foi

Existe uma fronteira muito ténue entre o facto de fazermos tudo ao nosso alcance pelo bem dos filhos e fazer sacrifícios por eles. Onde começa um lado e acaba o outro, honestamente não sei. 
Ressalvo que ao fazer algo que considere que me sacrifica um pouco, ou mesmo muito, não é um queixume exacerbado, é apenas uma constatação.

Estou numa fase em que as energias estão muito abaixo do razoável, sou um ser humano (oh, a sério!?), tenho imensos desafios pessoais e profissionais a que tenho que dar especial enfoque, pois a minha vida depende disso e tenho uma filha que depende de mim a 1000%, percentagem que vai decrescendo em razão da sua cada vez maior autonomia - ou seja, já dependeu ainda mais.

Sei que já fiz exames a tudo e mais alguma coisa e até ver, coisa grave em termos físicos não tenho, logo não existe uma relação de causalidade entre andar estoirada e presumir de falta de saúde. Atenção, falei a nível físico. Não vale a pena começar para aqui a desvendar a parte emocional, até porque tenho um je ne sais quoi de Fénix.

Quer isto dizer que mesmo depois de um fim de semana em que não fiz nenhum, tirando o facto de ter sido Mamma Driver e pouco mais, ao fim do dia de ontem estava cansada. E é um dos dias em que depois de sair do escritório, esteja ele onde estiver, tenho que ir buscar a minha filha, voltar a percorrer cerca de 15kms para a levar à natação, esperar naquela atmosfera de banho turco, tratar dela, vesti-la, voltar a percorrer os tais 15kms, nos dias em que ela está mais cansada e que adormece no carro ainda tenho que carregar com os quase 30kgs dela ao colo mais:
  • Mochila dela
  • Lancheira dela
  • Saco da natação
  • A minha mala
  • A minha mochila do computador, com o computador, carregador, rato, etc lá dentro
  • 2 Guarda-Chuvas
Tudo isto para um 3º andar sem elevador. Depois chego a casa, continuo a ouvir birra, tenho que lhe dar o jantar, tenho que dar beijinhos, tenho que tratar do equipamento da natação, tenho que a deitar, apagar a luz....

Mas é o que tenho, e com mais ou menos forças, lá aguento com isso e muito mais, mas a verdade é que é um gosto fazer estas coisas por ela, mas não quer também dizer que algumas vezes não o faça com sacrificio. Como ontem, que mais me apetecia encostar e lá fui a correr porque ainda por cima ela ia ter uma aula de natação à qual queria muito ir, porque iam brincar com uns colchões.

Ya, chego lá, estou a dirigir-me para o balneário e vem uma amiguinha dela em sentido contrário a dizer que não havia aula porque a piscina estava interdita. Só não fiz birra por vergonha, porque a minha vontade foi mesmo deitar-me para o chão a chorar e a berrar. Que correria inglória a de ontem. E o que é que eu merecia?

Chegar a casa e ter um banhinho de sais preparado à minha espera, um belo jantar, um bom vinho, um bom serão, e um sono descansado.
O que tive - um duche de 5 minutos, um pão com manteiga, um copo com leite frio e adormecer torcida no sofá. É que até a televisão às tantas se desliga e me deixa para ali entregue à minha sorte.


Para ter espaço para tudo o resto


segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Eu sabia que me estava a guardar para isto

Afinal também temos um dia. Vivam os Solteiros!

O que esta notícia me trouxe à memória

Quando este senhor apareceu com o seu Back to Bedlam, bom, eu simplesmente adorei. Trauteava as músicas dele horas a fio, ouvia o CD em loop no carro, em casa, até tinha um colega francês que adorava meter-se comigo e que me deixava papelinhos na secretária com os versos da "You're Beautiful". Chegar ao escritório e ir descobrindo aqueles recadinhos, era assim qualquer coisa.

E o rapaz digamos que é giríssimo, e fez parte da Guarda da Rainha, e tem uma voz engraçada, que já sei que a classe masculina acha irritante, mas são só ciúmes de não serem assim, fofos e que nos fazem ficar assim com a cabecinha a pender para o lado esquerdo e sorriso parvo na cara quando pensamos nele.

Por acaso agora estou a associar porque é que andam por aí uns "Magic Eyes" que me encantaram. Têm um quê de James Blunt - é isso, JP, JB, até fica parecido sim senhor.

E como há pessoas que gostam de surpreender, há 10 anos ou mais, vi-me dentro do Campo Pequeno de surpresa para assistir ao concerto dele e foi dos concertos que vi até hoje de que mais gostei. Ele é um fofinho, tem assim aquele ar meio tímido, toca piano, tem letras que tocam o nosso coração.

O facto de vir cá para o ano deixa-me assim um certo sentimento de déjà vu. Se irei ou não, logo se verá.

https://nit.pt/coolt/musica/james-blunt-youre-beautiful-atua-portugal-2020?fbclid=IwAR31zOdHuMc_3JcgfdDiuaGQapXFGT8Uf1zITJP17_88DA6lLGipTGEAw2I


Another day, sorry, week in paradise....really!?

Pois que sem que nada o fizesse prever, pelo menos para mim, eis-me chegada às imediações da escola da criança e, uma vez mais, o caos instalado à porta.

O típico português também gosta do seu burburinho e registam-se casos de famílias inteiras, cão, gato, periquito e iguana incluídos a ir levar uma criancinha à escola, o que quer dizer que num portão em que estariam bem 3 pessoas, acumulam-se centenas a esbracejar, a reclamar, a cheirar mal logo de manhã, etc.

Pelo que percebi trata-se de uma greve dos docentes do tipo intermitente que tem início hoje e termina no dia 22 - parece-me animador. Portanto nos próximos dias vai ser o mesmo festival em Dó maior naquele recinto. Santa paciência!

domingo, 10 de novembro de 2019

...e em passo acelerado entro nos últimos 30 dias dos meus 41 anos. E num sopro, sinto que já vivi. O que mais irá acontecer!?

sábado, 9 de novembro de 2019

O fim da Guerra Fria

Há 30 anos atrás, eu era uma criança com 11 anitos, mais do que imberbe, o pessoal lá de casa não falava noutra coisa e a minha mãe às tantas disse-me que era um dia que ia ficar para a História. O Muro de Berlim tinha “caído”. Naquela altura, para mim Berlim, era mais para os lados das bolas com creme e depois a queda de um muro ficar para a História para mim numa primeira análise seria uma tragédia. Cai um muro, morre gente nos escombros, fica na História como uma grande tragédia.

Eu tinha 11 anos, já era uma leitora assídua e por isso quis perceber que muro era aquele, e o porquê de tanta alegria perante a”queda de um muro de pedra”. Quando percebi minimamente de que se tratava lembro-me de imaginar como seria viver numa Lisboa dividida por um muro, em que de um lado se vivia em liberdade e do outro não. É difícil de perceber sem ver.

Estive lá há uns anos atrás e arrepiou-me aquele local, mas a sensação de ter uma perna em cada lado do que foi o muro, foi sensacional.

Viva a Liberdade!


Filha, há 9 anos a ir-me ao bolso

- “Mamã, preciso de pedir-te uma coisa!

- Então, de que precisas filha?

- Sabes aquelas coisas para pôr nos olhos, para os tapar, para dormir?

- Uma venda? - perguntei eu.

- Gostava mesmo mamã.

- Está bem, a mamã quando puder e vir uma coisa dessas, compra, pode ser!?” - ao mesmo tempo que ia googlando de iPad em punho onde ia desencantar a venda para a miúda.

O único critério de busca que seleccionei foi “vendas para os olhos”, pois que me aparece uma na Women’Secret com....Com.....Cooooooom......um Unicórnio pois está claro.

Chamei-a para ver se gostava, os olhos até brilhavam com a rapidez da mãe. Ai ai, quem tem uma mãe tem tudo. E disse-me:

“Quando puderes, pode ser essa, gostei muito!”


Só com esta atitude a minha vontade foi ir a correr comprar, mas a pesquisa ainda não tinha terminado. Na mesma loja, apareceu outra que achei que a iria fazer vacilar.

“Então e se for do Harry Potter? - num misto de indagação e provocação.

“Deixa ver mãe. Ehhhhh, eu quero, eu quero, eu afinal quero essa. Mas é mais cara do que a outra, se não puderes eu compreendo mamã.”


Perante isto, ainda me pus a ligar para a loja do bairro, e reservei a venda para a miúda. Será que algum dia ela vai acreditar que faço tudo para lhe arrancar um sorriso!?

Coisas engraçadas

Ultimamente em conversas banais acerca de família, filhos, talvez os meus olhos brilhem quando falo da minha filha e sou confrontada com a pergunta:

“E mais um filho...não!?”

Sim, nasci também para isto, para ser mãe e experienciar o lado bom e o lado menos bom da maternidade. Se gostava de ter tido mais filhos...sem dúvida, mas não teve que ser. Portanto espero daqui a uns anos, ter uma série de netos. Vai ser a loucura.

É...válido também para fantasmas do passado...deixai-os repousar no mundo dos mortos.



sexta-feira, 8 de novembro de 2019

E como podemos dar sempre um toque cómico e infantil à coisa

E eu continuarei por todos os anos que viva a manter o meu lado gaiato, hoje vim de Jessie!


Quando se vai ter um jantar em que se quer ir coquette

Fica-se apaixonada por um vestido e está esgotadíssimo


Já não tenho paciência para andar numa busca incessante. Um saco de juta deve dar o mesmo efeito, até porque com esta idade e esta falta de beleza, já nem há a perspectiva de se conhecer um princípe que fique encantado com um vestido fluido :)

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Depois do que sucedeu hoje, não podia vir mais a propósito




Keep calm Magenta Unicorn. Mamma will always be here for you, no matter what.

Imodium...numa farmácia perto de si

Calma Sérgio Conceição, muita calma nessa hora.

Confirmo....haverá algo melhor do que a partilha de sentimentos com reciprocidade!?

...loving

É tudo uma questão comercial, eu sei

Mas em casa ensinamos os miúdos que o primeiro dia do advento é a 1 de Dezembro, não obstante ainda vamos na primeira quinzena de Novembro e já se vêem decorações de Natal por todo o lado. Torna-se cansativo, desvirtua o que se devia professar nesta época.

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

A miúda sempre a surpreender

Afinal também sai à mãe. Aqui em casa está a ler, nem sei bem porquê, 3 livros em simultâneo, sendo leiturinhas já boazinhas para a idade dela. E peço-lhe para me contar as peripécias de cada um, e ela conta sem misturar enredos.

Há pouco ao contar-me episódios passados na escola diz-me que para além de brincar, também dedica parte do seu tempo na biblioteca a ler. Agora diz-me que lá na escola está a ler “Uma Aventura na Casa Assombrada”. Esta miúda saiu melhor do que a encomenda. Riqueza de sua mãe!

Tudo o que deixamos para depois...

...quando acontece, já vai tarde.


A mãe e a filha!

Eu digo-lhe que é feio deitar a língua de fora, tá bem!?