terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Hoje foi daqueles dias que me esqueci

Do telemóvel em casa. O curioso é que tenho 3, e como comigo é tudo a tender para a asneira, esqueci-me mesmo de todos. Enquanto se está no escritório há o telefone fixo, quem interessa tem o meu número directo, eu também tenho a minha agenda toda na cabeça pelo que não foi crítico para fazer ou receber chamadas. O problema surgiu da parte da tarde com reuniões, sem conseguir aceder à rede da empresa porque estando fora tenho que submeter sempre uma segunda password que recebo via sms, à saída oiço na rádio que para variar havia acidente e a estrada estava parada - Houston, não podia avisar que existia a probabilidade de chegar mais tarde ao centro de estudos. Qualquer dia dá-me um AVC.

No fim de contas cheguei a horas, o mundo não desabou, não fui notificada de nenhuma tragédia e tomorrow will be another day. Neste momento o espírito é “um dia de cada vez” e rogar à vida que pelo menos desta vez ouça as nossas preces, porque os devaneios e o humor negro do meu padrasto fazem-me muita falta. Em 42 anos foi o único homem que nunca me falhou, foi o único homem que esteve lá sempre que precisei...com as suas virtudes, coisas menos boas...um grande, grande amigo.
Quando eu coloco já para que não haja dúvidas que determinada situação ocorre entre as 11:00h-12:00hGMT e mesmo assim me perguntam de seguida se é "hora portuguesa ou espanhola", isto depois de já ter trocado só no dia de hoje para aí uma dezena de emails com respostas a questões pouco inteligentes...é de uma pessoa se passar um bocado, não!?

Bom, contei até 10 em alemão para demorar mais un décimo de segundo e fui politicamente correcta, explicando que GMT = Greenwich Mean Time, coisa que eu aprendi para aí no 2º ciclo, longitude 0, linha imaginária, meridianos...

Deus, dai-me paciência, porque se me der força...

O dia em que me emprestam uma série de fatos de Carnaval para a pequena

Olhamos para uma peruca de índia e concluímos:

"Bom, a verdade é que esta peruca é igual ao cabelo dela, pelo que...."

É o que dá ter uma filha "étnica" que já de si não precisa de muita produção para parecer uma Pocahontas.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Não esperava terminar o dia no sítio onde estou

E não concordo que se tenha que proteger as crianças daquilo que a vida é. O médico deixou-a ir dar um beijinho de 1 minuto ao avô, no meio de fios, tubos e máquinas a apitar. Obviamente que foi tudo controlado, não somos loucos, nem queremos traumas para ninguém, mas para ele foi um disparo de vida e para ela...foi a realidade. Existe a saúde, as farras, os passeios, mas também existe a doença e os momentos mais tristes e é nessas alturas em que o ser humano na realidade mais precisa de sentir o verdadeiro afecto.

Veio de lá sorridente, viu o avô Zé e eu, sinto-me um bocadinho mais tranquila. Sei que este mimo inesperado lhe fez bem, e eu....eu devo-lhe tanto. Preferia que a ocasião fosse outra mas a vida, essa gaja meia marada é imprevisível.

Afinal não estou assim tão errada ao dar conselhos de vida à miúda

Os gurus da motivação aconselham o mesmo. Smart Mommy!


domingo, 16 de fevereiro de 2020

Medos

Falemos de animais. Tenho medo, receio, pavor de alguns, repulsa de outros. Chego até a nutrir respeito por tantos outros, e de alguns espécimes do bicho Homem, em todos os seus géneros, sinto nojo até...mas do que eu venho aqui falar é de algo quase visceral. Jacarés, osgas, ratazanas, baratas, centopeias, morcegos...estaria aqui a noite toda e todos juntos não conseguem que o meu corpo reaja face ao simples acto de lhes pronunciar o nome, como aos animaizinhos que adoptam como hospedeiras as cabeças das pessoas, e dos miúdos em particular.

Sim, tenho medo, muito medo mesmo de piolhos. Medo, nojo, repulsa, e só de pronunciar essa palavra fico com comichão sobretudo na cabeça. A minha filha pode estar a coçar o corpo com uma espécie de urticária que eu, vou tranquilamente buscar o Fenistil à caixa dos medicamentos....mas se ela coça por um escasso segundo que seja a cabeça...eu começo a hiperventilar. Isto em primeira instância, porque depois começa uma colónia imaginária de parasitas a sugar-me o sangue e eu...bom, eu vou para a casa de banho, ponho a cabeça para dentro da banheira e começo a chocalhar os cabelos freneticamente para ver se cai algum objecto estranho e daí começar o extermínio. Após controlar as minhas comichões imaginárias pego na cabeça dela e começo a vasculhar. Por norma, é falso alarme, mas eu não me aguento sem fazer uma dupla desinfestação, just in case. E ela chora, ela diz que não tem piolhos, ela diz que “apenas coçou a cabeça no sítio em que tinha uma borbulha”.

E eu, mesmo assim, esfrego vigorosamente com a loção, o cabelo dela e o meu, penteio com aquele pente abominável, ponho óleos especiais, depois vou buscar a lupa, volto a sacudir a cabeça para a banheira, mas como destes bichos maléficos nunca se sabe o que esperar....ainda lhe ponho elásticos repelentes. É o vale tudo contra estes tipos. Bolas, que animal mais assustador.


sábado, 15 de fevereiro de 2020

Sou daquelas pessoas que lida pior com os problemas de saúde dos seus, do que com os próprios

E o cancro bateu-nos outra vez à porta, e o cancro está a querer tirar a dignidade e a paz a um dos meus, e eu que continuo apesar de tudo a confiar no nosso SNS, hoje dei comigo a pensar em chamar a CMTV caso não o internassem e lhe proporcionassem algum conforto acima de tudo físico. Lá está neste momento, sabe Deus o que o (nos) espera. Não estive presente fisicamente, mas estive à distância a sofrer com a incerteza. Estou mais aliviada, pelo menos está no local em que neste momento lhe podem aliviar o desconforto e sofrimento.

Agora passámos para o âmbito do “um dia de cada vez” e a confiança na ciência.

Não que seja consensual o meu gosto por sapatos brancos

Mas estas sandálias têm a sua piada.



sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Nós, os solteiros...

.....recebemos destas coisas no escritório, e fica tudo a conjecturar quem será o Conquistador. Vá, um ramo de flores e uma caixa de chocolates no Dia dos Namorados não implicam uma declaração de amor, I guess 🤔



Aquela fase da ingratidão em que já não querem o beijinho da mãe em público...

Bom, ainda não chegámos a esse ponto, porque quando assim for vou ao cartório notarial alterar os beneficiários do testamento mas, já me pediu para a deixar ir de manhã para a escola com os colegas do centro de estudos, ao invés de a deixar directamente na escola.

A isto se chama "estar a cagar-se borrifar-se para a mãe"...perdão, emancipação!

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

E também tem mais vida social do que eu

A agenda para este mês está preenchida, pelo menos uma festa de anos para o mês que vem também já tem, um acampamento de uma semana em Abril, uns dias de férias com uns amigos (meus!) em Junho, um acampamento de uma semana em Agosto, antes disso já tem um Sunset apalavrado para Junho...não sei se fique deprimida, se fique com inveja ou se me reste render à evidência de que estou mesmo acabada. A vida de um simples pigmeu tem bem mais animação do que a minha! HUMPF!

Quando percebemos por coisas insignificantes que os valores que passamos aos (nossos) miúdos lá ficam

A minha filha coincide no mesmo local com uma filha do Calado, ex-jogador do Benfica. Pois que faz uma grande festa ao senhor sempre que o vê, uma vez que tem uma relação de "amizade" com a dita criança - esta mania dos miúdos acharem que as pessoas que aparecem na televisão são importantes.

Então hoje de manhã comentou-me assim:

"Mamã, honestidade acima de tudo. Ontem o Calado deu-me um "five" e eu disse-lhe que não sou do Benfica, mas que gosto muito dele!"

A base está lá, ela já percebeu que nesta vida o ponto de partida deve ser a honestidade. Por norma perdemos mais do que ganhamos, mas as mentiras e omissões não levam mesmo a lado nenhum.

Eheheh


quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Eutanásia - Hoje tenho a certeza de que quero ter esse direito

É um tema polémico, alvo de muita discussão. Respeito quem seja contra, mas gostava muito de poder usufruir do direito de morrer com dignidade quando por questões clínicas já não houver hipótese para um fim de vida tranquilo, tenha eu que idade tiver. Coisa mais triste é vermos uma pessoa de quem gostamos, que nos seja próxima, a morrer lentamente. Não quero deixar essa imagem quando chegar a altura em que eu própria sinta que o meu trilho não tem saída.

Veremos em que vai dar esta discussão!

Quem é que aos 9 anos quer ler poemas de D. Dinis!?

.....ya, só podia ser ela pois está claro. Todos os dias há uma novidade mais sórdida do que a do dia anterior. Mas na verdade não me parece muito conveniente para a sua tenra idade a leitura de poesia trovadoresca. Para além de que não simpatizo com o tipo. Fez uma trupe de filhos bastardos e a Santa da Isabel é que tinha que os criar. Nem aos pobres podia dar pão. Bahhh!

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Recordar, viver, matar saudades...whatever

Há precisamente 10 anos atrás, por esta altura comecei a curtir a gravidez com mais calma. Tinham passado os 3 primeiros meses, estava orgulhosamente no segundo trimestre e comecei a fazer as compras, a escolher os artigos de puericultura pesada, roupinhas, mandar bordar fraldas...tão giro. É tão bom preparar a chegada de um filho.

A escolha do ovo, carrinho e alcofa demorou para aí 2 meses, mas na altura o Trio Living da Chicco foi o mais lógico. Era um dos aconselhados pela DECO, cabia à risca na minha bagageira, tinha ar de ser confortável e de facto ainda está para durar. Esteve uns bons anos fora daqui, porque depois da Rita foram nascendo bebés das amigas e ele andou de casa em casa, a acumular memórias e aventuras. Mas hoje voltou, regressou a casa, e sinto um misto de muita coisa ao vê-lo. 10 anos depois de o ter escolhido, voltou para cá, noutro contexto e depois de tanta volta que a vida deu.

Saudades...tenho. Já caiu uma lagrimita mais teimosa. Houve dias em que me via aflita para carregar com tudo, mas se fosse hoje, se soubesse que ia ser assim, teria vivido tudo outra vez. A miúda é a minha obra-prima.

O ovo agora vai descansar, os bebés que tinham que nascer, já estão uns crescidos.

A isto se chamam saldos!


segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Disse o Joaquin Phoenix no discurso da sua consagração

“Tenho sido um canalha toda a vida, fui egoísta. Fui cruel por vezes, difícil de trabalhar com, e estou grato por tantos de vocês nesta sala me terem dado uma segunda oportunidade.”

É de Homem. Dizia eu que estaria para nascer um homem que alguma vez na vida se assumisse como tal. Canalha, escroque, crápula...e este no dia da sua consagração fê-lo publicamente perante milhões de pessoas. Nem precisaria de chegar a tanto, acredito. Bastava tê-lo feito com honestidade a quantos magoou ao longo da vida. Assim sendo denota que atingiu um estágio acima da média. Se as pessoas por norma não o fazem perante as suas vítimas e quase anonimamente, para o fazer desta forma...são precisos...”tomatoes”.

Gostei de ouvir. Ganhou o meu respeito e admiração. É o caminho para ser de facto uma pessoa melhor.

Quando as conversas banais e os melhores amigos do mundo nos proporcionam coisas fantásticas

Conversa banal ao mesmo tempo que se tomava um café há uns tempos atrás foi dar à minha panca por relógios. E não sei bem como fomos lá ter, mas a verdade é que saímos da banalidade do relógio como um acessório que transportamos no nosso braço para ver as horas, para o meu sonho de miúda de ter um relógio de cuco a sério. Antigo, nada de réplicas, daquelas coisas que herdamos do bisavô rico. Era um sonho, algo que dificilmente aconteceria. Restava-me um dia numa viagem qualquer trazer uma réplica da Suíça ou da Alemanha. Não seria a mesma coisa, mas cada um faz a festa conforme pode.

E diz-me o meu amigo nesse dia:

“Pára tudo, mas é isso? Tu gostavas de ter um relógio de cuco a sério? Ficas feliz com isso!? Já me podias ter dito. Herdei um relógio de uma tia, o relógio tem para aí perto de 100 anos, e dou-to.”

Eu devo ter mudado de cor nesse dia, devo ter feito a mesma cara que fiz quando me vi à entrada da Disney, ou quando tive uma ou outra surpresa daquelas marcantes. Acho que não acreditei, ou talvez tenha equacionado que o relógio seria de cuco mas não do modelo que tinha na cabeça do meu imaginário infantil dos filmes da Heidi e da Pipi das Meias Altas.

Passou algum tempo, e hoje foi o dia em que o recebi e digo seguramente que é dos poucos dias que vou recordar para sempre com o dia em que um grande sonho se tornou realidade. Escusam de revirar os olhos, comentários que denotam falta de sensibilidade e de cultura do género “é só um relógio velho” e por aí. A verdade é que ganhei uma relíquia que vou estimar como se da minha família a tivesse herdado. E estou tão, mas tão grata.

Mas a surpresa não acabou aí. Ok, ele tinha-me dito que era antigo, mas não me tinha dito que era um Floresta Negra. Os Floresta Negra originais são assim a crème de la crème deste tipo de peça. Portanto já não bastava ser centenário, de cuco, ainda é um Floresta Negra. Grande prenda. Tenho pessoas na minha vida que realmente são qualquer coisa. Um Obrigada é muito pouco para agradecer esta dádiva. Estou mesmo babada.


Quando sem que nada o fizesse prever, parece que estamos no meio de uma aventura dos Goonies ou dos Cinco

Chego à cozinha ainda meio ensonada, sem óculos e o meu pé direito pisa qualquer coisa que honestamente me pareceu uma pepita da ração do gato. Fiquei irritada, já que ontem já a altas horas tinha andado a lavar o chão e pensei mesmo assim (venha de lá o PAN criticar):
"O estupor do Xá é mesmo porco!"

Fui fazer o que tinha a fazer e volto à cozinha já com as lentes de contacto postas, a visão ao seu mais alto nível e então deparo-mo com um carreiro de cereais a começar na cozinha e a terminar na entrada do quarto do meu pequeno monstro, como que a indicar o caminho para a caverna do Ali Babá.

Não sei se queria que o gato a acompanhasse nalguma expedição ou se se trata de algo ainda mais transcendental, mas comecei logo de manhã a vociferar com a falta de respeito demonstrada pela comida e pelo meu trabalho como empregada doméstica....bom, depois do choque inicial e de a ter instado a limpar a porcaria que fez, a verdade é que me deu vontade de rir.

Existem personagens muito estranhas naquela casa.

O não sempre presente, e o desafio é constante

Ontem fiz para o jantar Ravioli, recheados com espinafres e ricota. O primeiro comentário foi que não gostava.
Eu, por outro lado disse-lhe que estava no seu direito, mas era o que havia, portanto, teria que comer e não reclamar.

Passados 5 minutos, olha para mim, mostra-me um sorriso de orelha a orelha e diz:

"Afinal gosto, estava a brincar para ver o que tu dizias!"

E é isto. São testes diários à minha paciência e à minha capacidade para manter um ar sério apesar de tudo. Nunca uma criatura me tinha testado tanto os limites como esta que me escolheu para sua mãe.
...e o Keanu continua qualquer coisa ❤️

...e o Brad arrecadou a estatueta


É tão giro, que até dá vontade de lhe dar um “beijaço” de parabéns.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Questões dúbias associadas à ética

Andei a seguir durante esta semana a reportagem de que muitos falam. Uma mulher a lutar por poder engravidar do marido entretanto falecido. Era desejo de ambos, está escrita e assinada por ele esta manifestação de vontade, viveram um grande amor...mas a nossa Lei não o permite. O material genético está criopreservado...mas a viúva não pode fazer muito.

E fala-se de ética, a mesma ética que permite que uma mulher o faça com um dador anónimo que também já pode ter morrido. Em ambas as situações não nasce uma criança sem o pai biológico à sua cabeceira? Então e aqueles que são órfãos de pais vivos?

Há coisas que por mais que tentemos, nunca vamos conseguir perceber e aceitar.

I Will


Eu não digo que a veia artística dela me coloca à prova diariamente!?

Fim do dia de ontem, fui buscá-la, as usual, quando me vê fica tão maluca e alucinada como quando tinha 3 anos, faz os filmes dela com os colegas e com a professora, vinha na maior e eis que, quando uma colega se veio despedir disse-lhe:

"Olha o teu pescoço!"

Até aí estava tudo bem. Pois que se lembrou que lhe doía o pescoço desde manhã, começou a fazer um drama e quando estávamos a atravessar a rua diz-me assim:

"Mamã, vamos para o carro. Tenho que ir ao hospital!"

Logo eu que não sou nada susceptível de andar enfiada em hospitais, para lá pôr os pés é preciso estar quase às portas do colapso, e sai-me uma filha assim. O que vale é que ainda a consigo dominar e saiu-me o seguinte:

"Olha que o hospital nesta altura do ano está cheio de vírus e bactérias. Não deves sair de lá sem levar uma injecção. Tens mesmo a certeza que queres lá ir, ou uma massagem da mamã com uma pomada própria resolve o problema?"

Foi remédio santo. Na verdade a dor não passou mas aligeirou. Veremos qual será o drama para hoje.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

Dá para dramas e comédias

Tem veia de actriz a miúda e nota-se desde que nasceu. Com dias de vida éramos capazes de a ter ao colo e ela parecia estar a dormir profundamente, com a respiração tranquila e tudo o mais. Bastava aproximarmo-nos do berço, ela abria apenas um olho e ficava a olhar com um ar tipo: "não te atrevas a deitar-me, porque eu vou berrar".

Era recorrente. Até ao dia em que eu decidi ser mais teimosa e deitei-a mesmo, ela berrou até se cansar, e aí percebeu quem é que mandava na capoeira. Mas tinha pouco mais que 50 centímetros. Agora já começa a dar mais luta e, se há uns anos atrás a malta jovem tinha algum medo dos pais, hoje em dia, provocam....e ainda se riem.

Ora bem, ontem fui buscá-la e ela, decidiu fazer número. Chegou ao pé de mim com cara de caso e triste. Parecia aqueles cães Basset Hound. E eu, comecei logo a gelar e a petrificar, porque ainda agora começou a escola e já me estava a ver com outro recado na caderneta. E insisto, e ela a ficar ainda mais enfiada, a definhar, a colocar a cabeça para dentro dos ombros. Foi o número completo e eu, a tentar não espantar a caça, lá lhe disse para me contar o que se tinha passado, o que tinha feito, porque é que a professora se tinha zangado. Fez mais um pouco de suspense e quando me vê já com uma cara de desilusão indisfarsável, dá um salto, ri à gargalhada e diz:

"Eu portei-me beeeeemmmmm, estava só a brincar contigo mamã! AHAHAHAHAHAHAH. Enganei-te!"

Perante isto, não consegui manter a presença de espírito nem tão pouco a consistência. Perdi-me de riso. Com a minha filha, não há mesmo condições.

Cheira-me a burla

Portanto numa semana clonam-me o cartão de crédito. Hoje recebi duas tentativas de contacto de dois números distintos provenientes do....Haiti. Se me quiserem propor uma joint venture mais ou menos ortodoxa na Patagónia, no Alaska, na Nova Zelândia...ainda era capaz de aceitar. O Haiti por acaso não me seduz, portanto vamos lá a deixar-nos de tretas.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Acabou-se o love mood

É que hoje de manhã já me indispôs porque embirrou que não queria levar as calças que lhe separei. Giras que dói, azuis escuras da Massimo Dutti, pois que embirrou que queria levar umas leggings quase que de trazer por casa da Kiabi que em situações normais só deveria usar nos dias em que tem educação física.

E chorou, e esperneou e enervou-me e reclamou que não gosta de calças de ganga, eu disse que as calças não são de ganga, percebi que para ela azul = ganga, desmistifiquei o conceito, quase que deitei fumo pelas orelhas, apeteceu-me devolvê-la outra vez, mas lá está...o período experimental já passou...enfim, só me passou a fúria à entrada da escola, quando lhe dei o beijinho de despedida naquela bochecha gorda e deliciosa.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

Sai-me do corpo, mas é tão bom ser mãe desta miúda

Depois de meia dúzia de dias de férias, daquelas em que se liga o laptop na mesma e se faz uma série de coisas mas em modo mais zen, o regresso ao escritório foi agitado como é hábito. Calls para aqui, calls para acolá, sair a correr para ir à reunião de pais da miúda, chegar meia hora atrasada, mas ter tempo para falar com a professora e saber das últimas peripécias. Tenho um piolho eléctrico em modo miúda, com mau génio, mimada, mas muito interessada pelo saber. Depois de fazer disparates e cair nela, pede desculpa à professora. Continua com os seus tiques de líder, mas agora está ao lado de outro com a mesma mania....portanto, que se entendam os dois.

Por fim, sair de coração cheio com um aproveitamento exemplar, daqueles em que olhamos e pensamos que não há praticamente fasquia para subir. Segue os meus ensinamentos. Digo-lhe tanto “não queiras ser melhor do que os outros, mas supera-te a ti própria a cada dia”. E ela tem-no feito e eu... bom, eu incho de orgulho.

A seguir a maratona da natação, piscinas para ela e kms para mim, e agora, embora já lhe tenha dado banho, jantar e afins, ainda não o fiz comigo própria. Mãe que é mãe, deixa-se ficar para o fim, e é assim que tem de ser.

Quando não se percebe nada de futebol americano

Mas vibra-se à mesma com o Super Bowl. Eu sou dessas.
A Shakira arrasa!

domingo, 2 de fevereiro de 2020

Apaixonei-me por relógios quando ainda nem os sabia ler

E à parte das outras paixões todas elas mais passageiras, esta acompanhar-me-á sempre. Gosto de todos os que tenho, e cada um tem uma estória, alguns acompanharam-me em momentos menos bons, outros já foram comigo em muitas aventuras, um até já pregou um susto valente a um dos meus ídolos, que nos fez dar um salto quase que até à Lua...enfim...e dependendo do tempo que tenho, muitas peripécias ainda terão para acompanhar.

...e são todos bonitos, mais ou menos fashion, que se podem ver em mais ou menos pulsos por aí...mas este é de facto dos mais curiosos.


Não se aprende nada com esta juventude dos anos 20

Está há uma semana de férias escolares e acaba de me perguntar o seguinte:

“Mãe, quando é que tenho as próximas férias?”

É sempre curioso

Sabermos que o nosso cartão de crédito foi clonado. Seus marotos...estavam a ver se me sacavam algum....! Aiaiai.

Estou sempre bem acompanhada



sábado, 1 de fevereiro de 2020

Gente que não percebe nada de Geografia

...”Mamã, eu não quero ir à China agora, está bem?”

Esta deve pensar que ir à China é o mesmo que ir ali a Alcochete!

Hoje

Aliás, ontem alguém constatou um facto e partilhou-o comigo:
“Ah, estás mais magra. Nota-se, até aqui nas pernas, estão mais magrinhas!”

Eu não faço as coisas por menos e até fiquei com vontade de não comer chocolate. Que redundância meu Deus. Não vai durar muito, mas fiquei!

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Sinceramente não percebo aquelas pessoas que em vez de dizerem "também", dizem "tombém". E então quando se trata de jornalistas, mais confusão me faz. Não vamos exigir de uma pessoa sem instrução grande rigor linguístico, admitindo que lhes falharam alguns anos da disciplina de Língua Portuguesa, mas....jornalistas!?

sábado, 25 de janeiro de 2020

Se é para não pagar a conta do supermercado...que seja em grande pois concerteza!

Mulheres tentam fugir de supermercado com cinco mil euros em compras - JN

Breve lição sobre convicções

Sendo uma pessoa com tantos defeitos, a verdade é que tenho uma ou outra virtude, e orgulho-me de as manter no matter what. Honestidade é uma delas. Daí não suportar o inverso e quem faz da desonestidade o seu modo de vida para atrair os outros, seja com que objectivo for.
Depois vem a parte das convicções. Também tenho as minhas e sou-lhes fiel até ao fim.

A minha filha por outro lado, começa a revelar uma tendência para utilizar as convicções conforme lhe dá jeito, pelo que tive que lhe fazer um “desenho”. A professora, e muito bem, tem um sistema de semáforos para lhes avaliar a qualidade dos lanches. Portanto quem leva chocolates e alimentos menos saudáveis leva bola vermelha. Eu não sou de fundamentalismos alimentares, pelo menos até ver, tentando que ela faça uma alimentação equilibrada, mas não a proibindo de cometer um ou outro deslize. Ninguém é de ferro, e o que é doce nunca amargou.

Pois que a dondoca perguntou-me no outro dia porque é que eu não tinha comprado bolachas Oreo.

“Então mas tu não tinhas dito à mãe que não podes comer esse tipo de bolacha, porque não são saudáveis?”

“Oh mãe,  não estás a perceber. Eu não posso levar para a escola para não levar uma má bola, mas em casa posso comer!”

(sua ratazana endiabrada, pensei eu)

Lá lhe expliquei que pode passar uma vida sem ver o Sporting ser campeão, mas não é por isso que deixa de ser sportinguista. Se determinado alimento não lhe faz bem e ela tem essa noção e opta por não o ingerir num determinado lugar, ser fiel às suas convicções é não o ingerir de todo. Não há meio termo, ou é ou não é, ou gosta ou não gosta.

Espero que lhe tenha ficado na cabeça, porque este mundo está cheio de pessoas escorregadias e fazem falta mentes pragmáticas e constantes.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

É o melhor a fazer


Coisas que me irritam

Ir a uma loja comprar qualquer coisa e a pessoa que está na caixa e que deve fazer o seu trabalho em condições não o faz e obriga-me a lá voltar. Claro que não vou com boa cara.

Ah, e tal, as pessoas têm direito a cometer uma falha. Pois têm, mas há falhas que não fazem sentido, sobretudo quando se está numa caixa e se trabalha num sector em que as peças têm alarmes e os mesmos têm que ser removidos.

Chegar a casa e dar de caras com o apetrecho é muito desagradável.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Concomitâncias da mãe de uma pequena peste


Ai é!?

Não sou pública, mas só para fazer número também vou fazer greve no dia 31! Não podem ser sempre os mesmos!

Lá em casa temos uma verdadeira predilecção por mochos, corujas e afins

E não percebemos como é que existe quem não ache piada àquelas criaturas. Só o ar deles me inspira. A miúda, ainda é capaz de lhes achar mais piada do que eu, e desde pequenita, ainda mal sabia falar, já dizia que queria uma "cuuja".

Vai daí tem almofadas, canecas, bonecos, cadernos, canetas e afins com esses "fiéis" companheiros. Hoje em plena passeata despreocupada pela Guerra Junqueiro, encontrei uma manta com capuz...e qual é o tema do capuz....uma coruja, pois sim.

Lá está o meu coração mole, estou chateada com ela e tal, mas perante a ideia de ver aqueles olhinhos lindos felizes com o mimo que lhe arranjei, não vou resistir, está visto.

Deve ser das poucas pessoas nesta vida que consegue esta proeza - eu não sou capaz de materializar a minha ira perante ela, durante muito tempo.

O pior pesadelo para quem usa lentes de contacto


  • Perder uma lente
  • Perder essa lente dentro do olho
  • Encontrá-la

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

De quem será, de quem será, o dinheiro do Sócrates, eu sei lá, sei lá, eu sei lá, sei lá

Operação Marquês: Primo de José Sócrates diz que o dinheiro é seu - DN: Pinto de Sousa esteve mais de seis horas a ser interrogado no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa

Pergunta para queijinho

“Mamã, branqueamento de capitais é pintar o dinheiro com tinta branca?”

Filha, o meu maior pesadelo

Sim, a minha vida nunca mais foi a mesma desde que aquele pedaço de gente decidiu utilizar a minha barriga para se hospedar. E a tendência é para piorar. É que nessa época, eu ainda conseguia ter algum controlo sobre a coisa, agora...nem pensar.

Ontem veio recado de mau comportamento na caderneta - daquelas coisas que não há refutação possível, porque me debato todos os dias com isso em casa e não tem fim à vista, ou seja, a miúda não acata os reparos dos adultos e contrapõe. A última palavra é sempre dela.

Sim, eu também era assim e lembro-me de ter levado uns valentes pares de estalos da minha mãe a respeito disso, e só muito perto da idade adulta é que resolvi adoptar, quando me convinha, outra postura - mas isso, não lhe posso revelar. Apenas ressalvo que é falta de educação fazê-lo, mas ela está literalmente a borrifar-se para isso.

Resumindo, com recado na caderneta não me deu outra alternativa senão:

  • Ir pedir hoje desculpas à professora pelo mau acto reiterado
  • Para a semana, vai estar de férias e está proibida de tocar no Tablet
  • Está proibida de ver televisão até ordem minha em contrário
  • Não lhe vou dar o beijinho de boa noite (enquanto ela estiver acordada, mas isso ela não precisa de saber)
  • Para a semana não vai ver a exposição do Harry Potter
  • Quem escolhe as roupas dos próximos dias e até ordem em contrário sou eu
Não me lembrei de mais nada, mas se lembrar, leva com isso também. Depois de lhe aprensentar esta listinha magnífica o único comentário foi:

"Ok Mãe!"

Não resmungou, não contra-argumentou, até porque tive o desprazer de lhe dizer que não havia negociação possível. Fiquei com pena? Sim. Se isto vai resolver? Não creio. Mas é o melhor que consigo sem ter que tomar medidas ainda mais duras. Veremos como se comporta nos próximos dias.

Prontos, fez birra, já não brinca mais...a vida dele não é isto!

Paulo Pedroso já não é militante do PS - DN: O ex-ministro da Solidariedade Social de Guterres foi um dos principais criadores do rendimento mínimo garantido.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Ai estes dois

Já vi reconciliações começarem por menos....


E depois temos senhoras com 50 anos, com carinha e corpinho de 30

Se a idade passou para a Jennifer, foi sempre em bom!


Blue Monday: a pior segunda-feira de todas (e como ultrapassá-la)

Afinal está explicado!

Blue Monday: a pior segunda-feira de todas (e como ultrapassá-la)

Trágica, mas uma bela história de amor

E se dúvidas houvesse que as pessoas podem agir apesar de tudo com sinceridade, basta olhar para a história do Francisco Sá Carneiro e da Snu. Eram ambos casados, em casamentos mortos, mas nos quais havia respeito. Cruzaram-se, sentiram borboletas e decidiram assumir perante a outra parte que tinha surgido outra pessoa.

O então marido da Snu foi mais pragmático e após o choque inicial, rendeu-se às evidências. A mulher do Sá Carneiro, reagiu da maneira que lhe pareceu mais eficaz - decerto não sabia como seguiria daí para a frente divorciada, com uma série de filhos, em plenos anos 70. Não lhe deu o divórcio, mas perante os factos, não havia argumentos e sentiram-se livres para viver aquele amor, até que a morte os separasse.

....e a morte, nem isso conseguiu. Não os separou, antes os uniu num destino trágico. Aqueles dois estavam mesmo destinados a estar juntos.

Vi ontem o filme...e gostei imenso.


domingo, 19 de janeiro de 2020

Ainda tem uma idade muito precoce para podermos ter esta conversa séria

Mas cada vez estou mais convencida de que se algo da minha matéria sobrar, talvez o melhor seja mesmo doá-lo à ciência.

Banco de Cérebros quer receber doações de exemplares saudáveis - JN

Milagres

Um quase milagre na rua dos Anjos: sem-abrigo deu à luz auxiliada por desconhecidas - DN: É o segundo parto de uma sem-abrigo nas ruas de Lisboa no espaço de dois meses, mas desta vez com ajuda. Quatro mulheres socorreram a mãe, que serviços sociais garantem estar sinalizada como grávida mas ter recusado cuidados de saúde. Bebé é prematura mas está bem. Caso foi entregue à justiça.

Simple!


sábado, 18 de janeiro de 2020

Por acaso inspira-me sempre que a minha filha me diz que já sabe tudo

E eu lhe digo que espero pelo 100%...e ela sorri. E depois começa a debitar os primórdios da História de Portugal e a enumerar todos os reis da I Dinastia que na minha memória ficou como Afonsina, mas a miúda diz que é mais correcto dizer Dinastia de Borgonha, e eu aqui não vou teimar...logo eu, que sou do tempo em que o sistema solar tinha 9 planetas. Sim, ter filhos em idade escolar por estes dias faz-nos chegar à conclusão que esquecemos umas coisas e outras tantas mudaram.

Nunca procurei perceber a História, limitava-me a decorar e dei comigo a descobrir-lhe o verdadeiro encanto no 12. ano. Mais vale tarde que nunca e arranquei um resultado brilhante naquela prova específica.  Descobri que as vertentes económica e política da História me cativavam muito mais do que as fofocas da coroa. A miúda está encantada com os romances de cordel, e começa a tratar o romance de D. Pedro e D. Inês por tu, colocando os seus dramas pelo meio, para dar mais ênfase à tragédia. Fala-me no coração de um dos algozes a ser braviamente trincado pelo D. Pedro. A miúda faz-se, tem uma veia artística fora de série.

Também diz que percebe as contas, que sabe fazer tudo. Quer-me convencer que é uma mente iluminada. E eu olho para ela...e acho piada. Na verdade, nas pequenas coisas do dia-a-dia é perspicaz, não muito atenta, mas preocupada. Mas começa a dar trabalho...é o que dá recebermos espíritos inquietos e contestatários no berço. O futuro promete e eu espero acima de tudo que o livre arbítrio a leve para o lado bom...o resto, logo se vê.

E é assim a minha irmã

Ao ponto de ter que equacionar muito bem o que desabafo com ela, para não haver mais confusão, ahahah


sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Sábio Madiba


Era este...sem mexidas...

Carolina Herrera

Desafios

O ano também começou com uma realização pessoal que muito me alegrou. Como acabará....? Muitas páginas ainda existem por escrever, mas a minha vontade é agarrar isto com a garra do costume e seguir em frente. Aprender sempre. O saber jamais ocupou lugar.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Acabou, não olho mais para os saldos

E não devo ter sido a única a ficar encantada com esta fofura, que ao que parece, esgotou. A minha já cá canta :)



Se foi o Kurt Cobain a dizer isto ou não, vale a mensagem

Existem pessoas que se cruzam connosco e fazem de si algo que não são. E a verdade é que é de temer este tipo de personagem, seja em que contexto for da vida. Sim, também já fui ao engano, também já gostei de pessoas que eram a personificação da mentira e quando tudo se desvenda, consegue ser devastador, e libertador ao mesmo tempo. 


Tem o seu mérito

Hoje foi dos dias em que a minha miúda de manhã me pediu para a ir buscar o mais tarde possível ao centro de estudos. Vai ter teste na sexta-feira e quer estudar. Acho piada ao facto de ser ela a ter estas preocupações.

O que tem de doida e impertinente, tem de responsável. E a verdade é que mesmo nos momentos maus, depois de respirar fundo, lhe acho imensa piada.

Quando se tem 42 anos e a nossa mãe nos diz:

"Agora sou eu que te digo filha, tu não estás em condições para te aborreceres com o condomínio, isso deixou de ser um problema teu. Estou preocupada contigo, portanto os teus vizinhos que se mexam. Sai disso, tens mais que fazer. Se tocarem à porta não atendas!"

Para a minha mãe ter este tipo de saída, é para acreditar que eu estou mesmo a ficar com problemas mentais acerca desta saga! Preciso de um retiro, preciso de uma cura de sono, preciso desaparecer!

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Para a cerimónia dos Óscares 2020

O Condomínio Contra-Ataca. Confirma-se, é uma saga.

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Para ela está claro quem manda na capoeira

Mãe: Mostra lá a caderneta à mamã, para ver as marcações dos testes e a matéria que vai sair, por favor.
Filha: NÃO!
Mãe: Parece que não me fiz perceber. És capaz de me mostrar a caderneta se fazes o favor!!!

------------------------------Silêncio----------------------------

Mãe: Mau, mau mau! Eu já me estou a começar a aborrecer com a tua falta de respeito
Filha: Eu não mostro porque eu já resolvi tudo com a professora do centro de estudos e já tenho o plano para estudar, portanto não tens que te preocupar, tá bem!?
Mãe: (de mão estendida e cara de fera) É a última vez que falo no assunto, a caderneta na minha mão, JÁ!
Filha: (remexe sofregamente na mochila e resmunga entredentes) Humpf, já disse várias vezes que com os meus estudos não tens que te preocupar.
Mãe: (fez de conta que não ouviu para não alimentar mais uma discussão doméstica)
Filha: (de má vontade, mas deu a caderneta)

FIM
...agora quer que lhe compre uma varinha de bruxo para fazer feitiços como o Harry Potter!
(será que um galho de madeira apanhado ali na Mata da Matinha faz o mesmo efeito?)

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Quando o subconsciente também se revela meu amigo

Na noite passada sonhei. Acredito que sonhe todas as noites e muitas vezes não devem ser sonhos animadores, tal o estado de ansiedade com que acordo, mas a verdade é que raramente me lembro do que se passou, o que, é bom. Para quê sofrer com coisas estranhas?

Já lá vai o tempo em que tinha aqueles sonhos tenebrosos de morrer num acidente aéreo, de não poder ter filhos, de ser abduzida por extraterrestres, ser atacada por uma matilha de cães, cair num abismo em chamas, etc. Chegou-se à conclusão que o meu cérebro trabalhava tanto de noite ao ponto de me deixar num estado tal que teve que se cortar o mal pela raiz e fazer, à força com que tivesse um sono pelo menos mais tranquilo, ou cujas projecções não me ficassem na memória.

Resultou tão bem que a verdade é que raramente me lembro deles e, nos últimos tempos lembro-me mais de sonhos bons do que de pesadelos.

Portanto esta noite sonhei que estava....num resort. Coisa despreocupada, com amigos, curiosamente amigos que nos últimos tempos passaram por situações pessoais complicadas e, estávamos todos em modo Zen. Não retive onde estávamos, parecia o paraíso, mas tanto podia ser na Nova Zelândia, como no Samouco - o que me ficou foram mesmo as good vibes, o dolce fare niente, as gargalhadas, as caipirinhas, eu de corpo tonificado e de bikini (deve ser o rescaldo da "invejinha" com que fiquei ao ver as últimas fotografias das férias da Joana Amaral Dias, a exibir aquele corpinho maravilhoso), um bronze 2 tons acima do que tenho agora e alguém, que foi a única pessoa sem rosto no meio de tudo....a espalhar-me o protector solar nas costas. E ríamos todos que nem uns parvos.

E foi isto, foi mesmo retemperador, Pena ter sido apenas um sonho.

domingo, 12 de janeiro de 2020

Garanto que não coloco extensões há uns bons anos

Mas a minha filha que não me via há cerca de 32 horas, a primeira coisa que disse quando me viu foi:

“Mãe, o teu cabelo está muito mais comprido. O que é que fizeste?”

Ou não tem olhado para mim com olhos decentes nos últimos tempos, ou deu-se aqui algum fenómeno com a minha cabeleira!

Ainda digo eu que tenho azar na vida....

Andava há uns dias com vontade de bater em mim mesma porque tinha hipoteticamente perdido uns óculos de sol. Foram-me oferecidos há um tempo, e são assim mais do que lindos. Eu não sou de perder nada, sempre fui muito responsável com as minhas coisas, mas há sempre uma primeira vez.

Procurei por todos os locais possíveis e já estava infelizmente conformada que os Prada tinham ido parar a outros olhos. A minha irmã que já me conhece as rotinas lá me instou a procurar mais uma vez por debaixo do banco do carro. Não são raras as vezes que a mala cai e espalha tudo por ali. Não fui nada convencida, mas à segunda apalpadela...lá estavam eles. Lindos e intactos e de novo disponíveis para os meus olhos. Não ganhei para o susto.

sábado, 11 de janeiro de 2020

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

É fugir deles

Ou não...


Cheguei àquela idade em que já não estou para certo tipo de sacrifícios

Os Simple Minds vêm cá....yeahhhh, como eu gostava de os ver e ouvir ao vivo. Mas tiveram a pouco brilhante ideia de ir tocar ao Campo Pequeno, e aquelas cadeirinhas do Campo Pequeno transformam um momento que podia ser formidável, numa tortura.

Pessoas do tamanho da minha filha talvez as achem confortáveis, eu...bom, não tenho espaço para as pernas, as costas ao fim de 5 minutos começam a ressentir-se e saio de lá a pontos de ir levar uma injecção de Relmus  à urgência do hospital mais próximo.

Resumindo, estes não vou ver de certeza, nem que para tal me pagassem. Mas tenho pena!

E guardamos essas memórias para todo o sempre



quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Porque a conversa é como as cerejas

Dei comigo a confessar a uns colegas a minha paixão de adolescente pelo....Miguel Bosé. Era taãããão giro. Por aí se percebe que eu não tenho muito jeito para a coisa, para perceber os sinais...

terça-feira, 7 de janeiro de 2020

O Diabo do cancro que não dá tréguas

Morreu Elizabeth Wurtzel, autora de 'Prozac Nation'. Tinha 52 anos - DN: A escritora e jornalista foi vítima de cancro da mama metastático, experiência sobre a qual escreveu no The New York Times.

E damos com estas memórias e ficamos com saudades

Ou sendo mais brutinha, quando ela era gorda e eu magra. Agora inverteram-se os papéis :)


Mas também é em Janeiro

Que os dias começam a ficar maiores...

É bonito...



segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

É Janeiro, está um frio de rachar

Acho que este título já deve ser repetido, mas a verdade é que continua a ser bem aplicado. O Rui Veloso tinha razão.

Após 2 semanas de férias e festividades, hoje quando saí de casa cedo, e o termómetro marcava 7º, nem queria acreditar. Até agora ainda não consegui aquecer, tal não é o frio. A verdade é que como o homem é um animal de hábitos, já me estava a fazer falta esta pequena agitação do dia-a-dia, chatear-me com a miúda de manhã, ameaçar que me vou embora quando ela ainda nem sequer se vestiu, etc. A minha vida já não seria a mesma sem isto,

Podia não estar tanto frio, mas não se pode ter tudo.

Vou passar a andar com o “Voltaire” a tira-colo, literalmente

Também é uma das minhas marcas fetiche, aqui me confesso, e o curioso é que há uns anos atrás o que me chamou à atenção foi mesmo o nome - Zadig et Voltaire. Sim, eu gosto de Filosofia, e para quem gosta o mínimo sabe que Zadig, é uma obra interessantíssima de Voltaire. Ora haver alguém que cria uma marca com este nome...teria tudo para resultar. Uma pecita aqui, outra acolá, a pessoa de vez em quando lá comete a sua extravagância, e pois que me apaixonei pela menina abaixo.

Como há pessoas com um senso pouco comum, tive-a como prenda. Talvez não me tenha manifestado o suficiente, já que a ocasião também foi um pouco estranhamente amanhada, mas a verdade é que não me canso de olhar para ela. Adorei!

Zadig et Voltaire

Se eu não fosse cobarde e tivesse um corpinho destes

Era menina para vestir isto. É preciso ter mesmo coragem....mas a Kerry Washington de facto pode, e fica- lhe a matar!


Só não vou dizer que tem tendência para “azeiteira” porque finalmente uma alma caridosa me explicou o que quer dizer exactamente a palavra

Mas lá que tem uma clara tendência para o chinelo, lá isso tem. Teve uma festa de anos, deixei-a decente, saí por alguns instantes e, aquando do meu regresso deparo-me com isto:


Para que não haja dúvidas prestemos atenção a uma unha de cada côr, ainda por cima fluorescentes, e a make up a condizer. Agora percebo as palavras do criador do Frankenstein quando clamava “eu criei um monstro”. A mim apeteceu-me dizer “eu dei à luz uma pirosa”.

domingo, 5 de janeiro de 2020

Alexander McQueen...só podia


Para o item das “ coisas que não percebo”

Porque será que à entrada do parque de estacionamento subterrâneo do Corte Ingles está quase sempre um senhor a carregar-nos no botão dos tickets/Via Verde?

Diz-me a minha experiência pessoal que demoro mais tempo a dizer qual é a modalidade que pretendo, o senhor raramente ouve à primeira, do que se chegasse ali e me limitasse a carregar no respectivo botão.

Não obstante, acredito que terá certamente uma explicação, mais ou menos lógica. Será sempre uma questão de ponto de vista.

Sem filtros

E fiquei inspirada. Vida!