sábado, 20 de maio de 2017

17 Anos de Benção de Finalistas

ISCTE - Sociologia - 1995/2000 - 20 de Maio

Xiiiii....a minha licenciatura está a entrar na maioridade e eu a envelhecer...!


quinta-feira, 18 de maio de 2017

Audioslave - Like a Stone (Official Video)...em jeito de homenagem...

Por sua livre alta recreação decidiu estudar o corpo humano

E nisto, toca de pegar numa cadeira e ir às prateleiras mais acima da estante e retirar um livro que lhe ofereceram, mas nitidamente daqueles lá mais para a frente.

Confesso que não reparei logo, mas ao me deparar com um silêncio ensurdecedor em casa, captei que algo poderia não estar bem.

Sentadinha no chão, encostada a umas almofadas de "compêndio" na mão.

Então, o que é que se passa aí? - perguntei eu.

"Estou a estudar o corpo humano, não vês!?"

Sim sim, já levo com respostas destas, daquele tipo de resposta cretina a uma pergunta idiota.

Então e estás a estudar o corpo humano, porquê? - insisti.

"Porque é disto que eu gosto mamã; eu explico-te: o sangue tem "glóbos" vermelhos e depois levam oxigénio ao coração....

Pára aí, tens mesmo a certeza que são glóbos?

Nisto ela responde, um bocado "encanitada":

"Óoooo pááááhhhhh......são GUE-LÓ-BU-LOS!"

E eu:

Ah, bem me parecia.

Mas isto tem continuação, porque ficou de me explicar hoje as restantes descobertas.

E terminei assim:

Então e precisas do oxigénio para quê?

"Para respirar mamã; não percebes que é para respirar?"

To be continue


terça-feira, 16 de maio de 2017

Acerca do que vi hoje e nunca me tinha acontecido - existem pessoas mesmo muito reles

No trânsito pela manhã, distraída com os meus pensamentos, em modo anda pouco e pára, oiço uma buzinadela e um indivíduo que circulava numa mota a gesticular.

Decidi tomar atenção e o que se passou de seguida foi de bradar aos céus; pois que o idiota que circulava no carro mesmo em frente do meu, um Citroen comercial com 20 anos e escavacado, de cada vez que via pelo retrovisor que uma motorizada fosse ela de alta cilindrada ou não se aproximava, chegava o carro dela para a junto do carro da faixa fa esquerda, de modo a entalar as motas e na pior das hipóteses provocar ali um acidente.

Pelo que percebi o senhor é contra a passagem das motas por entre os carros e toca de, com mão "divina" cortar o mal pela raiz e quase conseguir mandar uma série de gente para o hospital.

Foram várias as situações, ainda punha o braço de fora e fazia gestos obscenos aos motards, gritava palavrões - nisto passa uma mota da Polícia, não a entalou, mas depois da mesma ter passado pôs-se a reclamar no carro.

E foi isto, quando pensamos que já temos o Doutoramento em lidar com pessoas ordinárias, eis que aparece sempre pior.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Little Drama Queen on the house...sorry, on the school!

É muito teatral a minha filha; do nada faz um drama, e de um pouco, faz um festival.

Hoje foi dia de se "sentir mal" na escola - tem uma certa predilecção pelo gabinete médico. 

Do nada parece ter chegado hoje à conclusão de que estava a arder em febre; foi ao gabinete médico, lá tiveram que a aturar mais uma vez e até trouxe o papelinho com o registo febril, não fosse ter que ir de ambulância para o hospital com uma convulsão.

Não sei o que é mais preocupante; se a veia artística precoce, se a bela da birra que tive que aturar por me ter atrevido a desdramatizar tamanha doença.


Sinto-me um alienígena

Quando toda a gente anda há meses a falar de qualquer coisa relacionado com um "Despacito" e eu não percebia a que raio de coisa se referiam.

Claro que calculei que fosse a "Macarena" do momento ou o "Asereje", mas juro que até hoje não tinha ouvido tal coisa. Opto por ouvir maioritariamente o que gosto e selecciono para mim e que vou colocando no MP3 e rádio, cada vez menos, lá está, porque não me apetece ouvir o que os outros me tentam impingir, logo, esta febre passou-me ao lado.

Também não tive curiosidade em ir pesquisar, mas hoje em conversa com amigos, sendo um deles espanhol, lá me presenteou com a peça.

Não tenho nada a acrescentarl. Para o dia-a-dia completamente fora de questão; mas não digo que num ambiente de férias, com calor, etc., até não possa ser divertido.

O apoio ao Salvador foi unânime e foi emocionante vê-lo chegar a Lisboa

E de tantas pessoas que conheço de outras nações, os votos de boa sorte que me fizeram chegar enquanto portuguesa, foram avassaladores.

Obviamente que os mais entusiastas foram Nuestros Hermanos que me diziam que este era o nosso ano e eu, de facto, desde Março acreditava nisto, quando ainda muita gente me dizia que estava a divagar, que a música não era "festivaleira", blá blá blá.

Já vos disse que esse conceito é subjectivo e redutor?? Que é quase (perdoem-me a analogia) como os numerus clausus para a entrada no ensino superior e as chamadas "médias".

As "médias" de que tanto falam nesse cenário, não são uma média propriamente dita, nem nada de verdadeiramente estatístico; trata-se apenas, como todos devemos saber da nota obtida pelo último candidato a entrar num dado curso e isso não faz saber a média de notas de todos os candidatos àquele curso, que acaba como é lógico por ser superior à nota obtida pelo último colocado.

O termo "festivaleiro" e com o qual me debati desde Março, inclusive com a minha mãe que nestas e noutras coisas é teimosa e só vê a sua verdade, é um dado que deve ser analisado de outra forma. Grandes brilhos, grandes vestimentas, saltos, gritaria, o mesmo tipo de sonoridade - pronto, pode ser uma bela trampa, mas bora lá dizer que é festivaleiro porque é o estilo que ganha o festival....e aí sim, em média.

Mas não, e os irmãos Sobral provaram isso. Um indivíduo vestido de uma forma despretensiosa, sem jogos de luzes à volta, nem coros, nem dançarinas, nem partnaires, com uma voz cândida e uma sensibilidade cada vez mais rara arrebata corações, desperta emoções, põe gente que nem sequer percebe o que ele está para ali a dizer, a chorar copiosamente. E não, não é festivaleiro, brejeiro, despropositado...é a linguagem universal do bom gosto, da cultura, da qualidade levada ao extremo.

E para mim, é festivaleiro, com o seu cunho, ganha uma votação de júri, ganha uma votação de televoto...querem mais sucesso festivaleiro do que este!?