sábado, 31 de maio de 2014

Lá partiu mais uma alma

É triste de facto ver as pessoas a partir e com tanto sofrimento; o cancro é realmente uma doença terrível.

Esta pessoa que faleceu hoje, lutava há pouco menos de 2 anos com um cancro que começou na próstata, alastrou aos ossos, medula...enfim, até a mobilidade perdeu, primeiro dos membros inferiores e depois dos membros superiores.

Partiu com a noção de que estava a partir, disse à mulher "é o fim" e assim ficou, com um ar sereno e um leve sorriso no rosto.

Fez-me confusão como o conheci e vê-lo ali, hoje, dentro da urna - as feições eram as de outra pessoa, o que o sofrimento físico faz a um ser humano.

Triste também saber que a mesma pessoa que ali repousa hoje, perdeu há uma semana uma irmã, com....cancro!

Uma família dilacerada pela dor, e não é uma homenagem póstuma, mas era uma boa pessoa, sempre pronto a ajudar, que passou maus bocados na vida, e que tinha finalmente encontrado a estabilidade emocional.

Sudanesa condenada à morte deverá ser libertada - Globo - DN

Sudanesa condenada à morte deverá ser libertada - Globo - DN



Actuem rapidamente, por favor!

Ao almoço....

O almoço foi um belo bifinho na Portugália, o que não veio mesmo nada a propósito foi saber que ainda tenho um velório hoje; de uma pessoa ainda na faixa dos 40 anos, algo que já seria de esperar (Cancro), mas que cai sempre mal...a vida é assim, uma pessoa está bem, e depois acontecem destas...

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Hoje ainda não pregou nenhum susto

Mas também com doses massivas de Ventilan, Cortisona e Atrovent se me pregasse mais sustos confesso que quem começava a não respirar era eu.

Hoje, so far so good, espero que assim continue.

Roupinhas amorosas

A minha pequenina doentita precisa de uns mimos; eu sei, está vaidosa de mais e a culpada sou eu, mas quem resiste!?

Veio um vestido destes em amarelão (que fica muito bem na cor dela), mas a saia de tule em beje para fazer pendant, que tanto pode usar com o vestido como sem ele, e o top, mas em branco para usar com a saia.

Princesa, princesa!!!!



Eu sou assim - já não como há horas...

No dia em que a minha filha foi para o hospital com falta de ar, pouco comi, ontem limitei-me a meia torrada - quando estou nervosa e preocupada, por mais que queira os alimentos não passam.

Se me perguntarem se sinto fome ou fraqueza, a verdade é que nem uma coisa nem outra. Ontem, nem água bebi. Acho que a preocupação com o estado da minha criança, para além de me "alimentar" o espírito, saciou-me a fome e a sede,

Vamos lá ver se descomprimo, porque ter uma quebra de açúcar para mim é algo normal, e neste momento não vinha nada a calhar.


quinta-feira, 29 de maio de 2014

Agora ando a contar gotas de cortisona, a fazer aerossóis (graças a Deus que a minha amiga MJ antes de ir para Macau me deu a máquina, que é cara que se farta), a controlar pulsação...enfim, acho que vou mudar de profissão, levo jeito para a coisa.

Tem a respiração mais controlada, veremos como correm as próximas horas - mais um dia de trabalho que foi ao ar.

Mais um susto

E sem pré-aviso (quer dizer, a noite passada tossiu algumas vezes, mas nada de alarmante), hoje ao final da tarde quando a fui buscar achei-a estranha, molengona e muito encostada, a querer colo...enfim, quem é mãe conhece a sua cria e percebe logo quando as coisas não estão bem.

Cheguei a casa, fui analisar a temperatura, 37.6º, não achei grave, mas ali já tinha gato, aliás, tigre, puma, sei lá...

Pediu para o jantar esparguete com ovo mexido, e, quando está doente, faço-lhe a vontade, mas...comecei a sentir que ela não estava a respirar bem. Perguntei-lhe se lhe doía alguma coisa, disse que lhe doía a cabeça e a barriga, o nariz estava desentupido - comecei a perceber que era mais grave do que o suposto.

Logicamente perguntei se lhe faltava o ar, se tinha dificuldades em respirar e ela dizia que não, que só doía a barriga e que não conseguia dormir porque a barriga ia para cima e para baixo.

Houston, estive ali uns minutos a tentar avaliar a situação, acalmei-a, começou a chorar que não queria ir ao hospital, blá blá blá...quando vi aquela pele da barriga a enfiar-se pelas costelas dentro...nunca me vesti tão depressa, nem sei o que vesti, agora reparo que levei a camisola do avesso e lá fui, obviamente que para variar sem qualquer apoio do progenitor, o que é costume desde que nos traiu e ultrajou há 4 anos atrás, a minha mãe ligou-me sem saber de nada (nestes casos avanço, tenho que avançar, sou a mãe e nunca abandonei a minha filha, mesmo estando eu algumas vezes também tão doente, o que hoje não foi o caso).

 - Então filha, não dizes nada!?

Lá lhe falei num tom áspero que não tinha tempo a perder, ia a caminho do hospital com a minha filha, porque a falta de ar era preocupante - eu já nem sabia se me encaminha para o Hospital de Cascais, se para a Estefânia, se me aventurava a conduzir, se chamava uma ambulância para ela ter auxílio...mas respirei fundo, fui em marcha urgente, apanhei a minha mãe no caminho (de facto nestes momentos está sempre lá) e lá rumei à Estefânia que de facto nestes casos graves continua a ser uma boa escolha.

Cheio de gente, mas mal me aproximo do guichê para fazer a inscrição e digo que a bebé estava com falta de ar, ainda tinha o cartão de cidadão dela na mão e já a estavam a chamar.

Não, não sou alarmista, não vou para o hospital feita maluca...era grave de facto, pulseira vermelha, já não saímos de lá de dentro sem uma bombada de cortisona, ventilação...e depois espera. A falta de ar continuava, o indice de saturação baixíssimo, o enfermeiro (que à conta dos últimos episódios relacionados com a Mononucleose já é nosso "conhecido") foi a correr à procura de um médico disponível, eu desarmei, chorei, e não pude deixar de pensar como é que certas criaturas se conseguem deitar sem culpa na cama...dizem que cá se fazem, cá se pagam...não sei quando se paga, mas acredito que sim...talvez....

Mais um raio-x, iões para mãe e filha, temos levado com raios ultimamente que tem sido uma loucura, mais uma ida ao gabinete, nova ventilação, o ar continuava a rarear, o batimento cardíaco acelerou (é normal com a medicação que fez), mas acima do normal, apesar de tudo. Repôr um bocado aquele pequenino coração, nova vistoria, enfim, chegámos há pouco e tem que andar muito bem controladinha nos próximos tempos.

Os médicos não estão inclinados para asma, mas não descartam a hipótese, o que é uma chatice, mas depois vem a cena da hereditariedade, e eu tenho imensas alergias, sinusite e por aí, portanto ela pode ter propensão a estes episódios, juntando a uma infecção viral respiratória, deu noutro grande susto na minha vida

Eu posso vir a ter mais filhos, mas o que tenho passado com a Lady Bébécas faz com que tenha uma ligação e um instinto tão apurado que não sei se o terei com futuros filhos...aliado ao amor, há muito sofrimento e esses sentimentos prendem as pessoas.

Enfim, tenho que trabalhar, tenho uma filha para criar...e não é fácil...de todo, e sem dúvida que a falta de saúde é das piores partidas que a vida nos pode pregar.

Ok, tive sangue frio, apercebi-me da situação que podia ter sido bem mais grave, nem quero pensar.


quarta-feira, 28 de maio de 2014

Ai que é desta que eu vou ao Congresso do Partido!

Mas que treta é esta!? (para não dizer outra coisa)

Tenho a miúda meia choca outra vez?????

Parabéns à autora, que deve saber bem do que fala; é isto mesmo!

Mãe solteira não tem bode expiatório
Não existem mães solteiras, existem mães. Disse-o o Papa Francisco. Porque mãe não é um estado civil, caso contrário a taxa de natalidade era ainda mais baixa. Solteira, casada, separada ou viúva são adjectivos bastante instáveis. Quase todas as mulheres passam pelos quatro estados civis numa vida em que o marido se fina primeiro. Mãe não muda, jamais, da sua condição.
O facto é que há um surto de mães solteiras. Por opção ou destino, reproduzem-se gravidezes seguidas de partos que se transformam em maternidades de mulheres que viram mães (temporariamente) sós. E, excepto as viúvas, mais vale só que mal acompanhada.
Mãos ao ar! Seja de ajuda ou de aplausos a quem tem as mamas no sítio. É que quem dá conta do recado, neste caso um bebé a criar, fazendo tudo o que as outras mães não solteiras fazem, sem ter uma ajudinha à mão, é de se reconhecer mérito. Receio que o mérito seja uma palavra em desuso mas o casamento também é.
Por “ajudinha” muita coisa cabe dentro da mão: alguém que tome conta da criança cinco minutos porque se está mesmo aflitinha; pô-la no berço implica um choro ininterrupto e o xixi não será tão aliviado; alguém que se possa levantar uma só vez das dez que a mãe se levanta por noite; e alguém que possa mandar a mãe para a cama quando esta adormece no sofá com a espinha dorsal a lembrar o kamasutra.
Mãe solteira não tem bode expiatório. E é aqui que o mérito lhe é atribuído. Admitemos que todas as mães precisam, a dado momento, ir chatear alguém; só para aliviar do stress pois a criança fez uma birra gigante para comer com as mãos e já tem bróculos a nascer nas orelhas. Então, há alguém que vive ali em casa alienado dos legumes em orifícios infantis. O pai, marido ou namorado, um dia defunto. E que até deixou cair uma migalha, inocentemente, no sofá e à qual a mãe se agarra com todos os dentes e transforma no álibi perfeito. Ah, Ah! Para fazer uma cena porque está mesmo precisada. “Obrigada, querido”.
E mãe solteira faz o quê? Grita com o Cavaco na televisão? Arranha as paredes? Fecha-se na casa de banho e insulta-se a si própria ao espelho? É que um pai faz muita falta a uma mãe. Não apenas pelas razões óbvias do amorzinho e do agora-é-a-tua-vez, mas também para os três segundos diários de descarga da fúria maternal. As mães solteiras, no limite, engolem as próprias palavras e deixam-nas ecoar mentalmente. Têm uma percentagem ligeiramente superior de vernáculo impróprio para ser escutado por bebés. As primeiras palavras dos seus filhos serão “Mamã”, “Caramba” e “Por favor”. Muito bem educadinhos, cedo aprendem que quando se quer uma coisa, acrescenta-se um “por favor”. Na memória dos seus tenros dez meses, registam a sua mamã ajoelhada, junto ao berço, a rezar: “Dorme, amorzinho... por favor! Amanhã, a mamã vai ter um dia tão difícil no trabalho, já são 4h da manhã... Colabora, amor... Por favor.. Ó-ó...”
E as olheiras de pedinte são disfarçadas, na manhã seguinte, com found-teint mal espalhado pela cara sonolenta. Porque o despertador já tocou e hoje, como todos os dias, “desde que nasceste, sou eu que te dou o leite, te visto e levo à creche”. Há toda uma gestão diária de recursos que, no caso destas senhoras, é tarefa exclusiva. E para serem bem sucedidas, tratam de perceber que elas são o melhor recurso humano a reter. Porque aceitam o desafio, inventam caminhos, cumprem os objectivos. Mesmo que sonhassem estar a trabalhar em equipa, ter um maior ordenado e mais dias de descanso.
Voltando ao Papa Francisco, também podiamos imaginá-lo a dizer daqui a uns 50 anos: Não existem mães casadas, existem mães.
Autoria: Sofia Anjos

Hoje o serão promete

Filhota, eles estão a caminho, temos sobremesa deliciosa para o jantar :)


terça-feira, 27 de maio de 2014

A última da minha filha

Quer um despertador....logo ela que acorda com as galinhas!

Tanto que eu ansiei por este dia

Finalmente António Costa, as minhas preces foram ouvidas. Um líder, aleluia!

Uma avó lavada em lágrimas...por bons motivos

Nada mais apropriado do que surpreendermos as pessoas de quem mais gostamos e, embora a minha relação com a minha mãe tenha os seus quês (sendo que já foi difícil, agora nem o é), é a minha mãe e a ela devo-lhe muito, já para não falar na minha querida Avó, que embora tenha partido, está sempre presente no meu coração e no meu pensamento.

E então o que é que eu fiz? Aproveitei esta iniciativa brilhante dos CTT e mandei-lhe o "Obrigada" directamente da neta Bébécas para a sua querida Avó.

Calei-me bem caladinha para não estragar a surpresa.

Pois que a carta lhe chegou hoje e foi ouvir a minha mãe a beber lágrimas ao telefone toda emocionada porque a "neta" lhe tinha escrito a agradecer todo o amor que lhe dá e o facto de ser a sua querida avó.

Confesso que cá dentro também me emocionei de sentir a minha mãe assim, mas não desarmei, disse que tem que agradecer à neta, afinal quem lhe mandou a carta foi a neta, eu fui apenas a pessoa que fez com que tais palavras lhe chegassem por aquela via, pois o que lá está escrito é exactamente o que a Bébécas sente pela avó e toda a gratidão que lhe quis demonstrar.

Estou feliz por ter tocado a minha mãe com este pequeno gesto que no fundo de tão simples, lhe tocou tanto no coração.

Toca a agradecer aos de quem mais gostamos, porque "amanhã" pode ser tarde demais.

E está composto o ramalhete


segunda-feira, 26 de maio de 2014

A abstenção

Tenho aqui a Constiuição da R.P. a olhar para mim, mas nem sequer me vou dar ao trabalho de a folhear à procura de respostas, nem as vou colocar à CNE.

Mas sinceramente num país com cerca de 10 milhões e meio de habitantes a abstenção regista 66%!? Isto para mim é uma autêntica palhaçada e deveriam ser consideradas nulas e repetidas; sai caro ao país, nada nos garante que se obtivessem resultados menos de abstenção, mas ao menos vigoravam as leis de uma assembleia - não há quorum, não há assembleia e convoca-se uma nova.

Talvez alguns indecisos decidicem cumprir o seu dever e não mandar postas de pescada, mas tão pouco fazem nada para mudar. Cadê os  grevistas que têm andado a exercer o seu direito desmesuradamente, os manifestantes, os anonymus, essa gente toda?

Li algures que cerca de 6 milhões de pessoas não votaram e acham que à razão de 66% de abstenção isto vale alguma coisa? Estão com medo de correr com eles daqui para fora...o homem não se demite mesmo, portanto não iria haver mais crise política por isso.

Enfim...

Hoje foi daquelas noites

Em que em plenas 2.22h a minha filha acorda num pranto a chamar por mim; e naquela fracção de segundos em que fico estática a pensar se será um pesadelo ou realidade e vou aos tropeções a cambalear para o quarto dela ver o que se passa.

Primeiro tinha perdido uma meia, depois a Naínhas, depois queria um biberon com leitinho e ainda...a Mãe. Lá fui eu recambiada dormir para a cama dela, caso contrário a situação tinha sido complicada. Acordei toda torcida porque dormir numa cama de corpo e 1/2 com uma criança de 3 anos é obra; às tantas já está atravessa, depois faz o pino, atira-me com os pés para cima da cara e do nariz, os cotovelos enterram-se nas minhas costelas...estou aqui que nem posso.
Afinal ontem não foi o Mick, foi o Robbie - a minha filha continua a ser mais bonita, mas ouvir o Let me Entertain You ao vivo deve ter sido qualquer coisa!

Estou tão feliz Mamã!

Ouvi à primeira, mas pareceu-me tão irreal que lhe perguntei:

O quê filha?

E ela, agarrada ao meu pescoço, a dar-me mil beijinhos daqueles que só ela sabe dar:

 - Estou tão feliz Mamã.

Fiquei em êxtase; completamente feliz também naquele momento. Estávamos num momento particularmente nosso, nos nossos mimos e ela com um ar mesmo feliz, diz-me aquilo...e insiste que quer ser como eu...

Depois, chegámos a casa e fomos começar a decorar o quarto com o restante mobiliário que veio ontem; ela delirou, estava mesmo feliz, acho que foi um dia especial para ela. O quarto está um encanto, embora tenha coisas a mais, confesso, ele é uma cozinha enorme, tábua de passar a ferro dela, tenho lá o triciclo porque é bom demais para estar na arrecadação a ganhar ferrugem, as bonecas já não têm conta, a cadeirinha da praxe, o quadro, a arca dos brinquedos, os próprios brinquedos que enchem as estantes...enfim...precisava de mais uma assoalhada....ah, e os patins, etc, etc, etc.

Falta o tapete, tem que ser assim tcharammmmmm, e a tal mesa de cabeceira que não me sai da cabeça!

Ela adorou, fiz questão de recompor tudo com ela, deu a sua opinião, até pegou no pano e "limpou" o pó...e missão cumprida. São estas pequenas cumplicidades que nos fazem ter os nossos momentos, só nossos.

domingo, 25 de maio de 2014

Eu fui

Ok, gostava mais de estar a dizer neste momento no dia de amanhã que "eu fui ver os Rolling Stones"...mas não, com crianças pequenas, não dá ainda para fazer esses programinhas, pois o tempo que se passa com elas à semana já é tão curto, que entre a Bébécas e o Mick Jagger, desculpa lá Mick, mas gosto um bocadinho mais dela do que de ti - só porque ela é mais bonita, só por isso mesmo, eheheh.

Mas fui....logo pela manhã....I did it!


E a quantidade de partidos que eu nem tinha a noção que existiam!?


sábado, 24 de maio de 2014

Qué ilusión Madre Mía

Que ha sido un partido de niervos, pero Hala Madrid, siempre!
Es nuestro! Hala Madrid!

HALA MADRID!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Hala Madrid!

sexta-feira, 23 de maio de 2014

A TV Cabo, a Zon, a Optimus e Nos!

Estas fusões são sempre complexas; trabalho numa multinacional em que também já houve fusões, mas o sítio onde estou mantém o mesmo nome - acaba por ser uma identidade, corporativa e mesmo pessoal.

Portanto, olhar para o visor do meu telemóvel e, onde antes aparecia "Optimus", de repente surgir "Nos" fez-me confusão.

Quando a pessoa vai para fora, entra no modo outsider, e aparecer Movistar, T-Mobile, Telefonica, Vodafone e afins...é normal. Agora cá dentro o "Nos"....ainda não me consigo identificar com a Marca.

Noites Brancas na homenagem a Eunice Muñoz - Artes - DN

Noites Brancas na homenagem a Eunice Muñoz - Artes - DN



Venham mais iniciativas destas; homenagens em vida, para além das póstumas, para que o homenageado sinta e presenceie o eco do seu valor.
Dor de estomago, daquelas chatinhas a esta hora não vem mesmo nada a calhar...que indisposição.

Quer dizer, também não almocei propriamente...cabeça que não tem juízo...

Se há homem que eu ache perfeito...é o Diogo Infante!

Não há volta a dar...já é uma "paixão" antiga.


quinta-feira, 22 de maio de 2014

Muito vivemos nós os portugueses (alguns) um belo aparato

Então o tal de "Palito" foi presente a juiz para lhe ser declarada a medida de coacção, e até Guarda montada a cavalo estava à porta do Tribunal.

Ok, era uma situação complicada, podia haver um tumultozito, mas não era caso para tanto.

A minha filha tem uma lata!!!!

Literalmente....


Hoje é o seu Dia

Santa Rita de Cássia.

A Santa das causas impossíveis e das mães - sou mãe de uma Rita e há um tempo atrás achei que não ia conseguir ser a mãe que sou, dadas as circunstâncias em que nos colocaram.

Por isso, merece a consagração que lhe farei da minha Rita aquando do seu baptismo!

quarta-feira, 21 de maio de 2014

...coitadinho do Aiden :(

PJ capturou Manuel Palito Baltazar na sua própria casa - Portugal - DN

PJ capturou Manuel Palito Baltazar na sua própria casa - Portugal - DN



Bem que podiam ter começado a procurar por lá...coitado do homem, matou as senhoras, pôs as outras duas a pão e laranjas e depois foi para casa...descansar, ficou cansado...ai eu!

A generosidade da minha filha...parece que o que lhe transmito vai ficando

Tenho por hábito partilhar, não só o que de melhor tenho de mim própria, quanto mais não seja o ombro e os ouvidos para quem deles precise (mesmo estando arrasada por vezes), como também o lado material da vida.

Comprei o enxoval todo da minha filha sozinha, sem qualquer ajuda de quem quer que seja, incluindo a Puericultura pesada, à excepção de "metade" da caminha de grades, que aproveitei uma oferta de um casal muito amigo quando ela nasceu - ofereceram 80€ em dinheiro e eu coloquei o resto e comprei a cama e o colchão e o baloiço da Fisher-Price oferecido pelos colegas de trabalho. Tudo o resto foi tudo tratado com algum sacrifício, e sem auxílio de ninguém.

Na altura do nascimento há sempre quem ofereça uns miminhos, muito úteis, mas no meio de todo o enxoval...

Há coisas que não consigo dar/emprestar. Existe um cueiro que comprei para ela vestir assim que nascesse, para "conhecer" o pai, lembro-me que o comprei na altura a pensar neles os dois com tanto amor...ela não o vestiu para o pai, esse indivíduo deixou de merecer qualquer acto bom da minha parte e acabou por vesti-lo para ir fazer o teste do pézinho, em que fui acompanhada por uma pessoa muito querida.

Esse cueiro, já o disse, é dela, continua a ter um significado muito forte para mim, e está emoldurado numa parede de destaque no quarto dela; não há quem entre ali, que mesmo não sabendo destes detalhes, não se emocione ao olhar para aquela obra. Não só o cueiro é lindo, como a própria ficou um encanto.

Existem outras peças que também não consigo partilhar, por um ou outro motivo, e as coisas dadas pela minha mãe, pela minha irmã, tão pouco sou capaz de dar.

De resto, a puericultura pesada, e a maioria das roupas que quero reaver (sabe-se lá para um dia...) partilhei com uma grande amiga e a filhota dela acabou até por estrear a Alcofa do Trio da Chicco que a minha filha acabou por nunca usar.

Outras roupas mais normais, das chamadas lojas low cost (zara, h&m, c&a) essas dou, estão novas e tenho todo o gosto em dá-las, tal como alguns brinquedos. Dou-as a um casalinho que 18 anos que teve um incidente e que daí adveio uma menina no ano passado, passam muitas dificuldades e são uns miúdos humildes, agradecidos e com força de vontade; mas faço questão que a minha filha saiba que as coisas dela são oferecidas a outra menina, faço questão que ela perceba que está a dar às coisas à bebé e que a bebé as vai usar e vão passar a ser dela.

Hoje, há pouco, fui tirar uma camisola de pijama para lhe vestir; que está mais vés do que rés, portanto indo a lavar já não volta para a gaveta, mas nem comentei, não foi preciso.

Disse ela assim:

 - Óh mamã, está cósola tem mangas de bebé; eu puxo e elas sobem. Temos que ir dar à Ariana.

Emocionam-me estes pequenos rasgos, que significam tanto.

Teve nega a Matemática e é campeão mundial de cálculo - Portugal - DN

Teve nega a Matemática e é campeão mundial de cálculo - Portugal - DN



...e quanto a mim não se tratará apenas do facto da criança ser ou não sobredotada, nem da disciplina de Matemática ser mal leccionada pela maioria dos professores - isso é um facto indiscutível.



Mas há que ter em atenção que cálculo, álgebra e aritmética são campos completamente diferentes.



Lembro-me que em testes psicotécnicos que fiz por volta do 9º ano, os resultados em cálculo mental eram brilhantes, bem como em raciocínio lógico - por vontade daqueles testes eu teria ido para uma área relacionada com a Matemática. Não tenho problemas com aritmética, mas não me ponham álgebra, muito menos linear e matricial que eu mando-as dar uma curva.



Só não mandei na faculdade nas cadeiras de estatística porque o curso tinha que ser feito e eu não sou de deixar coisas para trás, mas por opção...álgebra não.

Teve nega a Matemática e é campeão mundial de cálculo - Portugal - DN

Teve nega a Matemática e é campeão mundial de cálculo - Portugal - DN



...e quanto a mim não se tratará apenas do facto da criança ser ou não sobredotada, nem da disciplina de Matemática ser mal leccionada pela maioria dos professores - isso é um facto indiscutível.



Mas há que ter em atenção que cálculo, álgebra e aritmética são campos completamente diferentes.



Lembro-me que em testes psicotécnicos que fiz por volta do 9º ano, os resultados em cálculo mental eram brilhantes, bem como em raciocínio lógico - por vontade daqueles testes eu teria ido para uma área relacionada com a Matemática. Não tenho problemas com aritmética, mas não me ponham álgebra, muito menos linear e matricial que eu mando-as dar uma curva.



Só não mandei na faculdade nas cadeiras de estatística porque o curso tinha que ser feito e eu não sou de deixar coisas para trás, mas por opção...álgebra não.
É horrível a sensação de me lembrar perfeitamente que estava ontem a ver a série "Mentes Criminosas", apaguei não sei quando e acordar com a televisão a dar não sei o quê e com a luz do dia lá fora.

Toda torcida, com a sensação que descansei pouco ou nada, a cria acordou logo depois, pequeno-almoço, duche matinal na cria...enfim. Estou para aqui com uma vontade de ir dormir uma bela sesta.

A um mês do Verão

Em Portugal Continental, hoje à tarde apanhei esta pérola de tempo maravilhoso....



Sobretudo se estivessemos em Cabo Verde, na Somália, Etiópia e afins...

terça-feira, 20 de maio de 2014

Sair de casa com a bela da sabrininha no pé

Sem meias e com um dia destes é uma espécie de sensação de absorção mas ao contrário.

Que desconforto, que frio nas canelas, só me apetece calçar umas belas meias e as minhas galochas :(

segunda-feira, 19 de maio de 2014

A nossa Selfie :)


A novidade

É uma menina rebelde, muito mesmo. O que tem de rebelde, tem de meiga e generosa, valha-me isso.

Mas agora, sempre que me zango responde com um revoltado:

 - FEIA!

Nem sequer olho para ela, entro no modo ignorar.

Dez minutos depois vem muito dengosa desfazer-se em desculpas - ando a insistir em dois pontos; porque é que pede desculpas e amanhã volta a fazer o mesmo e...porque é que está a pedir desculpa.

Vai ser complicado...

O tempo está a mudar de facto

Vem aí chuva...again!

domingo, 18 de maio de 2014

Pharrell Williams - Happy (12PM)

Agora tenho um Via Michelin humano em casa

A minha filha decidiu começar a desenhar o percurso entre a nossa casa e o hospital, com os pontos estratégicos no meio e tudo...não há falha!

Adoro o detalhe de que há sitios em que a "estrada é enrolada"!
...e para a semana a esta hora espero já ter cumprido com o meu dever cívico.

Um dia tão bonito...

E nós aqui "presas" em casa com a filhota a fermentar a recuperação!

Não percebo, juro que não percebo

Porque é que toda a gente, mesmo toda a gente teima em pensar que eu sou a mais nova das irmãs.

Hellooooo, temos 10 anos e meio de diferença, eu não tenho problemas nenhuns em ter os meus 36 aninhos (pelo menos por enquanto) deixem lá a miúda gozar os seus 26, e depois os 27 e ainda mais uns quantos vintes até chegar aos intas.

Eu sou a mais velha, eu peguei-lhe ao colo, mudei-lhe fraldas...ela é a minha mana má, a minha bebé, não lhe ponham mais 10 anos em cima por favor.

I'm the oldest, ok!??????????????????

sábado, 17 de maio de 2014

Hoje lá investi mais uns €€€ no quarto da minha filha; em termos de móveis, já está despachada.

Falta apenas a mesinha de cabeceira que ando a namorar e o tal candeeiro à altura e o quarto está terminado.


Milhares de estudantes celebram o fim da vida académica - Portugal - DN

Milhares de estudantes celebram o fim da vida académica - Portugal - DN



E a minha já foi há 14 anos; 20 de Maio creio eu, com o D. José Policarpo.



O tempo passa a correr.

Ligeira dor de garganta para a mãe

Pelo amor da Santíssima Trindade!

About London

No outro dia estava a mostrar à minha pequena umas fotografias de Londres e ela ficou encantada com os autocarros, os táxis e Picadilly Circus!

Até os olhos brilharam com tanta luz e comfesso que aquela praça me fascina também. Quando lá estou, não quero sair de lá.

Disse-lhe que em breve talvez a leve lá, mas que temos que organizar outras coisas antes.

Fixou todos os pormenores e hoje, do nada, perguntou-me assim:

 - Óh mamã, em Londes o volante dos carros é no ôto lado?!

That's it!


sexta-feira, 16 de maio de 2014

It's a boy!

Eu acho piada quando as pessoas dizem que "já fecharam a loja".

Eheheh, não conheço um caso em que de facto a loja não tenha trazido mais um presentinho.

A população aqui no meu prédio está a aumentar :)


Sempre abominei Herpes...e a minha filha tem uma clara tendência para os apanhar...

Desde muito miúda, quando via as minhas amigas com herpes labial aquilo fazia-me uma impressão horrenda.

Por isso, e pelo facto de em casa ser fortemente instruída para tal, nunca fui pessoa de partilhar copos, trincas de bolos, lambidelas em gelados e afins.

Cada um que beba do seu copo e coma do seu prato e que não haja confusões.

Quando crescemos, os namorados e tal...não fui muito namoradeira, nem nada que se pareça, e que eu saiba apenas uma pessoa com quem me relacionei tinha herpes labial - foi uma pessoa que me marcou pela positiva, herpes à parte, e lembro-me que da primeira vez em que nos apeteceu de facto trocar um beijo, ele estava com herpes e acho que se calhar por isso, quando o bicharoco se foi, trocámos um beijo mágico de que me lembro até hoje; isso e mais umas loucuras que uma pessoa encantada por outra faz...já passou, já lá vão tantos anos, mas continua a ser uma pessoa especial e que recordo sem mágoa.

Bem, o que é facto é que o bicharoco maléfico de seu nome Herpes até hoje (amanhã não sei), nunca me pegou.

No outro dia numa esplanada o senhor coitado, teve que me trazer 4 copos distintos, porque cada um deles tinha mais marca de lábios do que o outro e confesso que essas coisas me fazem mesmo muita confusão.

Ora, como mãe sou super cuidadosa, tomo todas as precauções, mas realmente contra vírus e/ou bactérias, se eles embatem com o nosso Santo, não há muito a fazer.

Há precisamente 3 anos, lembro-me daquele dia 22 de Maio de 2011 como se fosse hoje, a minha filha foi internada com Herpes 6/Exantema Súbito, sendo que o próprio exantema só se fez presente já ela estava internada. E foi assim, no espaço de 15 minutos a miúda ficou bicho...e os médicos aliviados, porque apesar de tudo era bom sinal.

Ao olhar para aquelas análises, cuja cópia me voltaram a da hoje na Estefânia, sozinha com ela nos braços de madrugada e a dizerem-me que a bebé tinha que ficar internada...enfim, não se desejam estes sustos a ninguém.

Hemoglobina - 10,5
Hematócrito - 30,4
Leucócitos - 2,5
Neutrofilos - 14,10
Linfocitos - 64,60
Monocitos - 20,80
Plaquetas - 154

Uma amostra dos valores completamente fora do contexto que ela tinha e por mais que me tentassem tranquilizar, eu só me focava nisto...tudo culpa do malvado do Herpes 6.

Agora, 3 anos depois, mesmo mês, sintomas de febre e a miúda com  Mononucleose, desta vez um tipo chamado Herpes 4 ou o raio que o partam.

O Monoteste deu negativo para a Mononucleose Infecciosa, mas o EBNA - IgG não deixa escapar que o bicho me atacou a miúda! E a PCR nos 164,5 mata-me!

Não me tranquiliza dizerem que é normal, que 50% das crianças uma vez na vida têm contacto com o bicho e cerca de 90% dos adultos já tiveram; existem riscos associados, orgãos que podem ser afectados e é uma grande treta. No caso da minha filha foi a garganta (o que é comum) que dadas as circunstâncias é o que menos me preocupa, e o baço. Inchou um bom bocado e agora temos que ter algum cuidado com quedas e pontapés e por aí, porque se sofrer um trauma, como está sensível pode sofrer uma lesão, e isso é chato.

A médica já me foi dizendo que pelo menos durante 12 a 18 meses ela está mais vulnerável, e que esta doença se cura por si própria, com o tempo...apesar da dor e da preocupação que me assolou, acho que encaixei melhor esta hostória quando ela tinha 10 meses, do que agora.

E começo a conjecturar uma série de coisas, e a não gostar dos caminhos para onde a minha mente me leva.

Para ajudar mais à recepção de boas notícias o antibiograma da minha filha também não é muito feliz. A miúda é danada; sou contra antibióticos e evito-os ao máximo, mas às vezes tem que ser.

Pois parece que o organismo dela precisa de coisas mais fortes do que os derivados da Penicilina - mas porque é que nestas coisas a miúda tem que sair à mãe!?
Ou seja, Penicilina da boa para cima, uiiii

Enfim, e o panorama é este, mas volvida 1 semana e 1 dia desde os nossos "passeios" até ao hospital, as coisas estão mais estáveis e espero que assim continuem nos próximos dias.

Quero aquela carinha feliz e saudável a sorrir para mim sem vestígios de dor e febre.

Hospital Again

Bem, o update é mais consolador. Trata-se de facto de Mononucleose, finalmente os resultados das Serologias Infecciosas ficaram disponíveis, o baço está menos inchado e a garganta com poucas placas visíveis de pus.

Ao que tudo indica mais uma semana de molho e com cuidados perante ela e o meio envolvente e a criança estará em franca recuperação.

Não deixa de ser uma doença chata, porque a sintomatologia associada ao cansaço pode perdurar cerca de 1 ano...

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Já começou a fazer alguns disparates...parece-me ser um bom sinal...

Depois da Eurovisão, Conchita conquista Spotify - TV & Media - DN

Depois da Eurovisão, Conchita conquista Spotify - TV & Media - DN



Só há aqui uma coisa que eu não concordo; vejamos, se a pessoa em questão é Travesti, então não se trata de uma cantora, mas sim de um cantor.



Se é transexual com as devidas alterações inclusive de identidade, então aí trata-se de uma cantora.



Afinal a Conchita neste momento é de que género!?

quarta-feira, 14 de maio de 2014

E finalmente lá ouvi a música da(o) Conchita!

Oh não

Vuvuzelas aqui a tocar na minha freguesia; mas essa porcaria ainda existe!?

Nestas alturas tudo lhe dói

....e a mim também.

Ainda no outro dia comentava com a minha mãe como tirar sangue é para mim algo que não me incomoda, mas ver fazerem-no à minha filha dói-me horrores.

E ter que a segurar, ajudar a "amarrá-la" para a agulha não sair do sítio; uma das análises foi a tia, que eu não aguentei e tive que ficar cá fora. Têm sido seguidas, pica aqui, pica ali, os bracinhos negros, é horrível.

Mas não é só...tudo lhe dói mesmo; limpo-lhe o rabinho, dói; no banho, dói. A pentear....enfim, isso dói sempre. Está tão combalida que tudo lhe dói, tudo a cansa.

Ontem vacilei e com "pena" dela vacilei no cabelo e não fui tão perfeita; hoje estava que não se podia e acabou por sofrer mais ela e eu.

Ai, é o que eu digo, mãe sofre!

A um mês e meio dos 4 anos da minha filhota

Este ano faz uma semi-capicua - 4 anos a 4 de Julho de 2014.

Embora estes dias estejam a ser complicados, já estou numa de começar a agilizar as coisas, porque se deixo tudo para o fim, perco-me.

O fatinho já está encomendado, vai ser feito mais uma vez à medida para ela...e é lindo, de princesa mesmo. Desta vez não é um vestido, é ainda mais fofo a atirar para o clássico.

O bolo, enfim, eu tive uma ideia, daquelas brilhantes, veremos se é exequível ou não - mas ter mais uma vez a minha querida amiga Catarina Cerqueira da My Cake Store a tratar do bolinho da minha bebé, deixa-me derretida - sei que é uma altura do ano complicada para ela, com casamentos e baptizados, mas quando ela me diz que pode estar muito atarefada, mas o bolo da Bébécas é prioritário, deixa-me sem palavras.

Conheci a Catarina quando fiz a festa do 1º aniversário da Bébécas no restaurante do Luis Suspiro na Ordem dos Médicos e desde aí foi paixão à primeira vista. Para quem não conhece o trabalho da Catarina, aconselho vivamente.
Tem um lugar muito especial nos nossos corações e assim nasceu uma amizade e um carinho muito especiais.

Começo a esquematizar ementas, decoração - que depende da minha ideia do bolo.

O tema Doutora Brinquedos ia ser bem aceite pela cria, eu sei; mas esta minha ideia....acho que ela ia delirar e ia ter uma festa bem diferente do habitual. Veremos a surpresa.

Enfim, algo para animar estes dias...

Serei a única a não torcer pelo Benfica?

....nem pelo Benfica, nem por nada...esta semana torço pela minha filhota!

...e a espera pelos resultados todos continua

Ainda não saíram os resultados todos e a preocupação cá continua; provavelmente só no dia 16 é que temos toda a parte de patologia clínica disponível....vamos esperar....

terça-feira, 13 de maio de 2014

De muito mau gosto...

O mau gosto do nosso Governo chega a este ponto: tenho a minha filha doente e quando pressinto que a situação é mais grave, opto sempre pelo Hospital da Estefânia. Tenho a melhor das opiniões. Nesta última semana foram dias e dias a caminhar para lá, para avaliar o estado da criança, diagnósticos, análises etc. Ora, no SNS as crianças são isentas de taxas moderadoras.
Mas os senhores agora optaram por, mal fazemos a inscrição da criança à chegada à urgênia darem-nos um papel demonstrativo dos gastos acumulados em consequência dos actos médicos praticados. No caso da minha filha, relativamente ao ano em curso já tem uma conta corrente de 485,30€ - e eles reforçam que o fazem para os cidadãos terem a noção do quanto o Estado é um Estado Providência (isto são palavras minhas) é amigo e de quanto investe nos seus cidadãos, isto para reforçar que nem pagamos assim tantos impostos.
Não fosse o preço dos selos, acho que lhes escrevia cartas diárias a relembrar o valor de retenção na fonte indevido que me fazem suportar num ano inteiro, e depois pagam-me de juros uma quantia na ordem de 1€ - é de os mandar bugiar mesmo!

Foi bonito conseguir que comesse, foi foi

Mas depois de muita choradeira lá comeu uma bela massada de peixe, que quando está doente é o que eu consigo que ela coma melhor.

Ai meu Deus...estou esgotada!

Já de si tem mau feitio

Doente então nem se fala; agora vá lá eu saber porquê está a fazer uma birra monumental no quarto, aos berros, parece que a estão a matar, a bater com os pés no chão e eu só não lhe vou dar uma palmada porque ela está doente...mas tenho que contar até 100.

1
2
3....

As escolhas clínicas para a minha filha

Por vezes perguntam-me a que médicos levo a Bébécas em caso de urgência, e confesso que nesses casos tento manter a calma até ao momento em que é possível e não me precipito ao primeiro sinal.

Quando tem febre dedico-me à profilaxia sintomática, tento saber se as pessoas com quem ela possa ter convivido tiveram algum problema e coração ao alto. Embora os médicos digam sempre para esperar mais, como mãe já conheço a minha filha como ninguém e consigo perceber quando se trata de algo mais grave ou não, e o facto é que não me tenho enganado.

Quando a pediatra dela está disponível ligo-lhe e exponho a situação, tenho amigos médicos com os quais também comento as coisas e oiço opiniões, mas se sinto que tem que ir ao hospital, vai mesmo, fazer análises, o que quer que seja, porque com febres de 40º não se brinca.

Quando pressinto que não nenhuma sangria desatada levo-a às urgências pediátricas do Hospital da Luz que são muito boas, no ano passado quando teve aquele doença maravilhosa da mão, pé e boca ou na ordem em que eles entendem que é, levei-a ao Hospital de Cascais que é o da nossa área de residência, não desgostei, parece tratar-se de um hospital privado, com todas as mordomias.

Agora quando sinto que a situação é grave, não hesito, HDE com ela (Estefânia) e reafirmo que é o melhor entre os melhores. Tem muita afluência, tem, mas que as crianças não são negligenciadas, não são - esgotam todas as dúvidas, contactam-nos para tirar mais dúvidas, como eu os questiono nalguns pontos clínicos que domino tiram-me todas as dúvidas sem qualquer má vontade ou tiques de superioridade associados.

Se fez uma análise que não lhes quadra, vamos repetir e explicam o porquê, dão apoio aos pais, disponibilidade e tudo o que for necessário.

Estes últimos dias a nossa rotina tem sido HDE, a Bébécas já é conhecida quando lá entra; lá lhe pegam ao colo, dão beijinhos, brincam com ela, tudo com uma sensibilidade e carinho que, como mãe, me deixam comovida.

Hoje, a médica virou-se para mim e só me disse - "ela está vigiada, e agora a mãe tem que olhar para si, tem que descansar, porque dias e dias sem dormir e com esta preocupação estão a deixá-la quase tão vulnerável como à sua filha, e depois, quem trata dela!?"

Reitero que só tenho a agradecer, não só o que fizeram por mim na minha infância há mais de 30 anos atrás, altura em que também preguei alguns sustos valentes à minha mãe, com cirurgias pelo meio, e hoje com a minha bebé, que têm sido incansáveis e muito profissionais.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Mais um dia com hospital à mistura

Agora já foi de pulseirinha amarela para cima...a Mononucleose confirma-se, o baço está afectado...a prostração continua e é uma dor ver os nossos pequeninos assim.

Agora está em casa a descansar....e eu também, que de há uns dias para cá nem sei o que isso é.

Mas é um bom hospital do Hospital Dona Estefânia, disso não há dúvidas e mais uma vez agradeço a todos o que têm feito por nós, sem excepção.
Mais uma noite longa e em claro a controlar a febre da miúda, toalhas na cabeça, tornozelos, pulsos...estou a flipar. Trabalhar esta semana vai ser uma miragem, está visto.

domingo, 11 de maio de 2014

Já não bastava a criança

E eu todo o dia agarrada à bomba; já não estou a aguentar isto, bolas!



A minha filha estar a dormir a sesta voluntariamente sem eu ter que a "obrigar"

...é sinal de que está mesmo muito doente.

Enquanto me lembrar desta, tão cedo não me queixo da hiperactividade dela.

"Mãe, não quero ir mais ao hospital"

Mal sabe ela que está quase a ter que lá ir outra vez...eu nem lhe respondo, não lhe vou mentir e dizer que não vai, mas tão pouco a quero fazer sofrer por antecipação.


E lá continuamos de quarentena

Um dia tão bonito e a minha bebé tão doentita; lá consegui que almoçasse; não tudo, mas mais de metade do que lhe pus no prato, já não é mau.

Ando para aqui a desinfectar tudo a toda a hora; olho para os bracinhos dela e é um dó - todos negros dos hematomas das análises, já não sei onde a vão picar da próxima vez.

Não quer beber água, tem que ser quase à força e está com mau feitio, chora por tudo e por nada, enfim, uma bravura.

E eu, que já é hábito ter as minhas alergias do costume, quando fico nervosa pioro, portanto o cenário aqui em casa está lindo.



sábado, 10 de maio de 2014

As últimas horas

Difíceis e momentos de preocupação. Lá voltámos ao hospital, as coisas não estão bem com a Bébécas.

A noite passada foi tenebrosa, os 40º de febre que me causam uma grande preocupação, e evitar que possa ocorrer uma convulsão; ela ardia.

Toalhas frias, o ben-u-ron que para fazer efeito é um problema, nunca baixa a febre na totalidade, até na banheira com água fria pensei em colocá-la, mas a birra foi tanta que resolvi de outra maneira.

Mas a malvada da febre resiste, e já sem forças lá peguei nela à hora de almoço e lá fui em grande angústia para o nosso Hospital das Crianças; com o ben-u-ron tomado há cerca de 2 horas, portanto supostamente no auge do seu efeito, na triagem ainda tinha 38.1º, o enfermeiro foi impecável e rapidamente entrámos para o gabinete médico.

Lá expus toda a minha preocupação, o quadro clínico já lá estava, a médica, foi um amor; não percebi de que nacionalidade era, italiana talvez, um amor.

Aquela Proteína C Reactiva continua a matar-me a cabeça e aí desabei e lavei-me em lágrimas; a médica lá me explicou que embora o valor esteja claramente alto (na 5ª feira a 58.8) se ela tiver um quadro infeccioso é "normal". Abriu a boca, foi o susto; ainda ontem lhe examinei a garganta e estava normal. Hoje, as amígdalas estavam brancas! Assustador. A médica associou os sintomas a uma possível Mononucleose, não gostei nada desta suspeita, como também não gostaria de outra qualquer. O que mais desejo é que a minha filha tenha saúde.

Lá fomos para os lab's, raio-x, mais uns quantos iões para mãe e filha e depois o sítio horribilis. Se na quinta-feira bastei eu e mais uma pessoa a segurá-la para tirar sangue, hoje, fomos quatro e saí de lá a transpirar - tem uma força....

A parte do exsudado já foi a tia, porque eu sinceramente estava a desfalecer.

Depois da espera, lá fomos outra vez ao gabinete, as análises continuam um caos nos indicadores que já estavam caóticos e a PCR a 164.5 - fatal. A médica bem que me tranquiliza, mas não está a resultar. Neta de enfermeiras, médicos amigos e na família, faz com que já tenhamos ouvido muita coisa e esta análise deixa-me deveras preocupada.

Todos me dizem para ter calma, mas hoje já me fui abaixo uma série de vezes. Andar por ali naqueles corredores com ela e com o sempre apoio da minha irmã levou também a minha cabeça a outras coisas, de que nem vale a pena falar. Sou mãe e pai e a realidade é essa.

Agora vai estar em permanente observação a meu cargo, até saírem os resultados específicos, já que os que temos ainda são inconclusivos e apenas lançam suspeitas, se algo se alterar vai ter que ficar lá internada... e eu com uma grande responsabilidade sempre a controlar se está tudo pelo menos na mesma, pior é que não.

Estou exausta. E é nesta altura que vemos quem de facto se preocupa, quem está lá. Os meus amigos todos fantásticos, dispostos a estarem naqueles momentos comigo, mensagens de apoio, telefonemas, o Honey mesmo doente apareceu lá....e ela ficou tão contente. Reconfortou-me como mãe, como ser humano.

À minha família, ao Honey, amigos, colegas, mesmo aos que estão mais longe, em Espanha, França, Roménia, Brasil....todos tão presentes e connosco no coração.

As vossas energias positivas vão chegar, assim o espero.

Depois de mais umas valentes horas no hospital com a pequena

Vou ali comer qualquer coisa, que hoje, ainda nem um copo com água ingeri.
Analisando bem as análises da Pimpolha, vejo que a Proteína C Reactiva está num valor que me preocupa - não estou a gostar nada disto, de todo.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Não me apetecia nada nova sessão de hospital

Mas se os sintomas persistirem, mais um dia e é o que me (nos) espera. Olho para ela e sinto-me impotente, só me apetece mandar a febre ir dar uma curva...e ela ir...pregar para outra freguesia.

Está a falar assim meio pelo nariz, a tosse é ligeira, quase inexistente, mas aqui há  gato. Dai-me forças e coragem, que há alturas em que parece que ambas nos faltam.


Talho de Jamie Oliver encerrado por falta de higiene - dn - DN

Talho de Jamie Oliver encerrado por falta de higiene - dn - DN



Olhem que realmente! Não foi ele que andou aí com um quid pro quo com o McDonald's?

A parte das análises

Confesso que me continua a doer mais a mim do que a ela; não me faz confusão fazerem-me análises ou algo assim, mas à minha filha, dói-me horrores.

Ontem mal entrámos no laboratório lá vinha a enfermeira de zaragatoa em punho para executar o exsudado; lá me sentei com ela na poltrona, pediram-me para a agarrar e assim o fiz, mas com suavidade.

A enfermeira olhou para mim, riu-se e aconselhou-me a agarrá-la com força mesmo, senão ela ia conseguir abortar a operação. Bem, a miúda tem uma força, coitadinha; aquilo não dói, mas faz uma impressão danada.

Sessão de choradeira claro.

A seguir vem o garrote e a borboleta; na parede em frente tinha muitos bonecos, o Winnie the Pooh, etc, lá a tentei distrair - resultou até sentir a picada, depois foi o drama. Aquilo não foi chorar, parecia que estavam a matá-la - e a minha angústia quase me sufocava. Quando por fim lhe sacaram 2 seringas cheias de sangue, veio a parte cómica.

A enfermeira foi lá para dentro preparar os tubinhos, a auxiliar estava a comprimir a zona da picada (que até que pare de deitar sangue é um problema, sai à mãe) e a Bébécas a apontar:

 - Foi ela, não quélo vile mais aqui, foi aquilo, ela fez aquilo com a aguia! Foi ela!

A enfermeira ria que nem uma perdida, aí eu própria descomprimi; meia hora depois ainda continuava com o queixume.

 - Mamã, não venho mais aqui, ela fez aquilo com a aguia, foi ela!

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Não estava nada a contar passar umas horas na urgência do hospital com a minha pequenina

Este "post it" colado ao peito até me causa calafrios; que vá eu parar ao hospital, a minha cria é que não.

O quadro que eu detesto; febres na ordem dos 40º sem razão aparente, muito sossegada para o que é hábito e sinceramente não estive para esperar 3 dias para ir ver o que se passava.

Os médicos não gostam da febre multiresistente dela, o hemograma não saiu lá grande coisa, mas acaba por ser normal se se tratar de um quadro viral - mas que virús, qual a causa, como se chama o bicho?

Aguardar no máximo 2 dias e controlar ao máximo a febre, banheira com água tépida com ela, ter que trabalhar, esta preocupação...mãe sofre.

Mas este filme já me ocorreu uma vez e até já tenho medo de ter que ir passar mais umas horitas à urgência nas próximas horas.

Só peço à estrelinha da minha filhota que a arrebite, bem precisamos.

A minha filha tem premonições, só pode

Hoje de manhã, vem-me com uma conversa que íamos passear a uma quinta, eu, ela e a avó, que íamos ver os animais e o burro. O burro está sempre na área.

Pois hoje (fiquei a saber), comemora-se o Dia Internacional do Burro - filhota, analisa lá bem se algum destes é o teu amigo que costuma estar lá em casa, e que eu ainda não tive o prazer de conhecer:


Está a chocar

Quando a minha filha está mais dengosa do que é costume, a chegar-se muito, a suplicar por colo mesmo vendo que eu estou carregadíssima...não é bom sinal.

Quer-me parecer que está a chocar alguma, veremos se não posso umas horitas no hospital :(

quarta-feira, 7 de maio de 2014

O expoente máximo do ridículo (dos últimos dias)

Confesso que da primeira vez que vi esta fotografia no jornal, passei rapidamente por ela sem lhe dar qualquer importância, pois pensei que se tratava de mais uma foto-montagem a gozar com o PPC.

Confesso que faço parte do grupo de portugueses que está farto dele até à raiz dos cabelos, tirem-no daqui pelo amor de Deus.

Mas voltei atrás e comecei a pensar que se calhar a fotografia era real e isto estava mesmo tudo doido e de facto é real!!! Não só a fotografia corresponde a um episódio real, como está mesmo tudo doido.

O ar deles de fatinho e gravata a passear dentro da barcaça, com ar "deslumbro-idiótico" só me faz rir e pensar - estes idiotas parecem uns seres tão inofensivos e andam a dar-nos cabo da vida.

Mas uma coisa positiva - fez-me ir às lágrimas. Qual circo...

terça-feira, 6 de maio de 2014

Lista de compras

Hoje acordou muito bem disposta, com um pequeno senão - tinha feito cócó na fralda-cueca - enfim, não pode ser tudo bom.

Em plenas 8 da manhã queria ir comigo ao Continente; disse-lhe que iria durante o dia, mas se estava com tanta pressa, qual era a lista dela de compras; responde assim:

"Kudu (traduzo, toalhitas Kandoo), bananas, iogurte de maracujá, leite com chocolate e um bolo!"

Terminou com um veemente - "não quero sopa".


segunda-feira, 5 de maio de 2014

Já faltava o disparate

É que estou doente outra vez...uma constipação jeitosa!

domingo, 4 de maio de 2014

A surpresa da minha filha com assinatura Michael Kors

Oh my God - a minha filha acerta sempre, a-do-rei!

É lindo, estou derretida!





E depois de um dia recheado de muitos beijinhos e coisas boas

 Teve medo de se sentar ao lado do Sr. Fernando Pessoa (uma semi-herege a minha filha)...mas há-de um dia perceber que ele é um génio e da próxima vez será concerteza uma honra para ela deixar-se fotografar como deve de ser :)

O dia foi maravilhoso, quente, divertido e cheio de bons momentos, que eu, também como filha usufruí.

Dia da Mãe

E de há 4 anos a esta parte celebro este dia com muita intensidade e muito Amor; ensinas-me todos os dias coisas fantásticas Rita e se os artistas têm as suas obras primas, tu és de facto a minha maior fonte de inspiração e de luta. Por ti vale a pena sonhar, lutar, alcançar e brilhar. Consegues transformar momentos menos bons em algo para recordar, a tua meiguice alimenta-me a alma e a tua doçura fazem-me sentir que estavas destinada a fazer parte da minha vida. És uma filha maravilhosa e a luz dos meus dias...obrigada por existires na minha vida. A mamã adora-te.


sábado, 3 de maio de 2014

Fim de semana bom

Um dia que começou bem cedo, a sairmos de casa a uma hora madrugadora, mas já com uma temperatura ideal, tinhamos pessoas à espera e foi só andar de um lado para o outro...quer dizer, ainda tive tempo para me mimar um pouco, ela dormiu uma sesta num local improvável, mais uma ida ao parque à tarde, jantar fora e foi chegar, tratar dela e adormeceu em 3 minutos.

Amanhã é também o Meu Dia e o Dia da minha Mãe - portanto há que aproveitar os bons momentos e as surpresas que o dia reservará...

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Nova "poltrona"

E depois de muito escolher e pesquisar, passámos da provisória para esta que além do conforto, cumpre todas as normas de segurança, incluindo para mim o indispensável Isofix:


Foi apreciadíssima pela utilizadora e dona da dita, ficou toda feliz e vão ser companheiras de viagem inseparáveis.

Não faz birras por isso (por enquanto)

Mas também quando lhe dá para as fazer são tão avassaladoras que sinceramente por este tema, espero que não se lembre de tal coisa.

Mas...já começou na fase de me achar com aspecto de cartão Visa Gold e posses para o pagar. Quando saímos já pede para lhe comprar isto e aquilo, e mesmo em casa já vai mostrando interesse neste ou naquele objecto.

Estamos na fase da roupa/sapatos (incluindo os tais ténis pirosos que piscam) e bonecas.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura, e lá lhe vou dizendo com cada vez mais assertividade que não tenho dinheiro para lhe comprar tudo o que ela quer, e que, mesmo que o tivesse, não o faria.

Tem que se habituar desde cedo que não se pode ter tudo aquilo que se deseja e que, por vezes, se necessitamos até de objectos para a casa, um carro, seja o que for, temos que abdicar de outras coisas, e a vida é feita de escolhas e o menor capital em dívida possível.

Não ficando convencida, lá se vira para outro lado e falamos de outras coisas e eu, continuo a olhar para os pertences dela e acho que ela, apesar de tudo tem sido uma felizarda.

Corrida à promoção dos 50% do Pingo Doce - Economia - DN

Corrida à promoção dos 50% do Pingo Doce - Economia - DN



E a propósito da publicidade que foi feita eu fui fazer umas comprinhas ao...Continente; muitos pensaram como eu, porque estava cheio, mas duvido que não tanto como o Pingo Doce.

Morreu o demógrafo Mário Manuel Leston Bandeira - Portugal - DN

Morreu o demógrafo Mário Manuel Leston Bandeira - Portugal - DN



É o que eu digo, este ano tem sido uma maré que se torna deprimente; parece que ainda o estou a ver pelos corredores do ISCTE com aquele ar meio aéreo que o caracterizava - e a ajuda que nos dava como presidente do Conselho Pedagógico, quando um certo professor de Arte (de quem eu gostava imenso mas que era outro alucinado) que em pleno mês de Maio ainda não tinha lançado as notas do 1º semestre.



Mais uma partida...vamos ver se hoje ainda consigo ir à Basílica.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

A minha mãe hoje andou numa de folhear os álbuns de fotografias da minha infância

"A boca da tua filha, o formato, o riso é tal e qual a tua, os olhos também - enfim, há parecenças e há coisas em que são mesmo iguais...mas no geral, tem muitas expressões (a minha mãe diz do pai) do monstro (isto digo eu)."

Mas é matemático, salvo raras excepções as raparigas têm mais expressões do pai e os rapazes da mãe.

Mas continuo na minha que o sorriso e o olhar fazem milagres e aí a filhota herdou do meu melhor; as mãozitas com grande pena minha não me parece, as perninhas parece que sim :) O corpo em si é igual ao meu quando tinha a idade dela, a mesma estrutura, e aquele ar pseudo-burguês e por vezes rezingão.

Ou muito me engano, ou vai ficar uma miúda bem gira; tem outra particularidade; numa aula, em que tem que aprender, desde que o sentido da audição esteja focado para o tema, ela pode não estar minimamente atenta, mas apreende literalmente as coisas e fixa-as e jamais as esquece.

Digamos que foi a minha sorte desde sempre e até uma certa altura da minha vida; até ao 10º ano não estudei puto, nem "sabia" o que isso era - tinha a sorte de ouvir e absorver de tal maneira os conteúdos, que passava os anos, a passar muito pouco os olhos pelos livros que devia. Era muito mais interessante ler Tolstoy, Karl Marx, Rushdie, Jorge Amado e tantos outros.

No secundário propriamente dito, também não estudei por aí além, mas estudei qualquer coisa, e sem cábulas, porque entrar para a faculdade à tangente não era a minha praia - passar vergonhas e fazer figura de ignorante nem pensar.

A faculdade foram outros quinhentos, mas também só fiz directas no 5º ano - por isso, os meus 17 valores na Tese Final de curso foram merecidos - digo eu.

Era mais tranquilo para mim que ela pura e simplesmente fosse completamente genial, até no facto de não se encostar à sombra da inteligência que tem e tivesse um percurso brilhante desde o início, para eu não ter sobressaltos - continuo a pensar que se a minha filha me der problemas com a escola, não sei como irei lidar. Mas enfim, a inteligência está lá, esse talento ninguém lho tira, e a habilidade para lhe bastar ouvir e reter informação, também a tem.

Só quando ela for bem crescida lhe direi que até certa altura passar os olhos pelos livros obrigatórios foi rotina que não me assistiu; prefiro dar-lhe o exemplo da tia que sempre batalhou e fazia directas e estudava até às tantas e foi desde sempre uma aluna de quadro de honra - um aparte, esforçou-se bem mais do que eu, tem muito mais mérito, tenho um extremo orgulho nela por isso, mesmo nas disciplinas em que tinha dificuldades - mas teve o mesmo 17 de fim de curso que eu, LOL. Aqui que ninguém nos ouve, as minhas horinhas de sono e de relax afinal não foram assim tão prejudiciais.

Mana, sabes que te admiro e nesse aspecto tenho muita vontade que a tua sobrinha siga os teus passos, porque o esforço na escola e na vida dignificam ainda mais uma pessoa.

E não tem volta

Vou mesmo ter que fazer uma pequena cirurgia na minha perna esquerda, porque o que era uma coisa insignificante, transformou-se num quisto ou sei lá o quê que me dói - e enquanto não incomodava e pelo facto de estar num sítio não visível, não me preocupei (e já podia estar feito), agora que dói é que são elas.

A minha filha já me pergunta

"Vamos para o Ágáve mamã!?"

Mas sinceramente não me anda a apetecer conduzir por "horas a fio"; acho que num dos próximos fins de semana pego nela e vou passá-lo até à Comporta; é pertinho e um local fantástico!

Bem, que dia

Feriado, mas sai de casa à hora do costume e cheguei também à hora do costume; foi aquela azáfama positiva e soube bem.

A filhota descarregou energias no parque, hoje entreteve-se com uns novos amiguinhos rapazes e uma bola - a minha filha a chutar uma bola está numa proporção de 20-1; em 20 tentativas de acertar na bola, acerta meia vez porque consegue dar um chuto, a bola rebola e não sai do mesmo sítio e ela ainda consegue cair em cima dessa mesma bola.

Delírio total - é o que eu digo, a minha filha vai para o ballet.


E assim se passaram 20 anos...