quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Pára tudo que estes sapatos são assim a minha cara

E eu neste momento estou condicionada quanto à compra de sapatos, mas apetece-me ser uma grande inconsciente e reservá-los.  Lindos, lindos, lindos!

Afinal parece que é um Cupido Magenta

A minha filha sempre a surpreender. No outro dia fui fazer uma compra a determinada loja e fui atendida por um funcionário que foi muito amável, na verdade, tanto comigo, como com ela. Muito simpático, objectivo, disponível e essas coisas todas que nos fazem ter vontade de voltar quando tal for necessário.

Quando saímos, olha para mim de lado e diz:

"Já arranjaste um novo amigo mamã. Gostei dele!"

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

É preciso ter fé em Deus

Fui buscar a miúda ao ATL, já venho cansada, sou míope, já passo dos 40...portanto só vi o crime depois de termos chegado a casa.

Tinha o cabelo pintado de vermelho! Horroroso, com um aspecto nojento. Seco, encrespado e aquela cor pavorosa. Com ordem de quem é que ela pintou o cabelo, verbalizei eu.

"Foi um amigo que me pintou!"

Não percebo como é que os responsáveis por estas crianças os deixam andar com estas coisas e a corromper os outros. Se isto fosse no tempo do Sócrates, o ateniense, era logo com um shot de cicuta para cima para aprenderem.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Quando ela inicia uma frase com

"Mãe se eu me começar a portar bem…" eu começo logo a fazer contas à vida porque já sei que me vai pedir qualquer coisa.

Vejamos, um tímpano furado e ameaças de morte não são suficientes para um Juiz legitimar a medida da pulseira electrónica, como protecção para a vítima

Este Exmo. Sr. Doutor Juiz começa a arriscar-se a ter uma multidão de mulheres em fúria atrás dele.

Tenho que ler este acórdão. Será que este Senhor consegue ser mesmo assim!?

Juiz Neto de Moura tirou pulseira a homem condenado por agredir ex-mulher: Juiz do Tribunal da Relação do Porto aceitou parcialmente o recurso de um condenado por violência doméstica e retirou-lhe a pulseira eletrónica. Agressor tinha rebentado o tímpano da ex-mulher com socos.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Para memória futura, porque isto é épico

A mãe do Salazar chamava-se Maria do Resgate! Eu já não posso de tanto rir. Maria do Resgate é muito bom. Está ao nível dos filhos da Rainha D. Amélia que, entre os muitos nomes tipo, Miguel, Gabriel, Rafael, também tinham Amélio. Amélio também é qualquer coisa.

Voltando atrás, Maria do Resgate é mesmo muito bom!

Hoje de manhã saí de casa com esta criatura

Unicórnio Magenta…!? Será?


Pára tudo que afinal parece que vou mesmo de Erasmus para Budapeste

A avaliar pelo sonho de há umas noites atrás

https://magg.pt/2019/02/22/neurocientista-afirma-que-os-sonhos-preveem-acontecimentos-futuros/?fbclid=IwAR3RYGi6YFuFjoNYm8u2yRhsq54ASq_HMlp5lfkCstRqkakOVx3kxLCGU2A

E de facto nunca sonhei com um casamento de conto de fadas, por isso, mesmo já tendo recebido uns 3 pedidos sérios ao longo da vida, esquivei-me. Mas já sonhei com o safari no Quénia, com mudar-me de armas e bagagens para Los Angeles, ganhar o Euromilhões e ser raptada pelo George Clooney por exemplo.

Afinal ainda não está tudo perdido.

"Quando a cabeça não tem juízo..."

"E tu te esforças mais do que é preciso, o corpo é que paga!"

E hoje, sinto-me literalmente assim. Todos os anos faço uma jura em como no ano seguinte vou tirar a segunda-feira dos Óscares de férias, porque gosto de ver aquilo e depois no dia a seguir é que são elas. Obviamente que não tiro, não vou desperdiçar 1 dia por isso, porque o compacto não presta, and so on, and so on.

A verdade é que às 3 da madrugada ainda estava eu a ver aquilo e porquê!? Sobretudo à espera do Bradley Cooper que é assim um Deus Grego do Olimpo, lindo, e sexy e tudo e tudo e tudo. E a imaginar-me no lugar da Lady Gaga, e da Irina e delas todas, porque um monumento daqueles não se vê todos os dias e a constatar que de facto existem mulheres de sorte, a Irina é uma delas e não é pelo facto de ter namorado uma série de anos com o CR - pode ser o melhor jogador do mundo, pode ser muito bom filho e irmão e muito generoso e podre de rico, mas charme, presença, dom da palavra e beleza não tem nada. Na verdade, não se pode ter tudo, mas é daquelas pessoas que nem que me cobrisse de platina, pois basta abrir a boca que...não faz de todo o género capaz de me fazer virar a cabeça.

Agora o Bradley Cooper, nossa Senhora. É que não lhe mudaria nada. E como tenho olhos na cara, acho mesmo que o casal Irina/Bradley fica bem um para o outro. São os dois lindos de morrer.

E eu, aqui estou a sentir um peso na cabeça enorme, mal disposta e a ter que dar formação - outra, não marcar uma formação para o dia a seguir aos Óscares. É que já não tenho 20 anos, isto já começa a pesar.

domingo, 24 de fevereiro de 2019

Já não percebo se a miúda está a ver mal ou se quer apenas usar óculos

Há uns dias chega a casa a dizer que via mal para o quadro, mas como sei que ela acha piada ao acessório em si, não dei grande importância e limitei-me a estar atenta. Um par de dias depois voltou a fazer o mesmo comentário e lá marquei consulta.

Mas, na verdade, na loucura do dia-a-dia continuo a não perceber dificuldades nenhumas. Ontem, aproveitámos o bom tempo para apanhar ar e sol e, para não dar muito nas vistas pedi a quem estava connosco para lhe ir perguntando por coisas que apenas se viam ao longe e era acertou irrepreensivelmente, sem semi-cerrar sequer os olhos. Muito estranho.

Ou trata-se de uma falta de visão mínima, ou então está a querer usar óculos, só porque sim, embora eu já a tenha sensibilizado para o chato que é.

Daqui a uns anos, quando por ventura vier pedir para usar lentes de contacto ou ser operada, vou ter que a relembrar disto.

Bárbaro

É aquilo a que assistimos actualmente na Venezuela. Eu sempre disse quando este homem subiu ao poder que, era bem pior do que o seu antecessor e houve quem me dissesse que não. Ah e tal, tem uma mente mais aberta, mais moderno. Eu chamar-lhe-ia outra coisa: um indivíduo que ordena a destruição de camiões carregados de bens alimentares e medicamentos merece que a modernidade lhe dê no mínimo com um martelo na cabeça.

Mas qual é a ideia dele? Um país riquíssimo e a quantidade de pessoas que estão com fome, crianças, pessoas doentes sem medicamentos...é terrível ver as imagens que tenho visto e não haver quem apanhe este tipo e lhe dê uma lição, porque com aquele corpinho, infelizmente fome não está a passar.

Os momentos criativos da miúda

Quando eu não faço a mínima ideia do que ela anda a fazer, estranho o silêncio e encontro-a a criar.


Concordo em absoluto e faço-o na medida do que me é possível

Mas infelizmente não tenho tempo nem dinheiro para lhe proporcionar aulas de Ballet, de Teatro, de Violino e de Piano. No fundo, não consigo fazer a ginástica necessária para a aproximar mais das artes de que ela tanto gosta. Tenho pena e é uma pena que esta miúda não se aproxime mais dessa área mas, enquanto mãe "para toda a colher" acho que dou o litro para e por ela. Adoraria fazer muito mais, mas infelizmente quando não se conseguem partilhar tarefas com a contra-parte, não se conseguem operar milagres.


sábado, 23 de fevereiro de 2019

E quando existem pessoas na nossa vida

Que, por mais que as opiniões divirjam, por mais que haja alturas em que, se tivéssemos um vaso e essas pessoas ao lado, levavam com ele em cima, por mais que muitas vezes nos irritem ao ponto de colocarmos de lado a educação que nos foi transmitida e as mandarmos à *****, por mais do que numa discussão mais acesa digamos que o melhor seja não falarmos mais, bloquearmos WhatsApp e depois recebermos e enviarmos emails que mais parecem um testamento e gritarmos através da escrita e continuarmos a divergir e sabendo eu que sou a parte do ramalhete mais emotiva e que perde as estribeiras com mais facilidade, por vezes até sem razão, sim, admito que sim...e ter do outro lado quem jamais desiste e continua lá firme, com péssimo feitio, mas firme…

Isto já não é amizade, isto é "amorade".

E vivenciar tudo isto chega a ser desgastantemente cómico.

Obrigada a quem se identifica com isto pelo "gostei de voltar a ouvir esse sorriso".

...e rir é de facto o melhor remédio!


Tenho uma fundamentalista em miniatura em casa

E as atitudes extremas não auguram nada de bom. Vejamos: no outro dia dei com um cotonete no chão da casa de banho e estranhei, mas ainda pensei que a pudesse ter deixado cair quando fui buscar uma ao frasquinho.

Depois dou com outro na borda do lavatório - já era demais.

Às tantas aparece-me a miniatura com os cotonetes todos nas mãos, a criticar a minha falta de consciência ecológica, que ia deitar aquilo tudo fora, porque é de plástico.

Lá le expliquei que tem toda a razão, mas deitar fora cotonetes inutilizados não vai resolver o problema, pelo que, utilizamos o que temos, deitamos fora e os próximos que se comprarem já serão amigos do ambiente.

Não ficou muito convencida, pelo que tenho que controlar o frasquinho, não vá a pulga adoptar o pressuposto de eliminar 2 cotonetes por dia, para que o processo seja mais rápido.


Ontem houve sessão de choradeira intensa

Quando por fim se apercebe que não iria mesmo ao acampamento para as comemorações do dia do BP transformou-se numa tirana: vejamos, eu virei pérfida, ameaçou-me que o ia dizer aos amigos todos, e mais uma série de blasfémias.

Comecei a ficar possuída e já no auge da irritação, após um dia difícil, em que tive que fazer algo difícil lancei o repto: se continuas com esse registo, não vais ao acampamento da Páscoa.

Como não é nada teatral, simulou logo de seguida uma queda da escadaria do prédio, tudo isto para eu lhe dar um beijo, mas eu fiz de conta que não percebi que se tratava de uma manobra de diversão e actuei em conformidade. Por vezes o melhor, é fazermo-nos de parvos, porque esta gente miúda é do piorio.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Quando nos apetece dizer "que treta" mas abusando de palavras feias

Quem somos nós para contestar os desígnios de Deus, dizem uns, o que nos está destinado, dirão outros, ou o que pura e simplesmente, é!

Mas a verdade é que a doença, no seu sentido mais lato, é uma grande treta. A mulher de uma pessoa que trabaha comigo, em cerca de 2/3 meses viu-se a braços com o crescimento anómalo da barriga. Tinha um tumor com cerca de 20 centímetros com indicação para retirar de urgência, sendo que, num mês aquilo cresceu 12 centímetros.

Como o nosso sistema de saúde está a rebentar pelas costuras, estava em lista de espera, e o bicho a miná-la de dia para dia; lá optaram pela via particular, retiraram o que tinham que retirar e a seguir segue-se quimioterapia.

Aquela senhora, ainda é jovem e teve um bebé há pouco mais de um ano; o marido anda completamente desorientado sem saber para onde se virar. E ao saber destas coisas, não podendo fazer nada, a não ser prestar o meu apoio no que for possível, fico triste. São situações destas que nos fazem recuar e perceber que a vida é mesmo fugaz. Num momento até se pode pensar que se tem quase tudo, mas no outro esse tudo escapa-nos por entre os dedos. E a vida é exactamente esse tudo, efémera, rápida, muitas vezes injusta.

Pois pois, que um anafadinho não vive do ar

https://sicnoticias.pt/pais/2019-02-22-Carlos-Ramalho-admite-suspender-greve-de-fome-nas-proximas-horas?fbclid=IwAR2d_rKse4Ym5f4k7ag_KrA-Se3RouOSrSHfsJI9v11rCrEDIKA8Ex_ZR9o
A dita estava em casa. Menos um problema para resolver, ou, a bem dizer, vários.

Ah e tal, um dia sem telemóvel é o caos

Há sempre pior. Para mim, o caos é estar neste momento sem carteira e ainda não ter bem a certeza se por acaso a deixei em casa ou não. Ter que ir a casa em busca da carteira perdida e, se porventura lá estiver, apurar quem foi o culpado, ou antes, a culpada pelo facto da carteira estar fora do seu sítio.

Porém, o grande busilis surgirá se...a carteira não estiver em casa, e aí é que eu estou formalmente lixada com "F".

Veremos...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

O que é isto for God sake!?

Tivemos um Salvador Sobral, e agora temos este senhor. Não tenho nada contra a diversidade, mas...por favor! Isto parece música da Idade Média, numa qualquer celebração pós torneio de cavaleiros. Entre isto e a israelita que ganhou no ano passado o Eurofestival, não sei qual me surpreende mais pela negativa.

A minha filha volta a facturar

Porta-se mal na escola amiúde sobretudo porque se põe na conversa, não está com a devida atenção nas aulas, eu zango-me com ela e digo-lhe que depois as notas vão reflectir o mau comportamento dela, blá, blá, blá e vai daí ela traz boas notas outra vez e a avó vai dar-lhe os 5€ da praxe e eu...bom, eu vou ter que começar a pensar noutros argumentos.

A velha questão dos "abusos" na Igreja

Com o passar dos anos, continuo a achar extremamente curioso o sururu em torno de questões de "abusos" por parte do sacerdócio, homossexualidade e afins.

Mas alguém acredita que estas pessoas consigam reprimir algo que é fisiológico e natural à espécie humana? Alguém acredita que se penitenciam e autoflagelam quando são assolados com pensamentos pecaminosos?

São homens e mulheres que decidiram dedicar a sua vida à Igreja mas, não deixam de ser homens e mulheres, com os seus defeitos, virtudes e até perversões nalguns casos e, tal como qualquer criminoso, os que o são, devem ser tratados como tal, os que apenas não conseguem ser celibatários, gostem eles de pessoas do mesmo género, do oposto, ou de ambos, honestamente acho que deveria ser um problema deles.

Mas que não se pense que isto é coisa do demo e que continuam a ser excepções aliadas à regra. Na Igreja existem tantos pecadilhos, como na sociedade em geral. Tenho dito!

Sou uma pessoa poupada

Sobretudo nas lentes de contacto. Se eu as aguento nos olhos mais do que um mês sem ter que as trocar por umas novas, por que raio vou entrar na era do desperdício!?

O facto de correr o risco de apanhar uma infecção num olho, como há uns anos atrás....oh, isso não interessa nada, muito menos o facto da Oftalmologista se ter zangado comigo uma série de vezes por causa desta minha prática que, se eu até pensasse bem. é nojenta. Se mudo de roupa interior todos os dias, por vezes até mais do que uma vez, ponho a outra roupa para lavar com a mesma frequência, tirando as calças de ganga que às vezes visto mais do que uma vez, por que raio ando com o mesmo par de lentes até sentir picadas nos olhos e começar a lacrimejar!?

E quando acordo, na altura destas inflamações, com os olhos a deitar uma coisa verde ou amarela, ou lá o que é!?

No mínimo sinistro. Andou a minha mãe a criar uma filha com todas as boas práticas, para isto!

Não continuo deixar de ficar chocada com o nosso sistema de saúde

Uma pessoa está horas num corredor porque não têm espaço no internamento, começa a entrar em sofrimento e têm que ser os outros doentes que estão na mesma situação a chamar os enfermeiros ou médicos - o primeiro que passar; a pessoa em questão entra em paragem cardio-respiratória, vai para a reanimação, leva com uns choques do desfibrilhador, adrenalina na veia, recupera a consciência e vai de volta para onde!?

R: Para o corredor, sentada numa cadeira.

Isto é de gritos.

Será que a Choupette quer conhecer o meu Xá!?

É que se a gata é uma das herdeiras do Lagerfeld, ao conhecer o meu Xá podia ser que a chama da paixão se acendesse, tinham gatinhos lindos e eu podia ficar a nanny deles. Morrendo a Choupette eu ficava a fiel depositária da herança e ia ser uma festa, sempre para bem dos fofos gatinhos!


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Não deixa de ter a sua ponta de verdade


Existem pessoas que nos conseguem surpreender

E não é pela negativa, muito pelo contrário. Eis que há pouco, passei pela recepção do escritório (por acaso estava cá, podia não estar) e entregam-me uma encomenda.

Sem saber do que se tratava, lá fui abrindo e deparo-me com um telegrama de chocolate e duas mensagens - o facto é que ainda não faço a mínima ideia de quem tenha sido, embora haja uma pessoa em especial que me elogie o sorriso. Mas será, não será!?

Uma coisa é certa, criou-me rubor nas bochechas porque não estou assim muito habituada a lidar com manifestações expressas de carinho, tive alguns pares de olhos curiosos tão estupefactos com a surpresa quanto os meus, roubou-me vários sorrisos e acho que vou estar o resto do dia...nas nuvens.

A quem me proporcionou este mimo o meu muito Obrigada e só pode tratar-se de uma pessoa muito terna e especial, o que é raro nos dias de hoje. Ter a capacidade de proporcionar uma coisa destas à minha pessoa, com a protecção do anonimato revela uma grande humildade. Obrigada. Adorei e jamais esquecerei.




terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Sendo a vida tão curta, o mais importante é mesmo valorizar os bons elementos


As foleirices dos funcionários das obras

Há muito tempo que eu já não ouvia destas, mas hoje, deambulava eu pela Avenida Almirante Reis quando, ao passar por um prédio em obras, ouvi uma série de piropos brejeiros atirados pelos funcionários da obra. É que nem uma mulher como eu, de meia idade, lhes escapa a comentários brejeiros e a roçar a ordinarice.

Valeu no fim do dia ser recebida com um "olá princesa" - ofusca qualquer palermice vinda do basfond.

Tão "eu"!

Pode demorar anos, semanas ou até um dia, mas quando me decido a virar a página, viro mesmo e não volto a relê-la.

Karl Lagerfeld - Tanto de ícone como de "louco"

Este senhor tinha um sentido de moda muito acima da média e tem criações que são assim qualquer coisa. Honestamente já lhe dava aí uns "200" anos, mas a notícia da morte dele apanhou-me de surpresa.

Não que já não tivesse achado que algo de estranho se passava com ele, acima de tudo devido ao estado de magreza que ele atingiu há uns anos, falta de gordura nas bochechas, etc., mas posso estar enganada e o senhor pode ter feito apenas uma grande dieta, pensava eu. Afinal, algum problema de saúde tinha. Depois do YSL, e do Alexander Mcqueen, este estava no pódium dos meus preferidos.

Morreu Karl Lagerfeld: Estilista e diretor artístico da Chanel morreu aos 85 anos. Em janeiro, o designer faltou a dois eventos de moda em Paris, um dele da Chanel, que justiiicou que o estilista se sentia cansado.

Aquele misto de saudade e "tirem-me daqui"

E que dizer quando, quase 9 anos depois tenho que manusear novamente o Ovo e o Carrinho de Bebé da miúda?

Em que botão carregar para mover a pega, como é que aquilo fecha, como abre? Relembrá-la ali, a logística que fazia, o momento de vida que vivia - um misto de saudade, nostalgia e questionar-me "como é que eu sobrevivi?" e até um "deixa-te de tretas, até podia ter sido pior".

Sim, foi uma estratégia de defesa o facto de ter emprestado estas coisas todas e tê-las deixado em casa da minha amiga como fiel depositária; olhos que não vêem, coração que não sente, mas algum dia, tinha que se dar a catarse. Tinha que voltar a tocar nestas coisas e sentir o que recalquei e que efeitos isso teria em mim. Não doeu, apenas senti saudade e pena por naquela altura não ter usufruído tanto da maternidade como gostaria, mas...não tive culpa, a vida é assim.

Venha outra bebé para andar confortavelmente no Carrinho da minha menina.

"Javardices" que até me causam calafrios

Se há coisa que me faça confusão é o facto de existirem pessoas porcas. E há uma coisa que se vê no trânsito que é de facto do mais nojento que há.

Confesso que nunca vi uma mulher a fazê-lo, mas também as haverá, porventura, não obstante quer-me parecer que é típido dos homens sem educação.

Abrir o belo do vidro da viatura, cabecita ligeiramente de fora e sai de lá, qual catapulta perfeita, a bela da esfera de escarro em movimento uniformemente acelerado. Depois, por vezes, ainda limpam a boquinha com a mão imunda. Voltam a posicionar-se dentro da viatura, fecham o vidro e siga que, para a frente é que é caminho.

É que já nem se trata de falta de civismo, mas sim, de uma grande falta de asseio e educação.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Quem diria que o miúdo do Império do Sol...

Iria ser, quando fosse "grande" um actor com tanto talento.


Já há muito que não sonhava, ou antes, que não me lembrava de um sonho

E isto, pode ser um sinal, ou não. Pois que esta noite fui sonhar com algo bastante inquietante e que me fez exercitar, que foi um mimo. Deve ter-me ficado na memória por um lado o enredo do "Taken" e a parte de gostar muito de Budapeste. No meu sonho, estava eu a fazer Erasmus em Budapeste e, tendo em conta que já cá cantam 41 primaveras, é um fenómeno, e partilhava casa com mais 3 pessoas. Vivia em Buda, com vista privilegiada sobre Peste.

Na verdade, tendo em conta que lá estive há mais de 10 anos, continuam na minha memória recente todos aqueles recantos e a beleza daquela cidade. Andava por ali como se ali tivesse vivido desde sempre. A verdadeira aventura vem a seguir. Saí de casa numa manhã como a de hoje, percorro umas ruas a pé, e de repente sinto que estou a ser perseguida por um rufia. Acelero o passo, ele também, e daí começo a correr (algo de que gosto imenso, não haja duvidas) e ele idem, numa perseguição desenfreada.

Se tinha descoberto o segredo da Caixa de Pandora, a Conspiração do Morango ou mesmo o Caminho Estelar para Marte, nunca saberei, mas às tantas, sei que atravesso uma rua a afastar-me dos automóveis que circulavam desenfreadamente, o rufia era menos ágil e catrapuz, foi atropelado, daqueles atropelamentos com várias cambalhotas e piruetas no ar. Não ficou em bom estado. Eu...reduzi a velocidade, mas para cada pessoa que olhava, via sempre algo estranho, olhares profundos e de indagação. Foi emocionante e nisto...acordei.

O que retenho foi esta viagem até Budapeste e lamento o desaire do rufia coitado, mas acho que ele merecia, quem o mandou querer fazer-me mal!?

E viva a vida!

Eu demorei 2 dias para ter apenas uma! Valente mulher!
Mulher deu à luz sete gémeos em seis minutos e de parto natural

domingo, 17 de fevereiro de 2019

E como a felicidade é pautada por momentos

…for those who turn a normal day into a special day!

Partiu o grande actor Bruno Ganz

Talvez muitos se lembrem dele pela interpretação brilhante de Hitler no filme "A Queda", mas embora tenha visto algumas películas com ele, descobri-lhe o talento, o brilho, a emoção no clássico de Wim Wenders "As Asas do Desejo".

Um dos filmes da minha vida, uma das bandas sonoras da minha vida e o que me fez visitar Berlim e tentar seguir os passos do anjo Damiel. Este senhor tinha alma. 


Não sei porquê mas acho que fui colega da nova Secretária de Estado nos meus tempos idos do ISCTE. Aquela cara é-me totalmente familiar.

Lindo, lindo, lindo

Não há nenhuma peça de roupa que esta Duquesa use, de que eu não goste. Já me estou a imaginar neste vestidinho.

Gucci

Quando temos uma coisa para fazer

E que ainda por cima sabemos que já o deveríamos ter feito, mas não havia vontade, mas chega um dia em que ganhamos vergonha na porca da cara e tem mesmo que ser!?

….hoje foi o dia. E na verdade, quando se trata da redacção de um documento, o que custa é mesmo começar, porque depois a "coisa" flui.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Mãe é sempre mãe

Estava eu ao telefone com a minha mãe a contar-lhe as coisas banais do dia-a-dia e às tantas comentei-lhe que já não me lembrava muito bem das artimanhas da numeração romana e que tinha que ir ver a tabela de correspondência de alguns números para depois explicar à miúda, porque aquilo não lhe está a entrar na cabeça e confesso que me lembro do básico, mas fórmulas imensas não ia lá.

Diz-me a mãe assim:

"Ah, a mãe explica num instante. Então 500 = D, 50 = L, 100 = C, 1000 = M, por exemplo, o ano em que tu nasceste é MCMLXXVII. Estás a perceber?"

E eu: então o "CM" porquê? A lógica não são 4 C's?

"Não filha, porque não podes ter quatro letras iguais seguidas. Nesse caso a lógica é a subtracção, ou seja, a letra à esquerda significa que estás a retirar cem a mil, o que dá novecentos!"

Ahhhh, boa, é isso mãe, disse eu. E pensei, o pessoal da outra geração, em que estudavam os rios e os caminhos de ferro de Portugal e das Colónias, tem realmente uma cabeça…

E também não deixei de pensar que quando temos um problema ou dúvida, por mais insignificante que seja, a mãe tem sempre a resposta.


Nada como um bom pecado

Não sei em qual dos infernos de Dante pairarei, mas que foi um bom pecado, lá isso foi. Um dia com solinho quente em pleno Inverno e crepes destes, são a mistura perfeita para se pecar!


Eu até diria que, antes do preservativo ser uma prova de amor entre o casal, como vem descrito na reportagem

É acima de tudo um acto de respeito para com o outro e por inerência para consigo próprio. Se eu fico incomodada perante a possibilidade de transmitir uma simples gripe a outra pessoa, não quero imaginar o peso na consciência com que ficaria se tivesse uma DST e a passasse a alguém. Infelizmente, em pleno século XXI ainda há quem não pense desta forma, e apenas pense em si e no seu bem-estar.

https://life.dn.pt/comportamento/preservativo-nao-ha-desculpa-possivel-para-nao-usar/

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

About "nuestros hermanos"

Já estava eu de lenço branco a carpir mágoas porque o Pedro Sanchez é um giraço e vai ao ar, e pasmo-me com o adversário do PP. Que giro que é o tal de Pablo Casado. Sim senhor, os espanhóis estão muito bem representados no que toca a charme.

Sítios por onde quero passar...#3

Lembro-me de ter seguido há uns bons anos atrás, ainda sem filha uma novela cuja trama se desenrolava ali, S. Luis do Maranhão. O parzinho romântico deleitava-se naquelas dunas e banhava-se naquelas lagoas e eu pensei: "um dia, vou ali!"

Ainda não fiz a incursão necessária pelo Brasil, com grande pena minha, mas continuo com esse desejo. Visitar aquele local que parece o cenário de um filme e muito pouco real.

https://nit.pt/out-of-town/lencois-maranhenses-as-suas-ferias-de-sonho-ficam-entre-dunas-e-lagoas?fbclid=IwAR1P1OwxL2c2pD4IG95YOLOJ8Hlpxd9qh99CXv4wS-PUBglgLlb1MxlZwV8

Memórias de uma mãe em modo megera

Como é óbvio, o início do dia numa casa com 2 meninas e apenas um WC não é propriamente uma tarefa fácil, ainda para mais quando cada uma de nós é demasiado zelosa com o seu espaço e intimidade, e onde não impera a democracia. A mãe fica sempre prejudicada porque:

  • Cada uma tem direito a usufruir do WC e tratar de si individualmente e com sossego - deveria ser assim, mas mesmo estando eu sentadinha na retrete, entra-me uma miúda por ali dentro, e a segui-la um gato e ficam a olhar para mim
  • Por mais que eu corra com eles, não tenho direito ao meu tempo na retrete
  • Saio a vociferar e digo-lhe para tratar do que tem a tratar, vou arranjar-lhe o pequeno-almoço e os lanches para a escola e, quando ela deixa por fim o WC, penso que vou ter finalmente direito ao meu tempo/espaço - tomo meio banho com água fria porque ela se lembrou de ir fazer alguma coisa à torneira do bidé; o eyeliner fica torto porque tenho que me afastar do espelho pois S. Excelência decide lavar os dentes na minha hora, e o cabelo fica mal seco exactamente pelo mesmo motivo
E ainda oiço:

"Oh mãe, saiiiiiiiiiii!"

Ultrapassados estes constrangimentos que hoje, não foram excepção lá saímos de casa, eu com a minha tralha do costume e ela, idem...pensei eu. Aproximamo-nos da escola e estava fechada devido à greve. Vamos a correr para o carro para a ir levar ao Colégio e, como esta cabeça tem que pensar em tudo, ainda levei marmita com almoço para ela já a antever que não haveria aulas.

Chego ao colégio, ela sai do carro de mochila às costas e lá lhe digo para deixar a mochila comigo. Nisto, vejo-a numa azáfama e alerto-a para trazer apenas a lancheira, porque a marmita do almoço já eu tinha.

Esbugalha os olhos, abre a boca com ar de santa e diz:

"Mãe, esqueci-me da lancheira em casa!"

Mas então, o que é que estavas a tirar agora do carro? - claro que eu já estava com mau feitio e vi logo que aquela sacola tinha história.

"É um saco com brinquedos!"

Ai é, quer dizer, eu preparo o lanche, coloco tudo à mão para trazeres, tu não trazes, fazes a mãe ir de novo a casa para não ficares sem lachar, chego atrasada ao escritório - porque a menina dá prioridade aos brinquedos!? Pois os brinquedos vão passear comigo de carro. Ponto!

E assim foi, vieram os brinquedos trabalhar comigo e eu sou bué da má!

E lá vieram os miúdos para trás

Já se esperava; vá...há mais de um mês que não havia greve na escola. Estou a queixar-me para quê!?

Ena ena, très jolie

O Tino "Covilhão" está a deixar o ar de parolo.


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Mas hoje tirou toda a gente o dia para me mimar!?

O que é que eu posso pedir mais!? Só mesmo a minha filha é que decidiu dar uma prenda do dia dos namorados à tia em vez de me dar a mim. Esta miúda é demais.

De resto mensagens bonitas de amigas e amigos - aqueles miminhos que sabem sempre bem. Claro que os amigos são sempre mais sedutores que as amigas, mas um mimo quando é sentido, é sempre um mimo, venha de quem vier.

Entretanto uma colega confidenciou-me que outro colega nosso novo tinha curiosidade em saber como eu era, e ela, abelhuda mostra-lhe fotos minhas e o rapaz ficou encantado: "É mesmo bonita" disse ele. O que ele não sabe é que tenho quase idade para ser mãe dele, mas isso também não interessa nada. Assustar pretendentes para quê!?

Almoço seguido de um breve passeio e olhares cúmplices. Rir de coisas parvas. Enfim, na verdade, do dia que passou, não me posso queixar.

Até a miúda já se apercebeu que o tempo urge

"Mamã, ainda parece que foi ontem o Domingo, e já está a chegar outro outra vez!"


Oh meu Deus! Afinal "Ainda não Passou"

https://observador.pt/2019/02/13/elsa-e-anna-vao-regressar-ja-ha-trailer-para-o-filme-frozen-2/?fbclid=IwAR3-QyLLz_7hNdoCi_GMSbBUaMEoBCgxsz96jC-WOsMe-YgBuUqbcfm_-kw

Lá me vão aparecer nas wishlist's de Natal da miúda as bonecas e o Olaf! Eu juro que pensava que isto tinha passado ;)

Amor ou dinheiro? 37% só estão juntos por causa das finanças

Nada como ser financeiramente independente, para que não haja confusões! Se cada um souber viver com o que é seu, seja ele muito ou pouco, certamente não fará depender uma relação do património conjunto - isso é amor?....ao dinheiro talvez!

Amor ou dinheiro? 37% só estão juntos por causa das finanças

Ora aí está um Senhor que continua extraordinário

É uma daquelas minhas paixões platónicas desde a adolescência, um actor extraordinário e, os 66 anos não o deixam nada mal. Atrevo-me a dizer que está cada vez mais interessante.



O Dia dos Namorados e a minha memória que por vezes me deveria falhar

Ou talvez não...

Talvez como castigo de Deus venha a sofrer de amnésia um dia mais tarde, porque de facto tenho ums memória muito boa, tão boa que até gostava por vezes que o meu cérebro guardasse lá atrás certas coisas que em nada contribuem para a minha felicidade.

Nunca dei grande importância a este dia, estivesse eu solteira e livre ou, comprometida, mas a verdade é que o marketing que lhe está associado faz que inevitavelmente nos lembremos.

Mas a verdade e curiosamente é que comecei a namorar com o pai da minha filha neste dia, há uns bons anos atrás. Já tinhamos saído algumas vezes, estávamos ambos livres que nem um pássaro e como tal, fomos jantar. Ainda me lembro do nosso ar a olhar para alguns casais que em vez de se dedicarem um ao outro, olhavam para os telemóveis e nós a rir que nem uns perdidos com o mal dos outros.

Lembro-me onde fomos jantar, um sítio muito giro e que durante alguns anos da minha vida frequentei na zona do Cabo da Roca, o Moinho D. Quixote. E o jantar foi divertidíssimo e nada de coisas porcas porque eu era uma rapariga bem comportada mas...quando nos despedimos, deu-se o click, e pronto, foi aí o início daquela história.

O balanço: uma filha maravilhosa. Na verdade quando se aproxima este dia e começo a ver publicidades e as pessoas a marcarem jantares românticos, penso que naquele ano que ficou lá atrás se começou a escrever a história que deu origem à miúda e por ela valeu a pena.

O Cupido trouxe-me o verdadeiro amor da minha vida

E para quê tentar esquecer boas memórias e momentos felizes!?

Tal e qual!

O pior foi mesmo quando acordei num certo com um micro dedinho do pé dentro da narina!


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Ai que o Sr. Doutor Ivo Rosa já está a começar a fazer asneira!

Chunky Sneakers

Não é propriamente a minha onda para o dia-a-dia, mas gosto de looks casuais e desportivos sempre que a ocasião assim o permite.

Vai daí fiquei de olhos em bico com estes espécimes da Balenciaga. Era menina para calçar isto.


A miúda tem fé

Ora aqui está uma virtude em que não sai à mãe, de todo. Ontem quando a fui buscar lá lhe perguntei como lhe tinha corrido a ficha de avaliação, ao que me responde:

"Acho que vou ter Muito Bom!"

"Olha lá, não aumentes a fasquia, porque se tens uma nota mais baixa, ficamos tristes" - disse-lhe eu.

Mas foi o mesmo que não ter dito nada, pois manteve o prognóstico.

Lembro-me de nos meus tempos de estudante manter um singelo "mais ou menos" - assim não criava grandes expectativas para mim e para a minha mãe. E, curiosamente a única vez em que vinha vitoriosa foi no dia da Prova Específica de Filosofia. Era a minha disciplina preferida, ainda equacionei seguir essa área, e só não o fiz porque a minha mãe me tirou essa ideia da cabeça. "Vais fazer o quê com uma licenciatura em Filosofia?"

Pois que saí da prova a exultar que tinha sido no mínimo brilhante e quando saem as notas, levei o baque da minha vida, tanto que, 24 anos volvidos, ainda me recordo como se fosse hoje. Tirei uns míseros 51% e talvez tenha sido a primeira grande desilusão da minha vida.

Ou talvez não, porque percebi aí que tinha o dom de saber fundamentar muito bem as minhas ideias e, mesmo contra a vontade da minha mãe que se recusava a aceitar que eu tinha razão e começou a martirizar-me que eu só tinha feito disparates e que com aquele resultado estava a ameaçar o meu ingresso no Ensino Superior (o que era um perfeito disparate, dada a média que eu tinha e os resultados das outras provas), enchi-me de coragem e pedi revisão de prova.

Não obstante o facto de me terem subido a nota (nunca equacionei sequer que não me dessem razão), serviu-me de emenda e voltei ao anterior registo, ou seja, manter a expectativa no "mais ou menos".

Mas ela é obstinada e continua a teimar que vai ter M. Bom. Veremos :)

Ora aqui está uma cara linda, sem recurso a "betume"

Já dizia a minha avó que a verdadeira beleza de uma mulher se vê de cara lavada e a Coco Chanel por outro lado dizia que não existiam mulheres feias, apenas mulheres que não se cuidam. No meio disto, está a verdade.

E, tirando o facto de há muitos anos atrás uma pessoa com quem convivi me dizer frequentemente que me encontrava muitas parecenças com a Alicia Keys...continuo a dizer, quem me dera! O nariz, o sorriso, os dentes, o formato dos olhos, as sobrancelhas - é que olhando com detalhe para cada parte do rosto desta mulher, é tudo perfeito. E tendo em conta que está sem maquilhagem e não está a realçar nada, nem a esconder pequenos defeitos...sim, quando crescer quero ser parecida de facto.

A única coisa em que lhe ganho é nas orelhas, as minhas são mais pequeninas e perfeitinhas, de resto, ai ai, não me importava de ter uma carinha daquelas.



Ai Chris...esta música é das melhores dos meus verdes anos!

Para mim, que sou um zero à esquerda em informática

Ter conseguido repor o som no computador é semelhante à sensação que o Neil Armstrong teve quando pôs o primeiro pezinho na superfície lunar.

Sim sim, eu sei que é básico, mas para mim não era; agora desinstalo drivers que é um mimo :)

Ah pois, mas experimentem lá ser mandados parar pela Polícia 3 vezes por estarem a falar ostensivamente ao telemóvel e não serem autuados. Ah pois, aqui a menina sabe e não conta como se faz. E sem subornos, que eu não sou dessas ilegalidades!

Mas já não o faço; isso já ficou lá atrás quando era uma jovem, porque agora já sou uma senhora de 41 anos muito bem conservada com estatuto para usar Chanel 5 e consciência de que falar ao telemóvel sem mãos livres enquanto se conduz é um perigo.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Rico é aquele que tem capacidade para dar afectos

Hoje recebi uma das mensagens da minha vida; talvez seja das coisas mais bonitas e sentidas que me foi endereçada até hoje e, embora ainda não tenha respondido linearmente à mesma, creio que o meu comportamento perante quem ma enviou, lhe deu origem, o que me reconforta bastante.

"Não te mando apagar a luz, nem peço um pedaço da manta, nem desejo bons sonhos, mas todas as noites te envio um beijo e dou-te um daqueles abraços fortes. Beijo doce, muito muito doce para ti."

Porque é que o ser humano em geral profere palavras em vão, não sentidas, quando não sabe sequer o que são afectos!?

Porque é que o ser humano gosta de receber atenção, carinho, tempo, dedicação, mas quando chega a altura de retribuir, opta por não o fazer!?

Como é possível gostar que o outro esteja lá para si, seja em termos de amizade ou algo mais, mas quando o outro precisa de uma palavra, de um cuidado, de alguma consideração...se está tão focado no seu umbigo, que se pisa o outro, humilha-se, e fá-lo sentir-se o pior ser do mundo.

Sim, já passei por isso e infelizmente, mais do que uma vez. Tornou-me numa pessoa pior? Não consigo. Tentei é certo, mas não consigo. Já passei por isso com amigos(as), com pessoas com quem me relacionei afectivamente e perguntei-me muitas vezes porquê. E percebi que as respostas para essas questões...não existem de uma forma objectiva. Falta de Inteligência Emocional nalguns casos, estoico egoísmo noutros, má formação moral, maldade, sadismo e predação emocional. Sim, existem autênticas sanguessugas que se alimentam dos bons sentimentos dos outros para se sentirem vivos, abraçam-nos como uma jiboia para nós nos sentirmos aconchegados, comprometem-se connosco como se de pagadores de promessas se tratassem e, depois, quando o conseguem dão o golpe final e revelam-se. Muita gente passa por essa desilusão o que faz com passemos a ter pouca fé nas pessoas em geral.

Mas não deixemos que isso nos tolde, nos retire a nossa verdadeira essência, nos entristeça, porque se alguém não consegue retribuir afectos, ou se consegue dá-los de uma forma perversa enquanto busca algo em troca e quando o atinge, revela a sua verdadeira e má essência - essas pessoas nunca serão boas para nós. São toxicas, perigosas e amorfas de sentimentos no geral.

Por outro lado devemos valorizar o verdadeiro afecto, aquele que vai muito além de meras palavras que se proferem quando se quer algo em troca. Quem está connosco mesmo quando não está, quem se preocupa connosco mesmo que seja a pessoa mais ocupada do mundo, quem nos diz uma palavra amiga quando nós ou os nossos filhos estão doentes, quem sabe que não estamos bem, mesmo sem ser preciso o dizermos, quem nos dá o ombro quando precisamos de chorar, quem nos ouve quando precisamos de gritar as nossas dores. A vida revela-nos quem está aí para isso e quem não está e cada vez mais acredito que não devemos perder o nosso tempo com quem apenas existe para isso, para nos fazer perder o nosso tempo.

E, num dia que teve início de uma forma tão irritante, valeu ter alguém que me fizesse sentir que está lá, tal como eu também estou. Obrigada, foi das coisas mais bonitas que me disseram nos últimos anos sabendo eu que...é mesmo verdade. 

Já fui vítima de uma situação semelhante, não ter sido recrutada para uma dada função, porque se preferia um homem

https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/analia-torres-tanto-homens-como-mulheres-no-recrutamento-para-um-posto-de-trabalho-preferem-os-homens-313249?fbclid=IwAR1W4FQfEOcWw08F4_uW8UhkLstOyksZQqS-ELlU8DPLGkh9MMMnr27MXL4#.XFrEOLbcZMS.facebook

Está excelente esta entrevista à Profª Anália Torres; é engraçado que não consigo deixar de tratar os que foram meus professores desta forma. O caminho a percorrer ainda se adivinha longo e o mudar o chip é de facto necessário. Estamos em pleno Séc. XXI. Não equacionar a diversidade, para além de mesquinho, parece-me completamente desadequado, sobretudo em funções meramente intelectuais. Em funções em que impere a força física já tenho uma visão um pouco diferente, mas, caso a mulher seja de facto apta, não vejo por que lhe deva ser negada também  a possibilidade do exercício dessa função.

Para quem tem filhos pequenos, creio que o caminho começa aí. Educar para a diversidade, seja ela de que parâmetro for. Começo a ficar saturada de pensamentos redutores e mesquinhos. Em certos aspectos existem de facto mentalidades que não evoluem.

Sim, um homem faz muita falta

E quando temos amigos queridos, bem melhor. Pois bem que o Xô Engº foi dar um jeitinho ao carro da amiga e já colocou o pára-choques no lugar. A parte da amolgadela está resolvida. Habemus Good Friends!

Não sou contra as greves

Mas sou contra a falta de bom senso. Como a Comunicação Social nos tem bombardeado nos últimos dias com a famosa Greve dos Enfermeiros, nada como o pessoal não docente para lhes seguir o exemplo, pois há mais de um mês que não se falava deles. Portanto, eis que chego à escola da minha filha e vejo um pré-aviso de greve para os dias 14/02 a partir das 00.00h até ao dia 15/02 a umas horas que vão impactar com o dia de aulas também.

É um direito Constitucional sim senhor, mas quem se lixa não é o Governo e sobretudo no caso dos enfermeiros, por muita razão que tenham, parece-me excessiva a forma como se estão a "organizar". Entre a vida e o meu "bolso", devo ser eu que estou errada, mas vou pela vida.

Torna-se difícil seguir o conselho do Cardiologista e tentar não me enervar

Sobretudo quando se chega ao carro pela manhã e se vê que alguém decidiu ter um contacto mais chegado com ele e não se dignou a deixar um papel com o contacto para pagar os estragos que fez.

Sobretudo quando temos o carro bem estacionado e com imenso espaço de ambos os lados, e mesmo assim alguém precisou de lhe sentir o calor.

Sobretudo quando eu não gosto nada de carros alegóricos.

E podia estar aqui o dia inteiro a contribuir para que o meu sistema nervoso me atraiçoasse, mas como já estou a começar a sentir os efeitos, vou contar até 100 em alemão, respirar fundo e pensar que podia ter sido pior, que qualquer mecânico com jeitinho exerce ali uma pressão com a mão e o pára-choques vai ao lugar e que, com um bom polimento o assunto se resolve.

Nas últimas semanas tenho sido alvo de verdadeiros testes à minha paciência.

...ora bolas, mas eu gosto mais de orquídeas e lírios (estes últimos brancos)

Ou seja, será que ainda me vou continuar a picar até encontrar os lírios lá no meio!?


segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Quando uma imagem vale mesmo muito

Obrigada por estares sempre aí, apesar da teimosia, dos devaneios e do mau feitio. Ficas agora a saber que a fotografia está sublime, gostei muito.

Pandora sempre a surpreender pela positiva

Uau!

Como transformar algo de que não se gosta, num desafio

A miúda não gostava de praticar Educação Física e a verdade é que no 1º ano eu não dei grande importância. Foram algumas mudanças para ambas e como eu própria também não gostava nos meus tempos de estudante, não dei o devido enfoque.

No ano passado achei que era uma pena uma miúda com resultados tão bons a todas as outras disciplinas, ter sempre "Suficiente" a Ed. Física e o comentário "precisa de se esforçar um pouco mais".

A prática desportiva é de facto importante tanto ao nível físico propriamente dito, como também mental. A própria competição pode ser muito saudável desde que não seja desmedida e perder também faz parte do jogo.

No início deste ano lectivo resolvi ter uma conversa motivadora com ela; falámos acerca da escoliose dela e dos milagres que a prática de natação lhe têm feito. Do quão contente fica quando o professor lhe "dá mais cinco" por ter dado um mergulho perfeito, por conseguir controlar a respiração.
E então se replicarmos isto para outras áreas. Não se é obrigado a gostar de futebol, mas pode gostar-se de volley, ou de basquete. Pode-se gostar de ténis e não gostar de correr e gostar também de patinar. Devemos diversificar e não particularizar.

E que tal começares por tentar melhorar a cada dia um pouco mais!? Dares o máximo no que mais gostas e, mesmo não gostando de algumas áreas, em vez de fazeres contrariada, procurares pelo menos divertir-te? - disse-lhe eu. Vais ver que vais começar a sentir uma vontade cada vez maior de ires a essas aulas, de participar, competires, festejares as vitórias e rir das quedas!?

Não sei como isto lhe bateu, mas o facto é que a minha filha de repente começou a contar os dias para ter a próxima aula de Ed. Física, a mostrar vaidade pelo equipamento e, sobretudo, a ganhar um gosto por competir, participar e vencer.

Vai aos corta-matos, tem sido a primeira nas corridas que fazem frequentemente, salta à corda e gosta de assistir a jogos de futebol. Mudou radicalmente para melhor e o único "Suficiente" que aparecia na avaliação, deu lugar a um "Bom" redondo. Fico orgulhosa por ver que ela tem um grande desejo de vencer, de se superar a ela própria, mesmo quando já tinha alguns anticorpos. É uma lutadora esta miúda, espero que assim se mantenha porque a vida precisa que sejamos assim.

O avanço da idade é uma chatice

Mas quero mesmo pensar que foi falta de atenção da minha parte, é raro, eu sei, mas acontece :)

Perante a falta de resposta a um email urgente que enviei, já ia lançar a bomba, mas como não é meu apanágio chatear antes de ter a certeza de que tenho legitimidade para o fazer (isto para não perder uma bela oportunidade de estar calada), fui verificar a que horas o mesmo tinha saído. E não saiu, aqui a sumidade não carregou no "send" e depois quer que os outros actuem com urgência.

Enfim, esta cabeça já não é o que era.

Parte II

Para escassos minutos depois me dizer assim:

"Se eu logo trouxer bola azul ou verde dás-me uma surpresa, não dás mamã!"

Posso estar enganada, mas isto é só amor, porque interesse, não há nenhum.

Ahahah

Não há nada como receber elogios logo pela manhã de fontes idóneas...continua

"Mamã, estás tão bonita hoje. Posso tirar uma trogafia?"

Fo-to-gra-fia, Unicórnio Magenta, diz-se fo-to-gra-fia.

domingo, 10 de fevereiro de 2019

Apesar de ter estado mais calma

Obviamente que tive que a repreender algumas vezes, mas, se assim não fosse não seria a mesma coisa.

Da última vez, responde-me assim:

"O que é que queres mamã, eu sou muito emocional!"

Para o que eu estava destinada...
O Nacional que não mude de treinador que não é preciso.

Era interessante saber se este senhor, enquanto magistrado, por acaso alguma vez teve em mãos um processo de Violência Doméstica

https://www.sabado.pt/portugal/detalhe/violencia-domestica-juiz-julgado-por-atormentar-ex-mulher-com-mensagens?fbclid=IwAR3TyK61MNUKK5Q7t1_rK06Ep11cnSbKfAghzEZ9sXcxHynadMg1pxY5cPw

Sempre que a miúda me diz que quer ficar rica para eu ficar igual à D. Dolores

Eu espero honestamente que ela se refira apenas ao dinheiro na conta, Porches e afins. Não que a senhora não seja uma querida, mas quer dizer….

Quando pensamos que já temos dos relógios mais bonitos

Vem alguém que nos reconhece os gostos à légua e nos surpreende com este:

Adorei. É magnífico. E o detalhe de mudar de cor é assim qualquer coisa de inovador.

sábado, 9 de fevereiro de 2019

E a verdade é que mesmo quando a juventude apronta

Não nos sai do pensamento e vai-se comprando uma coisita ou outra; se não for para ela, para quem seria!?

Tenho a sorte de ter uma rede coesa de amigas que me ajudam imenso quanto ao vestuário do meu Unicórnio Magenta. A verdade é que a roupa deles, se nós tivermos os devidos cuidados não se estraga assim tanto e dá para ir rodando, o que resulta numa poupança considerável. Não que deixe de se comprar, mas pode ser-se mais selectivo em termos de qualidade e comprar em quantidades bem menores.

Aliás, com as dádivas, acho que precisava de um Closet só para ela, tal não é o volume da banca que até causa embaraços à Feira de Carcavelos em plenas quintas-feiras. Obviamente que faço o mesmo, quando deixa de lhe servir, passo a outro e não ao mesmo e assim vamo-nos ajudando mutuamente.

Mas, tal como qualquer pessoa, a criança também fica feliz por ter coisas novas e aqui a mãe lá vai às compras de quando em vez.  Obviamente que por norma aproveito os saldos e compro já para o ano seguinte. Hoje veio isto:

Mayoral

Actividade Paranormal (cá em casa)

Só pode ser castigo para mim, sim, eu mereço. Eu que apregoava que a minha filha se deitava a horas sem grandes dramas, eis que nas últimas semanas até nisso ela me atormenta o espírito. Tudo serve de manobra de diversão para adiar a ida e eu chateio-me.

Há momentos regressou aqui à sala e disse-me que ouviu assim: "poum, poum, poum".

Lá lhe disse que devia ser algum vizinho a pendurar alguma coisa não parede.

"Não mamã, era o barulho de umas pantufas a andar sozinhas!" - disse-me isto com os olhos esbugalhados.

Lá lhe expliquei que eu não fui, o gato também não, fantasmas não existem, portanto, é alucinação. "Já para a cama!"

Hummm, será!?

Yo no me lo creo en brujas, pero que las hay...hay!
Não posso deixar de admirar o Pedro Santana Lopes, concorde ou não com ele. Já foi Presidente de Câmara (s), de Clube de Futebol, de um Partido Político, já foi Primeiro Ministro, Provedor da Santa Casa da Misericórdia e agora decidiu fundar outro Partido.

Ainda vai chegar a PR, nem que seja por um dia!

A bebé Lara que ficará para sempre como um dos rostos da violência doméstica em Portugal

Esta semana iniciou-se com uma tragédia, daquelas a que não estamos habituados neste país à beira-mar plantado. Confesso que quando fiquei a par das primeiras notícias, senti logo um calafrio e pensei que o indivíduo tinha fortes probabilidades de assassinar a própria filha. Infelizmente não me enganei. E à medida que a comunicação social vem largando mais notícias, mais chocada e revoltada fico.

Não me espanto com a resposta dos Tribunais de Família que de facto, e digo-o por experiência própria têm muitas lacunas. E a premissa do "Superior Interesse da Criança" é por vezes uma grande treta; é triste, mas por vezes o que sentimos da parte institucional é o "Superior Interesse em Reduzir os Processos em cima da Secretária" custe a quem custar.

Como sou uma pessoa de causas defendo para mim que, se uma Vara não resolve e podemos passar para outra, passemos para outra. Talvez tenha sido o que falhou neste caso. Acredito que com provas manifestas de violência física exercida contra aquela bebé, se poderia ter passado da Família e Menores para a Criminal, visto que eu por situações nada comparáveis em gravidade o fiz. Mas também entendo que seja uma guerra dura, para a qual é preciso ter uma certa tenacidade e coragem e que existam pessoas que acreditem que as coisas podem sempre ser resolvidas pela via mais pacífica.

Infelizmente neste caso, o desfecho foi fatal. Nem criança, nem avó, nem alguém a quem imputar a culpa.

What!?

Sem dúvida de que a verdadeira justiça jamais será feita; também não o seria caso ele não tivesse atentado contra a sua própria vida, mas o Estado (tribunal) tem aqui uma grande dose de culpa, e nem que fosse a última acção da minha vida, eu faria tudo para "sentar" o Estado no banco dos réus. O Ministério Público não cumpriu com a sua missão, não protegeu aquela cidadã indefesa, não quis saber dos tais "Superiores Interesses da Criança". Uma criança é alvo de espancamento ao ponto de ficar com equimoses, é colocada a dormir em carros e o MP não considera que se trata de um risco para aquela menor. Aplaudamos esta avaliação com todo o nosso desprezo. Coloquemos estes decisores em causa, e se em primeira instância não se resolver, que se recorra até instâncias superiores. Se possível, ao Tribunal Internacional dos Direitos do Homem.

Foi proclamada em 1959 a Declaração Universal dos Direitos da Criança, sendo que um dos seus princípios dita que "a criança gozará de uma protecção especial e beneficiará de oportunidades e serviços dispensados pela lei e outros meios, para que possa desenvolver-se física, intelectual, moral, espiritual e socialmente de forma saudável e normal, assim como em condições de liberdade e dignidade. (…)"

Questiono, onde e quando é que esta criança foi protegida pela Instância decisora Maior do Estado português!?

A minha demanda contra o açúcar em excesso

Fui habituada desde pequena a não ingerir açúcar em excesso e até muito tarde os meus bolos preferidos eram os queques e o bolo de arroz. Bolos com creme, chocolates, pastilhas elásticas, gomas e afins não faziam parte da minha dieta. O facto é que só na adolescência é que eu descobri o verdadeiro prazer de comer um Toffee Crisp, ou um Kit Kat, ou mesmo umas belas trufas de chocolate. Sim, gosto de chocolate docinho.

Mas a verdade, é que mesmo gostando de um bom docinho, não sou muito "açucareira" e se vou a um local em que a concentração de doces por metro quadrado é exagerada, enjoo, literalmente.

À medida que fui crescendo fui ganhando consciência de que o açúcar em excesso não nos faz bem algum, e quase sem pensar, se formos reduzindo as quantidades ingeridas lentamente, nem vamos sentir a falta dele. Para além disso, confesso que tenho um medo terrível de desenvolver Diabetes. Pensar que terei que estar a controlar tudo o que como, não poder comer o que me apetece, picar-me não sei quantas vezes por dia para verificar os níveis de açúcar, injectar insulina, o pâncreas a não fazer o seu trabalho em condições, ter problemas nos olhos e, cortarem-me primeiro os dedos dos pés e depois as pernas….bom, é assustador só de pensar e infelizmente conheço pessoas que passaram por isso tudo.

Não obstante no marasmo do dia-a-dia, evitava-o, não o evitando verdadeiramente. Pois que enfiei na minha cabeça que ia reduzir ou mesmo eliminar o açúcar que colocava na minha meia de leite costumeira de todas as manhãs com a minha Equipa. Ou no chá dos fins de semana quando vou lanchar fora, ou o dos raros cafés que bebo fora de casa.

E não é que passado algum tempo todo este açúcar que estava destinado a correr-me nas veias está todo aqui!?


Virar páginas, quais folhas que outrora foram verdes e tinham vida

Uma folha verde e bela, com vida...as plantas quando têm vida, sentem... dizem. Sentem o bem e o mal, mas nós não temos a sensibilidade suficiente para ver esse sentir. Depois, quando se desprendem do que as alimenta secam, não sem deixar de manter o seu encanto. Gosto tanto dos chãos de Outono, cobertos de folhas secas que parecem crepitar com os nossos passos sobre elas.


Mas nem todas mantêm encanto, e viram lixo. Como dizia o Lavoisier, "nada se cria, nada se perde, tudo se transforma" e o lixo também segue o seu curso.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Mentes Brilhantes deste país

Eles estão a tirar dois cursos ao mesmo tempo. E um deles é Medicina: Queriam ser médicos, mas descobriram um curso que não é suficientemente desafiante. Maria decidiu tirar também Engenharia Informática, Jorge prepara-se para terminar o mestrado em Filosofia Política.

Enjoying the sun after lunch


Lembra-me o FB que há 3 anos atrás era Carnaval

E eu tinha saído de casa com uma pele-vermelha


Are you sure you are going to the office in this outfit?


Oh yeah! It's Friday, casual Friday and the weekend is yet to come!

Sim, reclamo amiúde é verdade

Mas sempre que o faço, seja em que contexto for, tenho 300% de razão. Desde os aspectos mais pessoais até aos institucionais, a verdade é que nem sequer sou pessoa para reclamar à primeira. Tenho o chamado pavio curto, é certo, mas dou sempre o benefício da dúvida, até que me canso e...reclamo!

A minha saga com o Condomínio daqui a nada ultrapassa a saga das obras para a finalização da Sagrada Família. Em cada coisa que mexo, sai confusão e daquela pesada, chatinha e que só me faz perder o meu rico tempo.

Ah e tal, os edifícios têm que ser reparados de 10 em 10 anos; as autarquias podem multar e dão prazos reduzidos para se regularizar e aplicam coimas.

Pois muito bem, e será que eu como munícipe também posso aplicar uma coima à Câmara Municipal por ter dado entrada no passado mês de Novembro com o pedido de autorização de colocação dos andaimes na via pública e 3 meses volvidos ainda continuar à espera!? Acaso sabem que os orçamentos para este tipo de obra têm validades reduzidas, deu-se uma mudança de ano civil e os preços aumentam?
É curioso que a partir do momento em que recebo a notificação para pagar o IMI, tenho no máximo 25/30 dias para o liquidar, nos anos em que a coisa corre bem, porque a minha mãe por exemplo no ano passado recebeu uma das notas de cobrança 8 dias antes do fim do prazo.

Ah e tal, mas os proprietários sabem quais as épocas legais para pagar os seus impostos municipais! Sabem!? Eu não tenho que saber nada, tenho sim que ser notificada e dispor de um prazo útil e legítimo para pagar, tal como considero bastante ilegítimo o prazo de retorno, por exemplo de respostas, reembolso de impostos e afins.

Outro exemplo - o meu condomínio foi notificado que seria realizada em Novembro uma vistoria porque determinado condómino tinha água a pingar do tecto e decidiu solicitar uma peritagem à Câmara; fomos notificados com cerca de 3 semanas de antecedência. Tudo bem, dito e feito. Também já passaram 3 meses e o resultado da Vistoria não chegou! Já enviei 2 emails a solicitar a porcaria do parecer (que eu por portas e travessas já conheço) para que conste no arquivo do condomínio e....guess what!? Nada. Ao primeiro ainda recebi a resposta tipo de que o mesmo tinha sido reencaminhado para o Departamento responsável, acerca do recordatório continuo encostadinha à espera.

Merecem ou não uma missiva ligeira a questionar o porquê desta falta de consideração pelos Munícipes? Merecem ou não que os chateie com mais uma cartinha que têm que registar e perguntar-lhes se por acaso os meus impostos municipais também têm sido pagos com este tipo de delay? É curioso que não me lembro de ter até ao momento qualquer Execução em meu nome por parte desta Entidade, ou de outra qualquer.

E por fim, merecem ou não que essa simpática missiva que lhes vou enviar, vá com o conhecimento da TVI, do Correio da Manhã e de um Provedor qualquer?

PS: O que me aborrece é que como vivemos neste sistema de coisas eu vou ter que me calar até ter de facto as obras a andar, não vão estes senhores, meio chateados comigo, isto porque não conhecem a minha beleza obviamente, aplicar-nos ainda por cima uma multa por inexistência de obras nos últimos anos.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Condenação sem corpo de delito e o monstro de uma tal de Dona Cipriano

Ora vejamos, no nosso sistema penal, por norma um arguido que esteja formalmente acusado pelo crime de Homicídio, nas suas mais variadas vertentes, tem muito mais probabilidade de ser condenado com pena efectiva privativa de liberdade se existir de facto um corpo do que nos casos em que esse corpo não foi encontrado. Por um lado porque existe quase sempre a infima esperança de que não haja de facto corpo e não se tenha verificado um homicídio e, mandar para trás das grades um inocente é um grande galo e, por outro, pelo facto de que o "corpo fala sempre"; por mais desfigurado que se encontre, por mais avançado que seja o seu estado de composição, tem sempre consigo alguma pista o que pressupõe que seja de grande utilidade na hora de se perceberem os contornos do crime.

Mas, e ainda bem, continua a conseguir fazer-se alguma justiça mesmo não havendo o chamado "corpo de delito", sobretudo nos casos em que se adivinha uma brutalidade extrema e todos os indícios periciais, testemunhais e circunstanciais apontem para que dado arguido de facto executou certa pessoa.

E foi o que se passou com a Dona Cipriano. Uma mulher não sabe onde está uma criança, sua filha de apenas 8 anos, e vem fazer apelos à televisão sem demonstrar qualquer tipo de emoção!? Teve tempo, no meio da preocupação e da dor, de pôr rímel nos olhos!?

Na altura dos factos eu ainda estava um pouco longe de ser mãe, mas lembro-me de, mal a vi pela primeira vez na televisão a apelar, ter dito a quem estava comigo: "esta mulher deu sumiço à miúda". E ouvi o comentário "lá estás tu, coitada da mulher, devem ter raptado a criança".
Expliquei exactamente porque é que me parecia que algo não batia certo e de facto, um tempo depois caiu tudo que nem uma bomba.

Portanto alegadamente a mulher mantinha relações de extrema intimidade com o próprio irmão, a miúda viu, com os seus 8 anitos lá deve ter ficado muito confusa e para a calar, toca de fazer desaparecer a criança com requintes de extrema maldade e frieza.

Quinze anos depois, esta tipa sai da cadeia após ter cumprido 5/6 da pena; ai se eu fosse Juiz de Execução de Penas esta tipa levava com a totalidade lá dentro, pudesse eu fazê-lo. Portanto, a tipa sai e tem lata para, ao dia de hoje, fazer apelos para os "raptores" lhe devolverem a filha e que não fez mal nenhum à criança.

Esta mulherzinha está a habilitar-se a que lhe aconteça alguma coisa, só pode. Em vez de ficar calada e viver no anonimato e procurar ser uma pessoa melhor, redimir-se pelo menos interiormente e fazer algo de útil por ela e pelos filhos que ainda tem, não...continua a resumir-se ao seu cinismo e maus costumes, fazer-se de vítima e criar ainda mais sentimentos de repulsa nos outros. Esta mulher é um nojo de ser (h)umano.

No meu humilde ponto de vista, a pessoas destas não lhes deveria ser sequer reconhecido o direito de utilizar um cartão de cidadão. É que, 15 anos volvidos, não aprendeu nada. Continua arrogante e mentirosa. Dou o meu voto de vencida, de facto concluo, como cientista destas coisas, que existem pessoas cuja reabilitação e redenção são impossíveis e pior que tudo, conseguem mentir com uma seriedade execrável.

Publicidade não solicitada

Senhores Tiago, Rei Leão das Patilhas & Companhia, será que não dá para perceber que uma pessoa não gosta deste tipo de poluição visual na sua viatura!? Principalmente na época das chuvas a situação ainda piora porque a treta destes panfletos fica literalmente colada ao vidro e quase que se chega ao ponto de ter que se ir a uma drogaria comprar aguarrás para remover estes recados!?

Não há pachorra!


Quando o mau comportamento atinge o seu pico máximo

A miúda já nasceu com mau génio, disso não tenho qualquer dúvida. Chorava a plenos pulmões, e que pulmões e quando as coisas não sucediam da forma que ela entendia, ainda fazia pior.

Foi sempre assim desde que nasceu. Lembro-me que para eu conseguir descansar um bocado após o parto que foi extremamente complicado, a levaram para o berçário, mas só aguentou cerca de 5 minutos. A algazarra era tanta que punha em alvoroço os outros bebés que queriam descansar, pelo que chegava a andar uma enfermeira com ela ao colo de um lado para o outro naquela maternidade. Bastava fazer o gesto de a deitar no berço que ela abria um olho e fazia uma cara, como que a dizer:

"Nem penses!"

Foi sempre assim; para comer, na fase do desfralde,, etc. É um doce de miúda, mas tem muito mau génio. E quando digo que herdou o pior de mim e do pai, não estou a exagerar, tal como também herdou o melhor - o problema é que não tem meio termo,

É uma miúda naturalmente simpática, comunicativa, de bem com a vida. Eu não era nada disso, era uma miúda fechada, bicho do mato quase, trombuda. Esta parte mais social foi buscar ao pai, que, com todos os seus defeitos deploráveis, não deixa de ter um coração gigante quando quer.

Por outro lado é também uma miúda de causas, com um grande sentido de justiça e que defende e debate as suas ideias até ao fim - essa parte foi buscá-la a mim, sem dúvida. Contesta, argumenta, contra-argumenta com uma rapidez de raciocínio que não são comuns na idade dela

Consegue ser de uma generosidade extrema, tanto a nível dos afectos, como a nível material - aí, foi buscar a generosidade material ao pai, que é daquelas pessoas que tira a própria camisa para dar aos outros e a generosidade de afectos é mais o lado da mãe. Qualquer dos dois parâmetros em demasia é lixado porque as pessoas facilmente se aproveitam disso e desiludem-nos, magoam-nos.

É uma miúda extremamente honesta algo que valorizo muito e que sem qualquer sombra de dúvida veio buscar à mãe mas, já lhe expliquei muita vez que por vezes less is more e existem determinados pensamentos e objecções que deve deixar para ela. Por muito que lhe dê prazer uma boa "luta" mais vale calar-se, ponto.

E aí chegamos ao grande problema dela - o não se calar quando chega a altura de o fazer. E eu passo-me com ela, e acredito que com outras pessoas ocorra exactamente o mesmo.

Resumindo e baralhando, como não fecha a boca, isso reflecte-se no comportamento que tem na escola. Este 2º periodo está a ser complicado, anda refinada ainda nem percebi muito bem porquê e as bolas de comportamento com cores más têm-se sucedido. Resultado, tinha-a deixado ir ao acantonamento das Guias no final deste mês para comemorarem o dia do Baden-Powell e com grande pena minha tive que lhe retirar esse privilégio, não vai!

"Ah, mas se eu trouxer bolas boas até ao dia da viagem, deixas-me ir?"

"Podes trazer o arco-íris e descobrir o tesouro que está no fim, que não vais, mas, aviso já que é bom que de facto tragas bolas favoráveis, porque a seguir arriscas-te a sair das Guias de forma permanente, o teu Tablet vai ser dado a um menino que se porte melhor do que tu e não há fantasia no Carnaval."

Será que isto vai resultar!? Honestamente e conhecendo a figurinha como conheço eu sei que não, porque ela não se controla.

E sou obrigada a concordar que os verdadeiros problemas e dilemas da educação estão a começar agora e o quão é difícil ver-mo-nos a braços com a educação de um ser humano com mau génio completamente sozinhos e ter a noção de que se não conseguirmos "domar" a fera agora, daqui a uns anos não temos mão no "bicharoco" e não, não queremos chegar a esse ponto.

Enfim, há que viver um contratempo como tudo o resto, ou seja, viver um dia de cada vez.

É daqueles livros que não posso ler ao pé da miúda

Porque o título é pouco ortodoxo, mas por norma, quando têm títulos destes, servem mesmo para nos ajudar a mandar tudo dar uma grande curva, mudar de onda e viver o melhor possível, ou seja, é mesmo do que eu preciso.


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Às vezes parece que a minha vida doméstica é uma sitcom

Ouvi uma corneta, juro que ouvi. Daquelas do género das línguas da sogra com que os miúdos brincam no Carnaval e nas festas de aniversário.

Duas, três vezes o diabo da corneta.

Tive que me impor contra a poluição sonora, já passava das 21:30h. "Pssssst, vamos a acabar com a orquestra das cornetas. Não são horas para se fazer barulho. É hora de ir fazer óó!"

Responde ela:

"Não é uma corneta, eu juro. É o meu nariz. Estava a assoar-me e o meu nariz faz este barulho."

Não dei uma gargalhada para manter o cenário de mãe estupefacta com o barulho de uma corneta a uma hora daquelas.

Cada um tem o que merece

E por isso eu tive que trazer trabalho para casa. Estou cá com uma vontade que até se vislumbra ao longe.

Mais uma verdade que anda a circular por aí


Aqui está um dos casos em que não me parece razoável que ocultem qual o ATL em causa

É um facto que a ovelha não deve caracterizar o rebanho mas os pais têm o direito de saber onde andam a colocar os filhos. Sim, tenho a mania da transparência e da honestidade, é verdade, e por isso continuo a defender que as cartas devem ser todas colocadas na mesa e ser dado o livre arbitrio à pessoa para decidir com conhecimento de causa.

Detido diretor de ATL suspeito de violar meninas de 10 e 11 anos

O tipo de linguagem que me arrepia

Hoje de manhã a minha filha aparece-me com uma camisola vestida, daquelas que se usam na chamada "meia-estação", nada adequada para o frio de Inverno. Lá lhe disse para trocar de camisola e vestir a que lhe tinha destinado e deixar-se de invenções.

Responde ela do alto da sua inocência:

"Mamã, mas eu vou ter Educação Física e a outra camisola é muito quente e depois eu fico à rasca com calor!"

"Por quem os sinos dobram" - pensei eu. Hemingway, ajuda-me. "Ficas o quê, não percebi!"

E ela repete.

"À rasca com calor!"

Devem ter saído faíscas dos meus olhos. É daquelas palavras que me causam arrepios, tudo o que é pêlo do meu corpo fica eriçado.

"As minhas colegas quando estão aflitas com alguma coisa dizem que estão...."

Lá veio outra vez a palavra "à rasca".

Não, disse eu. Não repitas essa palavra por favor. Não digas mais isso. É uma palavra que não se diz, é feio, é calão, fica feio uma menina dizer isso. Já ouviste a mamã dizer isso? Ou a avó, a tia, alguém sem ser as tuas colegas? Já leste nalgum livro essa palavra!?

"Ah, então vou dizer isso às minhas colegas. Para elas também não dizerem!"

Nãaaaoooooo. Não te metas em assuntos que não te dizem respeito. Eu não quero que tu digas seja em que ocasião for. Se os outros dizem é um problema deles. Apenas não quero que tu o faças.

"Então mas não é feio, não é uma asneira?"

É difícil educar uma criança for Christ sake.

Quero umas meias iguais às tuas mamã!


Os filhos não são nossos, não são um objecto, um bem...são cidadãos do mundo

E devemos proporcionar-lhes o nosso melhor e mostrar-lhes que apesar das adversidades estaremos cá sempre para os amparar.

Estou chocada com aquele ser humano que assassinou a ex-sogra e a filha de 2 anos. É preciso ser-se muito perturbado, muito egoísta, para se ser capaz de deixar este rasto de sangue e ceifar a vida a um filho. Como é que é possível.

Caso não se tivesse suicidado, a Defesa ainda iria apostar na tese do surto psicótico para internarem o homem. Em termos de senso comum é um monstro, em termos científicos vou mais para o perfil do Borderline, mas com a perfeita noção daquilo que está a fazer, não me venham com tretas. Foi um crime de uma brutalidade atroz com o único intuito de magoar a mulher, ou ex-mulher, ou o que fosse. Depois bastou juntar 2 + 2 - um tipo destes não dura muito numa prisão.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Situações inusitadas

Hoje o meu telemóvel tocou e visualizo um número que desconhecia, ou antes, não estava na agenda. O facto de ter trocado de aparelho fez com que os números ficassem no antigo, que também uso e, por vezes, dá confusão.

Atendo e sai de lá uma voz que me era familiar, mas a perguntar por uma pessoa que só por acaso tem como primeiro nome, o meu segundo. E eu por momentos fiquei baralhada. Apenas existem 2 pessoas no mundo que me tratam assim, aliás, 2 e meia.

O meu pai, o meu professor de Filosofia do 10º ano e a minha mãe que usa os dois juntos quando está chateada. A voz era masculina, pelo que excluí logo a minha mãe.

A probabilidade de ser o meu professor também foi excluída pois, apesar de contactarmos via Messenger, não temos o telefone um do outro e o meu pai....de todo. Não sei nada dele há mais de 20 anos, vi-o meia dúzia de vezes na vida, mas curiosamente tenho o timbre e a entoação dele bem presentes na memória. Deve ser do "sangue", sei lá eu.

Lá perguntei com toda a delicadeza quem é que queria falar com a pessoa que tem o meu 2º nome próprio, a pessoa em questão como é muito despachada lá desenvolveu um bocado a conversa e afinal era um amigo meu com quem não falava há já algum tempo, que de facto queria ligar a outra pessoa e por algum motivo veio parar a mim. Ainda nos rimos, pusemos um bocado da conversa em dia, família, filhos, e até para os carros e motores a diesel a conversa descambou.

É daqueles enganos simpáticos que nos fazem sair da caixa e pôr a escrita em dia, já dizia o outro.

Mania de circular frases sexistas

Tive a sorte de ter sido "adoptada" por um desses homens que vejo como a um pai e não que isto possa ser inerentemente bom para os restantes, a verdade é que o meu padrasto me deu tanto ou mais afectos, que aos próprios filhos. E a verdade é que precisei de todo esse carinho e "adopção" e tenho ainda mais essa consciência ao ver na minha filha a falta que lhe faz uma figura masculina que lhe dê esse conforto, atenção, segurança e disponibilidade.

Também é de louvar que existam homens capazes de curar um coração partido, se bem que por norma, até ajudam à cura mas... para o partir logo a seguir, não sei se por sadismo, maldade, ignorância, ou o que seja, mas também respeito muito as mulheres que conseguem ajudar no processo de cura de corações partidos, que também os há no campo oposto e que "adoptam" com todo o amor e carinho os filhos deles. Porque, é assim que deve ser e não de outro modo.


Quando o Alter Ego de Unicórnio Magenta ainda não tinha sido revelado

E era apenas a minha bebé com tiques de Demónio da Tasmânia.

Life runs.

Também é uma verdade

Para quê nos contentarmos com migalhas, se podemos ter o pão!?


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Estamos sempre a surpreender-nos com as pessoas, até pela positiva

Sabia que a conversa de hoje não ia ser fácil e por isso talvez a tenha vindo a adiar, mas chega a uma altura em que chega de acumular e têm que se abordar temas menos simpáticos.

Curiosamente o balanço é positivo, foi possível manter-se uma conversa aberta, franca, construtiva e a tocar o positivo. É incrível como tantos anos depois, apesar de tudo, se conseguiu chegar até este patamar.

De um momento para o outro sabemos que tudo muda, mas a verdade é que senti uma certa paz e isso faz bem ao ser humano.

E apesar dos pesares, temos algo em comum, uma filha e isso nunca irá mudar.

Frases feitas que circulam por aí, tão verdadeiras



Eu percebi a ideia, mas retirada fora do contexto até parece outra coisa

Como ontem passei outra vez um dia com altos e baixos ao nível da minha tensão arterial, bom, mais baixos que altos na verdade, a minha mãe há pouco ligou-me para saber como me sentia, se precisava de alguma coisa. Preocupações de mãe.

Lá lhe disse que nem por isso, que ando meia a cambalear e não, não comecei no alcool de manhã. Depois de ouvir aqueles conselhos normais de mãe, do tipo, "não gosto de te ver assim", "não te chateeies", "não te enerves", lá lhe disse que para ajudar à festa demorei hoje 1.30h a chegar ao escritório, pois decidiram alcatroar um troço de estrada e pura e simplesmente para percorrer 500 metros levei 1.20h e o restante foi o tempo habitual.

E diz a Senhora D. Mãe assim:

"Estás a ver, se fumasses, nada disso acontecia. Pegavas no cigarro e já não te enervavas. Nesse tipo de situação o cigarro é um bom companheiro!"

Ao perceber a argolada remata assim, para que não lhe pesasse a consciência:

"Bem, depois tem os seus maus efeitos, mas que ajuda, ajuda."

A verdade é que mesmo não fumando, em certas situações já me veio à cabeça: "ai, seu eu tivesse aqui um cigarro".