quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

O tipo de linguagem que me arrepia

Hoje de manhã a minha filha aparece-me com uma camisola vestida, daquelas que se usam na chamada "meia-estação", nada adequada para o frio de Inverno. Lá lhe disse para trocar de camisola e vestir a que lhe tinha destinado e deixar-se de invenções.

Responde ela do alto da sua inocência:

"Mamã, mas eu vou ter Educação Física e a outra camisola é muito quente e depois eu fico à rasca com calor!"

"Por quem os sinos dobram" - pensei eu. Hemingway, ajuda-me. "Ficas o quê, não percebi!"

E ela repete.

"À rasca com calor!"

Devem ter saído faíscas dos meus olhos. É daquelas palavras que me causam arrepios, tudo o que é pêlo do meu corpo fica eriçado.

"As minhas colegas quando estão aflitas com alguma coisa dizem que estão...."

Lá veio outra vez a palavra "à rasca".

Não, disse eu. Não repitas essa palavra por favor. Não digas mais isso. É uma palavra que não se diz, é feio, é calão, fica feio uma menina dizer isso. Já ouviste a mamã dizer isso? Ou a avó, a tia, alguém sem ser as tuas colegas? Já leste nalgum livro essa palavra!?

"Ah, então vou dizer isso às minhas colegas. Para elas também não dizerem!"

Nãaaaoooooo. Não te metas em assuntos que não te dizem respeito. Eu não quero que tu digas seja em que ocasião for. Se os outros dizem é um problema deles. Apenas não quero que tu o faças.

"Então mas não é feio, não é uma asneira?"

É difícil educar uma criança for Christ sake.

Sem comentários: