sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Quando nos apetece dizer "que treta" mas abusando de palavras feias

Quem somos nós para contestar os desígnios de Deus, dizem uns, o que nos está destinado, dirão outros, ou o que pura e simplesmente, é!

Mas a verdade é que a doença, no seu sentido mais lato, é uma grande treta. A mulher de uma pessoa que trabaha comigo, em cerca de 2/3 meses viu-se a braços com o crescimento anómalo da barriga. Tinha um tumor com cerca de 20 centímetros com indicação para retirar de urgência, sendo que, num mês aquilo cresceu 12 centímetros.

Como o nosso sistema de saúde está a rebentar pelas costuras, estava em lista de espera, e o bicho a miná-la de dia para dia; lá optaram pela via particular, retiraram o que tinham que retirar e a seguir segue-se quimioterapia.

Aquela senhora, ainda é jovem e teve um bebé há pouco mais de um ano; o marido anda completamente desorientado sem saber para onde se virar. E ao saber destas coisas, não podendo fazer nada, a não ser prestar o meu apoio no que for possível, fico triste. São situações destas que nos fazem recuar e perceber que a vida é mesmo fugaz. Num momento até se pode pensar que se tem quase tudo, mas no outro esse tudo escapa-nos por entre os dedos. E a vida é exactamente esse tudo, efémera, rápida, muitas vezes injusta.

Sem comentários: