quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Fenómenos do crescimento infantil em comprimento e da meia-idade em volume

Não são raras as vezes em que a miúda veste uma peça de roupa que lhe serve na perfeição, depois a dita peça pessa pelo circuito da lavagem, passagem a ferro, armário e quando volta a vestir outra vez...já não serve. Parece que estou no filme "Querida, encolhi os miúdos!" mas ao contrário.

Al calças viram corsários, as camisolas de manga comprida passam a 3/4 e as t-shirts passam a mostrar o umbigo. De salientar que não me enganei no programa da máquina. Bastou a cena da minha camisola de caxemira.

Com os vestidos então, fica a parecer aquelas bonecas antigas que mostram as culotes. Ou seja, do alto dos seus 9 anos, já veste tamanho 11/12.

Comigo tenho fases em que o fenómero é, digamos que para os lados e aí acho que o defeito é dos tecidos, não sou eu que engordo, de todo. Aquela sensação de que tenho que encolher a barriga para fechar melhor as calças, etc. etc. etc - a qualidade da roupa já não é o que era, ora esta! Nem é a minha bebé que está a ficar uma crescida, nem sou eu que estou a ficar obesa.

Sem comentários: