sexta-feira, 11 de março de 2011

Discussões Estatísticas


As "discussões" que tenho com o meu Honey, são no mínimo hilariantes. Para além de serem sempre acerca de temas interessantes, com alguma substância, quando entramos em desacordo é de gritos, porque cada um apresenta o seu argumento e terminamos dizendo ao outro "tudo bem, é a tua opinião, mas eu tenho razão". Selamos tudo com um beijo e muitas das vezes escolhemos outro tema para dissertar, e lá recomeça o jogo.

No fundo em termos de base estamos muito de acordo um com o outro, mas como é óbvio cada um tem o seu ponto de vista, e isso acaba por nos enriquecer também.

O nosso último debate centrou-se no Censos 2011 - sendo eu Socióloga e tendo bases de estudo em estatística, para mim isto é o evento de 2011. Ando toda entusiasmada, desejosa para que sejam divulgados os resultados e aferir que indicadores estão subentendidos nas conclusões que daí vão advir.
Já me entregaram os questionário e vou preenchê-los com todo o rigor.

O meu querido por seu turno, concordando (até porque também é da área das ciências sociais) fica com mau feitio com a questão "obrigatoriedade" do acto em si.
Fala-se em multas, em penalizações para quem não cooperar, o INE já veio a público dizer que não será o caso, até porque não tem legitimidade jurídica para o fazer.

Mas é um facto que se as pessoas não sentirem que é "obrigatório", pura e simplesmente se esquecem de responder às questões, deitam o papel para o cesto do lixo mais próximo, quando é tão importante sabermos ciclicamente quem e quantos somos e como vivemos.

...mas mesmo não se deixando levar pelos meus argumentos puramente académicos, ele até diz que, se estiver bem disposto...até responde ;-)

PS: Só não entendo o alcance de 3 questões ao longo dos questionários (individual/habitacional/familiar), que mesmo podendo ser de controlo, não fazem grande sentido, no meu entender...mas enfim, de um modo geral está excelente.

4 comentários:

Anónimo disse...

Quanto a mim, o Censos incomoda-me, porque tenho a vida de pernas para o ar e não faço ideia até que ponto me posso lixar com isto. A verdade é esta: moro em casas onde não me passam recibos, por minha vez ganho dinheiro (à justa) e não dou recibos (trabalho a dar explicações para sobreviver, as pessoas preferem não receber recibo... É só uma fase minha de transição, para o ano volto para os estudos com uma fonte de rendimento diferente e equilibrada). Morei em 30 casas, como não tenho recibos, não tenho comprovativos de morada. Não tenho ligação a casa nenhuma fixa (mesmo nenhuma, nem familiares), a morada do b.i. corresponde a uma casa onde recebia cartas do banco, já mudei três vezes de casa desde então. Criei um apartado, onde recebo correspondência importante.
Se é para ser obrigatório, que os tornem anónimos. Vou responder na mesma, que se lixe. Mas que me chateia, chateia. Já estive a ver as FAQ, fiquei um pouco mais tranquila. Mesmo assim, estou numa situação instável e tenho receio que se aproveitem deste tipo de inquéritos para detectar onde mora o mexilhão, que é sempre esse que se lixa, dizem.

Mas entendo o teu entusiasmo. :D E por saber que te deixa satisfeita, já hei-de responder àquilo menos contrafeita, ainda que amuada.

Comento em Anónimo, mas deixo uma referência: sou a do bolo de chocolate. ;)

David Pires disse...

Nos censos 2001 fiquei inscrito duas vezes. Acho que não preciso de dizer mais nada. Vá, os meus pais são separados e não coordenaram bem a coisa. Mas eles lá devem depois ter percebido, não sei, talvez. Mas eu adoro os censos! WOW. Estou a sério, coisas que é para fazer gráficos e estudos e cenas, eu gosto. :)

Brown Eyes disse...

Para "bolo de chocolate": realmente a tua situação é delicada, e compreendo bem os teus receios. Eu própria já dei comigo a pensar que caso o queiram, juntando estes resultados a outras bases de dados, vai dar para "apanhar" muita gente.
E o pior é que por norma as pessoas incomodadas são as que merecem mais paz e sossego; compreendo perfeitamente o facto de não te agradar a ideia de responder; fiquei a saber há uns dias que inclusivamente no caso dos recibos verdes, caso haja um contrato e um horário de trabalho pré-definido, os trabalhadores passam a ser considerados como "trabalhadores por conta de outrém". Portanto, é o próprio sistema que está a dar origem a resultados enviesados.

É de facto o sistema que temos.

Brown Eyes disse...

David, então toca a preencher o questionário. Ahahah, e avisa os teus pais para não criarem outro clone teu;-)