Avançar para o conteúdo principal

Realmente sendo eu uma pessoa com educação, valorizo muito quem também o é

Infelizmente, é uma raridade privar com pessoas educadas. Será assim tão difícil? Obviamente que a boa educação vai muito para além de dar a salvação às pessoas e não dizer palavrões. Já vi pessoas que considero bem educadas a emitir de quando em vez uma bela asneira da boca para fora, mas também me deparo amiúde com pessoas que realmente nem sequer sabem o que é ter educação.

Não saber ser gratas, achar que os outros existem para os servir, não saber resolver coisas menos boas e colocar o rabinho entre as pernas quando a coisa se torna difícil, etc, etc, etc. Realmente já estou como diz o outro que "quem nasce lagartixa, jamais conseguirá chegar a jacaré!"

Mas a verdade é que existem pessoas com nível e educadas e quando assim é, não me sinto tão deslocada - afinal ainda existem pessoas com valores, regras e educação.

Tenho andado desde a semana passada a procurar resolver o problema dos livros escolares da minha filha e a falha que ocorreu pela não atribuição dos Vouchers que lhe estariam à partida destinados. Andei durante estes dias a falar com uma senhora da Escola sede do Agrupamento que foi sempre amorosa comigo, e só ontem fiquei a saber que por acaso é professora. Não que isto mude, até porque pessoalmente sou pouco dada a esses formalismos, mas o título a quem o tem.

Pois que na segunda-feira passada lá me resolveu internamente o problema, dizendo que era capaz de demorar uns dias até os Vouchers me serem de facto visíveis no portal, que se entretanto ela os apanhasse no sistema, mos mandaria por email, e que caso até sexta-feira eu não recebesse nada, para lhe ligar, porque para a semana iria de férias, bla bla bla. Claro que de todas as vezes que falei com esta senhora, lhe agradeci imenso todo o cuidado que estava a ter face ao meu problema.

Hoje de manhã os vouchers da rapariga estavam visíveis; ainda pensei ligar-lhe para lhe agradecer mais uma vez, mas acabei por não o fazer, apenas e só para não ser mais uma pessoa a ligar e chatear e sentindo que de todas as vezes que com ela falei enalteci toda a sua generosidade e amabilidade.

Então não é que recebo agora uma chamada da tal Professora a perguntar-me se eu já tinha visto os Vouchers e que podia ficar tranquila porque a situação da Unicórnio Magenta estava resolvida!? Ou que caso eu ainda não os tivesse visto, que os reencaminhava para o meu email?

Haja fé no ser humano, porque de facto com tanta falta de educação e respeito, é motivador encontrar pessoas assim.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Quem me Leva os Meus Fantasmas"

Tive oportunidade de ver há dias uma entrevista com o Pedro Abrunhosa (músico de que gosto bastante pela sua atitude e mensagens que passa) em que ele dizia que as suas músicas/letras são o reflexo das suas catarses, de situações que o perturbam, ou que lhe agradam e que ele tem que extrapolar para o exterior. Achei engraçada a analogia, pois com o sentido de humor que lhe é característico refere que é uma maneira de não perder tempo e dinheiro a ir ao Psiquiatra, entretém as pessoas e ainda lhe pagam para isso. O filósodo Lou Marinoff, brilhante também, como forma de evitarmos a cadeira do analista propõe-nos "Mais Platão, Menos Prozac". Concordo com ambos. E aqui deixo uma letra fabulosa de Pedro Abrunhosa, que transmite muitas das certezas e incertezas da minha existência, e foi também a seu tempo a banda sonora de eleição de uma anterior relação por mim vivida. Quem Me Leva os Meus Fantasmas "Aquele era o tempo Em que as mãos se fechavam E nas noites brilhantes