quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Quando, por desvarios da vida, começamos a conhecer tão bem o lado menos bom de uma ou outra pessoa, e passamos a antever os seus comportamentos

Foi confirmado pela contra-parte que me devolvia a miúda dia 30. A verdade é que não extrapolei esta informação para o rigor necessário e esqueci-me involuntariamente de questionar de que mês. Devia tê-lo feito.

Mas como já conheço à légua a falta de rigor da pessoa em questão, hoje quando a pequena me ligou, depois de conversarmos pedi-lhe o favor de passar o telefone ao pai, caso o mesmo estivesse disponível. O diálogo foi surreal, mas nada que eu já não esperasse. Quando as pessoas nos habituam ao deslize, é o deslize que esperamos, por isso, como que a antever que amanhã me iria chatear, resolvi começar hoje a esclarecer as coisas. Ao lhe perguntar a que horas é que tinha previsto devolver-me a criança amanhã, entre uma ou outra hesitação diz-me o seguinte:

"Ah, amanhã? É que eu estava a pensar levá-la só no sábado!"

Nem contei até 10, resolvi logo esclarecer que o pré-acordado era ela ser-me entregue dia 30, e assim teria que ser, pelo que precisava de saber a hora.

"Ah, eu estava a pensar aproveitar o dia todo e só chego tarde, muito tarde."

Ok retorqui eu. O que é tarde para si, 10 da noite, 1 da madrugada? É que eu preciso de saber uma hora prevista para me devolver a miúda, porque a minha vida não é estar à sua espera.

Bom, lá disse que o mais certo era chegar depois da meia noite, mas que ainda assim como os miúdos viriam a dormir, era melhor entregá-la só no sábado.

Lá tive que me fazer explicar: estando a dormir ou não, teria que ser retirada do carro para se deitar, fosse onde fosse. Portanto que fosse retirada do carro à porta de casa da mãe, para depois dormir na cama dela, que foi o acordado. Será muito difícil fazer com que as pessoas percebam que aquilo com que se comprometem é para cumprir? Será que é muito difícil que este ser humano perceba que 15 dias volvidos, para uma criança que raramente se separa da mãe, a distância física começa a ser dolorosa para ambas? Ok, que se esteja a lixar para mim, eu sei disso desde os 7 meses de gravidez, mas pelo bem estar da própria miuda, deveria existir o mínimo de respeito e cuidado....ou sou eu que sou doida!?

Espero honestamente não ter que me chatear nas próximas horas.

Sem comentários: