domingo, 25 de agosto de 2019

Variações

Era daquelas estreias por que ansiava. A tenra idade que tinha quando ele morreu, não influiu no facto de o admirar bastante. Por ter perseguido o seu sonho, pela excentricidade, por ter sido muito à frente para o seu tempo, por me lembrar perfeitamente da imagem dele de umas duas ou três vezes que o vi em Campo de Ourique. Para uma criança, ele era marcante. E cresci a gostar das músicas dele, continuo a gostar e gostarei.

O filme está interessante, descobrimos a luta dele para ser visto como artista, mas também um homem sensível e de paixões. Paixões pelas suas ideias, pelos seus sonhos, e por pessoas. Saí da sala de cinema inspirada e a gostar ainda mais do Variações.

O Sérgio Praia chega a arrepiar porque tem muitas semelhanças com o original e claro também tem um dos meus actores portugueses preferidos, o Filipe Duarte que também está formidável.


Sem comentários: