quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Acerca da onda de violência nas imediações de Londres


Já não me surpreende há muitos anos que um dado facto que cremos que seja isolado, dê origem a uma catástrofe.

Deparamo-nos sistematicamente com esta realidade em termos ecossistémicos, em termos biológicos, do mundo da química e da física...mas quando ocorrem ondas de caos no meio social...o primeiro pensamento que me ocorre é que tal é absolutamente desnecessário.

A polícia abate a tiro um indivíduo em determinadas circunstâncias - não consegui ainda entender em que circunstâncias ocorreu, mas esse facto despoletou a onda de violência que reina neste momento perto de Londres, sobretudo em bairros problemáticos.

Facto: um indivíduo foi abatido.
Facto: não haveria necessidade de ter ocorrido
Facto: revolta

...mas será que a voz da revolta tem que ser contextualizada num cenário de horror, violência, destruição, saques e pilhagens?

Ou os indivíduos daquele contexto específico aguardavam por um sinal, pelo atear do rastilho para fazer face à sua revolta contra o sistema?

2 comentários:

Suse disse...

Concordo, esse incidente foi como uma "desculpa" para esta juventude tola e oprimida começar com estes desacatos gravíssimos. Um amigo meu que vive em Londres diz que neste momento sente vergonha por o que se anda lá a passar.
Já vimos que não é só em Portugal que há gente parva e mal formada né. Enfim...
Beijinhos :)

Rafeiro Perfumado disse...

Realmente a melhor forma de protestar é gamar artigos electrónicos. Esses é que mereciam levar com um tiro na tromba...