sexta-feira, 15 de março de 2019

Estamos sempre a aprender

E eu tinha que aprender o que se sente quando se tem uma lesão na córnea. E tenho a comentar que é daquelas dores que não se deseja a ninguém. Lembro-me do parto da minha filha, chegar a um momento de exaustão e desconforto misturado com dor tal, que me deu vontade de rir, para começar a chorar logo a seguir e rir e chorar. Foram ali alguns minutos conturbados, sensação que só voltei a ter ontem. Não vamos comparar uma córnea furada com o dar à luz um Unicórnio Magenta com mais de 4Kgs. mas...posso dizer que a sensação de dor, desconforto e desespero foi muito similar.

Ao ponto de ter colocado uma venda no olho, qual Daryl Hannah no Kill Bill, porque não aguentava o mínimo resquício de luminosidade a perfurar o meu globo ocular - pareciam facas a ser espetadas, parecia que me estavam a sodomizar a íris.

A teoria geral apontava para conjuntivite, mas a sensação não era essa, era 1 milhão de vezes pior, ou mais, atrevo-me a dizer. Decidi tomar a decisão acertada, ligar para a minha médica de sempre, que mesmo não estando no consultório me foi ver e deu-me o veredicto, da forma positiva que só ela sabe.

"Ah e tal, é uma coisinha na córnea, uma lesão(zinha), mas tratamos já disso, não te preocupes!"

Como gostar de chamar as coisas pelos nomes, perguntei:

Vou ficar zarolha? - até eu em momentos mais complicados consigo levar as coisas para a parvoíce.

Mas não, parece que me safo desta, não sem antes afirmar que esta entra no rol das dores físicas mais intensas que senti na vida.

Sem comentários: