quarta-feira, 11 de julho de 2018

Hoje falei com a minha filha ao telefone

Não é comum, já que estou quase a 100% com ela,e das vezes em que está entregue ao pai, como por norma não tem passado mais do que um fim de semana, em que vai num dia e regressa no dia a seguir, não tem havido necessidade de comunicar por essa via.

Pois que hoje tive que ligar para o colégio, pois a criança está com uma afta gigante na boca, não lhe pus nada, mas fiquei com aquela preocupação de que caso ainda se mantivesse, hoje teríamos que optar pela ajuda química. Aqui dói que se farta.

Atendeu-me a Educadora e lá lhe perguntei como estava a afta da minha filha, para, em caso de necessidade passar numa farmácia antes de ir buscá-la, ao que a Educadora a chama ao telefone. Bom, a miúda está uma crescida.

Perante a minha pergunta acerca da afta, responde assim:

"Mamã, já está a diminuir, eu sinto, mas ainda me dói!"

Voltei a insistir se tinha dor, se precisava de um medicamento, ao que ela me diz:

"Se puder ser mamã, é que ainda me incomoda e quero comer cerejas e arde-me!"

Fiquei deliciada; a minha bebé gorda e fofinha está a crescer e já começa a falar "taco a taco" comigo, exprime-se bem, revela  coerência. É uma querida esta miúda.

Sem comentários: