quarta-feira, 23 de outubro de 2019

A minha filha é tipo "Watanka"

Começando pelo Watanka, este era um pastor alemão da minha avó, que só conheci por fotografia, mas do qual ouvi muitas peripécias, entre as quais que por mais que a minha avó e o tratador o tivessem instado a não marcar território nas jantes dos carros da família, o dito não resistia. Pudera, é instinto de macho!

A minha filha tem instinto de chica-esperta. Deve ter ali um alter-ego "watankiano". Por mais que eu já a tenha avisado que seja em sessões de estudo, seja nos testes, que não tem que dar as respostas aos colegas, tendo-lhe explicado que é errado e porque é que é errado, ainda ontem quando a fui buscar ao Centro de Estudos apanho-a com a boca na botija, ou seja, estava uma colega a estudar Inglês e pelo que percebi com algumas dificuldades, a professora virou costas e apanhei-a a soletrar para a outra a palavra yellow. Nisto vem a professora e claro, foi chamada à atenção e com muita razão.

Ainda responde: "Mas eu estava só a ajudá-la, ela estava com dúvidas e eu sabia. Temos que ajudar os outros mamã!" E onde entra o Watanka nisto, perguntam vocês!?

Pois que o cão tem como instinto marcar o seu território, a minha filha tem como instinto não conseguir estar com a boca fechada, o que na maior parte das vezes resulta em asneira.

Sem comentários: