sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Disse, há muitos anos atrás Flaubert

"Ser estúpido, egoista e ter boa saúde, eis as condições ideais para se ser feliz. Mas se a primeira vos falta, tudo está perdido."

Numa resenha que escrevi há uns tempos acerca do conceito de felicidade não abordei esta analogia que, pensando bem, encaixa na perfeição. Mas há que explorar os verbos ser e fazer (no sentido, fazer-se de estúpido).

Porque quando queremos fazer-nos passar por estúpidos, em que a carinha de parvo/a e o sorriso cínico tanto ajudam, também reunimos condições para sentir uma felicidade, ainda que momentânea.

Fica a reflexão.

Sem comentários: