sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Até o ser humano mais forte do mundo e mais corajoso perante a sucessão de adversidades e recuos chega a um dia em que sente as pernas a fraquejar, os braços sem responder, o corpo não obedecer ao cérebro...é uma grande treta.

Nessas fases resta a tal resiliência de que tanto se fala, aguentar e quando chegar o dia...renascer, como Fénix.

A um mês de entrar nos 41 anos de vida, e digo sempre isto, se me estiver reservado lá chegar, espero honestamente que sejam bem melhor do que os 40 - tiveram coisas boas, mas têm sido acima de tudo 300 e tal dias de luta, de um susto de morte, alguma tristeza perante adversidades que é normal ocorrerem na vida, mas que chega uma altura em que gostaríamos que fosse bem diferente.

Enfim, como diz uma pessoa amiga, tomorrow will be another day.

Sem comentários: