terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Já passei há uns bons meses atrás pela fase em que a minha filha ao olhar para mim via:

 - Um biberon suculento de leite

Também viu e vê:

 - A Wonder Woman que a salva dos sonhos terríveis com a bruxa malvada

Começa a ver-me:

 - Como a detentora de um cartão de plástico que passa numa pequena máquina e ela já pode trazer o que "escolheu"

Não falha:

 - A bruxa que lhe penteia o cabelo e que é má porque supostamente não é preciso pentear o dito

Mas ao mesmo tempo:

 - A mamã lindinha que lhe dá mimos, e trata dela, e põe os cremes, e os perfumes e que a deixa que nem uma princesa

Das últimas:

 - A mãe que tem o maior carro de todos, e o carro mais lindo de entre todos os amigos (ahahahahah, um Twingo de 2003)

E culminamos:

 - Em achar-me parte integrante de um parque de diversões; escala-me, faz-me cócegas, depois exige cócegas, cavalitas, baloiço humano, roda, malabarismos e pura adrenalina

E eu divirto-me à brava, rio-me mais que ela, mas depois fico com o corpinho num fanico, porque os 20 anos já lá vão.

Sem comentários: