sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Estou para aqui cada vez pior da gripe, a chegar ao limiar de ter que recorrer a ajuda clínica propriamente dita; dores em todo o lado, febre que não baixa, vómitos, agarrada às paredes com tonturas...do pior.

A minha falta de imunidade já é antiga, e então há 3 anos atrás quando estava grávida da Bébécas, nem me quero lembrar. Tentar curar gripes destas com paracetamol é quase um fracasso.

Pacotes de lenços gastos já não têm conta, a minha cara parece mesmo a de um morto-vivo; vale-me a minha filha que embirra em saltar em cima de mim, eu afasto-a e ela insiste em dar-me beijinhos, mas o que vale é que a criança é muito mais resistente do que a mãe; aliás, o nascimento dela já de si foi a primeira vitória da vida dela, pois com as complicações do último mês e do próprio parto, chegou a recear-se o pior.
No fundo ainda teve mais sucesso do que eu (e ainda bem), pois nasceu perfeita e saudável, e aqui a mamã é que ainda esteve a levar com oxigénio e afins para não se ir desta para melhor.

E no dia de hoje, só mesmo vê-la, "louca" de todo no cavalo de baloiço me faz rir; é destemida a miúda! Não tem medo de nada, é incrível!

3 comentários:

Miú Segunda disse...

Ui, céus! A gripe realmente deita muito abaixo. E é verdade que as crianças às vezes reagem melhor do que nós...
Mas a história que nos conta do nascimento da sua filha é dramática. Ainda bem que tudo acabou bem!
Gostei do blogue :)
Beijinhos

Miú Segunda disse...

Ui, céus! A gripe realmente deita muito abaixo. E é verdade que as crianças às vezes reagem melhor do que nós...
Mas a história que nos conta do nascimento da sua filha é dramática. Ainda bem que tudo acabou bem!
Gostei do blogue :)
Beijinhos

Brown Eyes disse...

Muito obrigada pelo comentário e pelo carinho; foram de facto tempos complicados. Quem é que iria imaginar que afinal o projecto de vida que era de ambos, passou a ser só meu abandonada à minha sorte, e a criatura que eu tinha ao meu lado era/é um canalha!? A vida tem destas coisas e há quem aguente o embate...faço parte desse grupo. Duro, foi, de facto. Mas pelo menos finalmente aprendi que aquela criatura não era adequada para fazer parte da minha vida; é progenitor da minha filha, e cá estou eu para tentar aliviar coisas menos boas.

Um bj