segunda-feira, 30 de março de 2020

A neta no que toca a fatalismos, sai à avó

Até hoje, e já lá vão uns bons anos desde que sou inteiramente responsável por mim, nunca me esqueci de pagar uma conta, pelo que nunca tive problemas de falta de provisão de bens essenciais por falta de pagamento, mas hoje, eu com péssimo feitio a curtir o meu surto alérgico, a minha herdeira vem saída de um dos infernos de Dante, abana-me, e pergunta:

“Mãe, pagaste a conta da água?”

Eu estava no meio do meu delírio, juro. Olho para ela, e respondo:

“Qual água?? O que é que estás a dizer? Onde é que eu deixei água por pagar?”

Ela calmamente explica que foi lavar as mãos e a torneira estava esquisita e a água saía devagarinho. Resultado, a culpa é sempre da mãe.

Vim à net, site dos SMAS e bingo, a informação que tinha ocorrido uma ruptura grave numa conduta, que tiveram que cortar o fornecimento nalgumas zonas daqui do concelho e noutras a água chegaria com menos pressão - obriguei-a a ler aquilo. Olha que realmente, agora já ficava com a má fama de não ter pago a conta, na cabeça criativa da minha filha.

Sem comentários: