quinta-feira, 9 de maio de 2019

Quando a prática de uma contestação se torna comum ou consecutiva, na minha opinião perde a credibilidade

É o que ocorre com as estruturas docentes e não docentes das escolas portuguesas. Posso ferir susceptibilidades, mas é a minha opinião e tenho direito a ela, basicamente porque também me afecta enquanto mãe e encarregada de educação.

Contestar sim, lutar por melhores condições sim, reivindicar idem, mas começa a ser absurda esta repetição em compasso binário do direito à greve, consagrado na Constituição da República Portuguesa que tanto respeito, mas honestamente, tudo o que é demais, enjoa.

Tudo isto porque amanhã vai realizar-se mais uma. Veremos de que lado do portão me fica a miúda.

Sem comentários: