Avançar para o conteúdo principal

Nem tudo é mau no mês de Setembro - o meu mais que Pai faz hoje 70 Anos

A vida não tem que ser convencional e cada vez mais nos deparamos com uma diminuição das famílias ditas tradicionais.

Não faço parte de uma e tão pouco fui capaz de construir a minha, mas lá está, a vida é assim, e não que não fosse um objectivo meu que tal acontecesse, mas o ser humano é demasiado complexo.

Vivi numa família reconstruída, com um padrasto que foi mais do que um pai - começando pelo facto de nunca ter tido um pai, já que o casamento dos meus pais se desfez devia ter eu 1 ano e meio e portanto desconheço o que é ter um pai assim daqueles mesmo a sério, biologicamente falando.

Mas a vida tinha reservado para mim, mais do que isso; o melhor dos 2 mundos. A figura masculina que obviamente faz parte, tanto como a feminina, no seio familiar de qualquer criança e jovem, mas acima de tudo, um amigão com mais 30 anos do que eu.

Não me lembro de ter levado um correctivo, não me lembro que se tenha zangado comigo, lembro-me acima de tudo da figura divertida, brincalhona, compincha e sobretudo muito conciliador face à educação espartana conferida pela minha mãe.

Melhor padrasto não poderia ter tido. É das pessoas que mais prezo na minha vida, e aquilo que sinto por ele vai muito além da relação de um pai com uma filha. Conservo a certeza de que foi e será sempre um grande amigo, um grande companheiro e quis a vida que, embora a vida lhe tenha dado 3 filhos biológicos, eu, acabei por ter a sorte de com ele ter privado mais anos e ter sentido de perto o seu orgulho perante as minhas conquistas, a sua mão a levantar-me perante algumas das minhas quedas e isso, não se alterou até hoje.

É a pessoa que vou conservar para todo o sempre e hoje que perfaz 70 anos de vida ainda que com mentalidade de 25 - é incrível como em certos aspectos continua a parecer um rapaz, quero deixar-lhe mais uma vez a demonstração da minha gratidão por tudo o que é para mim. Não me venham falar em "laços de sangue", porque os "laços da alma" unem-nos muito mais.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Quem me Leva os Meus Fantasmas"

Tive oportunidade de ver há dias uma entrevista com o Pedro Abrunhosa (músico de que gosto bastante pela sua atitude e mensagens que passa) em que ele dizia que as suas músicas/letras são o reflexo das suas catarses, de situações que o perturbam, ou que lhe agradam e que ele tem que extrapolar para o exterior. Achei engraçada a analogia, pois com o sentido de humor que lhe é característico refere que é uma maneira de não perder tempo e dinheiro a ir ao Psiquiatra, entretém as pessoas e ainda lhe pagam para isso. O filósodo Lou Marinoff, brilhante também, como forma de evitarmos a cadeira do analista propõe-nos "Mais Platão, Menos Prozac". Concordo com ambos. E aqui deixo uma letra fabulosa de Pedro Abrunhosa, que transmite muitas das certezas e incertezas da minha existência, e foi também a seu tempo a banda sonora de eleição de uma anterior relação por mim vivida. Quem Me Leva os Meus Fantasmas "Aquele era o tempo Em que as mãos se fechavam E nas noites brilhantes

Esta miúda que por sinal é minha filha...

 Estava eu a aspirar a casa e ela decidiu observar-me(nos). “Mãe, esse aspirador é do Rei dos Aspiradores. Não sabia que o aspirador de cá de casa era desses. Não devias dar dinheiro a esse homem mãe.” Nem comentei, nem tão pouco estou com presença de espírito para tentar perceber que cenas escabrosas a respeito do tal senhor que era o “manda-chuva” da Rainbow chegaram aos ouvidos da minha filha. Está a ser muita mudança para a minha cabeça. A miúda está mesmo a crescer...a galope e eu, começo a ficar para trás. Maldita idade...a minha! A dela, recomenda-se, mas de preferência com menos audácia e argúcia.