segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Fazer as pazes

Ontem o final do dia foi de uma agitação desmesurada; em parte culpa minha, porque estava tão cansada que fiz uma sesta com ela que se prolongou até mais tarde do que deveria e, logicamente o João Pestana estava a tardar em vir, o que em dias normais também já começa a ser a regra.

Ora a deitava, ora se levantava, ora me chamava, ora atirava com os brinquedos, enfim, instalou-se o caos a pontos de já não a poder ouvir.

Peguei-lhe por um braço:

 - A menina vai já para a maca de uma vez, está oficialmente de castigo e eu assim com este comportamento não gosto de si (isto com uma vontade de me rir, daquelas...)

Fez o beicinho dos costume, buáááááá, mas lá acalmou; passados uns minutos chamou-me, fui de cara fechada e perguntei-lhe o que pretendia:

 - Xecúpa mamã!

 - Desculpa!? Mas estás a pedir-me desculpa porquê, posso saber?

 - Porque eu gosto muito de ti mamã.

A intenção está lá :) Sweet child of mine!