quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O cueiro da Bébécas

Devia estar grávida de cerca de 5 meses, já sabia que vinha aí uma menina e tanto procurei algo que tinha idealizado, que acabei por encontrar.

Um cueiro em tons de branco e rosa, lindíssimo da Laranjinha. Quando o comprei lavei-o com todo o carinho, passei-o a ferro e ficou ai guardado à espera que ela nascesse para o vestir e ser apresentada ao pai, linda e principesca.

Mas...as intenções da criatura em questão foram outras, deixou de fazer sentido qualquer atitude da minha parte para o presentear fosse de que forma fosse.

A Bébécas acabou por vestir o seu lindo cueiro 5 dias depois, num momento muito nosso e qual jamais irei esquecer.

Por tudo o que passou e muito mais aquela peça tem um significado muito grande para mim e imaginei que ficaria bonito no quarto dela, emoldurado e preservado.

A minha mãe ofereceu-me a obra, fomos hoje buscá-lo e está maravilhoso. Cada vez que olho para ele emociono-me e uma vez que não quero que mais ninguém o use, pelo menos nas próximas décadas, quero olhar para aquela peça e lembrar-me de como preparei a chegada da minha filhota, de como já a amava mesmo antes dela nascer, do profundo respeito que sempre he tive e mantenho ao fim destes meses...

Ficou mesmo magnífico, e é uma das muitas provas de amor que lhe dou. Decidi perpetuar assim uma peça que pelas melhores e piores razões tem muito significado nas nossas vidas.

2 comentários:

eu disse...

Que bonita recordação de amor. Quadros assim são dos mais significativos que se pode ter.

A Menina dos Louboutin disse...

Ai a Laranjinha... tem roupa lindíssima! achei amoroso... é realmente algo digno de ser recorado e mais uma coisa que se sp vos ligará. Adorei.