segunda-feira, 26 de setembro de 2011

E lá vai barão (zito)

Aquele que prometia ser um fim de semana sempre em festa, já que tinhamos duas festas de aniversário, revelou-se uma autêntica balbúrdia, em que nada decorreu como seria suposto!

Depois da triste cena que deu origem a que chegasse a casa na sexta-feira mais tarde do que era suposto, a propósito do incêncio da sucata no itinerário mais famoso de Portugal, sábado, lá iamos nós (mãe e filha) todas catitas à nossa vidinha de manhã, quando o Bob (o meu carro) decidiu começar aos solavancos.

O que começou com um ligeiro "solavanquito", transformou-se numa sucessão dos ditos e às tantas decidi parar numa área de serviço, já bastante preocupada e a pensar no que iria fazer...uma coisa era certa, o Bob dali, só mesmo para a oficina.

Olhei para a Bébécas, comecei a imaginar a nossa entrada triunfal num reboque com todas as tralhas que tinhamos atrás, ou então no táxi da assistência em viagem, mas achei que nos ia faltar um toque de classe, ahahah.

Bem, lá abri o livro do carro para "tentar" à minha maneira leiga na matéria perceber o que se passava, abri o capot e, com ar de entendida pus-me para lá a mexer...voltei a pôr o carro trabalhar e a "solavanquice" continuava, e a luzita da avaria lá me ia piscando o olho.

Óleo tem, os líquidos que deve também, não estava a aquecer e lá me aventurei a fazer cerca de 6 quilómetros a 30 à hora, os quatro piscas ligados até à oficina mais próxima, que por ser sábado estava fechada, mas enfim, o Bob pernoitou lá à porta até hoje.

Peguei nas tralhas, Bébécas no carrinho dela e lá rumei à residência materna para pedir abrigo para uma mãe com uma bebé nos braços, estávamos tão carentes!

Enfim, agora o Bob lá está a receber o devido tratamento, eu estou super cansada porque não estou habituada a estas mudanças repentinas de planos, andei "à boleia" no fim de semana, mas o que é importante é que não falhámos nenhuma festa, e estivemis lá on fire! Ahahahahah, não pode ser tudo mau!

Hoje, lá vim eu na grande limusine da rodoviária cá do burgo, como adoro andar nesses veículos senti-me mal, ia desmaiando e vomitando para cima de quem estava à minha frente, paguei 3.85€ de bilhete (o que eu acho um roubo descarado), mas cheguei!

Agora aguardo pela alta do meu companheirão de viagem e penso que realmente, a par de outras pessoas sou uma felizarda. Ter a possibilidade para me deslocar de carro diariamente é de facto uma grande sorte e se algum dia tiver que me voltar a deslocar como o fazia nos meus tempos de estudante ainda mais valor darei àquilo que tenho neste momento.
Por vezes é bom levarmos estes pequenos abanões que pouca importância têm, para sabermos valorizar o que temos e não nos queixarmos sempre que é tão pouco, pois na realidade é muito e uma benção.

2 comentários:

eu disse...

É um transtorno tão grande quando nos falha o companheiro de viagem... Já está composto e bom de «saúde»?

Brown Eyes disse...

Já está óptimi e espero que tão cedo não me pregue tamanha partida ;-)