sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Fica-me na memória e no coração

Já passaram 2 meses desde que o deixei ali, exactamente no mesmo sítio em que o fui buscar novinho em folha há 13 anos atrás.

Foi um companheirão, o meu tudo, e quando me sentia mais sozinha foi nele que corri este país de lés a lés, em busca de paz e de sonhos. Não foi o meu primeiro carro, mas foi o primeiro carro que comprei, a estrear, feito de raiz para mim, e pelo qual tive que esperar quase 3 meses.

Foi emocionante naquela altura, o cheirinho a novo e o que eu gostei dele. Quase 200.000kms depois, posso dizer que cumpriu bem a sua missão.

Sinto saudades; por um lado estou feliz por ter outro, aquele cheirinho a novo novamente, sei que neste momento tenho algo mais fiável, pois o Bob andava a deixar-me ficar mal, a fazer-me gastar imenso dinheiro, mas por outro faz-me falta aquele companheiro de 13 anos, a máquina, em substituição do homem, que me levou à maternidade para ter a minha filha, a bengala de todas as horas.

Hoje, recebi o certificado do abate - foi desmantelado, e com ele levou uma série de estórias e memórias, que eu, enquanto ser humano, guardarei na memória e no coração.

Não te esquecerei companheiro!


Sem comentários: