sexta-feira, 24 de abril de 2015

É uma criança difícil a minha filha

Que ninguém pense o contrário.

É doce, meiga, inteligente, perspicaz, generosa, atenta, curiosa, activa, mas tem um lado muito complicado de se lidar.

Em partes revejo alguns dos problemas que a minha mãe faz sempre questão de me recordar dos meus traços de personalidade na infância, outras partes serão dela própria e outras da outra componente genética que lhe pertence.

Sei que tudo somado por vezes dá um certo desequilibrio para a asneira.

E a asneira resume-se a um forte temperamento, constante medição de forças comigo, tendência em não acatar o que o Honey cumprindo as suas funções tão meigamente por vezes lhe pede, e acabando por me colocar numa situação muito desagradável, em que tenho que a educar, mas vou arranjando sempre maneira de a "defender".

Ou porque dormiu mal, ou porque está cansada, ou porque foi uma criança gerada num estado de ansiedade que passou para ela...e por vezes serve-se de toda a defesa que lhe dou, para fazer as suas inteligentes chantagens, comportamentos detestáveis.

Esta semana parti, mas não dobrei. Drama Queen do costume, chatices para sair de casa como quer, com o que quer, e a birra vergonhosa e estridente por ser contrariada, "bater" o pé e dizer "não vou ao colégio".

Ok, dei meia volta, disse-lhe que tinha mais que fazer, o meu trabalho à minha espera e pouca paciência para faltas de educação; até logo e fechei a porta atrás de mim. Ok, demorou 1 segundo e meio, abriu a porta, veio tocada a latas à minha frente, parecia um anjo.

A última foi vir ao meu lado, provocar, literalmente, a deitar uma bolha de saliva por entre os lábios; avisei-a, repetiu...apanhou uma palmada - mas que vergonha é esta de andar agora a cuspir para as pessoas!?

Entendo que, para além do feitio difícil, sejam os "malefícios" dos processos de socialização que têm muitas coisas positivas, mas algo nefastas também.

...e os 4 anos, são bem piores que os terríveis 2. Entretanto está novamente um torrão de açúcar, meiga e encantadora. Vá lá eu perceber isto.

Sem comentários: