sábado, 9 de julho de 2016

Ainda na sequência de que "não se acredita em bruxas, mas que as há, há!"

Desde Março que o meu carro anda com um problema que, primeiro se pensava estar resolvido, agora tem-se a certeza de que é mais grave do que se pensava.

Então é assim; o carro em andamento porta-se lindamente, mas, em modo de quase paragem ou mesmo com o motor ao ralenti começa a perder força, acende uma série de luzes no painel e, ou lhe dou aceleração, ou ele estremece uma série de vezes e acaba por ir abaixo.

Curiosamente isto só acontecia muito ocasionalmente em parques de estacionamento subterrâneos; teve um arranjo grande em Março, em que também pedi para mudarem o motor de arranque que já não estava muito bom, paguei uma conta de centenas de euros, mas parecia tudo bem. Passado um mês voltou a ter o mesmo sintoma, liguei para o mecânico que me disse para lá ir, ligou o carro ao computador e aquilo acusou uma avaria intermitente ao nível do "sensor da pressão", aquilo foi limpo e vim à minha vida.

Pois que, no passado dia 27/06, dia em que tive uma primeira audiência judicial interposta por mim à criatura que quem me lê já "conhece" sobejamente, por um crime que cometeu e que é punível por Lei no nosso código penal (e lamento que não o possa fazer por outros crimes que cometeu, mas que à luz da Lei não são imputáveis), uma bruxa dá de caras com a minha pessoa, e as pragas devem ter sido tantas que, não me conseguiu fazer cair, ainda conseguiu sim que todos nós que ali estávamos ao avaliarmos a sua figura nos benzêssemos ao constatarmos que foi por aquilo...sem palavras. É que dos pés à cabeça, não tem ponta por onde se pegar, mas enfim; voltando ao bruxedo. Pois que a partir do momento em que a bruxa me focou, o carro desandou, piorou e nem sabemos o que lhe fazer.

O mecânico não dá com o problema, aquilo acusa avaria em peças que são substituídas, mas que depois de o serem, continuam a acusar avaria, a falha no carro ainda por cima só acontecia comigo e esta semana então foi o caos. O dia de anos da minha filha sem carro, arrisquei a andar com ele por aqui, mas ia levando com carros em cima em cruzamentos porque o tipo morria quando devia andar, enfim, um desconsolo.

Penso, o que fazer. Comprar um carro novo, não posso, ou até podia, e depois apresento mais despesas e pode ser que o Tribunal finalmente entenda que eu não tenho que suportar 85% das despesas da minha filha sozinha, quando a outra parte decide fazer filhos, qual família com nível cultural abaixo de zero que não sabe o que é o planeamento familiar. Se calhar esse é o caminho; portanto, compro um carro novo, vou finalmente fazer a minha segunda licenciatura, ou doutoramento, ainda arranjo outro filho pelo caminho e depois veremos se têm comigo a condescendência que têm com um energúmeno que se arma em coitado e miserável.

Enfim, alguém conhece uma bruxa que me ponha o carro a funcionar!? Porque a outra, para além de ser boa a meter-se com os maridos das outras, também parece que tem alguma mestria para estas coisas eléctricas.

Sem comentários: