sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Ainda existem pessoas decentes

Ontem, no regresso a casa antes de ir buscar a minha "bebé", estava eu num troço em modo pára-arranca quando me apercebo que um senhor numa carrinha do tipo Ford Transit me buzinou umas duas vezes e estava a querer interpelar-me.

Bem, atendendo ao facto que estavamos em faixas distintas, cada um na sua mão e sem stresses, a primeira coisa que pensei é que o homem estava a querer conversa - uma pessoa já anda tão farta de gente ordinária que sinceramente.

Mas perante a insistência, olhei assim pelo canto do olho, pelo aspecto do senhor até me pareceu uma pessoa pacata, abri ligeiramente o vidro e fiquei assim meio desconfiada para perceber o que se passava - como estas situações são todas muito rápidas, ainda olhei pelo retrovisor e aparentemente estava tudo tranquilo com o carro - não via fumo, nem portas abertas, bagageira, etc.

Enfim, o senhor então estava ali todo preocupado em alertar-me que estou sem 2 stop's. Só funciona pelo que percebi o do meio.

Ainda há gente boa pensei, e desfiz-me em agradecimentos ao senhor.

Acho que as coisas deviam ser assim mesmo; ainda me lembro que há uns meses atrás eu própria fiz o mesmo num IC, perante um carro cheio de malta jovem e confesso que até um bocado desaustinados que estavam a circular sem luzes - e até que eles percebessem que eu estava a buzinar-lhes e a fazer sinais de luzes por bem, demorou um bocado, mas também quando perceberam foram extremamente cordiais....mas como uma pessoa não está de facto habituada a que haja gente boa...reagimos na base da desconfiança. Infelizmente é a sociedade que temos.

Sem comentários: