quinta-feira, 11 de julho de 2013

Que fresquinho

Ontem comecei a prever que viriam para aí dias frescos; ao final da tarde fui com a Bébécas às aulas de Inglês e à saída tive um ou outro arrepio de frio, daqueles que sabem bem.

Cheguei a casa, o forno dos últimos dias; uma vez que a casa aqueceu, a temperatura no interior continua pelos 30º, mas bastava ir à janela que o meu termóstato ia logo ao lugar. A Bébécas também transpirou muito menos, nem tem comparação.

Deitei-me tarde, muito tarde mesmo, para variar, mas confesso que não fiz nada de digno no serão, nem produtivo, nem útil. Parecia mesmo uma tronga deitada no sofá, com tanta coisa para arrumar, limpar, passar a ferro, e sem vontade para fazer nada.

A noite foi tranquila, não há nada como uma noite em que se sente o fresco, não sei que voltas dei que acordei tapada até meio; devo ter sentido frio e aconcheguei-me.

O despertador tocou, deixei-me ficar mais um pouco, até soar o "mãe acóóóóóóda" que me fez levantar tocada a latas e ir preparar o pequeno almoço da criança.

Ao pôr o nariz fora de casa, aquele fresquinho a bater na face, foi magnífico.

Comentou a Bébécas:

 - Mamã, tá a chovêli!

Ok, um dia mais fresco para ela é sinónimo de chuva :)

Sem comentários: