quinta-feira, 9 de junho de 2011

Quando o telefone toca



"Quando o telefone toca" era uma rubrica de um programa de rádio da década de 80...mas isso agora não interessa nada!

De há uns tempos a esta parte, um dos telemóveis que possuo toca constantemente...e o que aparece no visor?? Número Privado!

Enfim, não estou para aturar operadore(a)s de call center (reitero que não tenho nada contra as pessoas que estão a fazer correctamente o seu trabalho, até porque eu própria já o fiz em tempos, mas não andava era a catrapiscar os supervisores e a tentar estragar a vida dos outros), não quero comprar nenhum produto do banco, da Zon, ou do raio que os parta (passo a expressão), não quero responder a qualquer questionário nem quero habilitar-me a ganhar absolutamente nada...e também não quero estar a atender alguém que se lembra de ligar para mim, sem se querer fazer anunciar previamente.

Por isso...agora não os atendo; sejam privados, ocultos, anónimos ou que não constem na minha lista, simplesmente não me apetece.

E como tenho a particularidade de ter mais do que um aparelho telefónico, um deles é mesmo exclusivo para as minhas VIP's, e não há cá omissos a chatear.

No do "povo", vou-me divertindo; ora não atendo, ora rejeito, ora lhes dou música de graça e estou aqui a pensar em deixar uma mensagem do género "a proprietária deste aparelho foi abduzida e encontra-se em parte incerta a participar numa experiência intergaláctica. Se ouviu esta mensagem até ao fim, vai levar um pontapé no traseiro dado pelo ET".

3 comentários:

Patrícia disse...

Quando me telefonam em privado, simplesmente deixo tocar até se fartarem de ouvir o "Beep" prolongado. Tenho toques personalizados portanto, sei sempre quem me telefona.

Gostaria que desses uma espreitadela no meu blog "O Poder da Ironia". Se achares que vale uma pena, agradeço desde já o comentário.


Patrícia=)

Sofá Amarelo disse...

Antigamente o país parava às 8 da noite não para ver o telejornal mas para ouvir o Quando o Telefone Toca do saudoso Matos Maia. Era uma das hipóteses de ouvir as canções favoritas pois já nesse tempo a rádio vetava alguns dos grandes artistas!

Brown Eyes disse...

É verdade, e aos anos que isso já foi. Ainda me lembro da música que tocava na altura em que o programa começava.
Há coisas que nos marcam, de facto...