domingo, 13 de julho de 2014

Os vestígios dos assaltos nocturnos da minha filha ao frigorífico


É matemático; oiço-a remexer as coisas no quarto dela, e deixo-a "brilhar"; depois lá vem aos encontrões com a cadeirinha, coloca-a estrategicamente à frente do frigorífico e abre a porta de lado, pelas borrachas, para não fazer barulho.

Pergunto eu:

 - O que é que tu estás aí a fazer!?

Apanha um cagaço de morte, e eu rio, rio, e ela chora de susto. Ahahahahah

Sem comentários: