domingo, 6 de julho de 2014

Então e a minha quase multa...

Valha-me Deus, nem me quero lembrar.

Já nem sei em que dia da semana foi, mas vinha eu à hora de almoço do Shopping com as "últimas" compras para a festa da minha filha, a falar ao telemóvel com a pessoa que mais tempo me absorve ao telefone (a minha mãe), isto porque eu abomino falar ao telefone mais do que o indispensável, entro numa meia-rotunda e vejo os senhores agentes. Era tarde demais, já ele estava com cara de mau a olhar para mim e mandou-me encostar.

Estou tramada (com F maiúsculo pensei eu!) - ainda nem a prenda para a minha filha tinha comprado e agora ia pagar uma multa choruda.

Bem, lá veio ele "os seus documentos e os da viatura", depois dirige-se a mim e diz assim:

 - Sabe o que estava a fazer!?

E eu:

 - Peço desculpa Sr. Agente, eu sei que vinha a cometer uma contra-ordenação, mas eu até tive o cuidado de vir com as duas mãos no volante, não vinha a conduzir apenas com uma, embora saiba que não o devia fazer.

 - Ah e tal, e viu-nos aqui e não desligou o telefone!

Aí respondi-lhe o que pensei no momento e que curiosamente o "amoleceu":

 - O Sr. Agente não ficaria ainda mais irritado perceber que eu vos tinha visto e ver-me atirar o telemóvel para o chão!? Isso é fazer literalmente das pessoas parvas, peço desculpa pelo termo, e se fosse eu, ainda passava uma multa pior.

Lá deu uma volta ao carro, entregou-me os documentos e deu-me o raspanete:

  - Vá, vá-se lá embora, mas não se ponha a jeito; neste momento há mais acidentes provocados pelo telemóvel do que pelo alcool, e eu ao autuá-la agora ficava sem carta por 3 meses..uiiiiiiiiiii.

Depois veio a minha veia poética:

 - "Oh, mais vale multar-me já Sr. Agente, eu agora viro costas, o Sr. já tem os meus dados e depois manda-me a multa para casa :(

Foi o fim da picada:

Aproximou-se de mim com o ar mais doce que lhe tinha visto até então e disse-me assim:

 - Olhe lá para mim, olhe bem para mim (e eu olhei!) - acha que eu era capaz de lhe fazer uma coisa dessas!?

Pronto, o assunto estava encerrado, e o certo é que lá estavam outros na mesma situação que não tiveram a mesma sorte. Aquele foi o meu dia de facto. Agora enquanto me lembrar, o telefone que se dane, a reprimenda surtiu efeito ;)

Sem comentários: