quinta-feira, 24 de julho de 2014

Discrepâncias noticiosas

Seja pela sua missão, pelo facto de quererem dar a notícia em primeira mão, ou motivos não tão decorosos, é óbvio que todos tentam ter o melhor lead e acima de tudo o primeiro. Nada como um furo!

Mas a proliferação de notícias erradas quando o estado de sítio impera torna-se cansativo e baralha a mente do mais atento.

Acerca do voo de ontem no Taiwan, tão depressa ouvi que resultaram mais de 50 mortos e 7 sobreviventes, como depois disso já eram 48 mortos. Enfim, ressuscitaram uma série de pessoas.

O desastre com o avião da Malasyan Airlines também deu origem a uma série de mal-entendidos, havendo até quem falasse em números superiores a 300 mortos. Caramba, se a companhia ainda não tinha dado números não inventem, não façam estimativas...já basta a verdade.

Hoje, a propósito do "desaparecimento" do MD, já davam uma sobrinha do Fidel Castro como vítima mortal confirmada, afinal a senhora já falou (e não foi do além) e está viva da costa. Quer dizer, a senhora nem de Havana saiu, e já a davam como integrante numa viagem do Burkina Faso para a Argélia, estatelada sabe Deus como algures no Mali...e a senhora a quilómetros de distância e a respirar...oh meu Deus.

Tenham paciência, esperem um pouco antes de dizerem disparates, confirmem as fontes e as declarações, porque há mil e uma pessoas envolvidas, família, etc. e estas situações lançam sentimentos de grande confusão.

1 comentário:

Sónia TM disse...

É bem verdade, em quase todas as noticias, então trágicas ainda pior, há nr sempre diferentes

Sónia
Taras e Manias